História I see your monsters I see your pain - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Alluka Zoldyck, Gon Freecss, Hisoka, Illumi Zoldyck, Killua Zoldyck, Kurapika, Leorio Paradinight
Tags Gon, Gonkillu, Hunterxhunter, Hxh, Killua, Killugon
Exibições 122
Palavras 4.140
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Andy: SAIUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU O CAP!!!
Wendy: mas nós avisamos que ia sair um pouco mais demoado esse!
Andy: falamos?
Wendy: falamos?
Andy: esquece!, mais antes de irem para a fic temos alguns vasinhos e emportantes para falar! , o primeiro é: O Dyne é bipolar!
Segundo: O KILLUA não tá totalmente curado!, foi só sua visão!
Terceiro:... não tem terceiro... pera ai agora tem!
Wendy: enfim! Boa leitura!

Capítulo 8 - "Não desista de mim"


Fanfic / Fanfiction I see your monsters I see your pain - Capítulo 8 - "Não desista de mim"

Killua on

Depois de um tempo, acordo ao sentir um frio percorrer meu corpo e ao sentir um cheiro estranho e também muito imcomodador... parecia de remédio. Abro meus olhos com dificuldade (até porque só foi curado meus olhos não meu corpo inteiro!), e ao ver o local vejo que AINDA estou sendo carregado por Gon (constrangimento bateu na porta sem saber que ele já é de casa) e infelizmente... estou em uma farmácia. Gon estava conversando com a moça sobre os remédios sem notar que eu já acordei.

Killua: Gon... acordei

Falo em seu ouvido (já que estava em suas costas) e é possível vê-lo se arrepiar um pouquinho... para né Killua até parece que ele gostaria de você! Foi efetado seu cérebro também!?, Gon tem coisas melhores para fazer!.

Gon: Boa noite Kill!

Ele fala muito animado, é tão bom ver tudo novamente... Gon, você é o melhor!... o melhor...amigo...o pior é pensa que nunca passaremos disso...

Depois de me cumprimentar, Gon novamente volta a falar com a moça, era tantos remédios que ele segurava na mão que fiquei com pena dele ter que pagar tantos remédios por minha culpa...

Killua: Gon, pegue o meu cartão de crédito para pagar essas cois-

Sou interrompido por Gon que já estava furioso fazendo escândalos.

Gon: CLARO QUE NÃO KILLUA!!!, isso tudo já é culpa minha e você ainda ter que pagar isso!? JAMAIS!!!

Ele me coloca em uma cadeira de rodas e depois quando se acalma ele vem em minha direção e me abraça calmamente. Sentia falta daquele contato físico tão próximo de Gon que me deixava seguro.

Gon: Desculpa levantar meu tom de voz com você Kill...

Ele alisa meus cabelos e eu não pude deixar de sorrir por felicidade ao presenciar tal cena.

Killua: Tá ok...

Ele me desgruda dele infelizmente, e vai em direção do caixa com uma sacolinha de remédios. Ao pagar Gon vem até minha direção, dá minhas muletas, e me leva até a cafeteria onde todos deveriam estar.

~Na cafeteria..

Parte do pessoal tinha me recebido muito acolhedoramente, mais ficaram em tensões ao Gon pedir para que todos se reúnam na sala do fundo. Assim todos fizeram, ja estávamos todos sentados no sofá aguardando até que o silêncio seja quebrado.

Gon: Gente, é meio complicado explicar assim mais... bom, Killua tinha ficado cego.

Todos olharam surpresos para mim, aqueles olhares me deixaram constrangidos oque só fez eu desviar meu olhar para qualquer outro componente presente na sala.

Gon: ele está enxergando novamente porque... sim eu fui até a Yumi e fiz um desejo a ela... o desejo foi bom, que era para que Killua voltasse a enchergar, mais a exceção...

Todos olharam atentamente para Gon e principalmente eu,  já que eu não sabia qual tinha sido a exceção.  Estava com medo que isso possa causar o mal de alguém e principalmente o dele!

