História I need your protection! - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karlie Kloss, Manuel Neuer
Personagens Karlie Kloss, Manuel Neuer, Personagens Originais
Tags Crack, Drama, Karlie Kloss, Manuel Neuer, Romance, Romance Lésbico, Toni Garrn, Triângulo Amoroso, Vai Ler Um Livro
Exibições 26
Palavras 1.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


vulgo

Capítulo 22 - Ih, alá, revoltado.


Um BOM TEMPO depois...

 

— Manu? Manu acorda, 'tá na hora de ir. 

Sinto cutucadas em minhas costelas o que me deu um 'puta incomodo; acabei por me virar e abrir os olhos dando de cara com uma Jude sorrindo alegremente.

— Quanto tempo eu dormi?

Pergunto lento, conta do sono.

— A noite toda. 

Ela responde, deixando um selinho breve em meus lábios.

— Estava bom então...

Sorri de forma maliciosa; coloco a mão sobre o quadril da garota e a puxo para mais perto.

— Estava ótimo... anr, quando que você vai terminar com aquela sua namoradinha?

Mais uma vez; porque temos sempre que martelar nesta mesma tecla. 'Puta que me.

— Já conversamos sobre isso.

Disse já perdendo a paciência; eu e Jude resolvemos manter um relacionamento às escondidas.

Karlie está se tornando insuportável e eu precisava de descanso. Não sou uma máquina. Iniciamos isso quando ela saiu do hospital, sou uma alma caridosa e prometi ajudá-la em sua recuperação. Mal sabe Karlie a verdadeira ajuda que cedo a essa menina.

— Mas você sempre diz a mesma coisa, que vai terminar, mas nunca faz isso! Quanto mais teremos que nos amar na encolha?

Ela exclama enquanto me encara com um certo ódio.

— Eu não te amo, e você sabe bem disso.

Levanto da cama e cato minhas vestes espalhadas pelo chão; olhei uma última vez para Jude e vi que a mesma estava chorando. Dou de ombros e me dirijo para o banheiro. Escovei meus dentes, arrumei meu cabelo e me vesti da maneira mais rápida que consegui; sem ao menos me despedir da garota fui embora do lugar.

Se o irmão dela estivesse aqui, provavelmente me bateria por isso. Mas já faz muito tempo que ele desapareceu. Não, ele não foi sequestrado. Apenas está foragido; ninguém disse que era fácil ser traficante e dono de inúmeras bocas de fumo.

Nem sei como ele se meteu nessa porcaria toda; mas nada podemos fazer. Meu namoro com Karlie vai de mal à pior; ao menos tenho Jude comigo quando quero relaxar um pouco e me sentir menos sufocado. Rodney está mais prestativo, glória aos céus.

Ele largou as drogas por definitivo; pelo menos é o que parece. Cher está morando conosco naquele apartamento ridículo, o bom é que raramente presencio o romance deles dois, glórias aos céus parte dois.

— Aqui que pega o 'buso 'pro Don Juan?

Um idoso pergunta ao me ver chegar no ponto de ônibus. Iria ignorar, mas não vou descontar meu estresse nos outros.

— Vai sim, eu 'tô indo 'pra lá. Quando ele chegar embarcamos juntos.

Digo, transparecendo uma imensa tranquilidade; forcei um sorriso básico. O idoso ficou alegre e se sentou no meio fio. 

 

#

 

Cheguei em casa, até que enfim. Já organizei minhas coisas para ir trabalhar; agora só estou esperando Rodney chegar. Não confio em deixar o apartamento vazio porque sempre dá merda.

— Meu bebê, quem é?

— Sou eu, meu bem.

Meu Deus, eles chegaram. Vi o casal 10/10 sentar no sofá e iniciarem uma conversa diferente. Exato, com as línguas. Não quero ser um empata 'foda, então coloquei minha mochila nas costas e sai sem dizer uma só palavra. As coisas mudaram muito; na boate principalmente. Lenni "largou" o cargo de chefia e quem 'tá no seu lugar agora é o Bruno. Bom, o nome é masculino mas se você ver o ser humano em carne e osso cai para trás.

