História I NEED YOU - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emmaswan, Ouat, Reginamills, Swanqueen
Visualizações 235
Palavras 2.911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem e não me matem. Não revisei porque estou escrevendo pelo celular infelizmente. Gente espero que gostem.

Capítulo 21 - Porque?


 

EMMA SWAN.

"Pi pi pi pi"

- Oh não. - Me levantei da cama sentindo meu corpo ainda pesado graças a vodka e vinho. - Porque está tão longe celular

Já era 13h e estava morrendo de sono. Mas logo as lembranças da madrugada fizeram presente e me deixou respirar aliviada. Como eu podia deixar isso quase acontecer?. Seu corpo estava tão perto do meu que não resisti e toquei em suas coxas, senti ela estremecer com o toque e seu peito subia e descia rápido. Quando deslizei lentamente invadindo seu espaço a minha vontade era de puxar ela para perto de mim e beijar, só que tinha uma pessoa nesse meio, nunca iria fazer isso por mais que minha vontade era essa. Posso chamar isso de traição? Desejar um pessoa na qual não é sua namorada?

"Emma Swan você é um lixo."

Mas era como se aquilo fosse certo e nada mais era interessante se não ela. Aquela mulher com pele bronzeada, cabelos escuros, olhos profundamente castanhos e com o cheiro inconfundível. Eu senti que se eu desse aquele passo eu estaria me condenando. Regina estava leve e me parecia em paz, rimos muito até nossas barrigas doerem, falamos sobre nossas vidas e sobre a época de escola, Regina contou que seu doutor tinha ligado para fazer algumas seções de terapia e que nunca era demais, já que Zelena fazia questão de não aceitar os remédios propostos. Por mais que seja o certo alguns remédios ela não concordava por Regina ter melhorado bastante e se livrado, era as vezes que ela precisava de seções, só quando se encontrava nervosa, não fazia tanta seção como antes. Ela também contou que é como um dia ela acordasse bem e no outro horrível se algo estivesse te perturbando, questão de tempo. Não sabia muito sobre a doença mas iria pesquisar, Regina falava abortamento o que me fez pensar se era o álcool encorajando-a.

"Pi pi pi"

- Oh merda.

Peguei meu celular na poltrona e vi que tinha inúmeras mensagens de Rose. E algumas chamadas da minha mãe. Mandei mensagem e tentei retornar à ligação de Rose mas ela não atendia. Isso me fez lembrar que não tinha pego o número de Regina. Enviei mensagem para Zelena pedindo o número dando alguma desculpa, não sei se ela acreditou mas logo enviou o número.

"Espero que tenhamos outro passeio desses."

- Enviar ou não enviar?. Ah to nem aí. - Apertei enviar. - Enviado.

UMA SEMANA DEPOIS.

Uma semana tinha passado e eu e Regina tinha nos aproximado. Ela estava bem na maioria das vezes, outras com raiva de algumas coisas na empresa, nada demais até porque ela quem governa tudo. Agora sempre que podia me juntava para almoçar com a família Mills. Todo dia aquelas crianças tinha uma novidade diferente, até mesmo quando Henry mencionou uma pequena menina chamada Melissa e Regina ter quase um infarto, disse que era coisa de criança, quem nunca teve o primeiro amor na infância e ela alegou dizendo que não teve. Cada dia que passava eu ficava mais surpreendida com o potencial da Regina não só como pessoa mais também como mãe. Naquele dia ela estava mais relaxada, e alguns parecia que nao tinha dormido direito, eu queria saber porque mas isso seria muito atrevimento da minha parte.

- Você foi muito bem. - Cheguei perto dela que estava na mesa arrumando algumas coisas enquanto o resto do pessoal da reunião ia embora.

- Sabe do que eu preciso?

- Não?

- Descansar e beber. - Ela riu ajeitando seu óculos de descanso. Ela era tão sexy, como alguém poderia fazer um pequeno gesto e me tirar o fôlego?

- Que tal irmos em um bar? Vai ser legal, posso chamar Killian com seu namorado e Ruby junto com sua irmã.

- Oh. É, vou ver. - Ela se levantou com duas pastas na mão e sua bolsa. - Vou tentar ir mas não prometo nada.

- Ficaria feliz se aceitasse. Por minha conta. - Fomos caminhando até sua sala.

- Vou pensar. - Afirmei com a cabeça e segui o elevador para meu andar com um sorriso que fazia muito presente com Regina.

Meu celular apitou dentro do meu bolso e tentei um jeito de atentar. Era Rose, minha namorada.

