História I Swear - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Exibições 223
Palavras 1.248
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demorinha. Fiquei doente e ai não estava conseguindo fazer nada, mas ja estou melhor e voltando a postar mais diariamente.
Sobre o capitulo ele esta curtinho, mas esta super fofinho!!

Em relação a hot, gente eu to com um block horrivel e não esta saindo nenhum tipo de hot então desculpem...eu vou tentar!!! mas ta complicado viu hahaha

Capítulo 41 - Café da manhã



   Não imaginou que o dia poderia ser tão bom. Tomaram banho juntos, sorrindo entre beijos e carícias sem qualquer malícia. O café da manhã, programado onde jamais imaginou, Nero realmente a surpreenderia naquele dia. 

 

- Eu não sei... - protestou segurando com força sua mão estendida para cima a ajudando a se sentar na toalha preta estendida sobre o gramado. - Não tem ninguém aqui Nero, certeza que podemos ficar? - o encarou com duvida o vendo revirar os olhos sorrindo. 
 

- Existem privilégios para aqueles que têm pais importantes no mundo da Medicina, sabia? - deu de ombros a encarando com um sorrisinho doce nos lábios. - Não se preocupe, apenas curta essa manhã maravilhosa... - apontou para frente. Realmente, uma manhã maravilhosa. Sentados em uma parte reservada do grande parte central da cidade, tinham sua privacidade pelas árvores que os cercavam de forma linda, deixando poucos feixes de luzes vindas do sol ultrapassando as folhas verdes e brilhantes. 
 

- Como conseguiu tudo isso? - começaram a tirar as comidas de dentro das sacolas, Café com leite, Café puro, bolos, frutas, tudo vindos do Starbucks. 
 

- Segredo. - piscou antes de delicadamente encher sua bochecha de beijis molhados. - Se te contasse, teria que te matar. - brincou a fazendo sorrir. 
 

- Uau... - mordeu o lábio deixando de encara-lo. - Sendo assim... - deixou para lá, apenas pela diversão. 
 

- Preparei tudo com o maior amor. - a puxou para seus braços, a colocando entre suas pernas. 
 

- Para de graça! Nem foi você que fez. - lhe deu um tapinha no ombro, comendo da torta de frutas vemelhas. 
 

- Como é difícil ser reconhecido por esses jovens hoje em dia. - se fez ofendido a fazendo gargalhar com a cena dramática. - Sabe como foi difícil subornar a camareira para conseguir essa toalha? E depois a moça da recepção para que comprasse tudo isso aqui?... - suspirou negando com a cabeça, imensamente ofendido. - Sem falar nas ligações para conseguir esse espaço para nós...olha, acho que merecia um pouquinho mais de reconhecimento. - a morena se virou para ele cruzando os braços enquanto tentava terminar de mastigar sem dar risada com tanto drama. 
 

- Não. Fez. Mais. Que. Sua. Obrigação. - sussurrou entre beijos por seu rosto. Ele sorria brincalhão.  - Depois de todo esse estresse vindo para cá, espero que esse não seja seu único truque na manga... - olhou para os lados com cara de desdém. - Pois sinto em lhe informar, mas, séria muito pouco para receber o que esta pensando que ira receber ao fim da noite. - surpresa soltou um gritinho ao ser pega e deitada sutilmente por ele que beijava sua bochecha. 
 

- Como se não bastasse o "Não reconhecimento", ainda sou insultado por tais palavras, como se tudo o que eu quisesse se resumisse ao fim da noite... - estalou os lábios negando mais uma vez. 
 

- E não é? - franziu o cenho o encarando com um sorriso brilhante nos olhos e lábios. 
 

- Como ousa? - segurou seu rosto acariciando seu pescoço esguio. - O que quero, pode ser dado, a qualquer hora, tanto do dia quanto da noite... - tocou seus lábios, beijandos delicadamente, o sorriso era largo e por isso, o beijo descompassado. 
 

- Safado... - gruniu soltando uma gargalhada com as cócegas por sua barriga. - Alexandre! - tentou para-lo com as mãos, gargalhando ainda mais alto com as cócegas certeiras do moreno por sua barriga. - Pa..ra, Para! - as lágrimas de tensão alegre e felizes se formavam ao redor de seus olhos brilhosos, sorria, gargalhava, soltava gritinhos. 
 

