História I Need Your Love - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo, The Vampire Diaries
Personagens Alec, Alice Cullen, Aro Volturi, Bella Swan, Billy Black, Bonnie Bennett, Caius Volturi, Carlisle Cullen, Carmen Denali, Caroline Forbes, Charlie Swan, Claire Young, Collin Littlesea, Damon Salvatore, Demetri Volturi, Edward Cullen, Eleazar Denali, Elena Gilbert, Embry Call, Emily Young, Emmett Cullen, Esme Cullen, Felix, Garrett, Irina Denali, Jacob Black, Jane, Jared Cameron, Jasper Hale, Kate Denali, Katherine Pierce, Kim, Klaus Mikaelson, Leah Clearwater, Marcus Volturi, Nahuel, Personagens Originais, Quil Ateara, Rachel Black, Rebekah Mikaelson, Renée Dwyer, Renesmee Cullen, Rosalie Hale, Sam Uley, Senna, Stefan Salvatore, Sue Clearwater, Tânya Denali
Visualizações 83
Palavras 2.992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural
Avisos: Cross-dresser, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii leitores lindos, espero realmente que vocês gostem desse capítulo e não se esqueçam de comentar!
Bjss

Capítulo 13 - Linda, Livre, Leve e Solta


Passaram se duas semanas depois daquela grande confusão envolvendo Jacob e a minha prima, depois daquele dia nós não nos encontramos mais. As meninas disseram que ele só ficava trancando dentro do seu quarto e que mal saia de lá, e que o pai dele estava muito preocupado com seu estado emocional.

Meus tios deixaram Nessie de castigo e proibiram a visita de Nahuel, mas tudo isso durou apenas uma semana quando o mesmo procurou Edward e o convenceu de que ele e Renesmee tinham se apaixonado perdidamente e acabaram não resistindo. Eles perdoaram o híbrido que voltou a circular entre nós.

(...)

Acordei, peguei a minha primeira roupa que encontrei e fui me arrumar para ir à escola, passei uma maquiagem básica e desci para comer alguma coisa. Minha mãe e minha avó terminavam de colocar a mesa, enquanto Alice colocava um lindo vaso de flores na sala.

— Bom dia pessoal! — cumprimentei, enquanto Alice me analisava. — O que houve tia? — perguntei já imaginando o porquê de seu semblante tão analisador.

— Não foi esse o look que eu e sua mãe separamos para você. — ela respondeu desanimada.

— Tia eu sei que você quer ajudar e confio no seu bom gosto, mas aquela roupa não é para usar em um dia comum como esse. — pisquei para ela.

— Eu avisei que estávamos exagerando, porém essa baixinha não me dá ouvidos. — minha mãe falou.

— Tudo bem... — Alice revirou os olhos. — Eu tomei a liberdade e comprei um presente para você levar na festa do Embry mais tarde, quando você voltar da escola eu te mostro o que é. — ela saiu toda saltitante.

— Não sei por que você quer ir a essa tal festa naquela reserva. —minha mãe resmungou, enquanto eu me fartava da comida.

— Ora Rosálie, o rapaz é amigo dela... E também já nos ajudou muito. — vovó interveio, deixando minha mãe sem palavras.

— Relaxa mãe! Não vai acontecer nada. — dei um beijo estalado em sua bochecha e me despedi da minha avó.

— Assim espero... — dei de ombros, afinal já estava na hora de sair.

(...)

Não demorou muito e logo cheguei à escola, hoje eu teria as aulas mais chatas com os professores mais chatos também... O bom é que hoje era sexta feira, e mais tarde teria a comemoração do Embry, eu não estava muito animada em ir. Eu não estava muito animada em ir, só resolvi ir porque vai que eu encontre o Jacob por lá.

As meninas estavam sentadas na escada, revisando algumas matérias quando me viram abriram um largo sorriso.

— Oii gente! — cumprimentei.

— Oii. — responderam em uníssono.

— Preparadas para hoje à noite? — perguntei animada.

— Eu nasci preparada!! — Yumi respondeu.

