História I only know love you. - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lucas "T3ddy" Olioti
Personagens Lucas Olioti
Tags Youtube
Exibições 48
Palavras 1.237
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Senti sua falta.


– SURPRESAAAAAA.

– Gente do céu, me segura. - Lá estavam todos meus amigos me olhando com sorrisos enormes e eu ainda não sabendo que era real oque acontecia.

– De nada. E pode se mexer já. - Lucas disse me olhando e rindo, e eu dei uma cotovelada de leve em sua barriga.

Cumprimentei todos que estavam ali, nem me importava de estar tanto tempo falando com várias pessoas. Quando finalmente falei com todos Lucas apareceu com dois copos de bebidas.

– Sem ficar bêbada, a surpresa ainda não acabou. - Olhei para ele sem entender nada e o mesmo apenas sorriu.

– Vai me dar oque agora? A gente vai sair aqui e vai ter um avião lá fora pra me levar pra Paris?

– Talvez.

– Tá podendo heim.

– Para de ser boba. – Ele me puxou pra perto dele e deu um beijo em minha testa. - Mas sério, não fica bêbada.

– Tá bom, pai.

Dançamos, comemos, zoamos bastante, estava tudo perfeito ou quase tudo, é claro que tinha algo pra estragar.

– Então quer dizer que termina comigo e já arruma uma festa pra essa garota ridícula? - Lá estava Clara parada na porta.

Na mesma hora pararam com a música, porque todo mundo adora uma confusão. Eu talvez só tenha escutado termina comigo e fiquei tentando assimilar tudo, mas logo fui tirada dos meus pensamentos.–

 Quem deixou essa garota entrar aqui? - Carlos disse e deu pra notar no seu tom de voz que ele estava com raiva, e sem contar Lucas, sua cara mudou na mesma hora que viu Clara.

– Você tá de parabéns Lucas, me larga por essa garota e agora tá aqui arrumando festinha idiota, pro seu filho você não tá nem aí. - Ela gritava e eu queria voar no pescoço dela. Lucas abriu a boca para falar alguma coisa, mas eu o interrompi.

– Tá dando parabéns para ele porque, amiga? O aniversário é meu. - Eu disse no meu tom mais sarcástico do mundo. - Não fica assim, quer comer alguma coisa? Fica a vontade, só não bebe, faz mal ao bebê. - Vi Renata e Steh rachando de rir do meu lado e Clara quase explodir de raiva.

– Ninguém te convidou, garota. - Carlos disse, tentando segurar o riso.

– Cala a boca, meu problema não é contigo. - Ela disse apontando para ele. – Meu problema é com essa garota ai.

– Mas porque? Oque você quer? Já disse pra ficar a vontade, só não fica de auê estragando a festinha. Aumenta a música ai alguém. – Vi Clara ficar vermelha de raiva e não contive meu riso.

Dava pra ver na cara do Lucas que ele estava puto, mas por incrível que pareça, eu não estava. Ela ainda ficou parada na porta durante um bom tempo e não estava me incomodando nem um pouco.

– Vamos parar de ficar pistola, Lucas. - Eu disse o sacudindo.

– Não dá. - Ele disse segurando o riso.

– Tô vendo. - Nos olhamos e acabamos rindo demais.

– Quando será que ela vai embora? - Ele disse voltando ao assunto de Clara.

– Eu nem me importo.

– Eu sim, ainda tenho uma surpresa.

– Que história era aquela de terminar com ela? - Eu disse olhando séria para ele.

– Não me olha assim, era uma das surpresas, mas relaxa, tem mais, vem. - Lucas começou a me puxar pra fora até o carro, ignorando totalmente os olhares de Clara e eu obviamente não me contive e comecei a rir.

–Aonde nós vamos? E a festa? - Eu disse parando perto do carro.

– Vai estragar a surpresa? Só entra. - Ele disse entrando no carro.

Estávamos indo para seu apartamento, creio eu, parecia ser o caminho. Lucas estava cantando que nem um louco no carro e eu só faltava morrer de tanto rir.

