História I wanna be yours - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Shotacon
Exibições 445
Palavras 4.269
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Fluffy, Hentai, Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Leiam as notas finais, irei indicar um filme incrível que vi!!



Mas pra quem me desejou sorte nas provas, agradeço pois deu certo... em partes. Eu fui OTIMA nas provas, tirei tudo acima de 7, coisa que estava um pouco difícil pra mim, eu tiro nota baixa em algumas matérias, não sou um exemplo de notas, infelizmente, então fiquei muito contente!

Fui a maior nota em história e química, E fui a única que tirou acima de 7 em português kkkkk ORGULHO! Mas... como tudo não são flores, tirei 6,3 em física, que era a unica matéria que precisava de nota boa, então, me fudi, foi desnecessário ter tirar notas boas em todas as outras matérias, por que eu precisava mesmo era em física, mas, vida que segue e não irei desistir kkkkkk mas muito obrigada por vocês terem me mandado pensamento positivo, deu SUPER certo, só que na matéria errada kkkk mesmo assim super acredito que o pensamento de vocês me ajudaram a ter ido bem nas outras matérias.

Obrigada amores!!! E boa leitura...GENTE ME DESCULPEM PELA SUPER DEMORA, ALEM DAS PROVAS EU QUEBREI MEU DEDO JOGANDO VOLEI, NUNCA MAIS VOU FAZER VOLEI, SEGUNDA VEZ QUE QUEBRO MEU DEDO. Então desculpem se não estiver bom hoje, prometo que o próximo estará melhor!

Capítulo 13 - Diferenças a parte, o que sobra é amor não é mesmo?


Uma coisa de que eu sou certo é que Yoongi é bipolar, darei um exemplo bem claro disso.
Segunda feira tivemos a conversa, havia muitas coisas que precisava contar sobre meu relacionamento com jimin e suga sobre seu amargo caso de ilusão com hoseok. Quando contei tudo, detalhadamente, sua reação foi ficar surpreso, principalmente com os acontecimentos sobre a infeliz professora e os toques nada inocentes de domingo. Ele ficou boquiaberto quando falei de modo mais culto possível que fiz sexo oral em jimin, yoongi estava incrédulo, " cadê o menino que até meses atrás tinha vergonha de assistir pornô? ". Mas num passe de mágica sentiu-se chateado por eu ter demorado tantos dias para ter lhe contado tudo isso, tentei de todas as formas possíveis explicar que aconteceu tão rápido que não consegui ter contado antes, o que era verdade, então ele me perdoou.
E como num passe de mágica yoongi tratou de deixar um sorriso visível em seu rosto quando disse que hoseok estava brigado com seu namorado e que queria passar um tarde com ele para lembrar dos velhos tempos de amizade. Suga sabia que o menino queria nada além de um amigo para passar o tempo, mas poxa, passar uma tarde já é grande coisa. Talvez ele estava sendo usado mas era óbvio que suga não queria pensar nisso no momento, apenas queria aproveitar a oportunidade de ficar ao lado do seu amado. O problema é que, eles marcaram de sair quarta, em uma sorveteria e acompanhado de ninguém mais e ninguém menos que eu e jimin. Suplicou que eu aceitasse, queria um encontro de casais, e assim sairiamos todos juntos.  Acabei aceitando, não era má ideia.
Professor Park, educado como sempre, aceitou de forma extremamente feliz por poder conhecer mais amigos meus, bem, hoseok não é bem meu amigo, mas se faz parte da vida do meu melhor amigo tenho que ter no mínimo consideração pelo sujeito.

Já é o tão esperado dia, de como diria yoongi " encontro de casais ". Eu estava na casa do meu melhor amigo, por mais que parecesse que eu estava sozinho, já que ele não largava sua conversa virtual com hoseok por nada, sempre entre sorrisos, só direcionando sua atenção a mim para discutir sobres as fotos que sua paixonite lhe mandava, não posso negar, o sujeito é bonito, porém infelizmente não consigo ir tanto com sua cara por saber que ele pode estar apenas usando ou tratando yoongi como segunda opção, mas espero que isso não passe só de uma coisa da minha cabeça, quero que suga ache uma pessoa boa e espero que hoseok seja.

