História I Never Fall In Love - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Alfa, Casamento Arranjado, Contrato, Kaisoo, Motocross, Ômega, Sulay
Exibições 406
Palavras 3.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


O/
Hello!

Boa leitura amores ♡♡

Capítulo 8 - Capítulo Sete


As pessoas dançavam e bebiam na pista de dança que fora improvisada no espaço central do jardim, algumas lâmpadas que foram suspensas entre o espaço e algumas luzes de néon coloridas iluminavam a festa, a fumaça dava um toque mais ousado na pista de dança e a lua e as estrelas enfeitavam o céu quase fazendo parte da decoração.

- Vamos dançar, Xing? - Junmyeon perguntou para seu marido que estava sentado ao seu lado com a cabeça apoiada em seu ombro observando os convidados dançarem.

- Eu quero comer. - o ômega falou manhoso.

- Comer o quê?

- Docinhos.

- Então vamos lá. - Junmyeon levantou do banco onde estavam sentados e puxou seu marido até a mesa de doces onde encontraram Minseok um pouco perdido. - Aconteceu alguma coisa, appa?

Minseok se assustou com a aproximação repentina mas logo se recuperou quando viu ser quem ele procurava.

- Onde vocês estavam? Eu procurei vocês por todos os lugares desse jardim. - Minseok falou.

- Nós estamos sentados ali no banquinho. - Yixing falou e foi abraçado por Junmyeon.

- Tudo bem, agora venham. - o mais velho saiu andando e puxando o casal pelo pulso até uma área próxima às mesas onde todos estavam reunidos. - Agradeçam aos convidados por terem vindo. - Minseok entregou um microfone para o alfa.

- Boa noite. - Junmyeon comprimentou a todos. - Fico feliz que vocês tenham vindo, aposto que tiveram que desmarcar compromissos importantes para estar aqui presenciando esse dia tão especial para mim, mas como eu sou um idiota e não sei dar valor no que eu tenho, eu quase perdi o meu maior tesouro, meu diamante fofo, meu Xing, então me diga que você vai ficar aqui comigo, ouvir sua voz é como ouvir um anjo cantar. Através do bem e do mal e entre todos você é a única que eu quero e a que eu preciso .- o ômega se aproximou de seu marido e colocou a cabeça na curvatura de seu pescoço para sentir um pouco mais de seu aroma, ato que arrepiou o alfa e acalmou o coração do ômega.

- Eu nunca vou te deixar. - Yixing sussurrou.

- Deixa pra se pegarem mais tarde. - Jongin gritou lá do meio dos convidados.

- Calma Jongin, você ainda vai achar seu ômega. - Junmyeon falou e o irmão revirou os olhos. - Por falar nisso, se tiver algum ômega interessado, meu irmão está solteiro. - alguns dos presentes riram do comentário e algumas ômegas soltaram gritinhos.

- Ótimo partido, Kyungsoo. Alto, tem um sorriso e corpo bonito, além de ser uma pessoa bem legal. - Luhan comentou se virando para o cunhado, já que estava abraçado a Sehun.

- Não sabia que ficava reparando outros alfas, senhor Luhan. - Sehun falou e seu marido olhou para ele com um sorriso e aproximou de seu ouvido.

- Posso até reparar outros alfas, mas você é o único que me atrai e me tem. - cochichou para o alfa e lhe deu um beijo de esquimó.

- Eu ainda estou aqui, sabia? - Kyungsoo falou constrangido.

- Desculpa Soo. - Luhan pediu com um sorriso e apertou a bochecha do outro ômega que reclamou.

- Continuando. - Junmyeon falou no microfone chamando a atenção de todos. - Obrigado mais uma vez, pela presença de todos. Obrigado appa Min, obrigado appa Dae...

- Não precisa agradecer seu papagaio, sua professora, seu vizinho, seu jardineiro, seu médico, seu mecânico, seus sapatos e suas flores, nós sabemos que você ama a gente. - Jongin gritou e seu irmão revirou os olhos.

