História I see You - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Axel Nishigōri, Christophe Giacometti, Emil Nekola, Georgi Popovich, Hiroko Katsuki, Hisashi Morooka, Jean-Jacques Leroy, Ji Guang-Hong, Kenjiro Minami, Lee Seung Gil, Mari Katsuki, Victor Nikiforov, Yakov Feltsman, Yuri Katsuki, Yuri Plisetsky
Tags Yuri!! On Ice
Exibições 217
Palavras 3.082
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção, Lemon, Yaoi

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Primeiramente, eu quero pedir desculpas pela demora. Era para ter saído ontem, as onze da manhã. Mesmo que eu tenha ficado das onze até as seis da tarde fazendo, eu o perdi por completo pela minha burrice. Comecei a escrever logo depois disso, e só consegui terminar hoje mesmo. Então, desculpa de verdade. Eu fiquei realmente mal por ter perdido três mil palavras, e não ocorrerá novamente.
Sobre as três mil palavras: Desculpa, eu poderia dividir em dois? Poderia, mas eu sou uma pessoa muito boa então esse capítulo seria tipo um duplo, para compensar a minha demora e também O MEU ERRO EM TER EXCLUÍDO ESSA
coisa

Capítulo 5 - Capítulo Cinco


Fanfic / Fanfiction I see You - Capítulo 5 - Capítulo Cinco

            Yuri saiu da pista devagar, seguindo Victor. Estava tão nervoso que sequer conseguia pensar direito. O mais velho dissera que precisava falar com ele. Mas por quê? Além de tudo, por que estavam indo para longe da pista? Parecia que a conversa seria particular, porque eles entraram em um lugar que parecia ser um vestiário, já que havia vários armários e algumas roupas jogadas no chão.  Provavelmente ele iria explodir e dizer que os passos que Yuri estava fazendo estavam todos incorretos e precisavam de mais treino.

– Hã... Então, o que precisava falar comigo? – Indagou Yuri, nervoso.

Victor permanecia virado de costas.

– É...Vic-

– Por que você tem se afastado assim? – Perguntou Victor, virando-se de frente para Yuri.

 

               Era óbvio para Yuri. Não entendia como Victor ainda não havia reparado. “É porque eu te amo”, ou pelo menos era isso que gostaria de dizer. Mas não o disse. Era real que o russo parara o treino apenas para perguntar por que o mais novo estava distante?

– Não vai responder mesmo?

O moreno nem mesmo reparara que ficara tanto tempo pensando e esqueceu-se de responder.

– Então você realmente não percebeu. – Murmurou Yuri, triste.

– Não percebi? Como assim? – Victor parecia não estar entendendo muita coisa.

–Você não percebeu o que eu sinto por você. É óbvio que não percebeu.

 

           A boca de Yuri se moveu automaticamente. Não gostaria de ter sido assim tão direto e tão grosseiro. Quando reparou, já era tarde demais. Victor já estava pensando sobre o que havia dito.  Céus. Gostaria de explodir. Sentia-se nervoso demais para dizer qualquer outra coisa.  

–O que você sente por mim? Yuri?...

Existia alguém assim tão lerdo como Victor? Deuses, já estava tão óbvio que Yuri se interessava por ele que qualquer um poderia o dizer. Sentia vontade de chorar, mas não faria isso na frente de Victor. Sentia-se frustrado pelo homem não ter reparado em seus sentimentos. Era assim tão difícil reparar em Yuri?

–Que Droga, Victor! Perceba de uma vez que eu te a-

 

Yuri colocou suas duas mão em sua boca, interrompendo sua própria fala.

–O que? Você o quê?  - Perguntou Victor o encarando, sério.

 O moreno não respondeu. Estava paralisado.

–Vamos, Yuri! Responda-me! – Victor jogou Yuri contra a parede, nervoso.

O garoto estremeceu, nunca havia visto Victor tão bravo antes, e por um motivo desses. Permaneceu em silêncio.

–Resolveu ficar quieto do nada?! Yuri me diga, eu quero saber de seus sentimentos, eu quero te ajudar!

–Me ajudar? Você nem sequer notou o que eu sinto por você. Você nem mesmo notou como eu te olho, você não notou absolutamente nada! – Berrou Yuri.

Sua resposta fora automática. Não era exatamente aquilo que gostaria de ter dito. Gostaria de ter sido menos grosseiro.

–É por isso que estou te perguntando! O que está acontecendo com você? Por que anda tão estranho?!

