História I Wanna Reset - Got7 and BTS - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Aventura, Bangtan Boys, Bts, Bullying, Colegial, Drama, Fanfic, Got7, Humor, Kpop, Romance, Who Are You School 2015
Visualizações 76
Palavras 2.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Parabéns para mim, parabéns para mim, parabéns para miiiim ��
Hoje é meu aniversário!!! Finalmente 15!!!
Me digam: Eu sou a unnie ou a dongsaeng de vocês?

Eu estou animada por estar postando bem no dia do meu aniversário, e estou muito feliz porque já ganhei os presentes de vocês! Quantos comentários fofos que eu recebi no capítulo passado �� Eu amo voceeeees!!! IWR rumo aos 200favoritos e 2K ������

Se tiver erros me avisem, não tive tempo de revisar e nem de fazer o banner X.X Espero que gostem, boa leitura!

♥ ♥ ♥

Capítulo 35 - 28 - As coisas estão mudando e eu também


GO EUN BYUL 

Já comeu lámen apimentado? Posso adiantar que é muito, muito quente, mas posso garantir que o Jackson é muito mais.

Terminamos o beijo, respiramos, e ele logo atacou meus lábios novamente. Não reclamei. Eu precisava disso.

Não pensei em vingança, mesmo sabendo que estava fazendo tudo aquilo que a Eun Bi já fez com o Yoongi. Eu só pensei no Jackson: Em como o seu beijo era bom, o quanto aquilo tinha gosto de bala, o quanto eu estava gostando de sentir a mão dele deslizar da minha cintura para um pouco mais para baixo... Só que eu sou difícil, então tirei a mão dele do local e mordi os seus lábios, o repreendendo.

Ele separou nossos lábios, bastante ofegante, e me olhou nos olhos. Eu olhei para sua boca, querendo continuar, mas depois olhei para seus olhos também.

— O que isso quis dizer, Byul?

— Não entendi a pergunta.

— Você me beijou, mas a um mês atrás tinha me dito não, pois ainda estava apaixonada por outro cara. O esqueceu? — Ele arqueia uma sobrancelha.

— Eu não sei se ainda gosto dele. Mas eu senti vontade de fazer isso. 

— Então você sente vontade de fazer algo e faz? Funciona assim? — Ele tira as mãos de mim e cruza os braços.

— Qual é o problema? — Não entendi porquê do nada a expressão dele mudou.

— Se você não me ama, você não pode me beijar só porque sentiu vontade. — Agora a expressão em seu rosto era de fúria.

— Vai se fazer de difícil agora?

— Você também é difícil. — Ele me afasta.

— Ok, então eu te beijo, você me beija e agora estamos numa DR? Ah, por favor! Que drama! — Reviro os olhos.

— Drama? Olha só Eun Bi, isso vale muito para mim, mais do que vale para você. Eu não quero te dar 80% e receber só 20%.

— Na verdade é 60% por 40%, eu ainda estou me esforçando Jack, achei que você fosse querer me ajudar. — Volto a me irritar — Ah, quer saber? Esquece isso.

Saí em passos rápidos de lá e voltei para casa, ainda tentando entender porquê aqueles beijos quentes que trocamos acabou resultando numa discussão tão besta. Como eu consegui discutir e chatear todos eles? Caramba, eu sou realmente um monstro.

Chegando em casa, percebi que o ambiente estava calmo. Calmo até demais para mim.

— Chegou? Como foi lá com o chato? — Mark me olha.

— Chato. — Dou de ombros.

Se não tinha uma forma de me acalmar, eu deveria extravasar minha raiva.

— Mark, vamos brincar de lutinha? — Dou um sorriso maldoso.

— O quê? Você, querendo brincar de algo violento desses? — Ele ironiza.

— Ah, qual é? Eu acho legal. — Sorri.

— Beleza, vamos na cama para não machucar. — Ele caminha até o quarto e eu o segui.

Lembro quando eu e o Jungkook brincávamos disso. Jin não gostava, achava muito violento, mas a verdade é que sempre depois de uma luta, eu e o Kook ficávamos juntinhos, um zoando o outro. Que saudades!

— Você não precisa ter dó de me machucar. Eu não vou ter dó de te machucar! — Advirto.

— Só vai fazer cosquinhas, do jeito que você é fraca. — Ele zomba. 

— Ah é? Vamos ver. — Subo na cama e ele sobe também. — COMEÇOU! 

Eu o empurro, fazendo ele cair na cama e eu cair por cima dele. Começo a socar seu peitoral com força, mas logo ele me prende em chave e troca de posição, me fazendo ficar por baixo dele, e então ele tenta me imobilizar. 

— Não conseguiu. — Sorri e sai de baixo dele, o agarrei por trás e o dei um mata-leão. — Eu consegui!

— Ok, ok, pode me largar agora. — Ele diz quase sem ar.

— Ah, foi mal. — Largo ele e dei risada. — Primeiro round: Eu ganhei! 