- Deixa eu terminar de filosofar aqui, Jonginnie. - Junmyeon falou e olhou para seu marido que sorria abertamente mostrando suas covinhas. - Vou direto ao ponto antes que meu querido irmão me interrompa novamente. Yixing, você é como o sol, mas aí vocês se perguntam: por que o sol? Gente eu podia usar as estrelas ou até mesmo a lua, mas hoje eu escolhi o sol que também é uma estrela, mas vamos fingir que não. Sol, o astro principal e central do nosso sistema planetário, estrela, o dia, aquilo que brilha com grande resplendor. Como podemos perceber, o sol tem variações para seu definir, do mesmo jeito que você Xing. - fez uma breve pausa ao perceber que o outro estava com os olhos marejados e um biquinho nos lábios. - Da mesma forma que o sol é o astro principal do sistema planetário, você é o da minha vida. Você, assim como o sol, é a luz que ilumina o meu dia, a estrela que brilha com grande resplendor no meu céu. Yixing eu te amo. - o alfa olhou para seu marido e sorriu ao vê-lo.

Yixing já estava com a ponta do nariz vermelha de tanto chorar, nunca imaginou que Junmyeon fosse ter tanta coragem a ponto de fazer uma declaração em público para ele, sequer se passava pela cabeça do ômega que seu -agora- marido pudesse expressar seu amor de tal forma, e agora todas as suas dúvidas sobre esse casamento haviam ido embora.

- Myeonnie. - o ômega chamou pelo o outro quando conseguiu controlar as lágrimas. - Eu te amo tanto, nunca pensei que fosse fazer isso. - abraçou o alfa que logo retribuiu o abraço e começou a fazer um carinho em seus cabelos.

- Por você eu faço isso e muito mais.

- Não vai falar nada, Yixing? - Baekhyun perguntou e recebeu um tapa na nuca dado por Chanyeol. - Ai! Por que fez isso?

- Deixa os dois curtirem o momento. - Chanyeol respondeu e o menor o olhou indignado.

- Fica na sua, seu poste orelhudo! - o ômega falou e se virou para a amiga ao seu lado. - Vem Amanda, vamos para outro lugar.

- Pra onde, Baek? - a beta perguntou enquanto era puxada pelo outro.

- Qualquer lugar que não tenha Park Chanyeol por perto.

- Boa noite. - Yixing falou no microfone. - Quero agradecer a todos por terem comparecido a essa tão importante comemoração. Myeonnie, pela primeira vez você me deixou sem fala. Sei que o que eu vou falar agora não vai ser nada comparado com o que você falou, mas vem do coração, é verdadeiro, é sincero, é o que eu realmente sinto, Myeonnie você não é perfeito mas eu gosto desse seu jeito todo errado. Você não é a pessoa mais bonita do mundo mas tua beleza me encanta. - algumas pessoas riram do bico que o alfa fez ao escutar a frase do outro. - Sabe, se eu for listar tudo que eu amo e odeio ao mesmo tempo em você vamos ficar aqui até amanhecer, mas mesmo você sendo um pouquinho idiota as vezes, tipo sempre, eu ainda te amo. - falou e abraçou o marido que chorava.

Não era comum ver um alfa chorar, era quase raro, no geral alfas são frios, brutos, egocêntricos, arrogantes não se importam com os sentimentos alheios, só se importam em ter seu status de dominante e superior, haviam algumas exceções, poucas mas haviam. Diferente dos alfas os ômegas são delicados, sentimentais e tímidos, características que na visão da sociedade só mostra o quão submissos eles são e devem permanecer. No meio disso tudo estavam os betas, aqueles que também sofriam e sabiam se impor diante de um alfa, diferente de alguns ômegas.
Muitos ali presentes -principalmente alfas- observavam a cena com desdém e até certo nojo, alguns -como Luhan e Baekhyun- choravam com a declaração do casal e outros sorriam ao perceber o tamanho e a pureza do amor entre os dois.

- Então é isso pessoal. Eu e minha família agradecemos pela presença de todos, muito obrigado. - Jongdae falou para todos ao perceber que o filho e o genro trocavam um beijo calmo e apaixonado. - Dj, som na caixa. - logo a ordem do alfa foi atendida e vários gritos de animação foram ouvidos junto a batida acelerada da música.

Jongin foi até a mesa de doces pegar um pão de mel, viu que só tinha um e foi andando um pouco mais rápido, quase chegando a correr. O alfa estava todo feliz, iria pegar o último pão de mel que tinha na mesa, mas uma mão desconhecida se chocou com a sua.

