História I Really Like You - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Júlio Cocielo, Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?), Rafael "CellBit" Lange
Personagens Daniel Mologni, Júlio Cocielo, Lukas Marques, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Ane Carvalho, Daniel Mologni, Julio Cocielo, Lukas Marques, Rafael Lange
Exibições 20
Palavras 1.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ola povo bom, não vou enrolar hoje.
Boa leitura :)

Capítulo 6 - Chapter 6: An offer they can't refuse


Fanfic / Fanfiction I Really Like You - Capítulo 6 - Chapter 6: An offer they can't refuse

(Anelise Carvalho Pov’s)

Acordei mais cedo do que imaginava. Acho que estava muito ansiosa, afinal, hoje é o meu primeiro evento como uma das ‘atrações’.

Me levantei com todo cuidado do mundo, pra não acordar o Lukas, mas ele não estava ali. Sai do quarto e desci, parando na sala, onde Rafael também estava acordado. Me aproximei e sentei ao seu lado.

-Acordada há essa hora? –Rafael disse e eu encostei minha cabeça em seu ombro.

-Acho que é ansiedade. –Respondi. –E o senhor nem dormiu né?

-Devo ter dormido umas duas horas. –Olhei em seu rosto e suas olheiras estavam enormes. –Eu to bem.

-Se você diz. –Dei um beijo em seu rosto e me levantei. –Vou fazer café.

Fui para a cozinha e resolvi arrumar o café da manha pro pessoal da casa. Logo, Daniel e Rafa apareceram na cozinha, em seguida Júlio e Lukas. Júlio passou direto e se sentou ao meu lado, pegando uma xicara e enchendo de café. Lukas foi até a geladeira, pegando uma maça e logo se sentou ao lado de Julio, de frente pra mim. Ele sequer me olhou direito.

Depois do café, subi e me arrumei, desci e encontrei com o pessoal na garagem. Foram dois carros ‘cheios’. No de Daniel fomos Lukas, Rafael, Cocielo e eu. Rafael foi no banco da frente com o Dani e no de trás fomos Lukas, na janela, eu no meio e Júlio na outra janela. Os meninos da frente foram conversando, Júlio se isolou no canto, mexendo em seu celular, Lukas estava de fones e eu fiquei meio avoada ali mesmo.

Ainda bem que saímos um pouco mais cedo, pois o transito estava péssimo. Aproveitei para checar o twitter e fazer alguns snaps, pra explicar se eu me atrasasse. Fiz alguns snaps de Lukas escondido e do Rafa, que estava meio morto no banco da frente.

-Temos uma engraçadinha aqui. –Lukas apontou o celular para mim. –Cê acha legal gravar os outros?

Eu mostrei língua e voltei minha atenção para meu celular. Dei alguns RT’s bloqueei a tela e guardei o celular. Depois de algum tempo, finalmente o carro parou em um estacionamento isolado. Uma mulher veio ate o carro e nos entregou as credenciais, explicou algumas coisas básicas sobre o evento e nos acompanhou ate a parte de trás do local, que ficava bem perto do estacionamento.

-E ai? –Rafael me abraçou pelos ombros. –Como ta se sentindo?

-Nervosa. –Disse e sorri

-Você vai se sair muito bem. –Rafael me deu um beijo na bochecha. –Você é a melhor Anelise.

Fomos levados ate uma salinha, onde os outros Youtubers já estavam concentrados. Rafael saiu correndo e gritando ‘Lixo’ na maior altura e eu ri da cara que a moça que nos acompanhava olhou para os dois. Fui para um canto e me sentei em uma cadeira, tentando não ficar nervosa, o que claramente não funcionou. Alguns outros Youtubers chegaram e reuniram-se em grupos, provavelmente, por mais afinidade.

A moça do staff voltou e avisou que eu entraria com o Rafa e o Júlio. Ainda bem que o Lange vai estar lá, porque imagina eu e o Cocielo no mesmo palco, eu no mínimo ia mata-lo ou tortura-lo na frente daquele monte de gente.