— Segundo round: Essa é minha! — Dessa vez, ele que me dá um mata-leão. 

— Yaaa! Seu chato! — Reclamo assim que ele me solta. 

— Sei fazer artes marciais, boba. — Ele mostra a língua para mim.

— Baka. — Franzi o cenho, mas depois sorri. — Isso foi legal.

— Para você achar isso, é porque essa lutinha deve ter te aliviado, hein?

— Tipo isso. Eu estou muito estressada ultimamente, tô com medo de perder meus dentes! — Coloco a mão na boca. 

— Que? — Ele ri.

— Ah, longa história. — Ri e vou dando socos leves no peitoral do Mark.

☆♡☆♡☆♡☆♡☆♡

No dia seguinte, Youngjae foi na lanchonete me visitar. E comer também. Agora ele é o único que não está com raiva de mim. 

— Como você está? — Ele perguntou enquanto enfiava um pedaço de torta na boca.

— Triste. — Suspiro. — Os meninos me odeiam. Todos eles. 

— Não é ódio. Eles só estão magoados. — Ele dá de ombros.

— É claro. Até porque, eu só sei magoar as pessoas. É para isso que eu sirvo, né? Todo mundo fala "Nossa, como ela está grossa, insensível, insuportável". Todos falam indiretamente que eu sou um monstro que magoa as pessoas, e é uma droga tudo isso porque ninguém vê que eu também estou magoada, e se eu não conseguir acabar com toda essa raiva dentro de mim, eu vou surtar. — Falo rápido, já começando a me irritar.

— Ei, Bibi! Calma! — Jae pega em minha mão.

— Não me chama de Bibi! — Solto minha mão da dele. — Sabe quantas pessoas me pediram para ter calma? Milhares. Sabe quantas pessoas me acalmaram? Poucas. Quem mais conseguiu foi o Jackson, mas olha agora?! Ele também se magoou comigo.

— Você brigaram? — Jae arqueia uma sobrancelha.

— Surpreso? Não deveria. É o que eu mais faço ultimamente. — Suspirei. 

— Não fala assim! — Ele me olha de um jeito preocupado — Por que vocês brigaram?

— É que… A gente se beijou. — Falo, fazendo ele abrir a boca em um O. Eu logo imagino que a reação do Bambam seria pior se ele estivesse perto — Mas depois ele se irritou com isso, porque ele sabe que não gosto dele, e sim de outro menino. Ele está achando que me aproveitei dele. 

— Que situação… — Jae suspira, pensativo. — Mas sabe de uma coisa? A melhor forma de fazer as pazes com alguém depois de uma briga, é pedindo desculpas. E eu sei que você vai falar que é orgulhosa, porém, o orgulho nunca pode ser maior que uma amizade. Ou um amor. Portanto, você estando errada ou não, se quiser ter eles de volta, precisa se desculpar. 

  Eu sou realmente orgulhosa. E no meu ponto de vista, eu não sou a errada. Mas sei que no ponto de vista de outras pessoas, eu sou. Então, no geral, não deve existir um caso em que alguém esteja 100%certo ou errado. Existe pontos de vistas diferentes que vão apontar um culpado diferente. Então eu devo me desculpar. E devo receber desculpas. 

— Nessa história toda, já não existe mais mocinha ou vilã. — Falo, séria. — Eu já sei o que fazer. 

— Sei que vai fazer o certo. — Jae sorri  — Por isso, vou te dar uma ótima notícia agora: A Yune se mudou de escola!

— JURA? — Exclamei — FINALMENTE ALGUMA COISA BOA!!!

Agora sim estou feliz. Finalmente Bibi se livrou de vez dessa bitch. 

LEE EUN BI 

Eu nunca vou me livrar dessa bitch, como a Byul costuma falar.
Não tinha nem dois dias completos que Yune estava na escola, e já estava me tirando o sério.
Era hora do intervalo e depois que eu comi, fui para o terraço da escola. Os meninos me falaram que lá era um lugar que todo mundo ia quando queria ficar sozinho, e bom, antes só do que acompanhada de suas amigas que querem fazer amizade com a sua pior inimiga. Agora sim, Yune definitivamente virou minha inimiga.

— Byul, podemos conversar? — Escuto aquela voz irritante. Me viro para trás e ela se aproxima, ficando frente-á-frente comigo.

— Não temos o que conversar. — A encaro.

— Acho que temos sim. — Ela semi-serra os olhos. — Desde o dia que eu te vi, andei pensando. Alguém tem coragem de fingir ser outra pessoa e enganar todos? É o que quero descobrir. 

Ela encerrou a frase com um sorriso falso. Eu sabia que ela não ia desistir fácil. Mas quer saber? Eu também não vou. 

— Eu sinto pena de você. — Falo olhando nos seus olhos, sem nem tremer. Era a mais pura verdade. Yune não me dá mais medo. Me dá pena.
Me livro dela e viro as costas, mas o que ela falou em seguida me fez parar no meio do caminho.