— Meu tio disse que é para eu ir e não chegar muito tarde em casa, e me comportar... Até parece que eu não me comporto. — Amanda falou.

— Mandy todos os pais são assim, são aquelas velhas recomendações de sempre. — Claire respondeu.

— Gente é melhor irmos para sala, antes que aquela professora de educação física não me deixe entrar e me obrigue a dar 10 voltas pelo ginásio. — Kim falou se levantando da escada e pegando sua bolsa.

Iríamos estudar em salas diferentes hoje e nenhuma de nós estava muito animada com isso, fomos para nossas respectivas salas.

***

As horas não passavam de jeito nenhum, estava o maior tédio e para completar o professor não ajudava muito porque ele ficava falando e falando e ninguém entendia absolutamente nada, meu corpo físico estava na sala, mas a mente se voltava no garoto quileute que nem sabe o que eu sentia por ele.

Felizmente as outras aulas passaram bem rápidas, e logo aquele horário entediante acabou e eu poderia ir embora. Encontrei as meninas na saída e ficamos conversando, enquanto elas esperavam o escolar chegar.

— Eu estou pensando em dar uma leve repicada no cabelo. — Yumi falava.

— Vai ficar lindo! — Amanda falou. — Passa lá no salão qualquer dia para a gente fazer isso. — ela concluiu.

Antes que pudesse falar mais alguma, fomos surpreendidas por uma moto entrando no estacionamento em alta velocidade logo reconhecemos de quem se tratava: Jacob Black.

Assim que ele estacionou fomos em sua direção, e logo Nahuel também apareceu buzinando e chamando a atenção de todos que estavam presentes.

— Jake é melhor você ir embora, para o seu próprio bem. — Claire falou baixinho.

— Eu não vou fazer nada demais. — ele respondeu ríspido, nos lançando um olhar furioso.

Nahuel desceu do carro e aguardava a chegada de Renesmee, que andava bem devagar sendo seguida por uma multidão, assim que eles se encontraram deram o maior amasso. Algumas pessoas começaram a gritar.

Jacob se aproximou deles com um olhar triste e confuso.

— Nessie! — ele balbuciou. — Eu sinto sua falta. — ela ria dele.

— EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ TEVE A AUDÁCIA DE VIR AQUI ME PROCURAR! — ela estava bem atacada. — Eu já deixei bem claro que não quero nada com você. ACABOU! — Nessie falou, entrando no carro.

— Olha cara, deixe a minha namorada em paz! — Nahuel falou o encarando. — Senão terei que tomar medidas mais sérias. — ele falou dando partida no carro e saindo.

Jacob ficou estático no lugar absorvendo tudo aos poucos, me aproximei bem devagar dele enquanto os curiosos estavam indo embora. As meninas se despediram de mim, e entraram no ônibus.

— Jacob, você não acha que já sofreu demais com tudo isso?! — toquei seu ombro de leve.

Ele se virou para mim, com uma expressão bem séria.

— Não, porque eu sei que Nessie ainda vai voltar para mim. — ele respondeu tristonho. — É só uma questão de tempo! — ele respondeu convicto.

— Olha... Eu acho melhor você se conformar e tentar tomar um rumo na sua vida, assim como ela fez. — falei.

— A magia do imprinting nunca falha e eu irei lutar por ela até o último dia da minha vida. — ele falou alterado.

— Como isso vai dar certo, se ela não te ama? — perguntei um pouco tristonha. — Ela e o Nahuel estão levando o relacionamento bem a sério e até Edward e Bella aprovaram, ele já é praticamente um Cullen. — tentei explicar a situação.

— Nahuel não ama a Nessie como eu a amo. — ele procurava argumentos, mas era em vão. — Eu irei lutar pelo amor dela! — ele respondeu confiante.

Aquilo já estava me deixando sem paciência novamente.

— Isso que você tem por ela não é amor. — comecei. — Isso é algum tipo de obsessão, é falta de amor próprio... Carência. — disparei, enquanto ele começava a tremer.

