História I Think I Love U - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry, Larry, Larry Stylinson, Louis, One Direction
Visualizações 176
Palavras 1.991
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 30 - Capítulo 30


Assim que fechei a porta, encostei minha testa na mesma e fiquei naquela posição, parado por vários segundos. O cheio dele ainda estava no ar, o mesmo cheiro que eu sentia quando ele estava por perto, o mesmo cheiro que eu senti quando entrei em seu carro, estava agora dentro de casa e eu esperei que aquele perfume fosse embora para finalmente me desencostar da porta. 


Fiquei encarando a madeira de cor branca com minhas mãos espalmadas e então caminhei lentamente até o quarto de Ciara e não bati na porta, apenas virei a maçaneta e abri. 


Lá estava ela, nem mesmo ecupada como havia passado a imagem quando passou por mim e Harry na cozinha. Só estava sentada na cama roendo a unha do seu indicador, e quando ela me viu, tirou o dedo da boca e sorriu preocupada. 


Andei até lá e sentei ao lado dela. 


  - Você sabia? - Perguntei. 


Ela não respondeu. 


  - Droga, Ciara. - Falei fraco olhando pro piso - Ele estuda na mesma universidade que você estuda. 


  - Hm... - Ela mordia os lábios. 


  - Por quê não me contou? 


Ciara sabia sobre nós desde o começo praticamente. Mas ela soube muito mais quando começamos a conversar depois do nosso primeiro encontro. Nossa amizade havia crescido de uma forma muito rápida e fácil. Ela me entendia e eu a entendia. Tanto que contei a ela mais profundamente sobre meu relacionamento com Harry. 


  - Por quê não me avisou que ele estava em Londres? - Perguntei, dessa vez virando para ver o rosto dela. 


  - Louis, isso não... 


  - Se você tivesse me avisado, eu escolheria o lugar mais longe dos universitários possíveis para morar. 


  - Está dizendo que a culpa é minha? - Ela me encarou juntando as sobrancelhas. 


  - Você não contou. - Frizei irritado. 


  - Não se esqueça que foi você quem escolheu esse lugar aqui. - Ela girou os indicadores mostrando o espaço em que estávamos - Iria morar aqui de qualquer jeito. 


  - Não se eu soubesse que Harry está por perto. 


Ciara riu. 


  - Até parece que você não esta feliz. - Ela debochou. 


  - Eu não estou. - Falei rápido. 


  - Eu chutei no máximo um mês para vocês se encontrarem, mas isso demorou quase quatro. - Ela falou divertida. 


  - Isso é sim culpa sua. - Voltei a acusá-la. 


  - Calma aí. - Ela se levantou erguendo as mãos - Eu só não contei a você. É diferente. 


  - Diferente do quê? 


  - Está falando como se eu estivesse agindo como cupido juntando vocês dois. - Ela balançou seu indicador em negativo - Não é isso, se é o que pensa. Eu só não contei a você que ele está aqui. Você foi quem escolheu o prédio. 

 

 - Achei que fosse melhor para você, até porque fica mais perto da London University. 


  - Bem, eu agradeço, de coração. - Ela sorriu - Mas, eu não tenho culpa. E outra, eu vi ele duas vezes pelo campus, no máximo. 


  - E daí? - Perguntei mais irritado. 


  - E daí que eu nem pensei sobre isso quando você veio pra Londres. Só me dei conta quando você já estava aqui há uma semana. - Ela disse me encarando - Decidi não contar. Agora você sabe da melhor forma possível, veja só, ele até veio aqui. 


  - Você é uma mentirosa. - Eu rebati - Eu contei a você sobre ele, você sabia sobre nós dois e mesmo assim disse que seria divertido morar comigo. 


- E isso é mentira? - Ela franziu o cenho - Eu realmente acho divertido morar com você. 


  - Mas você não contou sobre ele. Meu Deus, vocês frequentam o mesmo lugar. - Agarrei meus cabelos com meus dedos, incrédulo. 