"Hey baby"

"Oi, tudo bem?"

"Tudo, e com você?" - Sua voz estava ansiosa, conhecia Rose bem.

"Tudo. Já está com saudade? Me ligou a semana inteira. Escondendo algo?"

"Não. E você?" - Arrependida pela pergunta. Era o que estava, mas não tinha feito nada de errado, ou tinha?

"Não." - O levados abriu e fui caminhando até minha sala.

"Só queria escutar sua voz. Agora vou ir que tenho um compromisso."

"Devo me preocupar?"

"Nem um pouco. Tchau amor, se eu não te atender mais tarde, espero que entenda. Te amo"

"Okay. Beijos"

Desliguei o celular. Ela estava estranha, alguma coisa tinha acontecido. Não dei importância e entrei na minha sala. Me adiantei no trabalho, eu era editora-chefe no jornalismo de uma revista, era impressionante, as vezes não acreditava que tinha conseguido o cargo. Eu amava meu trabalho e trabalhar com aquilo que gosta era ótimo, eu era responsável pelo conteúdo de algumas paginas da revista junto com os editores e era um trabalho muito grande. Reuniões não paravam.

O dia foi exaustivo porém muito bom. Voltei de carro com Killian e Ruby já que tinham me dado uma carona e estava tudo em paz, podia até desconfiar disso. Ruby veio tentando tirar algo de mim junto com Killian sobre semana passada mas nada disse.

- Qual é. Vai ficar escondendo as coisas dos seus melhores amigos? - Ruby abriu o apartamento dela.

- Não é que…

- É que não tem nada pra contar. - Killian completou que eu dizia semana toda e revirou os olhos.

- Eu vou descansar porque mais tarde talvez eu encontre a Regina.

- Vai encontrar com ela?

- Espero. - Dei ombros abrindo a porta do meu apartamento. - Inclusive vocês iram.

Entrei em meu apartamento e vi a zona que estava, nunca fui muito organizada então decidi colocar uma roupa mais confortável e arrumar a zona.Vi a tela do meu celular piscando e vibrando na mesa e tratei logo de atender o número desconhecido.

"Alo" - Fui até o rádio abaixando o som.

"Emma."

"Regina. Tudo bem?"

"Sim. Bom, eu queria muito sair hoje só que não vai ter como já que alguns amigos de Henry vieram dormir aqui em casa." - Percebi que a sua voz tinha um tom de tristeza, ou era coisa da minha cabeça?

"Tudo bem Regina, vou enviar mensagem para os meninos, quem sabe outro dia?"

"Ou melhor, que tal…eu não vou até o jantar mas o jantar pode vir até mim" - Sorri boba. Se ela visse o tamanho do meu sorriso agora iria me achar uma adolescente boba.

"Que horas?"

"Pode ser 19h."

"Okay. Preferência de algo?"

"Me surpreenda."

"Ok-ay."

"Tchau Emma, até daqui a pouco."

 

A chamada foi encerrada e me joguei no sofá. Uma boba apaixonada era o que parecia. O que eu estava fazendo? Não fazia mínima idéia mas sabia que era errado. Sabe aquela ex que quando tudo está bem ela vem com um oi e te desmorona por inteiro? Você xinga à de todos os nomes mas com Regina não foi assim, ela não estava me desmoronando, estava me trazendo algo que conhecia muito bem.

"Rose, Emma Swan. Essa é a sua namorada e é errado pensar assim. Porque não termina? Vai deixar ela vir por sua causa e depois dispensá-la? Isso é egoísmo. Mas eu conversei com ela pra não fazer isso. Tá, eu tô na merda."

Minha mente brigava pela razão e meu coração pelos sentimentos. Eu gosto dela, antes de tudo ela foi a minha amiga e sempre esteve comigo junto com Ruby e Killian, mas evoluímos por algo à mais já que ela sentia algo por mim, e eu tentei, já estive sim apaixonada mas algo não se encaixava e a gente já teve inúmeras conversas sobre isso. Quando estamos separados de alguém que amamos parece que o nosso coração aperta e a dor parece que cada dia que passa aumenta, tudo o que você quer é ficar com a pessoa, sentir o cheiro dela, ficar olhando pra ela e pensar se aquilo mesmo é real, se aquele sentimento tão profundo é real. Esse era o problema, eu não me sentia assim, eu me sentia bem mas sentia saudade de sua companhia. Não era por causa de Regina, eu apenas me sentia assim a algum tempo, pensei que era por problemas por isso o nosso afastamento, mas agora…eu não sei. Talvez o seu amor não seja correspondendo na mesma altura, e alimentar algo que só uma pessoa sente é injusto e errado. Eu precisava conversar com ela, precisava pelo menos resolver isso, ou tentar.