–Que Inferno, Victor! Eu te Amo! Quer perceber de uma vez?! O que mais eu preciso fazer para que você perceba?!                                                                                                                                                    

Victor arregalou os olhos. Oh, Deuses. Yuri havia feito outra besteira. Disse de uma vez que o amava. Sentia-se completamente um idiota.

–Oh... Eu não... Yuri. – Victor não sabia o que dizer. Apenas agarrou Yuri e o abraçou forte.

 

        Ficaram abraçados por alguns minutos. Se ficassem mais tempo no vestiário, Minami e Yuri Plisetsky notariam a demora e logo iriam procurar eles. Mas Yuri estava imóvel. Não conseguia dizer nada, não sabia o que dizer. Afinal, Victor o rejeitara quase que completamente.

–H-Hã, Victor, é melhor nós ir-

–Silêncio, fique assim por mais um tempo. – Victor disse, o abraçando ainda mais forte.

–T-Tá...

 

                  Após alguns minutos, os dois voltaram para a pista calmamente, sem trocar uma palavra. Minami e o Yuri mais jovem pareciam ter suspeitado de algo, mas não disseram nada. Victor não tocara mais no assunto desde então. Yuri esperava por sua resposta, que não estava totalmente definida. Mas no fundo, sabia que o russo não o amava tanto como ele amava. Mas não se sentiu abalado, já esperava por isso.

          O treinamento durou mais duas horas e meia. Estavam cansados até demais para fazer qualquer coisa. Porém, era o último treinamento deles três juntos, ou seja, iriam comemorar jantando em um restaurante caro. Antes disso, iriam para o vestiário trocar de roupa e se lavar. Yuri insistiu por ser o último a se lavar, já que era necessária uma ordem, pois só havia um chuveiro disponível, todos os outros estavam quebrados.

       O primeiro a ir era Minami, que não demorou nem mesmo cinco minutos. Yuri Plisetsky ia logo depois, e ele demorava até demais, pelo menos dez minutos.  Victor era o penúltimo. Ele não demorava nada, provavelmente porque não estava cansado. Yuri suspirou, foi andando calmamente até o banheiro onde estava o chuveiro. Assim que abriu a porta, deu de cara com o russo, que se cobria apenas com uma toalha.

–Ora, Yuri!

O moreno revirou os olhos.

–A água é muito quente, cuide-se para não se queimar! – Exclamou Victor, contente.

–T-Tá.

Victor parecia estar analisando o garoto.

–Você pretende tomar banho de roupa?

    Deuses. Yuri se esquecera de retirar suas roupas. Sentia-se tão idiota. Óbvio que não tomava banho de roupas.

–H-Hã, Não. – Ele respondeu, envergonhado.

–Então você quer que eu te ajude? – Perguntou Victor, com um sorriso malicioso no rosto.

– N-Não! Eu consigo fazer sozinho! – Disse ele, retirando rapidamente os sapatos de seus pés.

–Ora, Yuri. Deixe de bobeira, irei te ajudar. – Disse Victor, se aproximando mais do garoto.

–Victor, não precisa. Sério... Eu estou bem.

Victor fez uma cara feia.

–Não importa o que você diga, irei te ajudar. – Disse Victor, já retirando a camiseta de Yuri.

O garoto parou de protestar.

–Isso, seja obediente. – Brincou Victor, se ajoelhando.

Quando Yuri percebeu, o russo já estava abaixando o zíper de sua calça.

–V-Victor! Você já serviu de muita ajuda, mas agora posso me virar sozinho! – Disse Yuri, empurrando Victor para fora do cômodo.

–Mas Yur-

A fala do mais velho foi interrompida pelo barulho que a porta fez ao se fechar. Yuri suspirou, aliviado.

–Céus, Victor.

 

         Yuri fora o que mais demorara no banho. Não estava enrolando, estava apenas pensando em tudo o que havia acontecido. Droga era muita coisa acontecendo de uma só vez. Por que Victor insistia em provocá-lo? Yuri já entendera que ele não sentia a mesma coisa. Os pensamentos do garoto foram interrompidos. Lembrou-se de que tinham um compromisso e que tinha gente o esperando. Com isso, desligou rapidamente o chuveiro e se vestiu ás pressas.

      Minami disse que o restaurante era bem perto de onde estavam então poderiam ir a pé. E tinha razão, pois andaram por cinco minutos e já era possível ver o local. De fora, o restaurante era elegante. Como era cedo, ainda não havia se formado uma fila tão grande para entrar no local. Assim que entraram, se dirigiram até uma mesa onde cabiam os quatro. Não demorou muito para que fizessem seus pedidos. Por dentro, o restaurante também era elegante, o que fez com que Yuri se sentisse desconfortável por estar usando roupas normais.