- suga. - lhe cutuquei.

- o que? - me olhou com uma sobrancelha levantada.

- jimin disse que vai se atrasar uns 20 minutos, ele ainda está no colégio dando reforço para os alunos.

- então podemos esperar por ele lá na sorveteria, já está na hora. - bloqueou o celular e levantou-se animado. Era bom vê-lo assim.

- vou mandar uma mensagem para o hyung. - teria que mandar uma mensagem pois no momento ele estaria ocupado em sua aula.

" hyung, eu e os meninos já estamos indo para a sorveteria, te esperamos lá ok? Boa aula!! "

-pronto, vamos indo. - Eu vestia uma simples camisa branca e já que estava calor usava uma bermuda preta, mas nos pés tinha um tênis branco.

                             
                            - - -

Quando chegamos na sorveteria o hoseok já estava sentado em uma mesa de quatro lugares, com poltronas confortáveis. Era perceptível na minha visão de quem conhecia muito bem yoongi que ele estava nervoso.

- oi hoseok. - o garoto levantou-se para cumprimentar primeiro suga.

- oi yoongi, estava com saudade. - abraçou fortemente yoongi, que estava sorrindo.

- também estava. - foi simples.

- olá, jeongguk certo? - desfez o abraço para me cumprimentar. Concordei com a cabeça. - Prazer em vê-lo novamente. - estendeu sua mão com um belo sorriso em seus lábios.

- olá hoseok. - retribui o sorriso.

- bem, agora é só esperar pelo namorado do jeongguk. - suga disse sentando ao lado do menino e eu sentando no banco de casal que havia sobrado de frente aos dois.

- namorado? - disse surpreso com as sobrancelhas tensionadas.

- suga, ele não é bem meu namorado. - dei ênfase no "bem".

- é hoseok, falta o pedido ainda, mas eles estão se pegando. - deu de ombros.

- ah, entendi, ainda não é nada sério né, mas faz pouco tempo?

- faz, acho que vai fazer um mês, ou já fez, não sou bom em datas.

- então não é de se preocupar, ainda está cedo.

- sim. - sorri coçando a nuca, aquela conversa de certo modo me deixou envergonhado.

Passou mais alguns minutos e meu celular apitou, já esperando que fosse ligação do hyung.

" kook, já estou quase chegando, como está aí? " - era tão bom ouvir sua voz, que mesmo pelo celular era tão linda.

" está tudo bem hyung, estamos te esperando."

" fico feliz então kook, estou com saudade tua. " riu fraco pelo nariz, apenas uma vez.

" eu também estou hyung, mesmo nos vendo hoje no recreio . " ri da situação, mas era verdade, eu já sentia sua falta.

" nem deu muito tempo de ficar abracadinho com você, ainda mais que estávamos escondidos. "

" hoje então vamos ficar muito tempo abracadinhos chimchim. " yoongi me olhou com cara de " sério isso? " e hoseok sorria, achando adorável nossa conversa. " mas na sua casa, não podemos arriscar de alguém do colégio nos ver hyung. " tentei falar o mais baixo possível, mas mesmo assim foi possível que os dois a minha frente ouvissem, o rosto da paixonite de yoongi logo mudou, parecendo estar intrigado com o que falei.

" eu sei kook, irei esperar mais algumas horinhas, mas depois podemos ir em meu apartamento hñ? "

" vamos sim, agora é melhor desligar, não é bom falar no celular enquanto dirige." sem perceber um bico formou em meus lábios, preocupado por ele estar falando no celular, dirigindo.

" ok. " pude ouvir sua risada gostosa. " já estou chegando. "

" até Hyung. "

- ele já está chegando.

- vocês se viram no colégio, então estudam juntos? - perguntou hoseok - por que outros do colégio não podem ver vocês?