Ele veste umas roupas bem escandalosas e há rumores de que ele tenha algum vínculo amoroso com Lenni; e por isso ele 'tá ocupando o cargo. Mas são apenas boatos.

O ônibus chegou e vazio de preferência, nunca senti tamanha felicidade.

 

#

 

Droga, drogarão.

Atrasado de novo. Parabéns Manuel.

Como eu queria receber uma bronca do Troy agora; pelo menos criaria vergonha na cara, que nem isso eu tenho.

Me troquei em um piscar de olhos e tomei meu posto no balcão, como de costume.

Não hesitei em fitar algumas garotas, até fui correspondido umas vezes. Só não esperava ver a Isadora novamente; é, ela está aqui e acompanhada ainda mais. Espero que ela não venha falar comigo.

— Boa noite, posso sentar aqui?

Uma garota pergunta, já se aconchegando no assento à encosta do balcão estrelado. Lhe respondi com um mero "claro".

— Você trabalha aqui né? Sabe quem eu sou?

Ela pergunta, de novo; terminei de servir um cliente e parei para lhe dar total atenção. Não quero ser reparador, mas essa mulher tem os seios mais lindos que eu já vi.

— Ah, gostou deles? Eles podem ser seus se quiser.

Acho que olhei por tempo demais; mas também, com um decote desses quem não fica admirado? 'Exatamentxy.

— E aí, vai querer ou não?

A olhei de relance e puta merda. Essa mulher veio 'pra me roubar a sanidade. Certeza que atua em filmes pornôs.

— Gostei, vem comigo.

Digo, saio de trás do mármore e guio a senhorita até uma parte mais calma da boate; exatamente onde os clientes assíduos levam as strippers para fazer certas coisinhas.

Mal avistou o sofá que há e já me jogou contra o mesmo; sentou em meu colo de pernas abertas e começou a rebolar lentamente. Me atrevi a lhe beijar e a mesma me bateu no rosto por isso.

Em um movimento rápido, se posicionou no meio de minhas pernas e removeu meu amigo das vestes que o cobriam, e vejam só, ele acordou.

Faz tempo que eu não me sentia tão livre; sinceramente estou adorando.

Não sou do tipo que nota tudo, mas essa mulher veio vestida para seduzir até o capeta. Meu Deus.

- Anr...

Gemi sem querer e recebi uma advertência; ela mordeu meu pênis. Dessa vez me contive.

— Então você se recusou a ir me visitar 'pra estar ganhando chupada no pinto de vagabunda? 

'Puta que me parte dois. Por que diabos Karlie tinha que aparecer? Qual a necessidade de vir até aqui? Justo quando eu ia gozar?

A garota se assustou e levantou, encolheu os ombros e saiu andando em direção à saída.

— Desculpa.

Disse antes de deixar o cômodo. Guardei meu amigo e suspirei pesadamente.

— O que você veio fazer aqui?

Pergunto tranquilo, vendo Karlie visivelmente alterada bater os pés repetidamente.

— Você ainda pergunta? Não me dá atenção, não retorna minhas ligações, ignora totalmente minhas mensagens... o que eu vim fazer aqui?

Ela grita, o que acabou chamando alguns curiosos para assistir.

— Sei lá. 

Dou de ombros.

— Você é incrível!

— É, eu sei.

— Eu não aguento mais isso. Eu quero terminar.

Karlie diz, como sempre dramatizando tudo com suas lágrimas.

— Ótimo. Agora faz o favor de ir embora? Todos vocês.

Falo, nem mesmo tive a decência de levantar do sofá. Caprichos são para poucos.

— Você não presta!

— É, eu sei.


Notas Finais


e eis o mistério
como leem isso


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...