Gon:A exceção foi... eu não irei mais trabalhar aqui no café, vou levar Kill para um lugar em que eu possa cuidar dele sem que ele possa ser afetado...

Fiquei em choque. Não imaginava tamanho sacrifício que Gon faria para meu bem... mas isso acabaria prejudicando-o... era só me deixar sego mesmo Gon...

Ninguém se atrevia a falar uma palavra se quer... as reações de todos eram as mesmas... Eu mordendo o lábio inferior para não chorar, Akarami com a mão na boca, Airru apenas olhando para o teto e Dyne... Ele apenas me olhava com... ódio?

Ao sentir pena de Su que realmente era o único que demonstrava algum sentimento ao pensar em ter que se separar de mim, ainda em choque pego a minha muleta e com dificuldade me aponho na mesa e abraço o que agora despejava lágrimas e que logo retribui o abraço.

Su: S-se isso é melhor para você, é-é melhor você ir... mesmo eu não querendo. Você fará muita fauta... p-pelo menos para mim fará!... n-nunca vou esquece-lo! Me promete que também... n-não vai me esquecer?

Aquelas palavras de Su tinham me deixado emocionado, nunca ninguém além de Gon avia chorado assim por minha culpa... me sinto culpado... mais no fundo é minha culpa mesmo.

Killua: E-eu prometo!, agora só não chore assim... em minha última lembrança minha...quero ve-lô sorrindo! E quero que continue assim mesmo sem mim!

Ele me aperta mais fortemente, e seu choro pode ser mais contido do que antes. Ele já avia se recuperado mais. Ele me solta por um momento e ainda com lágrimas nos olhos ele sorri.

Su: Sim!

Depois dele as meninas falam

Akarami: sentiremos sua falta!

Airru: realmente / *diz sorrindo

Após isso vou em direção a Dyne que ainda está com a cara fechada, e tento abraça-lô só que o mesmo coloca um bravo na frente. Aquele ato repentino dele me assustou... e me magoou profundamente. Meus olhos ja estavam sendo inundados, mais eu me recusava chorar!

Killua: N-não vai nem me deixar dizer adeus?

Ele olha diretamente em meus olhos, e mesmo ao ver eu quase liberando minhas lágrimas sua expressão não foi mudada... oque estava acontecendo com ele?

Dyne: Se e assim que será...que assim sejá e não deixe um sentimento se quer aqui... vá de uma vez por todas de minha vida. Nada vai mudar com você aqui ou não... então vá logo!...

"Vá logo"...é isso que você quer não é mesmo?

Killua: D-Dy...

Dyne: NÃO ME CHAME ASSIM!

Depois disso todas as lágrimas que eu tentava evitar que fossem liberadas caíram com pressa, que eram resultado das palavras que Dyne dizia que perturbavam mais que facas... do modo mais doloroso tento abrir um sorrisso no rosto, e com muita dor abro.

Killua: Se isso te deixa feliz "Dyne"... se isso é o que eu precisso para ver um sorrisso em seu rosto... ficarei feliz em fazer isso por você...

Pego minha muleta e aos prantos saiu de lá com pressa. Não estava acreditando que ele tinha falado cada palavra daquela...

"Suas palavras na minha cabeça, facas em meu coração...
Você me põe lá em sima, e depois eu caiu
Pois sou apenas humano..."

Por que eu continuo me machucando assim!?, por que eu vivo sendo machucado pelas pessoas que gosto!? Será que não percebem que eu me machuco?! Só me sinto cada vez mais sosinho principalmente quando sou deixado...pelos que eu mais amo!!!

Killua vem cá!!! Calma!!!

Posso ouvir Gon gritar mais eu simplesmente o ignoro, não queria que me vissem nesse estado atormentado, e também não queria nunca mais olhar para a cara de Dyne!!!ou... Dy...

AAAAAAAAAAAAAAA EU TENHO QUE PARAR DE CHORAR!!!, eu já estou na frente da cafeteria chorando litros por algo que me odeia!!! Que idiota eu sou!?