Peguei meu celular novamente e liguei. Nada de me atender, então optei para enviar uma mensagem.

"Preciso conversar com você, é algo sério então quando puder me retorna. Bjus"

O relógio já dava 18h30 e eu ainda não estava pronta. Estava pensando em desistir, estava ansiosa com alguma resposta e nada de Rose. Acabei enviando mais mensagens e aquilo já estava me deixando preocupada. Fui tomar um banho para tirar a poeira do corpo e relaxar meus pensamentos. Depois acabei de me arrumar, nada chique demais. Apenas minha calça jeans e uma regata branca junto com uma jaqueta azul escuro. Prendi meus cabelos um coque.

Peguei a bicicleta que resolvi comprar para ela e fui à um restaurante japonês. Me lembrei de como Regina amava comida japonesa, muitas vezes isso gerou algumas brigas por último pedaço de tempura. Não demorou muito e já estava de frente pra casa da Regina, não era longe do meu apartamento, mas como estava de bicicleta me cansei porém valia a pena. A casa estava iluminada, sabia que tinha marcado 19h mas já era 20h e ela não gostava de atrasos.

Passei pelo segurança, minha passagem já estava liberada. Vi ela parada na porta de braços cruzados com um leve sorriso no rosto. Ela estava bem normal, como uma pessoa fica em casa. Sem nenhum vestígio de maquiagem, ela estava com um robe preto, linda.

- Você veio de bicicleta? - Ela riu.

- Sim. E ela é toda sua. - Coloquei ela encostada na parede. - Trouxe tempura. - Movimentei a sacola.

- Obrigada, é incrível. Cade o pessoal?

- Oh meu deus, esqueci deles. - Coloquei minha mão na testa mas ela começou a rir.

- Aham. Sei…você quer é ficar sozinha comigo. - Brincou me dando um empurrãozinho. Eu estava vermelha, tinha certeza. - Vamos entrar. A cozinha já está nos esperando.

- E as crianças? Trouxe o suficiente para todas elas. - Fomos caminhando até sua enorme sala de jantar.

- Agradeço Emma mas Emily tem horário para dormir e só dei alguns minutos para os meninos no vídeo game antes de dormir. Todos já jantaram.

- Entendi. - Coloquei a sacola na mesa e fui arrumando tudo enquanto Regina pegava a bebida e as taças. - Tempos tempura.

- Eu não acredito que você comprou tempura. Estou salivando, esta vendo? - Apontou para sua boca brincando.

- Também. Vamos sentar e se deliciar.

- Comida japonesa. Céus eu amo.

- Eu sei disso.

- Regina olhe bem para mim e fale que nunca levou um multa na vida. - Ela deixou a taça na mesa de centro da sala e se indiretos no sofá ficando de frente pra mim com a mão apoiada no sofá sustentando sua cabeça e as pernas cruzadas.

- Eu. Nunca. Levei. Multa. - Falou pausadamente e riu.

- Regina para de fazer a fingida. Você já deu em cima de um policial para se livrar de uma multa. Não se lembra? - Deixei minha taça do lado da sua e me virei pra ela.

- Tudo bem. Já quase levei uma multa. - Rimos. - Você já deve ter levado muitas.

- Três.

- Só?

- Só!

- Não acredito, do jeito que estava pilotando a moto queria voar. - Seu celular tocou no criado e ela pegou, logo em seguida bloqueou. - Zelena pediu para buscar ela na Ruby, o carro dela estragou.

- Ah sim.

Olhei para ela pegando nossas taças e demos um brinde. Fiquei observando a mulher na minha frente, ela não estava distante de mim, seus olhos estavam vidrados nos meus. Eu queria saber o que se passava por aquela cabeça. Regina era como incógnita, era uma mulher difícil de decifrar, isso conseguia prender minha atenção. 

Ela deu um sorriso de lado, era o tipo de mulher que não precisava nenhum tipo de maquiagem para chamar atenção porque ela conseguia chamar atenção ainda mais sem elas, seu terninho e seus vestidos caros à deixavam sexy mas ali tão à vontade era muito mais atraente. Seu rosto era delicado, seu cheiro era fascinante, dava para sentir de longe, tão inebriante.

- Tem algo de errado comigo? - Ela colocou as mãos no cabelo arrumando.

- Não. Você está linda. - Ela ruborizou e colocou um mecha de seu cabelo atrás da orelha. Era algo que sentia falta, era desse jeito dela. Era ela.