- err... hm.. - cocei minha nunca pensativo em como falar, ele não sabia ainda que jimin era 10 anos mais velho que eu e era meu professor. Escutei o barulho da porta abrindo, revelando jimin, usando uma blusa preta de marca, manga curta, e bermuda branca, marcando suas coxas torneadas e as pernas desprovidas de pelos, nos pés um tênis da mesma cor clara. Ele tinha levado roupa pra escola, iria se trocar quando acabasse às aulas de reforço, o que achei gracioso, ele se preocupar em trocar sua roupa social de trabalho na escola já que não queria se atrasar ainda mais indo até sua casa.

Nos procurou e achou, quando me viu sorriu largo, chegando a quase fechar totalmente seus olhos e caminhou em minha direção. Yoongi viu que eu olhava algo e virou-se procurando pelo motivo do meu sorriso, vendo que era jimin.

Levantei para cumprimentar o hyung, ele olhou para os dois lados e quando voltou seu olhar ao meu me roubou um beijo rápido, mesmo tão rápido eu senti o gosto doce de seus lábios carnudos.  Abraçou meu corpo em seguida, um abraço apertado, circulando seus braços em meu pescoço, eu dei minha atenção a sua cintura e meu rosto afundou na curva de seu pescoço.

- olá kookie. - disse calmo em meu ouvido.

- olá hyung. - inalei fortemente seu cheiro amadeirado, aquele perfume sempre estava o acompanhando, como se fosse parte do seu corpo.

Quando nos separamos por impulso olhei em direção aos meus dois amigos. Hoseok estava boquiaberto, seus olhos estavam extremamente arregalados, parecendo que iriam saltar pra fora. Acho que foi uma certa surpresa saber que meu acompanhante não era um menino da nossa idade.

Convidei jimin para sentar-se, quando sentou-se cumprimentou os dois com um aperto, mesmo hoseok estando meio estático sem saber o que fazer, era engraçado a reação que ele estava tento.

- esse é o... homem que você está pegando? - o de cabelo escuro disse já diminuindo a abertura em seus olhos, e não tinha mais seus lábios abertos de espanto.

- é esse o termo que vocês usam hoje em dia? - jimin disse entrelaçando nossos dedos que encontravam-se sobre a mesa.

- foi o suga que usou esse termo pra falar de você. - fiz bico por pura birra.

- eu só falei a verdade, não estou certo jimin? - yoongi disse rindo, tanto do que falou quanto da reação que o hoseok tinha.

- se é assim, então sou eu sim. - ele percebeu que estávamos de mãos dadas então com calma deixou um carinho antes de desfazer o toque. - bem, já querem ir lá no buffet dos sorvetes?

- é, era o que eu ia dizer, vamos, vamos. - yoongi disse e saiu de seu lugar junto de hoseok, logo, eu e jimin fizemos o mesmo.

                            - - -

- err, eu não queria ser inconveniente nem nada, mas eu posso fazer uma pergunta pra você, jimin?

Já estávamos a um tempo na sorveteria, e hoseok ainda não estava bem recuperado do susto que levou, passamos um bom tempo em conversas sem muito nexo, mas que renderam boas risadas. De vez em quando, sem perceber, abraçava jimin ou recebia carícias e beijos na bochecha do mesmo.

- claro, pode sim. - jimin disse saboreando meu pote de sorvete, tinhamos trocado os potes para experimentar o que o outro escolheu. Park tinha um ótimo gosto pra sorvetes.

- quantos anos você tem?.

- 26.

- é... não parecia ter a nossa idade. - acabei rindo da cara de pau do menino. - não te chamando de velho, mas é que já tens cara de homem mais experiente.

- ah, sim, sim, tudo bem, eu já estou aceitando que não pareço mais um menino de 16 anos.

Gargalhamos todos juntos, menos hoseok que ainda não tinha uma das melhores caras, como se estivesse pensativo.

- posso fazer outra pergunta?. 

- pode sim hoseok.