Jongin olhou para o lado e logo se irritou ao ver aquele ser baixinho de pele alva, lábios fartos e olhos grandes de outrora.

Os dois se encararam, olharam para o doce e voltaram a se olhar, ficaram se olhando por um bom tempo que nem perceberam quando o pequeno Minho -primo do Yixing- se aproximou da mesa e pegou o doce.

- Esse negócio é tão bom. - a criança falou para os dois que pararam de se olhar e voltaram as atenções para o pequeno.

- Me dê isso, Minho. - Jongin falou e estendeu a mão para ele.

- Não. Você é um alfa mau.

- Criança abusada. - Jongin bufou e Kyungsoo riu da infantilidade do alfa.

- Toma, é seu. - Minho falou e deu o pão de mel para Kyungsoo que ficou surpreso. - Você é um ômega muito bonito, sabia? Você é um ômega, certo? - o outro assentiu. - Desculpa, eu ainda estou aprendendo a diferenciar ômega de alfa. Seu alfa deve ter muita sorte, você é muito fofo. Se eu pudesse eu casava com você.

- Você ainda é muito novo para se casar, tem que aproveitar enquanto ainda é criança. - Kyungsoo falou corado e devolveu o doce para a criança que o olhou confuso. - Coma, você vai precisar de energia para brincar… como é seu nome mesmo?

- Minho.

- Ok Minho, você precisa de muita energia, então coma esse pão de mel.

- Tá, obrigado ômega fofo. - a criança sorriu e Kyungsoo deu um beijo em sua bochecha.

- Vá brincar com seus amigos. - Minho saiu saltitando pelo gramado enquanto comia o doce.

- Não acredito que fez isso, aquele era o último pão de mel. - Jongin que assistia toda a cena falou abismado. - Você por acaso é trouxa?

- Não, ele é só uma criança, imagina o que ele não ia falar para os pais dele? Iriam me chamar de monstro, o ômega que pega doces de crianças inocentes.

- Dramático. - Jongin cantarolou.

- Não sei porque ainda estou aqui, você é um idiota.

- Eu sou um idiota? Você mancha a minha roupa, recusa um pão de mel e eu que sou idiota?

- Você que esbarrou em mim.

- Oi pessoal. - Junmyeon falou quando entrou junto com Yixing na frente dos dois. - Vai com calma amor, senão depois você vai passar mal.

- Deixa eu. - Yixing respondeu com a boca cheia de docinhos, Junmyeon revirou os olhos e comeu alguns docinhos.

- Soo, te achei. - Chanyeol falou ao se aproximar deles junto com Baekhyun.

- Olá, ele é o tal do Soo? - Baekhyun perguntou para Chanyeol que assentiu. - Ele é bonito.

- E você é? - Kyungsoo perguntou ignorando o comentário do outro ômega.

- Byun Baekhyun. Tá livre sábado agora?

- Baekhyun! - Chanyeol repreendeu o amigo. - Desculpa Soo.

- O quê? Só ia chamar ele para ir assistir o D.O competir no sábado. - Kyungsoo arregalou os olhos ao ouvir as explicações do outro. - Você gosta de motocross?

- Até que é legal. - Kyungsoo respondeu tímido.

- Quer ir assistir com a gente no sábado? Um piloto muito foda e que eu particularmente adoro, vai competir.

- N-não acho que seja uma boa ideia. - Baekhyun fez um biquinho ao ouvir a resposta do outro. - Vamos C-Chanyeol?

- Claro! Tchau pessoal, e noivos aproveitem a lua de mel.

- Pode deixar que eles vão, isso eu posso te garantir. - Jongin falou e recebeu um tapa no ombro dado por Yixing.









                  ◇◇°•○•°◇◇













- Myeonnie? - Yixing chamou pelo assim que chegaram em casa após o fim da festa.

- Fala meu amor.

- Quero comer brigadeiro com morango. - pediu o ômega manhoso.

- Mas você já comeu muito doce hoje. - o ômega fez um biquinho. - Tudo bem eu vou fazer, mas amanhã você só vai comer salada.

