História I told you that I wasn't perfect - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camren, Dinahjane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani, Norminah
Exibições 129
Palavras 2.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capitulo de hoje ! E não se esqueçam ouçam muito #BadThingsOnItunes haha que musica é essa hein pessoas??!
Desculpe pelo erros ortográficos <3

Capítulo 9 - Cap 9. Um lugar especial


Fanfic / Fanfiction I told you that I wasn't perfect - Capítulo 9 - Cap 9. Um lugar especial

POV Lauren

É claro que eu cheguei à frente da casa de Dinah 10 minutos antes, mas eu não daria esse gostinho para Camila. E eu estava muito nervosa para ficar em casa aguentando Normani tirar sarro da minha cara, claro que Dinah iria contar a ela. Duas idiotas. Mas enfim, as 16h em ponto toquei a campainha.

- Lauren – é Dinah quem abre a porta – vem, entra – sorriu para ela e entro – vou chamar Camila

- Obri...

- CAMILA!! LAUREN CHEGOU – ela grita e eu a olho completamente assustada e ela sorri para mim – chamei – diz isso e sai sorrindo

- Por que só conheço gente louca? – sussurro para mim mesma

- O que você disse? – ela me olha

- Que casa bonita – sorriu e digo tentando disfarçar – você mora aqui sozinha?

- Hum – ela me fuzila com o olhar – não, com meus pais e meus irmãos – diz dando de ombros, mas eles estão viajando, conseguiram conciliar a féria deles para o mesmo mês e foram tirar o atraso – ela fala isso assim, na lata e eu começo a tossir.

- DJ, assim você vai assustar a Lauren – ouço a voz de Camila e me viro para sentir o ar correr de meus pulmões com a visão que tenho dela – oh não, espera, a Jauregui não se assusta com qualquer coisa – ela fala isso enquanto me olha.

- Respira garota – Dinah sussurra em meu ouvido – só um aviso, se magoar minha menina, te pego na esquina – ela me avisa, séria.

- “Sua menina” – sorriu de lado e a olho – receio que a mesma goste do perigo – sussurro de volta e saiu sorrindo em direção a Camila.

- Você está linda sabia – digo assim que chego perto dela e a mesma cora

- Obrigada – ela sorrir de lado – você também. Vamos?

- Claro – me viro para Dinah – tchauzinho Dinah – e lhe dou um sorrisinho sacana

- Jauregui cuidado na sua vida – ela avisa

- Beijo de DJ – digo e abro a porta para Camila e a mesma acena para Dinah.

- Esse é seu carro? – Camila pergunta surpresa – nossa

- É só um carro – digo – não entendo a reação de vocês – digo isso e Camila começa a rir de mim. Uma risada tão boa de ouvir, tão natural.

- Muito bem Jauregui – ela me olha – a chave?

- Me deixa dirigir – digo manhosa – é meu bebe

- Qual é Jauregui, você mesma acabou de dizer “É só uma carro” – ela diz repetindo as minhas palavras e sorri de minha cara – passa a chave, agora!

Entreguei a contra gosto. E ela sorriu de orelha a orelha ao entrarmos no carro.

- Nossa – ela diz completamente desnorteada – quanto luxo para um carro só

- Posso dirigir – digo a olhando

- Não mesmo – ela fala sorrindo – coloca logo o cinto vai, to louca para dirigir isso aqui – ela fala e começa a rir ainda mais

Eu já disse o quanto ela é linda sorrindo? Por Deus! E toda essa empolgação em sua voz a deixa parecendo uma criança quando ganha um presente novo, a diferença é que o carro é meu e não o estou dando a ela.

Fomos o caminho todo em silencio, até por que eu não queria tirar a atenção dela da pista né. Depois de quase hora chegamos em um parque. E não parece nada com Central Park. Mas acho que já passei por aqui.

- Chegamos – ela diz estacionando o carro – quer dizer, quase – ela sorrir de lado e eu a olho

- Como assim “quase”? E por que parou o carro se ainda não estamos lá? – a olho intrigada.

- O carro não pode entrar no parque Lauren – ela me olha

- Não vou deixar meu carro aqui Camila – digo – veja, ta um deserto, não tem ninguém

- Lauren para de drama – ela me olha incrédula – do seu lado tem um posto da policia que faz as ronda aqui desse lado do parque – ela diz e eu olho para o meu lado – viu só! Agora vamos, desce desse carro.

- Ok, ok – digo levantando as mãos – você ganhou. Que parque é esse?

- Ótima garota – ela sorrir para mim – Central Park, eu sei, eu sei, não parece, mas é que esse é o outro lado, o lado que muitos não conhecem – ela pisca para mim – vem, não é tão longe – ela e diz e pega a cesta que trouxemos da casa de Dinah.