Killua off
Gon on

Não sabia se eu corria ou se eu dava um sermão do Dyne... vou dar um sermão no Dyne porque olha só: O menor tava QUASE morrendo no hospital, e quando ele volta para se DESPEDIR Dyne tem que agir com essa grosseria toda!!!, meu Killua agora está lá fora chorando litros por um babaca que nem ele!!!

Gon: Dyne....

Minha fúria estava tomando conta de meu corpo... meus olhos já não devem conter brilho, e aos poucos sentia meu cabelo aumentar...

Gon: Dyne...

Agora eu andava em passos lentos em sua direção. O mesmo se afastava aos poucos até não ter mais onde recuar.

Gon: Dyne...

Eu já estava a ponto de bater em Dyne até sua morte, quando sinto um corpo menor que o meu me envolver por trás.... Kill?. Olho para a figura e sim, era ele. O branquinho ainda  chorava litros pela grosseria de Dyne, mais ainda sim... não queria que ele se machucasse... Kill você tem um coração de ouro e muito puro.

Killua: G-Gon...deixe-o aí... v-vamos embora... p-porfavor...

Oh meu Kill... não chore por quem não merece...sorria para todos que prexcisamde seu sorrisso.. e salve-os com sua luz...

Abraço o menor que ainda está aos prantos e saiu de lá sem olhar para trás em momento algum. Saiu do local totalmente abalado, e sigo um percurso até o shopping calado com Killua. Depois de tantas vezes que quase perdi Kill, me decidi que vou dizer oque eu sinto para Killua! Não posso mais guardar esse sentimento calado!, eu... não posso perder a chance já que... depois de todos esses momentos eu me lamentava por achar que o mesmo morreria e eu aí da não tinha me aberto para ele!, não vou perder mais tempo! É já sei como irei fazer isso!. Irei amanhã leva-lo até meu lugar preferido de uma outra floresta que é mais segura do que aquela, e então vou me declar.Aquele silêncio ja estava ficando desconfortável, então por que não quebra-lo?

Gon: Killua, eu pesso desculpas  pela forma que Dyne te tratou...

Ele ainda andava com sua muleta com dificuldade de cabeça baixa, que agora não derramava mais tantas lágrimas como antes.

Killua: Você não tem porque se desculpar... não foi sua culpa...

Ele já mordia o lábio inferior com tanta força que era possível ver um pouco de sangue escorrendo pelo lado de sua boca... esse menino não se cansa de se machucar não é?

Killua: Gon... segure minha mão...

Que?, como assim? Não tem como eu segurar sua mão!, Ele vai acabar caindo!

Gon: Killua não tem como!, você vai acabar caindo se eu segurar sua m-

Sou interrompido pela pala de Killua já um pouco chorosa.

Killua: G-Gon, eu cairia mil vezes para segurar uma vez sua mão, e nunca mais cairia por nunca solta-lá... por favor...

Você tem o dom de me enfeitiçar sem magia não é mesmo Killua?. Seguro sua mão lentamente, e posso ver o sorrisso brotar no rosto no dos olhos azulados como o mar e uma única lágrima percorrer sua face... não chore meu amor...

Com o dedo enchugo sua lágrimas e vou andando na direção do shopping.

No shopping

Gon: Killua você sabe para que estamos aqui?

Pergunto para ele que está sentado em um banco, com uma cara de dúvida (o coitado não sabe nem para que diabos estamos aqui).

Killua: Não faço a mínima ideia!

Ele diz olhando ao seu redor.

Gon: Primeiro... feche seus olhos!

E assim o mesmo faz, fecha eles ainda com receio mais não deixa de fazer oque eu pedi a ele.

Gon: Levante!

Ele pega sua muleta e assim fica de pé com um sorrisso no rosto muito ansioso, quase dando pulinhos.

Killua: E agora?!

Ele realmente estava bem "animadinho" com surpresa. Pego a sacola transparente com um laço azul em cima, que estava do lado do banco e estendo em sua direção.

