História I-ta-chi-kun - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Personagens Originais
Tags Akatsuki, Gaara, Itachi, Konoha, Mikito, Naruto, Sakura, Sasuke, Uchiha
Exibições 106
Palavras 1.066
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura queridos e queridas

Capítulo 2 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction I-ta-chi-kun - Capítulo 2 - Capítulo 1

POV Mikito

Ai que pobreza, meu dinheiro ta acabando e já não da mais pra sair roubando senhores feudais pois agora minha cabeça ta valendo uma grana preta.
Se bem que eu podia...
Na esquece!!!!!!

Ai ai ai minha vida ta cada vez mais difícil, to sem dinheiro, sasuke já daiu da vila pelo que eu ouvi né a mais ou menos um mês né.
Ó piralho imprestável mal do as costas e ele já ta fugindo da vila.
Se bem que me sinto culpada se não tivesse apagado sua memória e tivesse continuado lá as  coisas podiam ter sido diferentes.
Mas o que foi feito não pode ser mudado, podia voltar pra vila agora e também ir buscar o imprestável no covil da cobra mas estava muito cedo, eu não sei o que quero e não seu o que significa ser um shinobi.
Afinal pra que serve esta vida, afinal isto acaba sempre com mortes por exemplo o clã Uchiha.
Mas agora não era de pensar nisso né?
Se bem que agora tive uma ideia fantástica!!!!.

POV Narradora

Mikito estava escondida numa floresta perto do castelo de algum senhor feudal qualquer.
Analisava a horas os guardas que lá ficavam e as trocas de turnos.
Fez um clone das sombras e depois fez com que o clone realiza-se um jutso de transformação, ficando só com a cabeça como se tivesse sido decapitada e então o pós num saco.
Mikito fez um jutso de transformação ficando com a aparência de um dos caçadores de recompesas que a mesma já tinha dado um fim.
Andpu calmamente até ao portão do castelo vendo os guardas agruparem-se com as armas apontadas para ela, riu internamente pensando com podia acabar com eles num segundo.

-Vim em paz não tenho a intenção de magoar alguém só quero minha recompensa, já que trago a cabeça da  pessoa que trouxe vários problemas para vários senhores feudais.- falou Mikito com a sua recente voz grave.
Mas mal sabia ela que seu plano sairia por água abaixo.

-Asuto é você?.- perguntou um dos guardas reconhecendo a pessoa, Mikito ficou completamente estupefata.

-Ei é o Asuto.- gritou outra guarda de repente todos os guardas corriam em sua direção.
"Asuto pensei que tinha morrido" "Companheiro você conseguiu mesmo" "Como foi" "Ela era forte" "Você vai ganhar uma grana preta com isso" "Lembre-se de seus companheiros" "Você ate ganhar um condecoração dos senhores feudais".
Mikito sentiu se acuada, os guardas davam lhe os parabéns, e como num piscar olhos ela estava em frente a senhor feudal.
Pós se logo a analisar o senhor,  o mesmo era feio e gorde podia se dizer um tanto asqueroso não só no fisico como parecia também no psicológico.

-Oh vejo que cumpriu sua promessa Asuto.- disse o homem,  Mikito nada respondeu.

-Suponho que venho atrás de sua família e de sua recompensa.- nesse exato momento entrou um guarda arrastando um mulher com um bebe e duas crianças uma menina e um menino que pareciam ter 8 anos.
As crianças e o bebê choravam desesperados tal como a mãe que se encontrava toda descabelada, pareciam não comer a tempos.
Mikito lembrou-se de Sasuke chorando quando criança e também lembrou-se fo homem e de suas palavras.
Mesmo sabendo que não venceria e talvez a morte fosse seu destino o tal Asuto afirmou que estava fazendo aquilo não por dinheiro e sim por amor.
Em seu leito de morte o mesmo pediu que salvasse sua família, Mikito não entendeu nada achando um bom homem enterrou-o e fez-lhe uma lápide mesmo não sabendo o nome dele escreveu a data do dia e o enterrou numa campa com uma unica árvore e a mesma era enorme por isso se sobressaía na floresta.
Mikito sentiu se mal correu em direção a mulher ainda na forma de Asuto.

-Sim.-respondi firma e dei o saco ao guarda- Agora liberte-os.

-Oh claro vou os libertar depois de verificarmos a cabeça.- afirmou o senhor e só agora Mikito reparava nos 4 ninjas ao lado, um deles tirou uma kunai e se aproximou do guarda que tinha o saco.

POV Mikito

Osh, ferrou tudo.

-Preparam se para correr.-sussurei pra mulher e pras crianças que afirmaram com a cabeça
O ninja espetou a kunai na minha cabeça falsa que desapareceu numa fumaça e como se estivessem ligados a minha transformação também numa nuvem, sem aviso previo os guardas correram na minha direção, ativei o Mangekyo Sharingan e pus todo o castelo num genjusto menos a família de Asuto foi quando reparei nos quatro ninjas que estavam de olhos fechados.
- Merda, no meio da floresta a uma campa com uma árvore enorme erguendo-se no meio, lá esta o tumulo de seu marido se quiser ve-lo, apanhem todo o ouro que conseguirem  e viagem para uma das vilas menos a da Chuva ou a da Névoa, sao miuto perigosas e nao falem de mim a ninguem.-disse.
-Arigatou.-disse a senhora e as crianças correram até mim e me deram um beijinho na bochecha.
O que pra mim foi muito estranho.
-Saíam daqui, construam uma nova vida e perdoe me pelo mal que lhes causei.- disse vendo a família correr antes mesmo de acabar de falar.

Osh viu gente hoje em dia as pessoas tão abandonando assim, podiam ter insistido em ficar pra me ajudar.
E aí daria uma de heroína super fodastica com uns super ataques furtivos de uma maneira bem furtiva em cima das pessoas.

Mas aí que me vi sozinha contra os tais shinobis, e se vocês acham mesmo que vou dar uma de fodastica tão muito enganados, saltei da janela e saí correndo podia muito bem acabar com a raça deles mas não tava afim.
Corri por uma trilha onde instalei várias armadilhas, corri até me certificar que os quatro já não estavam me perseguindo.
Foi aí que tropecei numa pedra, indo de encontro ao chão.
Mas aí bati com a cabeça em uma pedra grande e logo senti um liquido quente escorrer da minha cabeça pra minha cara e pro meu pescoço.
Tava quase desmaiando ou morrendo mesmo.
Não sei.
Mas deu-me uma vontade enorme de rir.
Ouvi vozes ao fundo, pareciam dois homens, só reparei que os dois utilizavam capas pretas com nuvens vermelhas.

-Mikito.-ouvi a voz familiar.
-Merdinha.- chamei-o e tentei ver a cara dele  que estava desfocada por causa da perda de sangue, ouvi o outro rir.
E aí desmaiei.


Notas Finais


Não revisei por isso os erros
Bjs até ao próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...