História I struggle to fly - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Escuridão, Harem, Magia, Memórias, Romance
Visualizações 12
Palavras 1.351
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


\(≧▽≦)/ Olá seres humanos ou seja lá o que vocês forem (・_・).
Estou aqui com mais uma fanfic ٩(。•́‿•̀。)۶ (sim, mais uma, apesar de não ter postado nenhuma nesse perfil, e ter deletado as minhas outras fanfics ;-;).

爻爻爻爻爻爻爻爻ʕ ᵔᴥᵔ ʔ爻爻爻爻爻爻爻爻

Detalhes:
- Não tenho data definida de postagem, e também não adianta ficar me massacrando ou pedindo pra postar logo nos comentários (メ ̄▽ ̄)︻┳═一 (se tiver gente lendo essa defecação em forma de história).
- Sempre/quase sempre/as vezes deixarei a imagem de capa do capítulo com a foto de algum personagem relevante para a história (◉Θ◉). Lembrando que as imagens não são de minha autoria (^_~) (e que eu também não sei de quem são ;-;).
- A minha escrita é baseada em várias outros tipos de escrita (que eu não me lembro os nomes dos autores ou da história ┐( ˘_˘ )┌), então se tiver algo parecido, já sabe né (↼_↼).
- Deixarei esse detalhes em todas as notas do autor (o^^o) então se acostumem com esses kaomojis chatinhos que eu gosto ←~(Ψ▼ー▼)∈.
- Essa história terá um harem ( ͡° ͜ʖ ͡°) para a personagem principal (◕‿◕)♡ (para que vocês e eu tenham mais opção de escolha), e também, dependendo de quantas pessoas pedirem tal personagem, eu adiciono ele(a) no harem (pode ser yuri)
(っ˘з(˘⌣˘ ), e que também o harem já tem personagens fixos ^^.

爻爻爻爻爻爻爻爻ʕ •ᴥ• ʔ爻爻爻爻爻爻爻爻

Então foi isso, vou deixar vocês em paz (que não pularam as notas do autor como a maioria faz ¬_¬), espero que gostem, se divirtam ou não, e...

。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’☆。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’☆。・:*:・゚’★,。・:*:
ε===(っ≧ω≦)っ вσα ℓєiτυrα! 。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’
。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’☆。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’☆。・:*:・゚’★,。・:*:

[Essa na capa do capítulo é a Safira].

Capítulo 1 - A little necklace


Fanfic / Fanfiction I struggle to fly - Capítulo 1 - A little necklace

 Frio... era o que eu sentia desde aquele dia. Um vazio que jamais poderá ser preenchido, uma tristeza que não importa o quão feliz seja o momento, ela estaria ali, me deixando para baixo novamente e memórias que me assombrariam até o meu último suspiro.

 Uma batida na porta acordou-me de meus devaneios.

Safira: Pode entrar!

  A porta se abre e Apolo, aquele que cuidou de mim desde a catástrofe, coloca parte de seu corpo para dentro do cômodo.

Apolo: Está tudo bem aqui? – Perguntou-me com uma expressão preocupada.

Safira: Por que não estaria? – Sorri levemente.

Apolo: Ótimo. – E logo exibiu seu sorriso torto de sempre – Quando terminar de arrumar suas coisas, desça com elas, o caminhão de mudanças já está aqui. E se precisar de ajuda me chame.

  Ele se retirou em seguida.

  Estamos nos mudando de cidade devido ao trabalho de Apolo e também, por eu ter sido aprovada em Crystal (Autor: criatividade em 101%.), a maior academia de magia dos seis impérios. Os exames de aprovação haviam sido meses atrás, eu estava apavorada no dia, porém uma doce senhora com longos cabelos prateados, acalmou-me e me fez acreditar que conseguiria, e para minha surpresa chegou uma carta um tempo depois dizendo que eu havia sido aprovada.

