História I Wanna Have Your Babies {Mpreg Jeongcheol} - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Seungcheol "S.Coups", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Jeongcheol, Kibum, Meanie, Taemin, Verkwan, Yijeong
Exibições 107
Palavras 2.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


*Não revisado



"Barbies" Makwisisisjsj

Capítulo 3 - Obsession (Part.2)


Fanfic / Fanfiction I Wanna Have Your Babies {Mpreg Jeongcheol} - Capítulo 3 - Obsession (Part.2)

[Seungcheol]

Eu tinha tudo que queria. Uma família maravilhosa, o emprego dos meus sonhos, e o principal de tudo: um homem maravilhoso que era a meu marido há cinco anos. Eu acredito que tenha sido amor a primeira vista. Jeonghan sempre foi um homem encantador e muito diferente de todas as pessoas que já conheci na vida.

Foi na universidade que conheci o Jeong, ele é irmão do meu melhor amigo. E eu sempre tive uma queda por ele desde que o conheci. Seus cachinhos adoráveis, seus olhos incrivelmente castanhos, as covinhas fofas... Tudo nele me encantava.

Mas demoramos um pouco pra termos um relacionamento. Quando o conheci, eu tinha um namorado (Kidoh) e acabei terminando com ele depois de cinco meses que conheci o Jeonghan. Porque eu já não sentia o mesmo pelo Kidoh, e acabei me apaixonando pelo irmão mais novo do meu melhor amigo no percurso. Porém, assim que eu terminei com o Kidoh, percebi que não adiantaria nada me insinuar para o Jeonghan. Porque Jeong é a pessoa mais incrível que já conheci, a pessoa mais generosa e que tem um coração enorme. Eu não me senti bom o bastante pra ele.

Então, entrei numa fase galinha da vida. Mas um dia... Seungkwan e eu saímos de uma festa, e ele namorava o Taeyang na época, eles foram se curtir no dormitório dele, e ele me mandou ir dormir no apartamento dele, que ele dividia com o irmão. A minha cabeça alcoolizada, não viu nenhum problema.

Os flashes daquela madrugada apenas me fizeram ter a certeza de que sem querer (papo de bêbado) eu acabei me declarando para o garoto e lhe roubando um beijo. No dia seguinte, com a cabeça mais leve e normal, chamei-o pra sair. Sua carinha de surpresa ainda me fazia sorrir feito um idiota só de lembrar. Nós saímos por uns três meses, até que eu o pedi em namoro.

Isso já tem 11 anos... E nós somos casados há cinco. Não há um dia que eu não agradeça por ter Jeonghan em minha vida. E agora, estamos trabalhando para ter um filho, era tudo que eu mais queria. Faltava somente isso para completar a nossa felicidade. Eu amava Jeonghan de uma forma intensa e apaixonada, eu fazia tudo por ele e sabia que o sentimento dele perante a mim, era recíproco.

Estávamos tentando ter um filho há quatro meses e nada até agora, isso está frustrando  Jeonghan. Ele está uma pilha, eu tento acalmá-lo, mas parece que surtiu o efeito errado. Ele fica mais nervoso e está se achando incompetente.

Hoje era o aniversário de um ano do Kibum, ele a cada dia ficava mais parecido com o Hansol, seu marido e melhor amigo do meu Jeonghan. Os cabelos são morenos que nem o do pai e os olhos castanhos também são castanhos, era um príncipe o meu sobrinho. Jeonghan já estava pronto e eu também.

- Vamos, amor? – eu disse a ele, que estava terminando de abotoar sua camisa.

- Vamos. – ele me olhou e sorriu.

Eu peguei o presente do Kibum e saímos de casa. Fomos até a casa de festas onde seria a comemoração e ao chegar lá estacionei o carro e nós dois saímos de mãos dadas. Jeong estava quieto, isso era tão estranho.

- Anjo, você está bem? – indaguei-o.

- Aham. – ele murmurou e sorriu doce.

