História I never forget - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Until Dawn
Personagens Ashley "Ash", Christopher "Chris", Emily "Em", Jessica "Jess", Matthew "Matt", Michael "Mike" Munroe, Personagens Originais, Samantha "Sam"
Tags Ashley, Bris, Chrashley, Colegial, Drama, Horror, Jessica, Jimin, Melissa, Mike, Romance, Sam, Semily, Smike, Terror
Visualizações 9
Palavras 1.904
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii
Voltei, depois de mil e um anos :D
Aproveitem o capítulo, faz 1 hora ou menos que terminei de escrevê-lo.
Boa leitura!
XOXO

Capítulo 51 - Pedindo Ajuda


AUTORA
Como Sam pensara, estava acontecendo alguma coisa errada no Chalé Washington no andar de cima. Ela olhou para as quatro janelas iluminadas no segundo andar, de onde vinha um murmúrio convidativo de vozes e risos, equilibrou melhor as pesadas roupas sob o braço direito e hesitou mais uma vez entre subir ou procurar vestígios de certos Wendigos pela floresta. 
A casa estava fria, os móveis, cobertos de lençóis. E Ashley ainda estava lendo no quarto de Hannah (como uma digna leitora voraz, é claro que não poderia deixar de trazer seus amados livros na mala). E afinal, ainda não era nem meia-noite, véspera do cinco de fevereiro, feriado nacional. Ninguém trabalharia no dia seguinte, mas eles iriam ''trabalhar'' e iriam atrás de Lya novamente, já que ela era a única pessoa em que eles pensavam que pudesse lhes ajudar naquele lugar. Por outro lado, ela estava sobrecarregada com uma mala, um ''montarél'' de roupas e telas enroladas. Sam só gostaria de tomar um bom banho e tirar, no mínimo, uma soneca. 
Ou seria melhor sair e, talvez, procurar por Lya? Assim poderia poupar os outros de gastarem suas energias e- ''Não!'' - pensou ela. ''Prometi para Mike que não sairia sem ele ou outra pessoa me acompanhando''. 
Ela andou até a porta, segurou a maçaneta e a girou, mas logo tratou de tirar sua mão dali e se afastar. 
- Não, eu prometi! - Ela hesitou e respirou fundo. - Mas eu queria tanto ir... - Disse para si mesma. - Não, Samantha. Não deve fazer isso. Eles vão ficar preocupados com você.
Depois de mais alguns minutos resolvendo se iria ou ficaria segura dentro do Chalé, escolheu que iria, não importa quem tentasse a impedir.
- Que frio... - Disse abraçando os braços, quando saiu porta a fora e o vento gelado das Montanhas a atingiu em cheio. - Que bom que trouxe uma jaqueta! - Sorriu e vestiu sua velha e quentinha jaqueca vermelha. 
Andou rapidamente para um tipo de Caverna que avistou um pouco longe dali e estranhou haverem tantos portões de ferro e cadeados... 
- E agora, o que eu faço? - Perguntou-se e então viu que havia um tipo de porta do outro lado. 
Andou até a mesma e apertou a pequena campainha com firmeza (Inicialmente achara muito esquisito uma campainha e uma porta em uma caverna no meio do nada, mas deixou para lá). Não a apertou outra vez, apesar da demora de quase dois minutos para alguém atender. Era Lyandra.
- Quem é você? - Rosnou ela, a olhando de cima a baixo com desconfiança.
- Meu nome é Samantha, lembra? Do Chalé Washington. Namorada do Mike. - Sam fez questão de ressaltar a parte ''Namorada''. 
Lya fez uma breve careta e assentiu.
- O que quer aqui? Como me achou? 
Sam se sentiu culpada por um momento.
- Eu meio que...
- Ah, já entendi. - A garota sorriu. - Você fugiu. Olha, eu pensei que fosse uma covarde. 
- Uma... covarde? - Murmurou Sam.
- Sim. Entre logo, antes que eu me arrependa eternamente pelo que estou fazendo. - Lya olhou para todos os lados e logo depois puxou a outra para dentro, trancando a porta e observando mais um vez pelo lado de fora antes de suspirar e se afastar. - Recaptulando a pergunta: O que quer aqui?