— Pela última vez, você não sabe nada das lendas quileutes. Você tem inveja dela porque ninguém nunca vai te amar como eu amo ela. — agora ele pegou pesado comigo. — Você não quer que ela seja feliz comigo, porque você almeja tudo que ela tem... — ele esbravejou.

— Olha Jacob... Não sei quem é mais idiota: você que fica mendigando o amor dela, ou ela que pensa que o mundo gira em torno dela. E fique sabendo que se eu fosse ter inveja de alguém seria da Shakira e não de uma garota mimada e sem escrúpulos como minha prima. — me afastei dele, e fui correndo pro meu carro. Meus olhos já estavam ficando marejados e eu não ia começar a chorar na frente dele.

 Dei partida no carro e voei literalmente para a minha casa as lágrimas começaram a rolar. Como eu posso ser tão idiota de gostar de um cara assim! O pior é que me corta o coração ver o que ela faz com ele. E o idiota ficar correndo atrás dela como um cachorrinho,e você tentar ajudar ele e só leva ferro! Me chamar de invejosa ai já é demais, é melhor deixa-ló para lá, se quer ganhar o título de Maior Trouxa do Ano , o problema é dele.

Enxuguei os olhos, passei um pó compacto na área dos olhos, senão minha mãe iria fazer perguntas e não iria acabar nada bem. Cheguei e fui direto para o meu quarto, tomei um banho bem relaxante na banheira, me enrolei no roupão e fui procurar algo para vestir. Quando entrei no quarto Alice e minha mãe estavam revirando minhas coisas.

— Filha já escolhemos um vestido lindo para você. — minha mãe sorriu satisfeita para Alice.

— Tudo bem. — dei um sorrisinho sem graça.

— Aconteceu alguma coisa meu amor? — minha mãe perguntou.

— Não, está tudo bem. — menti, espero que ela acredite.

— Olha só esse vestido tomara que caia roxo. — Alice saiu do closet com o vestido e uma sandália de salto fino da mesma cor.

— Perfeito. — falei pegando a roupa das mãos dela.

— Agora vocês já podem se retirar. — falei enquanto desamarrava o roupão.

Aproveitei que eles saíram e pude me arrumar mais tranquila, fiz uma maquiagem bem cheguei que destacava meus olhos e um batom que realçava os lábios.

Arrumei o cabelo, coloquei alguns acessórios e realmente eu estava muito GATA! Assim que desci as escadas, todo mundo parou o que estava fazendo para me olhar.

— UAU! Essa é a minha filha! — mamãe brincou.

— Que isso hein ursinha, honrando o sobrenome Cullen! — meu pai zoou.

— Está muito linda Ana. — tio Jasper elogiou.

— Obrigada família!

— Como sempre, está maravilhosa! Aqui está o presente para o Embry. — tia Alice me entregou duas caixas,uma média e outra pequena.

 

(...)

Não demorou muito e logo cheguei à casa de festa que  Embry tinha alugado era em La Push mesmo, o lugar estava cheio de gente e tocava músicas bem altas, quando cheguei o aniversariante veio me receber.

— Oii meus parabéns. — abracei o . — Esperamos que você goste do presente. — entreguei as caixas.

— Nossa! Isso tudo para mim. — ele abriu a caixa pequena primeiro que estava com um relógio suíço muito lindo por sinal, depois abriu a segunda caixa eu tinha feito uma camisa branca social para ele.

— Não vejo a hora de estrear esses presentes, valeu mana. — ele me abraçou.

— Você merece. — falei lhe lançando um singelo sorriso. — E onde estão as meninas? — perguntei olhando pela casa.

— Bem ali, aproveite a festa. — ele indicou e saiu logo em seguida.

Avistei as meninas que estavam com seus namorados, naquele momento senti que eu ia ficar segurando vela à noite toda.

— Oiii. — cumprimentei a todos.

— Oii. — os meninos responderam timidamente.

— Ana, o que houve depois que a gente foi embora? — Kim perguntou curiosa.

— Nada demais, se importa de falarmos disso depois. — respondi aflita.