- Jeonghan, você não me engana, o que houve amor? – disse, sério.

- É que já faz praticamente um ano que tentamos ter um bebê e não acontece nada. – ele disse, enfadado.

- Um ano? – perguntei, confuso – Que eu saiba faz apenas quatro meses que estamos tentando.

Ele arregalou os olhos e abaixou o rosto, envergonhado.

- É que... – ele hesitou – Eu venho cronometrando nossas relações sexuais desde o aniversário do Yijeong e do Taemin. – disse baixinho.

- O que? – eu estava pasmo, era tanta vontade de engravidar?

- Desculpe, Cheollie, mas é que eu quero muito isso. – ele me olhou sério – Você não me entende. – completou, nervoso.

- Se você me explicasse, eu entenderia. – disse calmo.

- Conversamos depois, vamos entrar. – ele me puxou para dentro da casa de festas.

Eu bufei irritado e fui, não tinha como fazer objeção a isso. O tema da festa era do Ursinho Pooh e estava tudo muito lindo. Seungkwan veio nos receber com o Kibum no colo, foi o mesmo ver o tio Jeonghan, que ele estendeu às mãozinhas para meu marido pegá-lo. Jeonghan o pegou e sorriu, começando a brincar com o garoto.

- O que ele tem? – Seungkwan me indagou, quando Jeonghan se afastou para falar com meus pais.

- Está obcecado. – suspirei.

- Com o que? – Kwan me olhou e fiz cara de tédio – Oh. – ele entendeu e eu sorri – Ele está querendo engravidar e não consegue.

- Exatamente. – disse enfadado – E ele acabou de me contar que estamos tentando há quase um ano e só agora que fiquei sabendo.

- Wow. – Seungkwan espantou-se – Mas eu pensei que você soubesse, já que ele me contou, depois do aniversário dos seus irmãos, há sete meses.

- Claro que você sabia, só o idiota aqui que não. – revirei os olhos.

- Seungcheol. – Seungkwan me olhou irritadiça – Ele é seu marido, vocês são os únicos que ainda não engravidaram e maioria das amigas e amigos de Jeonghan já têm filhos, isso tudo afeta o psicológico dele. – ele disse, todo sabichão – Eu acho que ele devia desencanar, dar um tempo, não sei... Tirem umas férias, algo assim.

- Não sei Kwan, vou conversar com o Jeong sobre isso depois. – disse e abracei, depois me afastei, indo até o meu esposo.

A festa se passou com tranqüilidade e Jeonghan continuava quieto, o bolo foi cortado e depois disso Jeonghan quis ir embora. Chegamos a nossa casa e ele se sentou ao sofá tirando os sapatos. Eu tirei o terno e coloquei sob a cadeira, e de repente escutei os soluços de Jeonghan. Ele estava sentado no sofá, chorando compulsivamente.

- Amor... – corri até ele e me sentei ao seu lado, puxando-o para o meu colo.

 Me des-cul-culpa... – ele dizia entre as lágrimas.

- Não tem o que desculpar, Jeong. – disse e afaguei seus cabelos – Eu entendo que você quer ser Omma, assim como eu quero ser Appa, mas você precisa relaxar, deixa acontecer naturalmente, não fique tão obcecado com isso, por favor.

- O quê?! – e o meu adorado marido se soltou de meu abraço e me encarou, exaltado – Você acha que eu estou obcecado, Choi Seungcheol?

- Pra falar a verdade... – hesitei e a encarei – Sim, você está obcecado com isso Choi Jeonghan.

- Eu não estou obcecado. – cuspiu a frase.

- Está sim. – disse sério.

- Ok, então me diga uma coisa... – ele se levantou do sofá – Acha normal um casal há quase um ano tentando engravidar e não conseguir? Por Deus, Seungcheol! Eu acho que nós temos um problema aqui! – ele estava praticamente histérico.