- Vim pedir ajuda. - Sam disse hesitante.
Lya olhou sem piscar e com os olhos arregalados para ela e logo depois começou a rir loucamente, se esticando no chão como uma lombriga e ficando séria quando percebeu a expressão facial de Sam.
- Isso é sério? - Sam assentiu e ela se levantou. - Bom... pode ficar sabendo desde já que não vou ajudar ninguém.
- Por quê não? 
- Por quê eu não quero ajudar um bando de pirralhos sem nada para fazer do que fingir que sabem capturar Wendigos e que sabem da merda em que estão se metendo. Sabem que não tem volta, não é?
- Sabemos. - Afirmou a loira.
Lya revirou os olhos e caminhou até ela.
- Não, não sabem. Cinthya certamente enganou todos vocês com aquela historinha de ''Uma equipe será mandada daqui a tempo tal para buscá-los caso ocorrer algum erro''. - Ela tentou inutilmente imitar a voz da mulher. - Mas adivinha! - Lya se aproximou mais e sentou-se ao lado de Sam, bocejando e a abraçando de lado de modo exagerado. - Ninguém vai voltar e buscar ninguém. Não vai ter salvamento igual da primeira vez, fofa. Ela não pasa de uma mentirosa hipócrita assim como o resto da sua turminha de idiotas.
Sam ligeiramente se assustou com o tom da garota e se afastou.
- Ela prometeu.
- Nunca confie nas promessas de Cinthya Stevens. E nem nas daquele filho da puta do Harold Hilton, ele não passa de um mero farsante que cai na laia daquela mulherzinha. - Lyandra riu maldosamente.
- LYANDRAAAAA - Ela ouviu Jakie a chamar de um jeito muito escandaloso, e abaixou a cabeça rindo. 
- JÁ ESTOU INDO! - Gritou de volta e soltou Sam. - Volto em 10 minutos. - E saiu correndo.
Sam ficou alguns minutos em silêncio. 
Podia ouvir as duas outras garotas conversando em outro cômodo, mas não ligava para isso. Viu que algumas peles de Wendigos estavam penduradas sobre o teto acima de onde estava sentada e rapidamente se afastou dali, se levantando.
----
No Chalé...
- Não as acorde, não as acorde - Ashley pediu depressa para Chris, que tentava acordar Mackenzie e Rebeca que dormiam em um profundo sono no sofá da sala, uma em cima da outra.
- Por que? 
- Por que elas fazem muito barulho. - Sussurou ela e ele riu.
- Hey, Jessica, o que está fazendo? - Emily perguntou, se aproximando da amiga.
- Pintando. 
- Nossa, que lixo! Quem é? - Ela riu e Jessica a olhou, revirando os olhos.
- É você. - Provocou a loira, fazendo a morena voltar a ficar com a normal e diária cara de cu azedo. - MIKE! - Ela o chamou. - Por que está rodando em círculos?
- Não encontro a Sam em lugar nenhum... - Ele comentou enquanto continuava a rodar em círculos.
- Já tentou no porão? - Chris raciocinou.
- Já. 
- E nos quartos?
- Já! 
- Fodeu.- Bia exclamou preocupada.
- Pessoal... - Ashley se pronunciou e todos olharam para ela. - Eu acho que ouvi um barulho de porta batendo há uns 20 minutos...
- Ela saiu! - Bia e Mike disseram ao mesmo tempo e saíram.
- O que deu neles? - Disse Chris.
- Isso se chama loucura. - Emily bocejou.
-----
- Pra onde você acha que ela foi? - Perguntou Bia.
- Provavelmente foi procurar a Lya. - Tentou.
- Lya? - Disse confusa.
Mike apenas balançou a cabeça.
- Uma longa história. 
-----
- Voltei. - Disse Lya se aproximando de Sam. - Escuta, eu não tenho tempo pra ficar ouvindo uma loira oxigenada falando que quer a minha ajuda pra ''exterminar'' os Wendigos. 
- Mas... - Tentou Sam.
- EU JÁ DISSE QUE NÃO VOU AJUDAR PORRA NENHUMA! - Ela gritou e Samantha se assustou com seu tom de voz. 
Lya era muito explosiva.
- Ugh. - Bufou dando um soco na parede. 
- Tudo bem, eu acho. Só não grita de novo, a sua voz assusta. 
- Eu sei - Lya riu - Por isso gosto de usá-la para assustar pessoas mesquinhas e irritantes.