- ouvi que se conheceram no colégio, mas acredito que não seja aluno não é?.

- não, já passei da fase aluno faz um tempinho, eu sou professor dos dois, professor de literatura. - os olhos arregalados que haviam desaparecido a um tempo atrás em hoseok, voltaram.

- v-vocês se conheceram no colégio mesmo? Então por isso que não querem que outros do colégio vejam vocês. - disse animado ligando os pontos que possívelmente estavam perdidos em sua cabeça.

- por isso mesmo. - falou. - o colégio onde trabalho meio que não iria gostar nem um pouco da nossa relação.

- ahh. - disse chocado. - é uma pena que no colégio tenham pessoas que ainda pensem assim... Bem, eu fiquei chocado quando vi você entrando, não pelo fato de ser homem, isso eu já sabia, mas pelo fato de ser mais velho, mas agora penso que isso realmente nem importa.

- diferenças a parte, o que sobra é amor não é mesmo? - jimin disse deixando uma carícia em minhas bochechas.

Sempre tão incrível, sempre tão admirável. 

- exatamente isso. - disse encostando minha mão sobre a sua em meu rosto, aproveitando um pouco antes de que aquele toque não existisse mais.

- tão lindos, o amor era pra ser sempre assim. - yoongi falou saboreando seu sorvete, um pouco cabisbaixo.

- mas com a pessoa certa sempre será yoongi. - jimin falou trocando nossos sabores novamente, sem perceber tínhamos quase acabado um com o sorvete do outro. Acabamos rindo baixo um para o outro disso.

- as vezes é difícil mesmo. - hoseok estava no mesmo estado que meu melhor amigo, praticamente brincando com o sorvete que ainda não estava derretido.

Já estávamos algumas horas na sorveteria, e infelizmente a conversa tinha tomado um rumo que acabou deixando os dois a minha frente chateados. De um lado hoseok que provavelmente teve uma briga feia com o namorado e yoongi que era quase impossível descrever o que ele sentia no momento, mas como um velho amigo tenho certeza que não está sendo um momento agradável ou feliz.

- o que acham de ir pra minha casa assistir um filme? - pronunciou hoseok percebendo que era necessário trazer alguma animação para a deplorável situação.

- eu já havia combinado com jimin de ir em ser apartamento, mas já que yoongi não tem nada pra fazer ele pode ir com você. - dei a ideia animado. Seria uma ótima situação de deixar meu amigo sozinho com seu amado, eles precisavam de acertar. - não é yoongi? .

- p-pode ser hoseok? - nunca havia visto suga nervoso, talvez receoso se o menino iria querer ou não somente sua companhia.

- claro que pode ser yoongi. - acariciou os fios acinzentados do yoongi, recebendo um sorriso aliviado em troca do carinho.

- bem, então vamos indo? - jimin olhou-me sorridente. Mesmo já o conhecendo a um bom tempo, não iria me acostumar em tê-lo sorrindo, era inacreditável.

- vamos hyung, aproveitem a tarde vocês dois. - levantei e jimin fez o mesmo. - depois nos falamos yoongi. - pisquei e ri, sabendo do que poderia acontecer nessa tarde entre os dois.

- aproveitem os dois pombinhos também, depois nos falamos kookie.

Eu e o hyung nos despedimos dos dois, saindo animados para aproveitar o resto da tarde, que inclusive estava a nosso favor, um belo dia de sol posso dizer. Não andamos muito até que já foi possível avistar o carro do mais velho, ele pegou a chave em seu bolso e desalarmou o automóvel, abrindo a porta para que eu entrasse e dando a volta para entrar. Estava pronto para botar o cinto mas as mãos ágeis de jimin me impediram. Olhei em sua direção sem ter entendido o motivo de ter me impedido, enquanto os dedos do hyung subiam meu braço desnudo, fazendo com que os pelos do local se eriçassem, engoli a pouca saliva que tinha em minha boca, nervoso ao mesmo tempo inerte ao seu toque.

- o-o que foi hyung?  - perguntei perdido nas orbes escuras que encaravam meus lábios.