  - Eu juro, Louis. - Ela disse chorosa - Nem passou pela minha cabeça, como eu já disse, eu não o vejo. Isso é raro. Estamos muito longe um do outro, nossas aulas são completamente diferentes e eu não tenho tempo pra nada a não ser sobre aulas e trabalho. - Ela parecia sincera - Eu não pensei mesmo sobre isso, minha cabeça está sempre cheia e... 


  - Tudo bem. - A interrompi.


Tentei me acalmar o máximo possível. Não soube o que me deixou mais louco; ver Harry ou descobrir que Ciara sabia que ele estava no campus. Ela era tão desligada, Deus. 


  - Você ainda está irritado. - Ela disse voltando a se sentar do meu lado. 


  - Eu estou em choque. - Falei a fuzilando com os olhos. 


  - Eu só me lembrei desse detalhe quando você já estava em Londres e quis deixar esse assunto morto para mim. - Ela passou sua mão nas minhas costas tentando me acalmar - Não quis me envolver. Você descobriria sozinho. E eu não pude fazer nada a respeito, eu não ia inventar uma desculpa qualquer só pra fazer você mudar de prédio e convenhamos, você é tão teimoso, não sei se eu conseguiria te tirar daqui sem um motivo plausível. 


Eu ri. Como ela era idiota. 


  - Eu te odeio. - Falei entre risos a abraçando. Seus cabelos lisos e loiros tocaram meu rosto. 


  - Eu sei. - Ela riu também - Eu não sou uma boa amiga, né? 


Me afastei do abraço. 


  - Às vezes você me irrita. - Eu disse segurando os ombros dela - Mas eu entendo, você tem muitos compromissos. 


  - Tudo bem, já estamos de bem. - Ela sorriu mostrando os dentes - Me ajude com essa peça... 


  - Nem vem. - Me levantei em um pulo. Ciara era perfeccionista, ajudá-la com suas peças de roupas era horrível. Ela exigia de mais - Tenho papéis para ler. 


Ciara bufou decepcionada e eu saí do quarto o mais rápido possível. Ela estava trabalhando duro para ter uma coleção legal. Haveria um desfile na faculdade onde cada mínimo detalhe contaria e ela estava presa nas suas criatividades em meio a tecidos e costuras que eu não estava afim de fazer parte. 



Peguei a pasta que estava em um dos balcões de mármore dos armários e me sentei a mesa para poder lê-los. 


Não deu muito certo. 


Me levantei andando até o sofá, levando os papéis comigo e tentei novamente ler as linhas daqueles documentos. Sem sucesso. 


Eu tentei ler deitado no sofá, sentado no chão, sentado no balcão da cozinha... Nada dava certo. Eu não consegui me concentrar. 


Acabei deixando a pasta na mesinha de centro da sala, que estava com uma das várias caixas espalhadas pelo local, e fui até a cozinha preparar um chá. 


Enquanto a água fervia eu peguei o maço de cigarros e puxei um dos vários cigarros que estavam ali e peguei o isqueiro, acendendo o objeto que agora estava preso aos meus lábios. Nunca me imaginei fumando, mas naquele momento eu estava chupando sua ponta e vendo a outra queimar a minha frente, deixando a fumaça subir lentamente pelo ar. 


Aposto que Harry não gostou de ver o maço. Fiquei imaginando o pequeno Harry ,que costumava ser meu, me dando bronca por estar fumando. 


Ele não faria isso agora, faria? Me daria uma bronca? 


Claro que não. 


Fiquei triste pensando nisso e acabei concordando com meus pensamentos que diziam "Harry não liga mais para você. Para ele não importa se você está se matando ou não".


Suspirei e apaguei o cigarro o apertando no cinzeiro. 


O telefone tocou segundos depois. 


  - Alô. - Falei desanimado. 


  - Hey. - Niall gritou do outro lado. 


  - Niall, oi. - Eu o cumprimentei, um pouco mais animado. 


  - Tudo bem


  - É... Eu estou bem, e você? - Perguntei, enrolando meu dedo no fio do telefone. 


  - Ótimo. - Ele estava sorrindo, dava para perceber pelo tom de sua voz - Como você sabe, eu estou no meu último ano de direito, me sinto muito bem, consegui um emprego em um escritório que não é do meu pai... Está tudo bem


O pai de Niall era um homem bem sucedido nos ramos de direito, mas Niall odiava trabalhar com ele. Niall dizia que negócios com família não davam certo. 