- Tudo bem, amor, tudo bem. – suspirei, não adiantava conversar com ele daquela forma – Vamos procurar um médico, então.

- Vamos. – ele disse sério e saiu da sala, indo para o nosso quarto.

Eu bufei enfadado. Mas Jeonghan disse algo que me chamou atenção: "Acha normal um casal há quase um ano tentando engravidar e não conseguir?". Ele tinha razão, isso não era normal, algum de nós tinha um problema de fertilidade, ou ambos. Isso era preocupante.

[Jeonghan]

Eu não acreditava que Seungcheol, meu Seungcheol, estava achando que eu estava obcecado. Isso era o cúmulo! Então, fiz o que ele disse, procurei minha ginecologista [n/a: vamos fingir que o Jeonghan vai a uma ginecologista, yeh?] durante a semana que se iniciou e hoje, quarta-feira, era a consulta. Iria durante o trabalho e Seungcheol também.

- Olá Jeonghan e Seungcheol. – dizia a Dra. Taeyeon.

- Olá doutora. – nós dissemos em uníssono.

- Então, o que vocês desejam? – ela dizia sorrindo.

- Bem, nós estamos tentando ter um bebê, mas... – comecei a explicar – Não estamos conseguindo e isso já faz mais de oito meses. – suspirei.

Seungcheol estava calado e quieto, somente observando tudo.

- Hm... Jeonghan, isso é normal. – a doutora Taeyeon disse calmamente – Mas para desencargo de consciência, vou indicar vocês para um indutor de fertilidade. – ela disse séria – Ele irá pedir vários exames, para ambos, e depois de todo o resultado nas mãos, vocês saberão qual é o problema, ok? – ela sorriu.

- Okay. – suspirei.

Ela nos entregou um cartão de uma médica chamada, Lee Chaerin. Então eu e o meu marido saímos do consultório e estávamos cada um indo pro seu carro quando Seungcheol me chamou.

- O que foi, Seungcheol? – indaguei.

- Jeonghan, você ouviu a médica dizer que essa demora para engravidar é completamente normal, não ouviu? – ele disse, calmo.

- Ouvi sim, meu amor, mas para ficarmos mais tranqüilos ainda, eu vou marcar uma consulta com essa indutora de fertilidade, tudo bem pra você? – indaguei.

- Tudo bem. – ele suspirou, deu-me um beijo e foi caminhando em direção ao seu carro.

Eu não estou obcecado. Qual é o problema de uma pessoa querer engravidar? Qual?

*

Eu consegui agendar uma consulta com a indutora de fertilidade para a semana seguinte, no caso hoje. Seungcheol e eu estávamos mais calmos, por assim dizer, e fomos juntos para a médica; ele foi me buscar no trabalho.

Chegamos ao consultório da Dra. Chaerin na hora marcada e a sua secretária nos chamou, pois a doutora nos mandou entrar.

- Boa tarde. – ela disse nos esperando – Eu fui avisada pela minha amiga, Taeyeon, ela é sua ginecologista...?

- Choi Jeonghan. – eu disse a ela, que assentiu – E esse é o meu marido, Choi Seungcheol.

 - Muito prazer em conhecê-los, sou Lee Chaerin, então vamos sentar e conversar. – ela disse e nós fomos – Bem, Taeyeon me disse que vocês estão tendo problemas para engravidar, há quanto tempo vocês vêm tentando?

- Há sete meses. – respondi.

- Com que freqüência vocês mantêm relação sexual? – ela perguntou calmamente.

- Er... – me constrangi.

- Bem, nós fazemos mais ou menos umas três vezes ao dia, isso quando ele não estava cronometrando. – Seungcheol respondeu por mim e eu o encarei, lívido, ele deu de ombros – Mas depois que conversamos sobre ter um bebê, nós fazemos quando ele está em seu período fértil.

- Okay. – a doutora disse – E Jeonghan, não se constranja porque eu sou médica, certo? – ela sorriu.

- Tudo bem. – suspirei.