       As bebidas e os pratos chegaram rapidamente. E eram tão bonitas e saborosas como o restaurante. Victor despejou o conteúdo de uma bebida em seu copo e o para o alto.

–Vamos brindar pelo nosso sucesso! – Victor exclamou, sorrindo.

–Saúde. – Os três disseram ao mesmo tempo, levantando seus copos também.

 

             Victor ainda não havia parado de beber. Já era a sexta garrafa que ele bebia sozinho. Ele dizia coisas sem sentido e começava a gritar do nada. Estava bêbado até demais. Não sabia, de fato, a hora de parar. Yuri se perguntava como iria o levar para casa. Se continuasse assim, poderia passar mal ou até mesmo desmaiar.

–Mais uma! – Berrou Victor, segurando um copo em sua mão direita e despejando o conteúdo de outra garrafa nele.

–Hã... Isso é normal? – Perguntou Minami.

–Sim. – Yuri Plisetsky e Yuri Katsuki responderam em uníssono.

–Não me copie seu porco! – Resmungou o loiro.

–Oh, perdão. – Disse Yuri.

 

         Todos concordaram que era melhor voltar para a casa de Minami. Passaram muito tempo no restaurante, tanto que já havia anoitecido. Fora difícil convencer Victor de sair do restaurante, já que ele mesmo não sabia nem mais o que estava fazendo e começara a realmente ficar louco. Conversaram no caminho de volta, o que fez com que eles esquecessem um pouco de seu cansaço.  

        Pela primeira vez, Minami não insistiu em jogos e nem em nada parecido como uma festa. Apenas disse “Boa Noite” saiu andando para o seu quarto. Yuri estava aliviado por não ter que se forçar a ficar acordado para que não chateasse o mais novo. O garoto fora andando rapidamente até seu quarto. Ao entrar, retirou sua roupa e colocou um pijama azul listrado.

–Yuri, está com sono? – Perguntava uma voz vinda de trás dele.

–Ora, Victor. – Logo Yuri identificou. – Sim... Pode apagar a luz, por favor?

Victor apagou a luz e se deitou em sua cama. Yuri estava tão cansado que se fechasse os olhos, provavelmente iria cair em sono profundo.  Queria dormir quanto antes, não se sentia tão bem para falar com Victor no momento.

–Yuri? – Chamou Victor.

–Sim?

 

–O que você disse mais cedo era verdade?

 

          Ora. Yuri sabia que uma hora ou outra o russo perguntaria sobre a confissão de mais cedo. Só não pensou que seria assim tão rápido. O garoto ficou em silêncio. Se fingisse que estava dormindo, provavelmente Victor desistiria e talvez até mesmo se esquecesse do assunto.

–Vai fingir que está dormindo mesmo?

Yuri permaneceu quieto.

–Tudo bem então.

              “Desistiu, foi fácil até”. Porém, ouvira um barulho, e provavelmente era Victor se levantando de sua cama. Yuri o seguiu com os olhos, estava indo em direção à porta. “Ué, para onde ele está indo?”. Fora enganado novamente, pois o russo apenas trancou a porta. Antes que Yuri percebesse, Victor já estava ao seu lado. O moreno sentiu o coração disparar. Agora estava mais do que óbvio que não estava dormindo e que estava mais do que só acordado.

–Vou perguntar novamente: O que você disse mais cedo era verdade? – Perguntou Victor, sério.

 Yuri sabia que ficar quieto não era a melhor opção.

–S-Sim. – Confessou ele.

–Oh, entendo. E você não quis saber nem mesmo da minha resposta. – Disse Victor, sentando-se na cama do mais jovem. – Não tem problema, eu entendo.

Claro que queria. Uma das coisas que mais estava esperando era à resposta do russo.

 

–Não! Não é isso! Victor, essa é uma das coisas que eu mais queria saber... Eu só... Só não consegui perguntar. – Admitiu Yuri, desviando o olhar.

–Como assim?

–Eu pensei que você não quisesse dizer nada, ora... – Disse Yuri, envergonhado.

–Se você perguntasse talvez eu te respondesse. – Murmurou Victor.

– E-Entendo.

–Você quer que eu te responda?

Yuri fez que sim.

–Escute com atenção, porque eu não vou repetir. – Disse Victor, ainda mais sério do que antes.

–Certo. – Confirmou Yuri.

– Céus, Yuri. Você está me deixando louco.  Eu estou começando a me descontrolar. Toda vez que te vejo, eu começo a enlouquecer por dentro. – Confessou Victor, encarando Yuri.

–C-Como assim, se descontrolar? – Foi tudo o que Yuri conseguiu perguntar.