Jimin aproximou-se, apoiando suas duas mãos em minha coxa enquanto afundava seu rosto em meu pescoço que já encontrava-se arrepiado, mas tremi quando senti seus lábios moverem, beijando calmamente minha epiderme.

- estava difícil ter você ao meu lado e não poder te tocar. - apertou minhas coxas com força, prendendo o máximo possível da minha carne em suas palmas. - eu estava me segurando kook.

Continuou com os beijos, passeando pelo meu pescoço e as vezes descia os beijos até minha clavícula. Depois de mais alguns selares jimin parou o que fazia e apenas me encarou, traçando linhas pelo meu corpo até que suas mãos adentraram minha blusa, traçando linhas imaginárias pelo meu abdômen. O toque fez com que eu sentisse cócegas e ri por conta dos seus dedos continuarem com aquilo.

- sente cosquinha é? - Perguntou rindo junto a mim. Me contorci no banco, rindo alto e tentando afastar suas mãos.

- p-para hyung. - pedi enquanto riamos. - hyung. - pronunciei alto, manhoso, já chorando de tanto rir. Ele me puxou para seu banco, me fazendo sentar em seu colo, ainda fazendo cócegas em meu abdômen.

- só se você me der um beijinho.

- e-eu dou, eu dou. - concordei desesperadamente, circulando meu braço em seu pescoço e aproximando meu rosto do seu.

Quando estávamos perto o suficiente, ainda pude ver que jimin sorria, selando nossos lábios em seguida. Senti seus dedos diminuírem a pressão em minha barriga, mas ele não afastou suas mãos. Seus lábios encaixavam nos meus perfeitamente, como se fôssemos feitos um para o outro, ou simplesmente para aqueles beijos. De inicio apenas selavamos nossos lábios, nos olhando no meio do trajeto de voltar para o selar, mas, mais ou menos depois do quinto selar, o professor segurou meu queixo, precionando sua língua nos meus lábios, sem demora deixei o toque se aprofundar, movendo minha língua também. De forma erótica, jimin adentrava sua lingua para em seguida retirar a mesma, fazendo isso repetidas vezes, mas com vontade de sentir sua cavidade bucal, pedi espaço para minha língua e acomodei ela no quente local. O ósculo foi findado quando meus pulmões precisavam se recompor pela falta de ar. Seus beijos tiravam completamente meu fôlego.

- isso por que você só me pediu um beijinho, imagina se tivesse pedido um beijão. - zombei acariciando o forte peito de jimin.

- esse beijinho já foi perfeito. - deu um último selinho e sentei-me no banco novamente para irmos em seu apartamento.

                              - - -

O fim de semana havia chegado sem demora alguma, e com um maravilhoso tempo ensolarado, mas refrescante ao mesmo tempo por conta de ser primavera. O vento gélido acariciava nossos rostos. Eu e jimin aproveitamos para dar um passeio no parque, eu adorava aproveitar tardes bonitas assim na praça, com as árvores nos dando sombra quando preciso e o sorvete gelando minha boca. Jimin tinha cansado da longa corrida que eu propus a ele na grande extensão de grama, então para descansarmos um pouco, comprou sorvete e sentamos naquele verde que nos rodeava, acompanhado de pequenas e belas flores. Era engraçado como jimin não admitia estar realmente cansado, então eu mentia que tinha me cansado primeiro para deixar ele finalmente sentar e não sentir-se chateado por atrapalhar minha diversão de correr junto a ele. Mas o que ele não sabe é que eu amo esses momentos em que sento ao seu lado para receber seus carinhos, corrida ou diversão nenhuma me deixava mais repleto de alegria do que seus dedos em meu cabelo. Estava sentado de lado no colo do jimin, enquanto tomavamos sorvete, tendo uma árvore nos trazendo sombra.

- é lindo esse parque né. - comentei.

- não mais que você. - retrucou sem demora. Me senti envergonhado, mas dei um rápido selar, sentindo seus lábios molhados por conta do sorvete de casquinha. - kook, ainda não contasse pra sua mãe que não somos apenas amigos né.