- Cruzes Myeonnie. - Yixing gritou da sala para o alfa que já se encontrava na cozinha, o ômega que usava apenas a camisa e calça social, afrouxou a gravata e deitou no sofá para assistir dorama.

- Xing, tá pronto! - Junmyeon gritou da cozinha quando terminou de fazer o brigadeiro.

- Trás aqui. - um tempo depois de ter gritado, Yixing vê seu marido entrando na sala com duas vasilhas, uma com morangos e a outra com brigadeiro. - Obrigado Myeonnie.


Junmyeon dava morangos com chocolate na boca do ômega, esse que estava todo alegre.
Yixing e Junmyeon desde o momento que souberam que teriam que se casar graças a um contrato assinado por seus pais quando ainda eram crianças, começaram a se odiar, acreditavam que um tinha tirado a liberdade do outro, mas com o tempo foram se adaptando a ideia de terem que se casar e foram começando a notar as qualidades um do outro, qualidades essas que fizeram eles apaixonarem e aceitarem a ideia.

- MYEONNIE, MATA ELA. - Yixing gritou e pulou no colo do alfa ao ver uma barata voando na sala.

- O que foi, Xing? - o alfa perguntou assustado.

- UMA BARATA! OLHA O TAMANHO DAQUELA COISA. - o ômega se agarrou no pescoço do alfa juntando mais os corpos.

- Yixing, eu preciso que você me solte e saia do meu colo para mim poder matar ela. - Junmyeon falou calmo enquanto acariciava a costa do outro, logo o ômega saiu de seu colo e se encolheu no sofá, o alfa caminhou silenciosamente até um dos cantos da sala onde a barata se encontrava e a esmagou com um chinelo que havia pegado durante o caminho.

- Obrigado Myeonnie. - o ômega correu até o outro e lhe deu um abraço forte. - Eu acho que você sujou sua camisa. - comentou ao reparar um pouco de brigadeiro sobre o tecido, ficou tão submerso em seus pensamentos que nem notou um sorrisinho surgiu nos lábios do alfa.

- Sabe Xing, eu vou trocar de roupa, que tal vir comigo e me ajudar? - Junmyeon propôs enquanto desabotoava a camisa.

- Pode ser, aí eu já aproveito e vou assistir meu dorama lá no quarto. - o ômega falou e seguiu para o quarto, sendo seguido pelo alfa.

Assim que entrou no quarto, Yixing ficou paralisado ao ver várias pétalas -vermelhas e brancas- espalhadas pelo chão e pela cama. O alfa entrou no quarto e abraçou por trás o ômega que ainda estava paralisado.

- Me desculpa, Xing? - pediu baixinho no ouvido do ômega e começou a beijar seu pescoço.

Yixing estava tão perdido em seus pensamentos que não percebeu quando foi jogado com certa força na cama e Junmyeon subiu em cima de si.

- Eu te fiz uma pergunta. - Junmyeon falou usando sua voz de alfa.

- D-desculpo. - Yixing respondeu ofegante por causa das mordidas e chupões deixados em seu pescoço. - V-você não ia t-trocar de roupa?

- Eu vou. - Junmyeon saiu de cima do ômega e terminou de tirar a camisa porém permaneceu com a gravata, depois retirou bem lentamente o cinto e a calça. - Algum problema, Xing? - sorriu ao ver Yixing com um biquinho nos lábios encarando seu corpo.

- Não me provoque, Myeonnie.

- Não estou te provocando, meu amor. - o alfa falou e fez um carinho na bochecha do outro.

Aquilo foi o estopim para a sanidade do ômega ir embora. Yixing puxou o alfa pela gravata e o jogou na cama ficando sentado em cima dele.

- Você não deveria ser tão abusado e ficar mostrando esse seu corpinho por aí. - o ômega falou e mordeu o lábio inferior do outro que sorriu e inverteu as posições.

- E o que você vai fazer?

- Te punir talvez. Ai Myeonnie! - o ômega reclamou ao ter seu pescoço mordido com uma força considerável.