–... – Começou Victor. – Yuri, você entendeu o que eu quis dizer?

–Não... Desculpe.

–Meu deus. Você é inocente até demais. – Disse o russo, evitando olhar nos olhos de Yuri.

– D-Desculpe! Deus. Pareço um idiota... – Murmurou Yuri.

–Droga! Eu não consigo mais me segurar. – Disse Victor, se colocando sobre Yuri.

        O coração do garoto começou a bater rapidamente. Não havia reparado que o homem estava usando apenas um roupão, o que fez com que o garoto corasse ainda mais. Yuri finalmente entendeu o que Victor quis dizer antes. Sentia-se realmente muito idiota por ter demorado tanto tempo para perceber algo assim.

–Você está bêbado, se acalme! – Lembrou Yuri, tentando achar uma desculpa.

–Posso ter bebido muito, mas não misture os fatos. Eu sei bem o que estou fazendo. Nada mudará o meu desejo de agora. – Retrucou Victor.

     Mesmo que ele estivesse bêbado sabia muito bem o que estava fazendo. Satisfazer a vontade do russo não era tão ruim assim, certo? Não morreria se fizesse realizasse o desejo do outro. Depois Victor esqueceria. Mas Yuri não. Era a primeira vez que faria algo assim em sua vida, se sentia nervoso demais. Seu primeiro beijo. Certo, não poderia ser tão ruim. O moreno abriu a boca para dizer algo, mas não saiu som algum.

–Não irei te forçar a fazer isso. – Disse Victor, percebendo o desconforto do outro.

–A-Apenas... Seja gentil. – Yuri disse automaticamente, desviando o olhar.

Victor corava levemente.

–Céus, você realmente está tentando me seduzir. – Victor disse, rindo.

 

        Victor aproximou seu rosto lentamente do rosto do garoto, o encarou por alguns segundos e depois colou seus lábios aos lábios do mais novo. Não demorou muito para que suas línguas se entrelaçassem. Veio na cabeça do mais velho que este era um dos primeiros beijos do garoto. Fez de tudo para que a sensação fosse agradável. Sua mão direita segurava o rosto do garoto, enquanto sua outra mão massageava os fios do cabelo do mais jovem devagar.  Aquilo não acabou com o desejo do russo. Precisava o tocar, precisava de um contato maior. Sua mão deslizava lentamente pelo corpo do garoto, o que fez com que Yuri estremecesse.

        Resolveu que faria tudo calmamente, para que não fosse tão desconfortável para o garoto. Mas a expressão que ele fizera quando Victor deixou uma marca em seu pescoço fora no mínimo um pouco atraente. Retirou a camisa do pijama de Yuri lentamente. O homem foi deixando uma trilha de beijos molhados pelo peitoral do outro, Yuri sentiu um arrepio. O russo deixara várias marcas pelo corpo do outro, o mesmo ria internamente. Olhou para Yuri, que estava corado.

–Não faça essa cara. Ou não terei piedade. – Disse Victor, sorrindo de forma maliciosa.

     Sua mão deslizava pelo corpo quente de Yuri, que ao longo dos segundos, fora substituído por seus próprios lábios.

–Você sabe que agora não tem volta, né? – Indagou Victor, já se preparando para retirar as calças do mais jovem.

–Sei, muito bem... - Disse o garoto, parecendo um tomate de tão vermelho.

   Victor não estava satisfeito. Com isso, curvou-se lentamente, retirando as calças do outro com a sua própria boca, o que fez com que o garoto estremecesse.

–... Cachorrinhos? É sério? – Victor se segurava para não começar a gargalhar.

– N-Não sou eu que compro as minhas roupas de baixo!

– Ok, Ok...

Passou sua mão pela roupa de baixo do garoto, que gemeu baixo, Victor estava com um olhar um tanto como malicioso. Yuri parecia estar irritado por algum motivo.

– Oh, tem razão. Que injusto. Por que não me avisou? – Perguntou Victor.

         O russo se despiu – o que não era muito difícil, já que estava usando apenas o roupão, não estava usando nem mesmo roupas de baixo. Yuri corou absurdamente ao olhar para o corpo do outro, que era pelo menos atraente. A mão do mais velho deslizou até as coxas do garoto, onde as apertou com força, o garoto soltou um gemido abafado. O homem deixara uma marca avermelhada na coxa de Yuri, o que fez com que o garoto soltasse um gemido baixo.

 Antes que pudesse perceber, Victor já estava retirando a roupa de baixo do menor, que hesitou por alguns segundos. Jogava a roupa de baixo de cachorrinhos para fora da cama. Yuri soluçou, sabia o que vinha depois.