Era nesse assunto que não queria chegar.
Infelizmente ainda não havia contado, eu tinha medo de que todo esse sonho acabasse, que minha mãe o proibisse de me ver ou que talvez ela achasse que ele é um pedofilo. Meu coração dói só de pensar nessas hipóteses.

- jeongguk? - chamou pelo meu nome. Isso me assustava.

- a-ainda não hyung. - parei de tomar o sorvete, abaixando minha cabeça. Se ele falasse que queria conversar com minha mãe eu não iria falar que ele não podia, mas o que eu realmente queria era que ele não me pedisse isso.

- você sabe que isso não é certo, não sabe? - usou uma voz calma. As vezes jimin parecia ser um pai no modo que falava comigo, não que eu não gostasse, na verdade eu gosto de como ele se preocupa em usar sem tom comigo.

- eu sei hyung, mas e se ela não gostar disso? E se ela te proibir de me ver

- seria difícil, eu sou seu professor. - riu. -Ela é sua mãe kook, mas vamos pensar positivo.

- então eu não vou contar. - fiz bico, tensionando minhas sobrancelhas enquanto cruzei meus braços.

- não faz isso kook, o certo a fazer é contar, ela tem o direito de saber.

- Você realmente iria me deixar hyung?  se ela falasse não, você aceitaria sem fazer nada?

- jeongguk. - usou novamente meu nome, em um tom um tanto que incrédulo. - se eu já disse que te amo não foi mentindo, então você sabe que eu nunca te deixaria, que eu te quero ao meu lado mais que tudo. É claro que eu iria conversar com ela, eu iria explicar que nos amamos, e vendo o quão boa mãe ela é eu tenho certeza que ela iria entender, talvez seja difícil, mas eu não vou desistir de você por nada e por ninguém.

Imediatamente larguei o sorvete, deixando que caísse no chão, e abracei fortemente Park jimin. Eu sou um idiota.

- me desculpe jimin, eu sou um idiota. - depositei vários beijos por todo seu rosto, como forma de me desculpar. - eu te amo tanto, que as vezes meu medo de te perder aumenta.

- você sabe que não precisa ter medo, eu estou aqui não estou? - segurou meu rosto com suas mãos. Eu apenas assenti. - então não precisa ter medo.

- eu vou contar hyung, hoje mesmo, minha mãe é uma pessoa boa, ela vai entender que te amo e que é isso que importa.

- isso mesmo. - roubou um selinho meu. - tudo vai dar certo, e pode deixar que eu falo com ela depois que você contar, mas se precisar, é só me ligar que eu vou correndo pra sua casa.

- você jura?

- eu juro. - entrelaçou nossos dedos, beijando a dorso da minha mão. - agora eu acho melhor você voltar a correr.

- hã? Por que jiminie?

- por que eu vou te fazer cosquinha.

- ah jiminie, seu malvado. - saltei rapidamente se seu colo, antes que ele conseguisse fazer o que queria e corri. Quando olhei pra trás jimin estava sorridente também correndo.

Ficamos um bom tempo correndo, mas acabei ficando cansado e deduzi que jimin também estava, e quando voltei a olhar para trás pude confirmar que ele também estava, pois sua cara não era das melhores, mesmo tentando manter o sorriso no rosto.

- eu desisto hyung. - levantei às duas mãos ao alto, como se eu tivesse me rendido. Park me alcançou e para minha surpresa não teve cócegas, e sim um abraço.

- eu também desisto. - puxou meu corpo para nos deitarmos, e acabei ficando sobre seu corpo deitado no chão. Abracei sua nuca, afundando meu rosto no seu pescoço aconchegante, e ele acariciava meus fios marrons. - já está anoitecendo, é melhor irmos né? Sua mãe vai ficar preocupada.