Gon: Agora pode abrir os olhos!

Quando ele abre os olhos, um sorrisso imenso nasce em seu rosto e em segundo vejo lágrimas ja sendo formadas por conta dos chocolates... chocorobots não é isso?, aquele chocolate que o Killua disse que gostava?

Killua: G-Gon, i-isso é para mim!?

O garoto tinha sentado de volta no banco para poder colocar as mãos sobre seu rosto, provavelmente para que eu não o veja chorar... pelo menos dessa vez é de felicidade!

Gon: Bem vindo de volta Killua!!!

O garoto sensível começou a soluçar de tanto chorar, então ponho a sacola ao lado do banco e fico abraçado com ele... eu fico tão bem ao vê-lo feliz!

Killua: G-Gon... obrigada!!!

Killua... eu é quem devo te agradecer... por você ainda estar vivo para me fazer me sentir vivo também!

Gon: eu é quem devo te agradecer Kill...

Gon off
Killua on

Ficamos assim  por mais um tempinho, e Ki ao ver que todos estavam nos olhamdo eu estremeço um pouquinho, mais logo todos bateram palmas... que cituacao tração mais constrangedora...

Killua: G-Gon, oque vamos fazer em relação a isso?-pergunto

Gon: Você fica vermelhinho e eu...

Aguardo ele me dizer oque ele ia fazer, mais bem... Ele meio que grita

Gon: VÃO SE FUDEEEEEEEEEEER!!!!

quase caiu do banco de tanto rir da reação de Gon!, meu Deus tem tanto tempo que eh não riu desse modo!, eu devo apenas agradecer a ele, poispois se não fosse por ele, eu ainda estaria MATANDO pessoas por tédio!, e pensar que eu era assim... pois é! Destaca o era na frase!!!.

Gon: Bom, eu queria procurar um apartamento vamos?

Killua: Hai, Hai!!!

Vou aos pouquinhos me levantando com dificuldade, mais logosou ajudado por Gon que segurou a minha mão antes que eu caísse... tá, isso foi clixe mais eu gostei!, lide com isso!

~depois de um Gasparzinho comer todo o chocolate com o amigo~...

Pegamos o táxi (pois MEU Gonzinho foi super-protetor comigo e fez questão de pegar um táxi), e pedimos para que nos levasse até um condomínio de prédios que nós fizemos questão de ir ver só pelo simples fato de ter piscina, salão de jogos e dentro tinha UM RESTAURANTE!, então...pois é olha a idéia... quando tivermos acabado de comer todo o sorvete agente ia lá e pedia mais!!! (Melhor lógica!!!). Eu simplesmente estava SUPER ansiosso por ir visitar o local e ainda por sima.... EU VOU ME DECLARAR PRO GON!!!, pra ser sincero eu vou ter que revirar o quarto do chapeleiro maluco para poder encontrar minha coragem para fazer isso então.... pois é pelo amor agente faz tudo!, como nesse caso que é uma tentativa quase 100% de resultar em suicídio... mais fazer oque?.  Sou tirado de meus pensamentos pela voz de Gon... que na verdade tava gritando

Gon: KILUAAAAAAAAAAA!!!

Até o taxista se assustou!. Eu devo ser a pessoa no mundo que está mais essustada tirando... esquece tirando ninguém.

Killua: Menino! Não podia ter me chamado com calma antes!?

Gon já estava todo vermelho de raiva, mais logo se acalmou.

Gon: eu te chamei!, mais você tava no mundo da lua!

Eita... to meio desligado esses dias... quer dizer... esses dias meio que eu tava QUASE morto né?, então eu tava no mundo do céu... se eu não fosse pro inferno né?

Killua: G-Gomen Gon!