Sam arqueou uma sobrancelha.
- Brincadeira! Bom, quase. - a loira riu e tomou um gole de um tipo de... suco?
- O que é isso? 
- Vodka. - Respondeu como se estivesse falando de algo muito simples.
Samantha rapidamente levantou quando ouvira um barulho alto e gritos.
- Wendigos? - Tentou olhando para Lya.
- Não... não... parecem que são... Mike e outra garota... 
- Como conhece o Michael? - Sam de repente ficou séria. Como Lya poderia reconhecer Mike somente por sua voz?
Lyan pareceu ficar nervosa com sua pergunta e tentou se esquivar, pois não queria arranjar problemas com a namorada de seu melhor amigo de infância e muito menos com o próprio garoto.
- Ahn... olha eles ali! - Uma parte ficou aliviada de Mike e a outra garota ruiva terem batido na porta, ao mesmo tempo em que sua outra parte ficara aterrorizada com a ideia de ter que falar com ele. 
- Sam! - Os dois disseram em uníssono e bateram na porta mais uma vez. 
- Já vai! - Lya disse e correu para abrir a porta. Assim que a mesma foi aberta os dois entraram, Mike mais furioso do que Ashley.
- Por que saiu sem avisar? - Ele disse irritado e olhou para Lya. - Você que sequestrou ela?
- O que?! - Lya se sentiu ofendida por Mike ter pensado uma coisa dessas sobre ela. - Mas é claro que não! 
- Por que saiu sem avisar, Sam? - Ashley repetiu a mesma pergunta.
- Foi mal, pessoal. Eu só não queria que se preocupassem comigo. - Sam disse sem medo.
- Pois é, a sua ''grande'' ideia falhou. - Mike rosnou mais irritado do que antes.
- Ah, me dá um tempo! Eu faço o que eu quiser. - Sam cruzou os braços olhando para o chão, parecendo muito interessada.
- E se você tivesse, sei lá, sido morta por uma daquelas coisas? - Ashley perguntou e Lya ficou parecendo um peixe fora d'água naquela discussão.
- Hm... oi. - Ela disse tentando entrar na conversa e acenou sorrindo um pouco falsamente. 
- Ah - Mike abriu a boca. - Lya. 
- Mike. - Lya engoliu em seco. - Eu já disse que você não mudou nada?
- Já. Bom, exceto pela parte de já termos, sei lá, uns 22 anos? - Ele revirous os olhos ironicamente. 
- Uh. Claro, é óbvio que mudamos. Tsc. Que bobagem. - Por um segundo Lya sentiu que desmaiaria.
Sam queria que seus amigos a entendessem, entendessem o motivo de ter saído sem avisar, de medo de que fossem se preocupar com uma coisa do tipo.
- Me perdoem, eu deveria ter avisado. - Ela pediu e Lya se sentiu cada vez mais isolada naquela conversa.
- Tudo bem... - Mike sorriu. 
- Desde que você não faça isso de novo. Puta merda, eu tava quase pensando na possibilidade de cavarmos um túnel debaixo da neve e andarmos até Seattle... - Ashley brincou meio que falando a verdade. Sam riu e virou-se para Lya, que estava sentada brincando com a manga do casaco, e perguntou pela última vez:
- Não vai mesmo nos ajudar?
Lya olhou para eles, que fizeram cara de coitados, ela fechou os olhos fortemente até dar um urro de insatisfação e dizer:
- Argh, tááá! Eu ajudo. Agora, por favor, parem de fazer isso... - Ela pediu e eles riram, mais aliviados de que não iriam enfrentar tudo (pela segunda vez) sozinhos. 
- Vamos voltar, o pessoal deve estar achando que fomos comidos pelos Wendigos ou sei lá agora. - Mike esfregou as mãos e puxou Ashley e Sam consigo. 
- Tchau Lya, e obrigada. - Sam sorriu e os três saíram.
Lya foi até o grande portão e o chaveou, visualizando o lado de fora pelo olho mágico antes de ir se deitar e pegar no sono.

 


Notas Finais


Espero que tenham goxtaduuuuh
Muitos kisses, tenham uma boa noite de sono :)
OBS: Vou ter que acordar cedo pra School amanhã :(((( Que bosta.
Bom, até outro dia!!
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...