  Sorri com a lembrança e levantei-me da minha cama e comecei a arrumar o que restava antes que Apolo viesse reclamar de minha demora.

  Depois de arrumar tudo, peguei as caixas onde havia colocado minhas coisas e observei meu velho quarto onde passei boa parte de meu tempo, mas que logo não seria mais meu.

   Sai pela porta trancando a mesma, desci as escadas me deparando com Apolo e mais dois homens na sala levando as coisas para o caminhão.

Apolo: Deixe suas coisas em algum canto, querida– Disse ao notar minha presença.

Safira: Mas você não precisa de ajuda?

Apolo: Não quero que se canse.

Safira: Eu insisto.

Apolo: Já que insiste... leve aquelas caixas na cozinha para o caminhão, por favor? – Disse abrindo um sorriso.

Safira: Pode deixar “chefe” – dei uma curta risada e fui até a cozinha.

  Passou-se uma hora, e com tudo terminado, Apolo agradeceu aos homens da mudança que partiram em seguida, e veio calmamente em minha direção.

Apolo: Suas malas já estão no carro, vamos?

Safira: Claro.

  Verificamos se não havia mais nada a pegar, trancamos alguns cômodos da casa e adentramos o veículo negro, dei uma leve olhada para aquela pequena casa verde. Vou sentir saudades, pensei. E saímos em seguida.

Apolo: Você está preparada para todas essas mudanças? Caso não esteja, podemos continuar por aqui mesmo... – Disse segurando minha mão, sem desviar a atenção da estrada.

Safira: Eu logo me acostumo com tudo de novo, não se preocupe. – Apertei sua mão indicando que iria dar tudo certo.

Apolo: Assim espero. – Apertou minha mão também – A viagem vai ser longa, então pode dormir se quiser.

Safira: Está bem.

  Logo o silêncio predominou, e meus olhos foram pesando pouco a pouco, depois de um tempo adormeci e pela primeira vez em anos tive sonhos tranquilos.

  Acordei com a claridade batendo em meu rosto, ainda estávamos na estrada e ele está bebendo um grande copo de café, mas sem tirar atenção do volante.

Safira: Bom dia, Apolo.

Apolo: Ah, você acordou. – Disse sorrindo de lado. - Bom dia, minha flor. Passei em uma cidadezinha enquanto estava dormindo e comprei algumas coisas para comermos, está ali no banco de trás.

Safira: Muito obrigado. – Peguei uma pequena sacola, dentro tinha alguns biscoitos, torradas e uma garrafa de suco de morango. Em questão de segundos, estava comendo que nem uma esfomeada – Vai demorar muito para chegarmos? – Perguntei com a boca cheia.

Apolo: Chegaremos em poucos minutos, e já falei para não falar de boca cheia! – Disse tentando parecer sério, mas rindo em seguida.

Safira: Se sabia que iriamos demorar tanto, por que não usou magia?

Apolo: Não podemos depender da magia para tudo.

Safira: Porém chegaríamos mais rápido.

Apolo: Minha querida, você já sabe o que os guardas do império fazem com crianças que usam demais a magia do cristal.

Safira: Já tenho 16 anos e sei que é apenas uma história para deixar as crianças assustadas.

Apolo: Droga, esperava que ainda funcionasse essa história. – E logo começamos a rir – Mas, falando sério, só não fomos voando porque gostaria de mais momentos como esse...

Safira: Entendo.

  Ficamos silenciosos, e passei a observar a janela, via apenas grandes campos floridos que em poucos minutos deram lugar a grandes prédios, carros, diversos seres e principalmente a magia. Não consegui segurar um sorriso.

Safira: Chegamos!

  Passamos por várias ruas e nos perdemos várias vezes também, parecia até mesmo um labirinto, porém, depois de um tempo chegamos a uma parte um tanto afastada do centro de Luna (Autor: nome da cidade, e também, nome da deusa da lua na mitologia grega) e paramos em frente a uma grande casa bege de dois andares, que deveria ser o dobro do tamanho da nossa antiga casa.