  - Isso é ótimo, Niall. - Tentei me mostrar contente na voz, mas falhei. 


  - O que foi? - Ele perguntou - Está estranho. Não deu certo o que está planejando


  - Deu. - Eu falei sorrindo fraco - Deu sim, Niall. Eu consegui os documentos. 

  - Isso é ótimo. - Niall disse - O que está te aborrecendo, então


Respirei fundo algumas vezes. Contar para o Niall sobre Harry era o mínimo que eu podia fazer. Não era apenas a nossa história - minha e de Harry - que importava. Havia Niall, Zayn e Liam também, afinal, Harry não deu notícias a nenhum deles depois do que aconteceu. Não sei se ele estava evitando os meninos por minha causa ou por outro motivo. Nós cinco tivemos uma amizade muito forte e achei justo contar a Niall, pois eles mereciam saber do amigo também. 


  - Harry está aqui. - Eu disse com um pouco de dificuldade. 


Niall não respondeu de primeira. Ouvi a respiração dele por um bom tempo no telefone. 


  - O quê?- Ele perguntou finalmente - Está  com você? Como? O que


  -Não. - Corrigi - Harry está aqui em Londres, não comigo. 


  - Você o viu? - Niall quis saber quase desesperado. 


  - Sim. - Mordi os lábios - Eu o vi. 


Ouvi Niall sussurrar um "meu Deus" para ele mesmo. 


  - Vocês conversaram? - Ele perguntou animado - Espere até Liam e Zayn saberem disso.


  - Conversamos. - Engoli em seco lembrando que a conversa não foi muito agradável. Fora tão seca, estranha - Niall, ele está enorme. 


  - Conte mais.


  - Ele parece um vocalista de alguma banda punk rock. - Niall riu do outro lado - É sério. E o cabelo dele, acho que ele nunca mais cortou depois de... 


  - Eu quero tanto ver esse Harry. - Niall disse, evitando que eu voltasse ao assunto que não me agradava - Nem imagino o bolinho Harry cabeludo.


Niall e Harry tinham uma amizade muito bacana. Harry se dava muito bem com ele, um pouco por culpa de terem que dividir o quarto na época do colégio. 


  - Ele está lindo, Niall. - Falei sério. 


Harry sempre fora lindo. Sempre. 


Niall não disse nada por alguns segundos e eu também não. Fiquei lá revendo a cena do nosso reencontro na minha cabeça. 


  - Vocês conversaram? - Niall repetiu em um tom calmo. Eu entendia o que ele queria saber. 


 Balancei a cabeça negativamente, mas Niall não podia ver. 


  - Não. - Eu disse baixo - Eu acho que ele me odeia, Niall. Ele estava tão diferente, frio.


  - Ele não te odeia, Louis. - Niall disse carinhoso - Eu tenho certeza disso. Converse com ele e não espere ele tocar no assunto. Comece você mesmo, diga o que precisa dizer a ele


  - Mas eu não sei o que dizer. - Falei percebendo que minha voz tremia. 


  - Louis, vai dar tudo certo, ok? - Ele insistiu - Você vai saber o que dizer, ... seja sincero


Ser sincero... O que eu menos fiz quando estive com Harry... Ser sincero. 


  - Preciso desligar. Bem, se conseguir falar com Harry, diga que eu tenho saudade dele. Eu e os meninos.


Nos despedimos e ouvi o telefone de Niall desligar, deixando o outro lado mudo. Suspirei e depositei o telefone no gancho. 


Lembrei que a água fervia e corri em direção a cozinha para desligar o fogo.


Em nenhum momento parei de pensar se eu veria Harry de novo. E se sim, quando eu o veria. 


Eu teria coragem dessa vez? 


Perguntaria a ele se ele tinha raiva de mim? 


Conseguiria pedir desculpas? 


Ou melhor, aguentaria se ele me rejeitasse como eu fiz com ele quando ele me amava abertamente e eu o amava escondido? 


Não sei... Não saberia... Até ter uma conversa de verdade com ele.  










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...