— Tudo bem. — ela deu de ombros.

A música que estava tocando mudou para uma mais lenta, e todos os casais da festa foram para o centro dançar, e isso incluía minhas amigas.

— A gente volta daqui a pouco. — Yumi falou sendo conduzida por Embry.

— Tá né. — respondi tristonha, enquanto o pessoal dançava eu me sentei no barzinho que tinha ali.

Vendo todo mundo contente e dançando, eu comecei a me lembrar do que tinha acontecido mais cedo e comecei a ficar bem triste com tudo isso.

— Garçom traz mais uma garrafa de vodka pra mim. — uma garota se sentou perto de mim, e estava com a maquiagem borrada. — Ele me trocou pela minha melhor amiga, aquela que estava sempre comigo, que dizia que torcia por nós dois. — a menina começou a chorar do meu lado.

— Calma moça. — tentei consola-lá, mas nem eu sabia como consolar.

— Eles são dois idiotas. — a garrafa de vodka logo chegou e a menina logo despejou todo aquilo para dentro. — Odeio eles, e meu nome é Lana e o seu? — ela perguntou.

— Ana. Acho que você deveria ir devagar com isso.— falei enquanto Lana já tinha bebido toda a sua garrafa.

— Por que eles fizeram isso comigo Ana? Por que? — Lana não sabia se chorava ou se continuava bebendo.

— Porque esse tipo de gente não vale nada. — respondi. —Barman prepara uns bons drinks para a gente e tudo que tiver de bom ai dentro.

— É isso ai garota. — a menina falou sorridente. — Você já sofreu por amor alguma vez? — Lana perguntou.

— Sim e continuou sofrendo, o cara é um tremendo idiota fica correndo atrás de quem não gosta dele. — o barman colocou as bebidas no balcão.

— Que imbécil esse cara hein... — Lana falou.

Peguei um copo e virei tudo na boca logo minha garganta começou a queimar, mas eram algo tão gostoso acabei pedindo mais um copo.

— Sim, ele é ridículo. — falei enquanto revirava o terceiro copo. — Ele me tratou super mal hoje, falou coisas horríveis.

— Amiga foi um prazer te conhecer, mas isso aqui já deu por hoje... Tudo aqui me faz lembrar dele, eu olho as pessoas e é como se eu tivesse vendo ele e ela rindo de mim. Vou embora, não aguento mais. — Lana saiu cambaleando para fora.

— Tem como você trazer uma garrafa disso aqui? — falei pro barman, que no começo ficou me encarando e depois colocou a garrafa na mesa.

Coloquei o líquido no copo e mandei ver, as meninas que estavam dançando pararam e vieram em minha direção.

— Ana pega leve! — Claire falou.

— Relaxa Clairezinha. — falei colocando mais uma dose no copo.

— Amiga, a gente está preocupada com você. — Amanda falou.

— Eu estou ótima... Vão lá dançar com o boy de vocês. — falei enquanto elas se entreolhavam. — Podem ir, eu não sou nenhuma criança. — resmunguei.

— Bom... Se é assim. — elas saíram, me deixando em paz.

Depois que elas saíram eu pedi ao bartender, algumas cervejas e que eram deliciosas por sinal.

A pista de dança começou a tocar algumas músicas bem animadas, então eu me levantei fui para o centro da pista e mandei ver. Algumas garotas me olhavam com um olhar mortal, calma gente eu sou apenas uma garota que teve um Bad Day se divertindo.

Começou a tocar uma música mais ousada, então eu subi em algumas mesas e dancei no ritmo da música. Algumas pessoas gritavam, minhas amigas ficavam falando para eu descer e tal... Mais eu não estava dando atenção para ninguém, apenas queria me divertir.

Tinha um microfone logo à frente então eu peguei, e o liguei. Nessa hora a música já tinha parado e todos estavam me olhando.