Esse lado do parque é lindo, cheio de pássaros, e por incrível que parece tem gente por lá. Sinto minha mão bater contra a de Camila e rapidamente sinto aquela corrente passar por nós. Eu a olho de lado e vejo que tem um sorriso brincando em seus lábios.

- Vem cá – digo – me deixa levar essa cesta para você

- Não precisa – ela me diz – não está pesada e se estivesse sou capaz de levar – ela diz e dá de ombros. Eu começo a rir de sua atitude.

- Tudo bem, marrentinha – digo e ela me olha e logo começa a rir – você fica linda sorrindo sabia? – quando digo isso a vejo corar. E sinto meu coração parar, ela está tímida?

- E você está me deixando com vergonha – ela fala baixinho e faz um biquinho. Como eu quero beijar esse biquinho. Solto uma gargalhada.

- Olha o biquinho dela – digo e seguro em seu rosto apertando-lhe as bochechas – fica linda de biquinho.

Ela me empurra e me acompanha na risada.

- Idiota – ela fala ainda corada – espera, estamos chegando – ela para

- Então por que parou? – lhe pergunto

- Vem cá – ela diz isso e tira um lenço de dentro da cesta – não será surpresa se você ver assim, logo de cara

- Qual é Camila – digo me afastando

- Nada de mais Lauren! Vem cá – ela da um passo em minha direção e em um instante ela me segura pela cintura – eu sei que você é mais forte que eu – ela olha em meus olhos – mas não corre. Me deixa colocar a faixa, por favor – ela pede e faz o biquinho de novo, a diferença é que agora ela está extremamente perto de mim. Sinto suas mãos em minha cintura, seu perfume invadir meus pulmões, seus olhos tão perto de mim, intensos. E seus lábios, carnudos.

- Não vale – digo – você assim me desarma – assim que digo isso fecho os olhos e ela passa a venda em meus olhos. Mas antes de continuarmos o caminho ela me dar um beijo casto na bochecha, e esse simples ato faz com que eu senta algo dentro de mim.

- Obrigada! – ela sussurra em meu ouvido fazendo todo meu corpo arrepiar-se – vem, me da sua mão – a qual pego de bom grado. Então sinto seus depois se entrelaçar com os meus e a corrente elétrica se faz presente nesse momento.

Depois de um tempo andando ela para e sinto sua mão soltar a minha.

- Chegamos Lauren – ela sussurra – pronta? – pergunta e percebo que está empolgada

- Sim – digo me empolgando também – muito na verdade

Sinto seus dedos em minha cabeça, soltando a faixa. E aos poucos ela vai descendo a faixa. Sinto o sol de fim da tarde em meu rosto e quando abro os olhos sou atingida por uma visão incrível. A nossa frente tem uma pequena lagoa, e algumas árvores, e o incrível é que suas folhas e rosas não são no tom verde e tal, umas são vermelhas, outras amarelas. É simplesmente incrível!

- Camila – sussurro – isso é lindo! Como – gaguejo – como você descobriu esse lugar?

- Por um acaso eu estava perdida – ela diz e a olho e vejo que ela está sorrindo – foi logo que me mudei para cá. E encontrei isso aqui – diz e dá de ombros

- É lindo, de verdade – pego em sua mão – obrigada por compartilhar isso comigo – quando digo isso ela me olha intensamente

- Você é a primeira pessoa que trago aqui – ela me diz

- Sinto-me honrada – sorriu para ela e vejo-a corar novamente – se você for corar toda vez que eu te elogiar ou algo do tipo, não sei o que farei com você – digo soltando uma gargalhada, pois ela corou ainda mais.

- Para Lauren – ela me empurra – vamos sentar ali – ela diz e aponta para o meio de duas arvores, uma tem suas flores na cor vermelha e outra amarela.

Depois de estarmos devidamente acomodadas começamos nosso pequeno piquenique. Devo confessar Camila já é linda, mas nesse ambiente ela fica ainda mais. E ela está tão tranquila. Como pode uma pessoa assim estar viciada? Perdendo sua vida para o álcool? Talvez eu possa ajuda-lá, mas será que ela vai querer minha ajuda?