- Obrigada.

- Bom. - Me levantei arrumando os meus. - Tenho que ir, já passou da minha hora. - Tirei o meu celular do bolso.

- Me espera? Vou pegar algo seu lá em cima e te levar.

- Não.

- Emma você há me deu carona e não recusei. Agora não recuse uma minha, estou em dívida com você. E eu tenho que buscar Zelena.

- Okay senhorita Mills. Estarei aqui esperando. - Me joguei no sofá enquanto vi a mesma sair pela porta

...

- Entregue senhorita Swan. - Ela estacionou em frente o portão do meu apartamento. - E desculpe pela jaqueta, tinha mesmo me esquecido.

- Tudo bem Regina. - Deixei ela sobre o painel do carro e me virei pra ela que estava também me olhando.

- Pare de olhar assim que vou jurar que à algo de errado no meu visual. - Ela riu. E saímos do carro, ela me acompanhou até o andar dizendo porque iria encontrar Zelena pois o carro dela deu defeito.

- Você gostou? - Paramos de frente à porta de Ruby e Killian. Ela estava um pouco ansiosa com algo, não parava de bater o pé contra o chão.

- Gostei Emma. - Ela encostou na porta. - Obrigada. Sério, você está sendo muito gentil comigo."

Fitei mais uma vez seu rosto, estávamos perto e eu não conseguia não sentir o desejo de tomar ela para mim. Ela deu um passo pra frente um pouco receosa, eu não sabia como reagir, eu poderia mentir dizendo que queria sair correndo mas a verdade é que eu não queria. Ela sorriu engolindo seco e molhando os lábios logo em seguida. Meus olhos se intercalava entre seus olhos castanhos tao escuros e sua boca tao convidativa. Parecia um tortura, e meus pés não me obedeciam.

- Regina eu…- Falei com a voz falha. Ela nada falou e puxou minha blusa para me aproximar.

- Porque você tinha quer voltar? - Ela sussurrou baixo. - Porque? - Colei sua testa na minha.

- Porque você consegue mexer tanto comigo? - Falei aliviando aquela sensação. Mas a de culpa estava me roendo. Ela sorriu com os lábios quase encostados nos meus e esqueci por um momento de tudo ao meu redor.

Então colou seus lábios nos meus. Aquilo me fez tomar um choque. Ela fez menção de se afastar mas segurei sua blusa puxando novamente para mim, colando seu corpo na parede e a prendendo. Senti suas mãos geladas em minha nuca me puxando um pouco mais aprofundando o beijo, sua língua quente desliza sobre a minha me fazendo e fazendo ela soltar um gemido de satisfação. Era o desejo, um desejo de anos contido. Segurei sua cintura puxando ela ainda mais para mim, senti suas unhas deslizando pela minha nuca e por insistindo apertei sua cintura colando um pouco mais seu corpo no meu, sua língua serpenteava minha boca com maestria. Ela sorriu e senti seus dentes contra o meu lábio inferior e puxando levemente e eu sorri com satisfação.

- Desculpa. - Ela disse se afastando como eu. A respiração tão acelerada quanto o coração. Eu estava quente, muito quente. Como alguém poderia tirar a sanidade de uma pessoa com apenas um beijo?

- Não peça desculpa. Sério é algo que mais desejei no momento que te vi. Mas não posso. - Passei as mãos no cabelo nervosa. - Regina o que eu fiz? O que eu estou fazendo?

- Quem deveria estar assim sou eu já que estava tentando te afastar. - Ela riu nervoso. E se virou pra tocar a companhia.

- Não é isso. Regina…eu

Quando Ruby abre a porta arregala os olhos e me fita junto com Regina que parecia um pouco irritada. Quando ela abre mais um pouco a porta vejo aqueles olhos verdes brilhando de alegria. Minha namorada. Killian e Zelena estavam parados logo atrás nos fitando com um certo desespero, sabia que coisa boa não era.

- Emma. - Ela abriu o seu melhor sorriso. Depois olhou para Regina. - Regina? Quanto tempo não te vejo, o que faz aqui?

- Rose?

"Oh merda. Elas se conhecem."


Notas Finais


SOCORRO JESUS A ROSE CONHECE A REGINA.

gente eu falei que iria atualizar todo domingo então aqui esta.

O QUE ACHARAM? GENTE EU MESMA LOUCA JÁ PRA ESCREVER HOT MAS A VIDA NÃO É ASSIM. TUDO NOS ESQUEMAS.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...