— Eu sabia que iria dizer isso. — Ela fala em tom alto — Ei, fracassada... Você não mudou nada. 

Olho para trás e percebo que ela tinha um olhar sombrio e maligno. Yune começa a se aproximar de mim e eu percebo que ela estava mais alterada que o normal. 

— VOCÊ TEM IDEIA DO QUANTO EU TE ODEIO POR VOCÊ PENSAR QUE PODERIA ME ENGANAR? — Ela começa a me empurrar sem parar, fervendo de raiva — VOCÊ PODE ENGANAR QUANTOS IDIOTAS QUISER, MAS NÃO A MIM! 

— Yune, para! — Eu seguro em sua mão, antes que ela me empurre mais forte e me faça cair.

— EU NUNCA VOU PARAR ATÉ TE DERROTAR, LEE EUN BI! — Ela se solta de mim e levanta a mão para me dar um tapa. Eu já estava quase sentindo sua mão em meu rosto, quando um braço maior e mais forte segura o dela.

— Você quer morrer? Aish, odeio ser incomodado enquanto tento dormir. Cale a boca. — Olho para o maior e vejo que era o Yoongi que tinha me salvado da Yune. Não consegui nem suspirar aliviada, foi tudo muito rápido.

— D-desculpa… — Yune parece contrariada e abaixa a cabeça ao ver o olhar do Yoongi sobre ela.

— Eu tenho algo a dizer sobre isso. — Encho o peito de ar, tirando coragem de não sei da onde. Os dois a minha frente voltam a me olhar — A garota que você esta falando, Lee Eun Bi, é minha irmã gêmea. Ninguém sabe sobre ela aqui. Mas eu sei de tudo que você fez a ela. — Encaro Yune. Ela tinha um olhar perdido agora, igual ao Yoongi — O que eu devo fazer com você? A mesma coisa que você fez com ela? Bom, vou levar um tempo para pensar. 

Yune se solta do Yoongi, e sem saber o que falar, ela sai do ambiente, me deixando frente-á-frente com o Yoongi. Agora sim, comecei á estremecer. Ele iria me bombardear de perguntas, pois eu sei que ele ouviu tudo.

Antes que ele pudesse falar alguma coisa, sai dalí e desci as escadas, sentei no penúltimo degrau e comecei a chorar baixinho. Yune estragou minha vida lá e agora está tentando estragar minha vida aqui. Eu não vou deixar isso acontecer.

Me ligo que eu não posso chorar. É isso que ela quer. Eu preciso reagir. Não dá mais para ficar chorando enquanto ela arma às minhas costas.
Limpei as lágrimas e me levantei. Já passou da hora de eu ser forte. Ela irá ver a fracassada, quando eu mostrar á ela que eu sou muito mais forte do que ela pensa.  

MIN YOONGI 

Eu ouvi Yune chamar Byul de Lee Eun Bi, e vi ela quase bater na Byul. Mas afinal, o que elas são uma da outra? Se conheceram antes? E como? Por que Yune tem tanta raiva da Byul e por que a Byul falou aquilo de ter uma irmã gêmea? Como ela pôde esconder isso de mim? 

Eu tenho tantas perguntas para fazer, mas quando eu segui a Byul e á vi sentada na escada e chorando, desisti. Talvez seja mais complicado do que ela possa me explicar.

Voltei para o refeitório e peguei minha comida. Mas ao invés de sentar numa mesa com os meninos, sentei na mesa aonde Yune estava sentada com JiWoo e BoRa. Que coisa feia, tentando roubar as amigas da Byul…

— Meninas, posso falar com ele á sós? — Ela pede. JiWoo e BoRa se olham e sem falar nada, se levantam e mudam de mesa. — Sobre aquilo que ouviu... Pode fingir que não ouviu nada? 

— Não deveria estar pedindo isso á mim. Não sabe como é o temperamento da Byul? Ninguém pode mexer com ela. — Encaro a novata — YeNa já tentou irrita-la e não saiu em vantagem. Ela não te contou essa parte? 

Arqueei uma sobrancelha e percebi ela engolindo em seco. Ri com aquilo.

— Acho melhor você ser boa com ela, ou vai se arrepender…  Mas ei, por que não está comendo? — Roubo a sobremesa dela e comi um pedaço — Acho que você ficou sem apetite, então vou comer por você. Fica esperta da próxima.

Me levanto da cadeira e saio de perto da garota, a deixando completamente abalada. Aposto que ela não imaginava que isso fosse acontecer. É uma pena ela ter me acordado e me deixado com raiva, pois agora eu não vou deixa-la em paz. Não enquanto eu ver ela irritando e incomodando a Byul. Talvez seja por causa dessa menina que a Byul mudou tanto. Mas eu vou descobrir o que está acontecendo, seja por bem ou por mal. 


Notas Finais


Deixe seu voto e comentário, isso me incentiva demais!
Obrigada por todo o carinho, amo vocês!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...