Logo fomos chamados e conduzidos ao palco, no meio de um grito coletivo e alto. Sentamos em três poltronas e nos entregaram os microfones e começaram uma sessão de perguntas. A maioria das perguntas eram para o Júlio ou pro Rafa. De vez em quando alguém perguntava alguma coisa ou outra pra mim, mas nada tão assim. Ate uma menininha dizer que tinha uma pra mim.

-Anelise. –A garotinha começou. –Por que você não muda pra São Paulo com o Cellbit?

-Olha. –Olhei para o Rafa que estava concentrado em mim. –Eu não fui convidada.

-Esta convidada a partir de agora. –Rafael sorriu e piscou pra mim.

-Mais uma pergunta? –A apresentadora disse e todos levantaram a mão. –Você. –Ela deu o microfone pra um garoto. –Qual seu nome?

-Bruno. –O garoto respondeu

-E qual é a sua pergunta?

-Anelise. –Eu o olhei com um sorrisinho. –É verdade que você esta namorando o Lukas, do Você Sabia? –Meu sorriso diminuiu

-E-e-eu. –Ótimo, gagueja mesmo Anelise. –Não. –Notei que Cocielo estava rindo e me virei para ele, e o seu sorriso sumiu em um instante.

Tiveram mais algumas perguntas e logo nos despedimos, pois ainda tinham bastante pessoas para entrar. Na sala, me isolei no canto, tentando evitar ao máximo o olhar de deboche do Cocielo, pois tenho certeza que ele iria me olhar daquele jeito e rir da minha cara. Ridículo.

-Você ta legal? –Rafael se sentou ao meu lado.

-To sim. –Sorri falso

-Não parece. –Ele me encarou. –Se quiser conversar.

-Obrigada Rafa. –Dei um beijo em sua bochecha e encostei a cabeça em seu ombro.

-Ainda ta de pé. –Ele disse e eu não entendi porra nenhuma.

-O que? –Perguntei e olhei em seu rosto.

-Você vir morar comigo. –Ele sorriu. –Você não quer?

-Quero, mas, sei lá. –Parei por um momento. –Você acha que isso vai dar certo?

-Claro Anelise. –Eu sorri. Adoro quando ele me chama pelo nome. –Se não der certo, a gente finge que deu.

-Ok Lange. –Ele me abraçou.

Assim que o evento acabou, fomos para um shopping que tem ali perto, pra comer. Lukas não falou comigo, apenas se isolou com seu fone. Que vontade de bater nele. Não é possível que ele ficou bolado por causa daquela bobeira que eu falei. Afinal, a gente não tem nada.

Chegamos ao shopping e fomos direto para a praça de alimentação. O pessoal ficou tagarelando, fazendo snaps e se zoando, e eu fiquei quieta na minha, até que Júlio, que estava sentado ao meu lado, se virou para mim e ficou me olhando por um tempo.

-Você ta bem? –Ele perguntou e eu o olhei meio ‘espantada’

-To sim. –Ele me encarou por um momento.

-Certeza? –Eu apenas balancei a cabeça. –Se quiser conversar, to aqui. –Concordei com a cabeça.

-O Terror ta convocando a gente pra casa dele. –Coelho disse.

-Que horas? –Júlio perguntou

-De noite. –Coelho encarou o celular. –La pelas nove horas.

-A gente vai. –Júlio disse para mim.

-Eu não sei. –Disse e Júlio me encarou.

-Isso não foi uma pergunta. –Ele sorriu e que sorriso é aquele? –Você vai comigo.

-Ok. –Eu não consegui dizer não pra aquele sorriso dele.

Voltamos para casa já eram umas sete horas. Meu único objetivo era descansar um pouco e me arrumar pra sair. Lukas estava no quarto quando entrei, e ele sequer mexeu um centímetro. Me sentei ao seu lado na cama e ele não fez nada, só continuou mexendo em seu celular. E eu, sem pensar muito, tirei o celular da sua mão e o encarei.

-Anelise. –Ele me olhou com a cara feia. –Devolve por favor?

-So depois de voce me dizer o porque de estar assim. –Ele respirou fundo e me encarou.

-Não é nada. –O encarei. –Agora devolve meu celular?

-Claro. –Entreguei o celular pra ele e sai do quarto

 

 


Notas Finais


Bom, é só isso por hoje.
Um beijo, flw!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...