- Hm... - tocou seu nariz ao da morena, em um cheiro carinhoso, sendo abraçado pela mesma. - Sabe o que acabei de perceber? - levantou uma das sobrancelhas a esperando se recompor da maratona de cócegas. 
 

- O que? - sorriu ainda ofegante, tomando um pouco de tempo para si. 
 

- Você é ainda mais linda do que me lembrava pela manhã. - tímida como nunca foi, mordeu o lábio o encarando com as bochechas vermelhas. 
 

- E você ainda mais galanteador senhor Alexandre Nero. - sorriu o puxando para um beijo quente. Aqueles que se aprofundam ate não sobrar mais ar. Aquele em os lábios se juntam e se movem precisamente  enquanto as línguas se delíciam provando seus sabores mais profundos. Onde as mãos se vêem pulsantes para tomar seus lugares nos corpos que esquentam trêmulos. 
 

- Senhor de idade daqui duas semanas. - pausou o beijo para respirarem, os lábios vermelhos e inchados. 
 

- Quantos aninhos? 10? - provocou dando risada o vendo serrar os olhos serio. 
 

- Não, 9. - sorriu sarcástico a fazendo gargalhar. 
 

- Por isso que Te amo. - o beijou de novo dando risada. - Então, teremos festa certo? 40 anos é uma idade importante. - provocou mais uma vez. 
 

- Ah Giovanna! Não ferra vai. - se sentou a escutando gargalhar alto. 
 

- Calma meu nervosinho. - se sentou segurando o rosto do moreno enquanto beijava seus lábios algumas diversas vezes. - Ter 40 é sexy... - piscou se afastando para pegar o copo de café. 
 

- Você acha? - sorriu se interessando. 
 

- Acho...mais experiência... - deu de ombros. - Na vida... - suspirou voltando a encara-lo. - Na cama... - mordeu o lábio descarada sentindo ser puxada para seu colo. - Ai, Nero. - protestou manhosa. 
 

- Mais experiência, han...!? - a abraçou pela cintura beijando seu pescoço. - 39 ta ali ne? Quase 40 já certo? - mordiscou sua clavícula, subindo com o roçar da barba por seu pescoço. 
 

- Sabe... - segurou seu rosto o encarando com um sorriso meigo. - Estou faminta. - o viu negar com a cabeça suspirando alto. - De comida seu tarado! - negou com a cabeça o vendo dar risada. 
 

- Você que sugeriu outra coisa... - tentou se defender. 


  Com as mesmas gargalhadas e sorrisos fáceis, continuaram o café da manha no maior estilo simples e saudável em um relacionamento. Conversas banais, assuntos mais sérios, tudo em sua medida para um ótimo começo de dia. 

 

- E agora? Para onde vamos? - se deitou com a cabeça no peito de Nero, os dois olhavam para o lindo florado que cobria a luz claro do ceu sobre suas cabeças. 
 

- Para onde quer ir? - acariciou seus cabelos fazendo cafuné. 
 

- Não sei. - não conhecia muito lugares legais. Fora que já sabia que o amado havia preparado um dia inteiro cheio de coisas para os dois, então a pergunta, era apenas aquele famoso, perguntar, por perguntar. 
 

- Posso passar no hospital para ver meu pai antes de continuar? - a encarou sorrateiro. 
 

- Claro Alexandre, que pergunta. - se apoiou no braço o encarando. - Posso conhecê-lo? - o viu franzir o cenho. - Digo, não precisa ser oficialmente... - o viu sorrir. 
 

- Giovanna. - negou com a cabeça. - É minha namorada, será apresentada como tal, não tem nem porque te apresentar de outro jeito, qual o sentido nisso? - o beijou rapidamente. 
 

- Ah, sei lá...poupar seu pai... - o viu franzir o cenho. 
 

- Poupar meu pai da minha felicidade? - a puxou para seus braços, a abraçando forte. 
 

- Sua felicidade. - sorriu largo. - Você é lindo, sabia? - mordeu sua bochecha o fazendo sorrir. 


   Arrumaram as coisas e sairam do parque em direção ao hospital, para depois seguirem com o resto do dia perfeito que estavam tendo.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...