– Você canta muito mal, para por favor, meus ouvidos imploram.

– DEIXA, DEIXA MESMO DE SER IMPORTANTE. - Ele parecia uma minhoca dançando quando parou o carro na frente do prédio.

– LUCAS.

– Meu Deus, tá bom. - Ele disse revirando os olhos.

– Afinal oque é essa surpresa?

– Talvez eu tenha esquecido ela aqui, só talvez.

– Ah, claro. Só talvez.

Pegamos o elevador e subimos até seu apartamento. Tudo estava igual a última vez que eu tinha vindo aqui. Me sentei no sofá e ele foi direto para o quarto, voltou com uma caixinha vermelha e me entregou ela.

– Olha Lucas, não vou me casar com você agora.

– Então vai casar um dia? - Ele me olhou com um sorriso debochado no rosto.

– Cala a boca. - Abri a caixinha e tinha uma pulseira com um pingente pequeno de um ursinho. Era uma graça, fiquei completamente apaixonada por ela. - Que linda, obrigada. - Eu disse e estiquei meu braço pra ele coloca-lá.

Assim que ele terminou que colocar me puxou pra perto dele e eu podia já sentir sua respiração em meu rosto.

– Eu senti sua falta. - Ele sussurrou.

Lucas então segurou minha nuca e selou nossos lábios, formando um beijo quente. Nossas bocas se encaixavam perfeitamente, enquanto ele apertava minha cintura. Eu senti o sabor daquele beijo e no mesmo momento esqueci de tudo, naquele momento só existia eu e Lucas no mundo. 

Lucas me pegou no colo e me levou até seu quarto ainda me beijando, tropeçando em tudo pela frente, oque nos fazia rir durante o beijo. E logo caímos juntos na cama. Ele me abraçava enquanto me beijava, eu sentia sua barba roçando em meu rosto e o sorriso dele explorando minha boca cheia de saudade, guiei minha mão até sua nuca e segurei firme, passando minhas unhas de leve.

Ele deu término ao beijo, me dando dois selinhos e me puxou para seu peito.–

 Não quero ir rápido demais dessa vez. Quero começar tudo de novo com você. Espero que esteja tudo bem entre a gente. - Ele fazia carinho em minha cabeça.

– Está tudo bem sim. - Eu disse e deu um selinho nele. - E tudo bem, começamos de novo. - Me sentei na cama e cruzei as pernas, ele se sentou na minha frente e fez o mesmo. - Prazer, Manuella ou Manu. - Eu disse esticando minha mão para ele, que estava rindo.

– Lucas. - Ele ainda ria, mas apertou minha mão. - Sabe, eu estou com fome, que tal irmos comer alguma coisa? - Dei um pulo na mesma hora e em menos de 2 segundo já estava na porta.

– Vamos, tá demorando tanto porque? - Nessa hora Lucas já estava rachando de rir.

Lucas on

Levei Manu para comer algo e a única coisa que estava aberta era o Mc Donald, nem preciso dizer como ela ficou feliz, né? Já era quase 2 horas da manhã e a levei para a casa. 

– Quer subir? - Ela disse quando parei o carro na frente do seu prédio.

– Talvez.

– Talvez oque, garoto? Sobe ou não sobe. - Ela tentou dizer séria, mas a tentativa já tinha falado quando eu comecei a rir. - Palhaço.

– Eu subo, se for te deixar feliz.

– Oh meu Deus, que felicidade, Lucas Olioti está indo para meu apartamento. - Ela disse em um tom de deboche.

– Você deveria escrever isso em um cartaz.

– Bem pensado.

Subimos e Manu foi direto para o banheiro tomar banho e me deitei em sua cama. Eu estava feliz, mesmo que a Clara tivesse tentado estragar o dia, eu estava feliz porque sabia que a Manu estava feliz. Realmente queria ir devagar com as coisas, mas eu tinha certeza que dessa vez nada iria atrapalhar. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...