– Eu não vou parar. – Avisou Victor.

–S-Sim. – Concordou Yuri.

    Quando Victor finalmente descera até o membro do menor, ele sorria de forma perversa. Passava a língua lentamente, o que fez com que o menor se sentisse um pouco excitado. O homem chupava lentamente o membro do outro, que gemia alto.

– V-Victor... – O garoto gemia.

     A boca do russo deslizava pelo membro do outro, subindo e descendo.  O garoto gemia ainda mais alto. Victor estava com uma cara ainda mais maliciosa. Yuri mordia o lábio inferior, isso favoreceu para que o mais velho ficasse ainda mais louco.

– N-Não faça essa cara. – Disse Victor, o encarando.

          Victor deixou sua piedade de lado, chupava lentamente a glande do mais jovem, ambos gemeram de prazer. Sem avisos, o homem já penetrava brutalmente seus dois dedos na entrada do menor, que gemia alto de dor. Yuri não conseguia seguir o ritmo do outro, precisava de um tempo, precisa parar por alguns segundos. Estava indo muito rápido.

– V-Victor... – O Garoto o chamava, gemendo.

– Estou indo muito rápido? – Perguntou ele, limpando o suor que escorria em sua testa.

O garoto fez que sim, suspirando.

        O russo o ignorou completamente. Acelerou seu ritmo mais ainda, fazendo com que o moreno entendesse que ele quem deveria se acostumar. Victor o penetrava com força, não dando tempo para que Yuri contestasse. O que no começo era um gemido de dor passou a ser um gemido de puro prazer. Victor se perguntava se dava para ser ouvido do lado de fora do quarto.

– Se acostume ao meu ritmo. – Sussurrou Victor no ouvido do menor, fazendo com que o outro estremecesse.  – Entendeu?

–S-Sim... – O garoto respondeu, gemendo.

–Fico feliz que tenha entendido. – Disse Victor, mordendo o lábio inferior do garoto.

         Victor voltava aos movimentos de mais cedo, fazendo movimentos de vai e vem com a boca no membro do outro, que já soltava um líquido estranho. Ambos gemeram alto.  Continuou os movimentos, fazendo o garoto soltar gemidos abafados.

–C-Calma... V-Victor! – O garoto gemia, sem poder se controlar.

–Yuri, eu adoro a sua voz. – Admitiu Victor. – Não se contenha.

      O russo massageava lentamente o membro do outro, fazendo com que o garoto gemesse ainda mais. Céus, como Victor era uma pessoa má. Porém, não gostaria de deixar o divertimento apenas para si. Agora, forçava o mais novo a engolir o seu membro por inteiro. Victor gemeu alto.

–N-Não pare. – Disse Victor, com a respiração ofegante.

– E-Eu não sei como fazer isso! – Exclamou Yuri, em desespero.

     Mesmo não sabendo como fazer nada do tipo, Yuri fizera com que Victor ficasse louco. Queria cada vez mais o tocar. Mas o moreno estava exausto. Não conseguia mais se mover. O russo, pelo contrário, conseguia até mesmo dar pulinhos se fosse necessário. Mesmo que pudesse continuar, notou o suor escorrendo pela testa do outro, sabia que ele não conseguia mais aguentar. Por tal motivo, Victor deitou-se ao lado do mais novo.

–Está bom por hoje. – Murmurou Victor.

–M-Mas...

–Você já sabe o que eu sinto por você agora.

–Tenho minhas dúvidas...

–Eu te amo, Yuri Katsuki. – Disse Victor beijando a bochecha do outro, fazendo com que ele corasse. 


Notas Finais


FALA TU
Então, peço desculpas pelo Lemon ruim, a pessoa aqui nunca escreveu um na vida :"D
Foi rápido, Sim. Mas tenho verdadeiros motivos para isso, começando por " é a primeira vez do Yuri", se é que me entendem k
VICTOR É ALGUÉM COM UM BOM CORAÇÃO, VIU? Mas não me julguem, eu não sei mesmo escrever isso DAHUDIUDASIUHSDIUASDDAUU Ó, só escrevi isso por vocês, se fosse por mim eu não fazia era nada AHAHAHDASUODSIJD
Aliás, pode ter pouca coisa no Lemon mesmo, mas como já dito, foi intencional. Eu acho que ficaria muito ???? Se fosse pesado. Talvez em outra história lol. Aconteceu apenas o básico e só, NÃO VEM ME COBRAR DE COISA QUE EU NÃO MANJO NÃO DNIENRIENRJEN


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...