- Bem, eu vou passar essa bateria de exames para os dois e quando os resultados estiverem prontos, vocês retornam. – ela disse.

Nós pegamos os papéis, agradecemos e saímos.

- Jeonghan, independente de qualquer resultado, eu amo você. – ele disse e me beijou.

- Eu também amo você, querido. – eu disse e o beijei novamente.

[Seungcheol]

E a semana se passou assim. Eu e Jeonghan fizemos todos os exames possíveis e imagináveis, depois de todos prontos, Jeonghan marcou o nosso retorno a doutora, ele estava ansioso e nervoso. Não posso dizer que eu não estava, pois estava preocupado. Tinha medo que em alguns dos exames possa ter dado que somos inférteis ou coisa parecida.

Retornamos ao consultório da doutora duas semanas depois da primeira consulta, e lá estávamos nós, esperando ser chamados.

- Choi Jeonghan e Choi Seungcheol. – disse a secretária, e nós dois nos levantamos – Podem entrar.

- Obrigado. – agradeci, e fomos entrando.

- Olá, queridos. – a doutora sorria.

- Olá. – respondemos a ela.

- Aqui estão os exames. – e Jeonghan entregou um envelope, contendo todos os nossos resultados.

A doutora o pegou e começou a ler, passaram-se longos minutos. E a médica atenta a cada um deles, Jeonghan estava quase surtando. Então, finalmente a doutora terminou e nos encarou.

- Bem... Vocês são absolutamente saudáveis, como eu imaginava. – sorriu e eu pude suspirar aliviado – Não têm nenhum problema em seus órgãos genitais e em nada, Jeonghan é completamente fértil assim como você, Seungcheol. – ela ia dizendo, calma – Eu creio que o único problema está aqui. – e apontou para a cabeça – Ambos estão obcecados com a idéia de serem pais e isso influencia bastante, isso tudo é psicológico, queridos... Vocês têm que relaxar, espairecer e quando for a hora de serem pais, isso vai acontecer naturalmente.

- Obrigado doutora. – eu disse.

- Mas isso tudo não explica a demora para engravidar. – Jeonghan disse irredutível.

- Claro que explica, meu bem. – a doutora disse sorrindo – Você não vai engravidar enquanto não tirar essa obsessão da cabeça, tenha calma, sem pressa. E vocês são jovens demais para se preocuparem com filhos, só precisam ter calma. Eu não indico um tratamento de fertilidade porque não há necessidade.

Jeonghan encarava a médica, totalmente frustrado. Era engraçado, eu disse que Jeonghan estava obcecado. Saímos do consultório e agradecemos a doutora mais uma vez. Chegamos ao carro e entramos.

- Eu disse a você não disse. – sorri para ele, que revirou os olhos – Nós não temos problema algum, amor... E vamos ter um filho quando for à hora certa, ok?

Jeonghan fez um bico e eu o beijei apaixonadamente.

*

Dois meses depois...

Passaram-se dois meses depois de toda aquela confusão de médico. E nós estávamos fazendo seis anos de casados. Eu estava saindo do trabalho, Jeonghan estava preparando uma surpresa para nós dois.

Cheguei a nossa casa e encontrei tudo no escuro, tinha velas espalhadas por toda a sala, mas eram poucas somente para dar aquele conforto. Na mesinha de frente estavam dois pratos e uma taça de champanhe. E saindo do nosso quarto vinha o meu marido, que estava absurdamente lindo apenas de jeans e uma blusa branca de botões, sendo que alguns deles estavama abertos. Ele estava descalço e seu cabelo estava num coque. Lindo.

- Você está lindo, amor. – eu disse, agarrando-o.

- Obrigado. – ele sorriu e me beijou – Tenho uma notícia maravilhosa pra você.

- E o que é? – indaguei curioso.

 

- Eu estou grávido.


Notas Finais


Obg por ler ^^

Comente :3

Saraghae Anjos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...