Falo vendo ele sair do carro para poder me ajudar a sair dele. O moreno já deve ter pagado, já que depois dele me ajudar a sair o taxi já tinha ido embora. SUGOI!, a entrada do lugar era linda! Parecia uma... esquece não sei com oque se parece! Nunca vi nada igual em toda a minha vida!. Depois de Gon falar que viemos visitar o local, o quarda encaminha um carrinho pois viu... o meu estado, e pediu para que nós esperávamos no banco.

Gon: Killua... pode te fazer uma pergunta?

Ele diz tremendo um pouco, mais porque?

Killua: Claro Gon oque você quer per-

Gon: VOCÊACEITASAIRCOMIGOAMANHÃ?!

Oi?, me exprica!, Gon falou tão rapidamente que para ser Cícero... não entendi nem o começo do que ele me perguntou!

Killua: Gon, tenta falar um pouco mais devagar, mais calminho sabe?

Ele aperta minha mãos fortemente, e mesmo axitante, ele fala, dessa vez com com calma.

Gon: olha, e-eu tenho um tempo que estou querendo lhe pedir isso a um... longo tempo, então... eh... você quer fazer um pic-nic amanhã comigo?!

Senti meu coração acelerar repentinamente, oque me deu uma tontura, mais mesmo assim não deixava de olhar para seu rosto que agora estava vermelho, assim como o meu, que agora queimava como fogo.

Killua: S-sair com você?

Minha visão ficou embasada, mais apenas iguinoro esse fato, estava mais preucupado com a resposta de Gon!

Gon: E-eu acho que sim...

Fico em um cilencio permanente. Não conseguia falar uma palavra se quer, meu corpo se recusava! Estava totalmente travado!. Gon ainda apertava muito seus olhos e fazia o mesmo com minhas mãos, até que ele as solta e vagarosamente vai abrindo seus olhos.

Gon: esquece!, e-eu já sabia que você não ia aceitar!, deixa pra l-

Killua: Gon eu quero!!!

Meus sentimentos jáestão bem óbvios, mais eu não podia fazer nada para esconder minha felicidade que agora era a maior do mundo!. Meu sorrisso se alargou no rosto ao ver Gon sorrindo também!, como eu o amo!.

Depois de um tempo, o carinha com o carrinho chegou e me ajudou a subir... bom  pelo menos tentou!, logo ele foi surpreendido com um tama na mão que estava segurando a minha, e então o moreno me ajuda (isso é ciúmes?!?!  Não deve ser... esquece).

Ele nos apresentou parte por parte e realmente esse condomínio é MUITO grande!. A minha parte preferida e a de Gon, foi a piscina! Nunca fiquei com tanta vontade de entrar em entarr em uma como hoje! Queria me jogar ali com Gon, ver ele tirar sua camisa.... PARA DE PENSAR ESSAS MERDAS KILLUA!!!

Depois de tudo fomos visitar os apartamentos e Acabamos por gostar de em específico. Era grande, tinham três quartos com cama, uma de solteiro e duas de casal (sendo que eu iria preferir dormir com Gon... EU TO UM PEVERTIDO HOJE!!!), mais voltando... um quarto de escritório, a coisinha, dois banheiros, a sala principal e a varanda, e o melhor de tudo é que todos os móveis que estavam na casa eram vendidos com ela, ou seja, já podemos se mudar hoje!. E foi isso que fizemos, nós dois pagamos o apartamento (ou seja, já podemos morar lá quando quisermos!).

Decidimos que iríamos fazer as compras já hoje!, então fomos andando atéo mercado, já que era bem pertinho do condomínio, e fizemos as compras. Compramos MUITA coisa mais MUITA mesmo! (Na verdade, se não fosse por Gon, teríamos comprado só sorvete), for a isso compramos frutas, coisas para fazer salada, LAMEN!, chocolate, sorvete, macarrão, sopa, biscoito, nutela, leite condensado, leite, jeleia, queijo, presunto,catchup,molho de tomate, farinha de trigo, Nescau, pipoca, bolo e por ai vai uma caralhada de coisas!.