- Um dólar por seus pensamentos? – ouço a voz de Camila

- Se eu contar terei minha resposta? – a olho

- Não sei. O que quer saber? – ela me pergunta

- Sobre você, em como uma pessoa que “esconde” isso – faço sinal para o parque – pode estar metida com um vicio – digo calmamente

- Direta ao ponto – é o que ela fala

- Não sou muito favorável em perder tempo – digo ainda a olhando

- Talvez não seja à hora para algo tão pesado – ela me diz e eu assento. Realmente é muito cedo para isso – não quero te assustar com meus medos – ela fala e sorrir meio nervosa abaixando a cabeça

- Ei – pego em seu queixo o erguendo fazendo com que ela me olhe - Não importa o que você disser, não importa o que você faz ou fez. Eu estou aqui, é cedo de mais para qualquer coisa, mas eu estou aqui. Ok?

- Obrigada – sorrir de canto – nossa, em menos de uma semana e já estamos assim – ela solta uma gargalhada e eu a acompanho

- Verdade – digo e me deito na toalha ainda rindo. Camila se deita ao meu lado e eu me viro para olha-lá. Ela está de olhos fechado e tenho que me conter para não lhe roubar um beijo.

- O que está olhando Lauren? – ela pergunta ainda de olhos fechados

- Minha perdição – digo baixo e ela vira a cabeça para meu lado e nossos rostos estão tão próximos. – quero fazer uma coisa, mas sei que é cedo de mais para isso – digo e ela suspira

- Talvez eu queria que você faça essa coisa – ela me diz – talvez não

Sorriu de lado, mas sem quebrar a ligação em nossos olhos. Aos poucos aproximo minha mão de seu rosto e assim que a toco ela fecha os olhos, como se estivesse se deliciando com o simples toque.

POV Camila

Sinto várias coisas ao mesmo tempo, seu toque tão simples e puro está me levando à loucura. Abro meus olhos e me deparo com aquela imensidão verde a minha frente. Sorriu para ela, e o sorriso que recebo de volta é incrivelmente lindo e sinto o ar fugir de mim. Quando ela vai falar algo, sentimos uns pingos de água sobre nós, e ambas olhamos para o céu que, há poucos minutos estava limpo e agora uma nuvem estava carregada e em breve derramaria sobre nós toda sua fúria em água.

- Acho que devemos ir embora – ela me diz com um sorriso brincando em seus lábios

- Também acho – e logo em seguida sentimos que os pingos estão aumentando.

E antes que pudéssemos arrumar as coisas dentro da cesta à chuva começa, no inicio lenta, mas que está aumentando a intensidade aos poucos.

- Vamos Camila – Lauren olha para mim e estira a mão em minha direção e eu a seguro e saímos correndo pelo parque em direção ao local que deixamos o carro dela.

Eu não sei por que, mas começo a rir da cena. Parecemos duas loucas, correndo pelo parque e toda molhada. Ela começa a rir também e então paro a poucos metros do carro.

- Sua louca – diz me olhando – por que parou?

- Sinta issoLauren –digo e levanto o rosto para o céu e as gotas de água caem sobre meu rosto. Eu sei que minha roupa está colada em meu corpo, detalhando minhas curvas e sei que ela tem os olhos cravados me mim. Quando a olho vejo o quanto seus olhos carregam o desejo – É melhor irmos, ou vamos ficar resfriadas – digo a puxando, eu não quero ficar resfriada por mais que eu queria que ela me beijasse agora. Ela assente e eu lhe entrego as chaves de seu carro. – vamos molhar seu carro – digo sorrindo

- Entra, não tem problema – ela fala também rindo

Seguimos o caminho de volta para casa em silencio, porém entre nós reinava uma certa tensão, eu estava enlouquecendo. Precisava urgentemente de um beijo seu.

Eu estava tão perdida em meus pensamentos que mal percebi que não estávamos indo para a casa de Dinah

- Lauren – chamo-a, lhe tirando de seus pensamentos – esse não é o caminho para a casa Dinah

- Eu sei – diz simplesmente isso

- Por que... – começo, mas ela me interrompe

- Meu apartamento está mais perto – ela diz e eu assento – provavelmente Normani não estará lá, ela me disse que iria sair e não voltaria tão cedo – ela continua – espero que não se incomode de ficar a sós comigo – diz isso e me olha sorrindo com um sorriso malandro, de como quem vai aprontar. Eu lhe dou leve um tapa no braço, mas não respondo nada.

Sinto meu corpo tremer com a possibilidade de ficar a sós com Lauren em seu apartamento. Já estive com várias garotas depois de meu ultimo relacionamento sério, mas pensar em ficar com Lauren é completamente diferente, sinto meu coração bater mais rápido só de imaginar suas mãos em mim, seus lábios por todo meu corpo. O que será de mim se eu for só mais uma para a lista dela? E se ela não quiser o mesmo que eu? Afinal, o que eu quero com Lauren Jauregui? 


Notas Finais


Será que vem HOT camren por ai ? hahaha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...