— Gente, eu sei que ninguém tem nada haver com isso... Mais eu queria compartilhar um momento triste da minha vida com todos vocês. Sabe quando você se apaixona e espera que o cara também goste de você da mesma maneira que você gosta dele? Ai você acaba levando o maior fora dele, porque ele ainda acredita numa ilusão... Ás vezes da vontade de chegar e falar “SEU IDIOTA QUEM AMA VOCÊ SOU EU” Mais mesmo assim, o cara fica batendo na mesma tecla parece até que gosta de sofrer por quem não o merece. E eu fico como? Na friendzone? Não, porque nem para isso eu sirvo.  Cara , eu só queria que você correspondesse o meu amor, por que você faz isso comigo? Eu não aguento mais ver você sofrendo pela outra, sendo que eu estou aqui para te dar carinho, te fazer feliz. Poxa crush me dá uma chance para te mostrar que o amor da sua vida sou EU. — antes que eu pudesse falar mais alguma coisa, o pessoal já estava batendo palmas e assobiando, e de repente quem a pessoa que não tinha a menor chance de aparecer aqui, aparece e fica me olhando com um semblante confuso.

Coloquei o microfone no lugar, mas eu não fazia ideia de como descer daquele lugar. Jacob ultrapassou toda aquela multidão e ficou de frente para mim, me aproximei dele e colei meus lábios nos seus, sentindo seus hálito quente sobre minha língua. O pessoal começou a gritar ainda mais, Jacob separou nossos lábios e me pegou no colo.

— Me solta, eu ainda vou curtir mais a festa. — lhe dei alguns murros, enquanto algumas pessoas zoavam.

— Já chega... Embry você tem 5 minutos para acabar com essa festa! — Jacob estava muito bravo.

— Não xinga meu amigo, se for brigar com ele... Vai brigar comigo também!  — falei tentando me soltar.

— Eu vou te levar para casa, você já se divertiu muito hoje. — ele pegou a minha bolsa,e pegou a chave do carro.

— Eu posso ir dirigindo sozinha, não preciso de um babá! — esbravejei, ele abriu a porta do carona, passou o cinto ao redor de mim e fechou a porta.  Sentou no banco do motorista e engatou a marcha.

— Como você pode perder o controle dessa maneira Ana Cris? Emmet e Rosálie vão ficar decepcionados. — ele tagarelava.

— Eu acho que Whitney Houston e Michael Jackson deveriam se apresentar juntos, o que você acha disso? — perguntei enquanto brincava com uma mecha do meu cabelo.

— Você nem está prestando atenção no que eu estou falando. — ele resmungou.

— Relaxa gato! Você é muito chato, acha que tudo tem que ser certinho. E ai eu beijo bem, não é?! — provoquei o.

Ele não falou nada mais, e começou a reduzir a velocidade do carro. Ele abriu a porta do motorista,e foi abrir a minha.

— Então você está querendo fugir comigo não é? — falei,enquanto ele me colocava nos seus enormes braços e seguia comigo para uma casa.

Assim que chegamos, fomos recepcionados pelos meus pais que não estavam com caras muito boas.

— O que significa isso cachorro? — minha mãe estava pronta para partir para cima dele.

— Sua filha encheu a cara e eu simplesmente me ofereci para trazê –lá. — Jacob me colocou no sofá.

— Seu animal, a culpa dela estar assim é toda sua. — ela iria pular em cima do Jacob, se não fosse o ursão que estava a segurando.

— Ninguém vai encostar um dedo no meu crush. — o defendi.

— Alice leve a Ana lá para cima. — meu avô falou. — Esme ajude ela por favor!

— Gente eu estou ótima eu estou me sentindo muito poderosa hoje! — falei enquanto elas me ajudavam a subir as escadas.

— Eu acho que você deveria me agradecer loira. — Jacob falou.

— Sai daqui seu desgraçado! Olha só o que você fez com a minha filhinha. — Rose disparou.

— Fique sabendo que sua filha só está nessa condição, por causa dela mesma. Eu não tive nada haver com isso, mas nessa casa reina a hipocrisia não é mesmo! Acho melhor eu me mandar, antes que as coisas comecem a esquentar por aqui. — Jake falou saindo furioso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...