~Depois de 2 horas no mercado...~
~chegando em casa~

Entro em casa e seguro a porta com o corpo para Gon poder entrar logo, pois o coitado tava cheio de sacolas na mãos  (eu queria muito ajuda-lo, mais não tinha como!). Logo ele coloca todas as compras em sima da bancada da coisinha e depois disso vamos até a sala. Ainda bem, podemos suspirar a vontade em nossa nova casa!. EU QUERO TOMAR TANTO UM BANHO!!!... mais pera ai...

Killua: Gon...

O moreno desvia sua atenção a mim.

Gon: Sim Killua

Para ser sincero, eu não tinha pensado nisso antes...

Killua: Como eu vou tomar banho?

A partir de sua expressão de surpresa, foi possível saber que ele também não tinha reparado nesse... problema.

Gon: Uoooou... eu não tinha reparado nisso...

Diz ele se sentando no sofá.

Killua: nós não tínhamos reparado nisso!

Depois de falar, me sento no sofá logo a seu lado.

Gon: O jeito vai ser... tomarmos banho juntos né?

Ele olha para mim e sinto meu rosto queimar como fogo em lareira!. Eu e Gon, tomando banho juntos?!, como eu vou poder conter minha.... PARA DESSAS CARALHAS KILLUA!, o pior é que... não tem jeito...

Killua: o-ok... vamos?

Gon: pode ser..

Ele me ajuda a me levantar, e vamos até o banheiro que era bem grande. Me sento na borda da banheira que cabiam... umas 5 pessoas, e fico pensando em como... tirar a roupa. Passo uns 2 minutos pensando e Gon só me olhando esperando uma resposta, mais isso só resultou em uma ação constrangedora de Gon!. Ele tirou minha blusa, deixando amostra as partes que foram enfaixadas, e por conta dele estar me olhando eu acabo ficando vermelho pela ação em si.

Killua: G-Gon! B-Baka i-isso é constrangedor!, p-pelo menos p-are de olhar para mim desse jeito!

Ele finalmente notou oque estava fazendo, e finalmente parou de olhar para mim, muito vermelho por cinal!.

Gon: G-gomen Killua!

Ele liga a torneira da bacia, e ia checando a todo momento para verificar sua temperatura. Quando já estava cheia e na temperatura ideal, Gon me cololca ainda de short dentro da banheira e entrando logo em seguida.

Gon: Toma, o sabonete!

Ele me entregá o sabonete.

Killua: obrigada!

Vou lavando os braços, as pernas, o pescoço, e por fim a parte mais chata... AS COSTAS!!!. Vou tentando de várias posições diferentes lavar aquela maldita mais não consigo!.

Gon: Deixa eu te ajudar.

Ele pega o sabonete de minha mão, e começa a limpar minhas costas em silêncio. Aquele contato que ele fazia, me deixava arrepiado!, nóssempre tomamos banho juntos só que agora eu já me sentia diferente! Era um pouco mais vergonhoso do que antes. Depois de lava-las por completo, Gon pega o shampoo e lava meu cabelo cheio de calma como sempre  e logo em seguida finaliza com o condicionador.

~Após o banho~

Após acabarmos o banho, Gon me coloca ainda molhado só enrolado com uma toalha, em sima do sofá e posto um termômetro em minha boca por após o banho achar que minha temperatura tinha se elevado a uma temperatura quente demias!. Ele estava na coisinha, pondo a sopa no micro-ondas pois achou que isso poderia ser de fome, já que eu não tinha comido nada dês de... na verdade eu não sei quanto tempo fiquei desacordado! Mais sim, tem um bom tempo!.

Após eu ficar uns 6 minutos no sofá que se dormindo, ouso a voz de Gon me chamando.

Gon: Killua...Killua...

Abro meus olhos e o mesmo já tinha colocado a sofá em sima da bancadinha que tinha na frente do sofá no qual eu estava deitado e acabei molhando com meus cabelos que não foram secados.

Gon: Killua, beba a sopá, você está com febre.

Me sento no sofá sentindo uma tontura e um calor envolver meu corpo.

Killua: em quanto está minha temperatura?