Safira: Que enorme!

Apolo: Digo o mesmo, ainda não havia visto a casa.

Safira: Como que você compra uma casa sem saber como ela é?!

  Apolo apesar de ser um renomado engenheiro da magia e ter 28 anos, é um tanto irresponsável quando o assunto não envolve seu trabalho.

Apolo: Desculpa? – Disse fazendo uma cara de arrependido – se quiser podemos mudar de casa, e dessa vez olhamos direi...

Safira: Não! Está perdoado, a gente vai ficar com essa casa mesmo.

Apolo: Bem... e o que está esperando para ir olhar lá dentro?

  Dei um forte abraço nele e adentrei a casa. Olhei o andar de baixo, onde se localizava a sala de estar, a sala de jantar, a cozinha e um banheiro. Subi as escadas onde encontrei um longo corredor com portas que davam para duas suítes, um quarto comum e um banheiro.

  No fim do corredor havia uma porta, tentei abrir a mesma, mas estava trancada. Ainda curiosa, desci as escadas e Apolo estava na sala falando em seu celular, me aproximei dele que notou minha presença.

Apolo: Semana que vem? Ah, ok. Entendi. Tchau. – Guardou o celular no bolso e se virou para mim – Então. O que achou da casa?

Safira: Incrível! Mas tem uma porta trancada no andar de cima.

Apolo: Bem, eu ainda não recebi todas as chaves da casa.

Safira: Ah...

  Ele caminhou até as malas e se voltou para mim.

Apolo: Aqui, leve suas malas e escolha um dos quartos – Disse me entregando duas malas pretas.

Safira: Está bem.

  Subi as escadas novamente, e escolhi uma das suítes (Autor: não é boba :v), o cômodo possui paredes brancas, um piso de madeira escuro, uma cama de casal no centro, e um grande armário branco ao lado da porta do banheiro, o resto, precisaria comprar.

   Coloquei as malas em cima da cama, abri as mesmas, e comecei a colocar as roupas no armário.

   Porém, parei subitamente ao encontrar algo que não queria, mas não conseguia me livrar daquilo, pois era a única coisa lembrança boa daquela época, um pequeno colar feito com cristais, algumas penas e com uma pequena safira no centro.

  Um dia, em apenas um único mísero dia eu perdi tudo: minha família, meu lar, minha inocência e minha felicidade.

  Pesadas lágrimas rolaram sobre minha face e a culpa, a dor, o medo e a tristeza me atingiram como num baque.

  Talvez se eu não tivesse os deixado entrar naquele dia, talvez se eu não tivesse fugido ou talvez se eu não tivesse nascido, todos estariam vivos, felizes e cantando doces melodias que eu tanto amava, pensei, pois sei que parte da culpa daquele desastre foi minha.

  Minhas lágrimas aumentaram, minhas asas saíram e se esticaram e eu gritei.

  Não um grito de raiva daqueles que tiraram tudo de mim ou de dor física por causa de minhas asas, mas sim um grito que ecoou no vazio que eu sinto, um grito de quem a muito tempo carrega a tristeza, um grito cheio de memórias assombrosas e também, um grito por sentir novamente daquele frio, o mesmo frio que me dominou anos atrás.


Notas Finais


[Relembrando que a da capa do capítulo é a Safira]
Bateu a bad na Safira (・_・)ノ”(ノ_<、).
Não vejo a hora de começar o harem ( ͡° ͜ʖ ͡°).
Beeeem... ( `ε´ ) espero que tenham gostado e...

。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’☆。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’☆ 。・:*:・゚’★,。・:*
ε===(っ≧ω≦)っατé α ρróxiмα! 。・:*:・゚’★,。・:*:・
。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’☆。・:*:・゚’★,。・:*:・゚’☆。・:*:・゚’★,。・:*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...