História I-Tec: O Caminho para a Aventura - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescência, Amor, Aventura, Coração Partido, I-tec, Originais, Perigo, Prequel
Exibições 2
Palavras 1.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - Gêmeas Rodríguez - Vamos voltar para casa


Imagino como os noticiários divulgariam o que estou vivendo agora. Quais seriam as manchetes? “CEO da Rodríguez Consolidated é encontrado à deriva no Oceano Pacífico em meio a Guerra da NF”. Eles provavelmente ignorariam o Marcos na maioria dos jornais. Todos possuem uma tendência a me considerar o personagem principal e a ignorar o coadjuvante. Mas se tem algo que eu sei, é que a maioria das pessoas não sabem do que estão falando.

_Vamos voltar pra casa, André – ele disse do outro lado do bote – Você vai estar lá quando as suas filhas nascerem.

_Elas podem nascer a qualquer momento e nós não decidimos seus nomes ainda.

_Isso deve ser de família – Marcos sorriu – Jane e eu também decidimos o nome da Lara quase no seu nascimento.

O mundo pode vê-lo como coadjuvante, mas o Marcos sofreu imensas perdas por ser quem é. Na verdade, a Jane era minha cunhada e a pequena Lara, por consequência, minha sobrinha. Nós dois tivemos perdas por sermos quem somos. E não somos o presidente da Rodríguez Consolidated e um dos seus executivos, somos agentes da I-Tec, setor de Inteligência. É por isso que estávamos ali, à deriva no Oceano Pacífico cuja paz estava abalada pela guerra.

A guerra pela independência das Ilhas Ovatsug  vai muito além do que a disputa interna na China e a ascensão da Nova Flibustaria. A A-Tem também está muito interessada no arquipélago, a ponto de se aliar ao Comitê. Nós da I-Tec, inicialmente, não tínhamos ideia do que eles queriam ali, mas descobrimos há pouco tempo. Em suas pesquisas, Benjamim Morgan, descendente do corsário Henry Morgan e membro fundador da NF, descobriu em uma das ilhas do arquipélago uma caverna que escondia os manuscritos secretos de Arquimedes e uma carta escrita por Francis Drake. Os manuscritos continham um conhecimento que estava perdido desde a destruição da Biblioteca de Alexandria. Segundo a carta que Trevor Drake decifrou, seu ancestral, sir Francis Drake, havia negociado os manuscritos com um mercador egípcio. Não foi capaz de decifrá-las, pois estava sendo amplamente perseguido por soldados espanhóis a serviço do Arcebispo de Sevilha, que também estava atrás dos manuscritos. Drake os escondeu naquela ilha, e era isso que a A-Tem queria. Minha missão e a do Marcos era resgatar os manuscritos e levá-los ao escritório da I-Tec em Miami para ser decifrado. Considerando a guerra em seu ápice, uma missão desse nível só poderia ser executada por nós: eu, o Diretor Continental e Marcos, o Diretor Nacional de Inteligência da I-Tec.

Infelizmente, tudo deu errado.

_O Thiago também pode nascer a qualquer momento – Marcos falou – É o momento mais feliz da vida do Daniel... Sabe, meu primo, o que considero como irmão. Ele estava lá nos momentos mais importantes da minha vida. Tenho que retribuir o favor e estar com ele quando finalmente ter seu filho em seus braços.

_Você mesmo disse, Marcos – respondi sorrindo – Vamos voltar pra casa. Você vai estar lá quando o Thiago nascer.

Ainda não entendia como nós dois falhamos. Somos dois usuários de Katana NS, o nível mais alto de agentes da I-Tec do setor de Inteligência. Tínhamos pegado os manuscritos. Escaniaríamos e mandaríamos para o Dr. Isaac Brown assim que voltássemos para o nosso carro voador, o Dark Flame. Infelizmente, nunca conseguimos chegar até ele. Fomos capturados por soldados do Comitê Chinês. Marcos percebeu que não conseguiríamos escapar e destruiu os manuscritos. Isso, ele sobreviveu ao incêndio da Biblioteca de Alexandria, mas não ao isqueiro de Marcos Figueiredo. Passamos duas semanas num navio inimigo. Agentes da A-Tem tentaram nos fazer zerar os dados de DNA das nossas Katanas NS. Nenhum de nós tinha a do Fogo, que garantia acesso total, mas a minha era a da Água, o que garante ao portador acesso às instalações protegidas com scanners NS, exceto os depósitos com tecnologia extremamente perigosa, e tem acesso à quase todos os arquivos, exceto aos projetos marcados como perigosos. Quanto ao Marcos, ele possuía a Katana NS do Tigre, com acesso aos arsenais e arquivos que contém projetos de armas. Logo descobriram que não havia como apagar nossos DNA’s delas, mas graças a um descuido de um guarda, conseguimos fugir e sabotar o navio. Pegamos nossas katanas, um bote de emergência e alguns suprimentos e estamos à deriva há quatro dias.

_É nosso último gole de água – disse Marcos bebendo sua parte e passando o cantil para mim.

_Nós vamos voltar pra casa – e bebi o último gole. Espero que possa realmente voltar – Eu... Eu vou ver as minhas filhas e você, vai estar lá como Daniel quando o Thiago nascer.

_Parece que você tem razão – Marcos abriu um grande sorriso.

Não entendi a princípio, mas havia um barulho que não vinha das ondas. Um helicóptero. Não temos muitas forças para gritar ou acenar, e nem mesmo para escalar pelas cordas. Mas isso não é necessário. A equipe de resgate veio nos carregar e levar para cima. São três mulheres, e pelo uniforme, são do SSI.

_Vocês estão bem? – uma delas perguntou.

_Graças a vocês estamos bem – Marcos respondeu.

_Recebemos um pedido de socorro da I-Tec – o piloto do helicóptero disse – Além disso, o desaparecimento de vocês tem gerado muita especulação. Os jornais de todo o mundo estão comentando sobre o sequestro do presidente e um dos executivos da Rodríguez Consolidated pelo exército do Comitê Chinês. Não podemos deixá-los investigar demais e...

_Entendo e agradeço, Thiago – pelo jeito, o Marcos conhece o piloto do helicóptero – Mas temos um pai que não quer perder o nascimento das suas filhas aqui. Precisamos ir para Belo Horizonte, no Brasil.

_Nesse caso, depois pensamos em alguma desculpa pra essa confusão.

Todos estão sorrindo pra mim. Mas algo que realmente achei engraçado é que o filho do Daniel também chama Thiago, assim como o piloto do helicóptero que nos resgatou, e o Marcos não quer perder seu nascimento.

_Desculpe-me – não posso me conter – Mas qual é o nome de vocês.

_Eu sou a Elliane – a moça que estava ao meu lado disse – E aquelas são a Rafaela e a Violet.

O sorriso se esboçou no meu rosto novamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...