Pergunto para o garoto preucupado em pé a minha frente.

Gon: 40° graus, eu até coloquei alguns panos na água fria para quando você for dormir... agora  por favor, Tomé a sopá.

Ele me estende e a sopá e eu a pego rapidamente, eu estava com muita fome e queria que aquela tontura acabasse logo.

Minutos depois só restava a tigela sem uma gota de sopá que realmente ESTAVA ÓTIMA!, a tontura tinha passado mais, mas mesmo assim ainda me sentia muito quente.

Gon: Killua, acho melhor você dormir um pouco, você deve descansar esses dias.

Apenas aceno com a cabeça quase dormindo alí mesmo.Gon me pega no colo (denovo), e me leva até a minha cama que era muito espaçosa. Gon volta para a sala rapidamente, e retorna com um balde de água fria com um pano dentro, remédios e uma garrafa de água, colocando tudo em sima do criado mudo que tinha ao lado. Ele volta para a sala novamente e trás consigo um copo de vidro e um... violão?. Eu estava tão cansado que acabei por nem perguntar qual era a daquele violão.

Gon: na bula diz que esse remédio pode trazer enjoos, indisposição e inconsciência... eu também fiquei com medo mais... Por mim... você toma esse remédio?

Me sento na cama e ele me estende uma pílula amarelada que logo eu pego e sem pensa duas vezes ponho guela abaixo e logo em seguida o copo d'água que ele tinha enchido para mim.

Gon: Uma hora vai acabar

Ele sorri de vanto para mim. Deito na cama novamente e ele coloca os panos um em minha testa e o outro em meu pescoço. Em minutos os panos ficaram secos e ele repete o possesso... e assim foi até acabar a água.

Quando eu já estava quase dormindo começo a ouvir um som de violão?

Sabemos muito bem que ainda há tempo
Então, é errado dançar esse verso?
Se o seu coração estivesse cheio de amor
Você conseguiria desistir?

Pois quanto aos, quanto aos anjos
Eles vêm e vão e nos fazem especiais
Não desista de mim
Não desista de mim

A nossa sorte é tão injusta
Encontramos algo tão verdadeiro que está fora de alcance
Mas se você procurasse no mundo inteiro
Você se atreveria a deixá-lo ir?
Pois quanto aos, quanto aos anjos
Eles vêm e vão e nos fazem especiais

Não desista de mim
Não desista de mim

Pois quanto aos, quanto aos anjos
Eles vêm e vão e nos fazem especiais
Não se trata, não se trata de anjos...
Boa noite...

Estava de olhos fechados, mas eu ouvia os paços de Gon irem se distanciando...não me deixe sozinho...

Killua: Gon... não me deixe sozinho...fique aqui comigo...

Seus paços pararam por um momento, e voltaram a se aproximar. Ele se deita na cama e me abraça por trás.

Gon: Você está mais quente... acho ,melhor eu te levar ao médi-

Killua: Gon... só preciso de você aqui comigo... nada mais...

Já que você não percebe que é minha maior droga, que não tenho medo de viciar...

Ele me aperta mais por um momento, mais logo relaxa mais.

Gon: Vou sempre estar aqui com você... durma bem Kill...

Com a segurança que Gon me passa, sem ao menos perceber, já tinha caído no sono... com dores fortes, tontura, calor, dor de cabeça, mais por favor...








Não desista de mim...







   


Notas Finais


Andy: EEEEEEITA BIXINHO GRANDE!!!
Wendy: Nós desculpem pelos erros gente! E...
Andy: Tá chegando!!! (Entendedores entenderam)
Wendy: E temos três coisas a falar, primeira: O próximo cap deve sair segunda ou domingo
Andy:queríamos saber... fica de boas para vocês o Kill ser Uke?
Wendy: Se sim digam ai nos comentários,
Andy: Eeeeeeeeeeee, pra quem quizer saber qual é a música, o nome é Not about angels,BAY!!!
Andy: BAAAAAAAY!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...