- vamos ficar só mais um pouquinho hyung. - abracei ainda mais seu corpo, eu não queria ir para casa agora, às horas passaram rapidamente, como se estivessem a favor de aproximar ainda mais a hora de contar para minha mãe sobre nossa relação.

- você já me pediu esse pouquinho mais cedo kook. - riu em meus ouvidos. - vamos meu amor.

- só se você me levar na cacunda. - levantei meu rosto e pedi com um bico nos lábios.

- menino folgado. - bateu em minhas nadegas apenas com as pontas dos dedos, para não fazer muita força. - vamos meu bebê, vamos. - circulou seus braços em minha cintura, nos levantando. Virou de costas para que eu subisse e sem demora subi. Por mais que eu nao goste que as pessoas me chamem de bebê, ou qualquer coisa infantil, ter jimin me chamando assim era diferente, eu sei que ele me chama assim de modo carinhoso, e não para me julgar, e eu acabo gostando de tudo que Jimin faz ou fala para mim, pois eu percebo que em suas ações tem amor.

Caminhamos até a saída do parque, que era um pouco longe, mas ele não mostrava-se cansado. Jimin segurava fortemente minhas coxas, e eu apoiava meu rosto em seu ombro, desfrutando do seu cheiro amadeirado. Foi uma tarde perfeita, mas isso já não era novidade, sempre era perfeito ao lado do meu hyung, nunca me decepcionava.

                          - - -

- se ela quiser falar comigo é só me ligar que eu venho ok? E me ligue depois que conversar com ela.

- pode deixar jiminie, eu ligo. - ele estava estacionado em frente á minha casa, e o nervosismo já me consumia. Não era algo para se fazer tanto caso, eu só vou contar que estou namorando o jimin, nada de mais, mas em um país extremamente conservador, repleto de tabus, acaba se tornando sim um assunto preocupante.

- não quer mesmo que eu desça?

- eu prefiro primeiro falar sozinho com ela hyung, eu sei também que ela vai se sentir mais confortável, tudo bem?

- tudo bem kook, o que você achar melhor. - deixou um selar demorado antes que eu saísse. Caminhei sem muita animação até minha casa, a cada passo meu coração batia mais rápido.

- coragem Jeongguk. - susurrei para mim mesmo e bati na porta pois estava trancada. Demorou alguns segundos e ela abriu.

- oi filho. - disse animada, sorrindo, dando espaço para que eu entrasse.

- oi mãe. - Sorri de volta e entrei.

- o Jimin não quis entrar? Por que não convidasse ele para jantar aqui?

- é que eu precisava ficar a sós com você mãe. - sentei no sofá da sala, cabisbaixo.

- o que aconteceu filho? - Mi praticamente correu até o sofá e acariciou meu ombro.

Bem, agora não tinha mais escapatória, realmente já estava na hora de contar, além de que eu era muito amigo de minha mãe, nunca escondi nada a ela e sempre tive seu apoio em tudo, principalmente quando contei que sou homossexual, ela é uma ótima mãe, e sempre serei grato. Apenas espero que ela entenda que eu realmente amo o Jimin.
 


Notas Finais


Gente, desculpa por ele não ter ficado tão bom, essas provas me deixaram se criatividade. MAS VAMOS PARA O FILME!

Ele é um filme gay coreano, é o melhor filme coreano que já assisti, ele realmente é incrível. O nome é Vôo noturno, tem ele legendado no YouTube, eu assisti por lá. Se vocês quiserem assistir pelo YouTube mesmo vocês precisam colocar (vôo noturno, filme coreano) por que existe um filme com esse mesmo nome americano, mas é bem fácil de encontrar lá. Eu recomendo muito, acho que já assisti mais de 10 vezes, a história é muito linda, os personagens são incríveis, e um dos personagens já fez um dorama gay!!! É sério, não vão se arrepender, eu amo esse filme e queria compartilhar esse meu amor por ele com vocês também.

Se quiserem conversar comigo meu twitter é: @anajulia2m. Irei adorar falar com vocês!

Comentem o que acharam meus amores, e novamente me desculpem pela demora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...