Junmyeon tomou os lábios do ômega em um beijo afoito e necessitado enquanto apertava sua coxa direita, ganhando em troca gemidos baixos do outro. O alfa começou a desabotoar a roupa do ômega, primeiro a camisa, e depois a calça, tirou as peças e jogou em qualquer canto do quarto. Após separar o ósculo, o alfa saiu da cama e tirou as meias, a gravata e a cueca box, cada movimento foi acompanhado pelos olhos atentos do ômega que estava nu encostado na cabeceira da cama.
Yixing corou ao ver o marido lhe observando com um sorriso malicioso. O ômega foi em direção ao alfa se ajoelhando a sua frente, pegou o membro alheio já desperto e sem mais delonga o colocou na boca.
Junmyeon gemeu manhoso com o ato inesperado do outro. Se sentia maravilhado com o prazer que o ômega lhe dava, talvez fosse exagero, mas os meses que passaram longe um do outro só fez o desejo de se terem um nos braços do outro aumentar.
O ômega observava atentamente cada expressão que o marido fazia, tentava decorar cada detalhe daquela visão, seu marido de olhos fechados mordendo os lábios em uma tentativa -falha- de conter alguns gemidos.

- Myeonnie, eu também quero me divertir. - Yixing falou após soltar o membro do outro e sentar em uma pose sexy na cama.

- Vem, irei te preparar. - Junmyeon respondeu e foi até o marido.

- Não precisa, acho que só a lubrificação natural já basta.

- Mas eu não quero te machucar.

- Caralho Junmyeon, eu já falei que que não precisa. Será que eu vou ter que te amarrar nessa cama, ou vou ter que ir atrás de outro alfa? - ômega provocou e sorriu ao ouvir o outro rosnar.

Junmyeon nada respondeu, apenas virou de quatro o ômega na cama e distribuiu beijos e mordidas por sua nuca e costa. O alfa colocou seu membro por completo dentro do outro e esperou por um tempo até ele se acostumar para começar com os movimentos. Os gemidos dos dois preenchiam o quarto e gotas de suor molhavam a pele do casal que já estava perto de chegar ao seu limite. Junmyeon quando percebeu que não aguentaria mais e sentiu seus caninos crescerem e ficarem mais afiados, tratou de morder o pescoço do ômega que na mesma hora chegou ao ápice junto a ele e soltou um grito de dor.  Enquanto tentava controlar a respiração, o alfa aninhou o outro em seus braços, e esse passou a mão pelo pescoço para limpar o pouco de sangue que escorria.

- Tá doendo, Myeonnie. - o ômega resmungou e abraçou mais o alfa.

- Desculpa amor, eu devia ter te avisado que iria te marcar. - Junmyeon respondeu e selou a testa do outro.

- Por que você me marcou? - Yixing indagou animado depois de ter recuperado o fôlego. - Sabe o que isso significa, não é mesmo Myeonnie?

- Porque eu te amo e queria te provar que sou só seu. - Junmyeon respondeu e acariciou o cabelo do outro. - Me desculpe por ontem. Eu juro que não dormi com outra pessoa.

- Tudo bem, eu acredito em você.

- Eu te amo tanto Xing, e isso. - o alfa falou e beijou a marca no pescoço do ômega que resmungou baixinho pelo incômodo que sentiu na área sensível. - É a prova que você é meu de corpo e alma e também sou seu.

- Só seu, Myeonnie. Te amo meu alfa. - Yixing respondeu sorridente e pegou uma das pétalas da cama e a olhou. - Será que pode comer? - perguntou ao alfa que o olhou abismado e negou com a cabeça. - Então pega nosso brigadeiro lá, seu filho e eu estamos com fome.









                ◇◇°•○•°◇◇


Notas Finais


Esse pão de mel deve ser muito bom!

Gosto muito desse capítulo♡♡ pelo menos de boa parte dele! Acho fofa as declarações♡
Agora que encerrei o "arco" Sulay vou começar a focar mais em Kaisoo♡


Sobre esse lemon, talvez tenha ficado confuso -por ser o primeiro lemon da fanfic- o alfa não ter se atado ao ômega, mas é normal tá? No momento não vou explicar sobre isso, só futuramente. :)
Eu estava muito insegura com esse capítulo por causa dessa parte e espero que tenham gostado, sou péssima em escrever esse tipo de cena, e se tiver ficado ruim me desculpe, prometo que tentarei melhorar.

Até o próximo capítulo O/
Bjoos♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...