História {I Want You} - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Block B
Personagens B-Bomb, Jaehyo, Kyung, P.O., Taeil, U-Kwon, Zico
Tags Block B, Taepyo, U-bomb, Yaoi, Zikyung
Exibições 170
Palavras 1.816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


NOSSA,EU VOLTEI,PORRA,DEVO TER MORRIDO.
Esse capítulo vai ter mais fala do que narração,eu amo fala -q

Boa leitura.

Capítulo 3 - { my color,my light } - Capitulo 2



  - Essa é nossa casa agora,Taeil.

  Seguimos o caminho todo em silêncio,ele apenas respondeu duas perguntas:

  Seu nome: Lee Taeil.

  Sua cauda está coçando? : Não.

Não ousei perguntar mais nada,ou o baixinho poderia voar no meu pescoço,pois sua cauda não parava quieta,e suas pequenas mãozinhas,unhavam as próprias calças.

  - Onde eu fico,Sr. Pyo? - Perguntou baixo,retirando o casaco grosso.

  -Eu tenho um quarto de hóspedes,que pode se tornar seu se quiseres,ele ainda está com uma decoração bem simples,mas pode deixa-lo do jeito que quiser. Oh e nã- O mesmo interrompeu minha fala com um "Oh" soprado.

- Espera,isso quer dizer que tem uma cama? - Os olhos do baixinho brilharam. Acenti com a cabeça,mas logo sua cara voltou a se fechar. - Oh! Pareço um bobo ficando feliz por uma cama. Onde fica o quarto?

- Na segunda porta ... - Disse baixo e confuso.

- Estarei lá,caso precise me expulsar daqui. - O pequeno disse indiferente e subiu as escadas com sua pequena mala.

  ...

- Taeil? - Disse batendo na porta. - Seu jantar está na mesa ... você ... quer jantar aqui? Se sim tudo bem eu entendo.

Ouvi a chave da porta girar,destrancando-a e Taeil sem seu chapéu a abriu rápido.

- Você está me convidando pra jantar com você? - Perguntou desconfiado girando a cabeça para o lado,com as orelhinhas baixas. - Vo-Você ... Está brincando comigo né?

- Por que eu estaria? Vai descer? A comida vai esfriar.

- E-Eu ... Eu estou descendo,obrigada por chamar. - Respondeu seco e tornou a fechar a porta.

  Eu me sentia confuso em relação a Taeil,ele era misterioso,e muito fechado,a única informação que se obtinha dele,era seu  nome e se a ponta de sua cauda estava coçando ou não. Fui até a cozinha,servindo por fim meu prato,e começando a comer,o pequeno apareceu pouco tempo depois,sem seu óculos e sem o tipico chapéu.

  - Onde sento,Sr.Pyo?

- Pare de me chamar de senhor. Sente-se onde quiser,temos 5 cadeiras livres ao redor da mesa. - Disse apontando as cadeiras com a cabeça.

- Me sentar a mesa com você? - Suas orelhas pareciam atentas. - Eu não costumo ser educado,e muito menos manter diálogo com meus donos. Mas,o senhor é louco?

- Por que seria? - Perguntei mais pela curiosidade da sua história,por que ja sabia o que os compradores faziam com seus Híbridos,poucos eram excessão como eu e os garotos.


  - Por nada. - Disse grosso,sentando-se na ultima cadeira da ponta da mesa.


  - Deveríamos conversar mais,para nos conhecermos mais,não acha?

  - Não costumo ser simpático e nem fornecer informações a pessoas que irei manter contato por pouco tempo. - Disse seco,eu ja havia me acostumado com a sua falta de humor. - A comida está ótima.

  - E por que vamos manter um curto tempo de contato,Taeil? - Perguntei colocando os cotovelos sobre a mesa,e apoiando minha cabeça nas mãos.

  - Não se faça de tolo,isso me cansa! - Disse batendo o Hashi na tijela e me olhando sério. - Você é um comprador! São todos farinha do mesmo saco. Nos compram,são educados no primeiro dia,e no segundo dormimos no porão após arrumar uma casa inteira!


Compradores ricos,costumavam fazer seus Híbridos de escravo,recompensando-os com sexo em suas épocas de cio. Eram tratos nojentos,mas que os Híbridos escravizados eram obrigados a concordar. Taeil já deve ter passado pela mão de alguns desses monstros,por isso a falta de humor e rigidez comigo,ele enxerga os compradores todos iguais,monstros.


  - E quem disse que sou igual aos outros?

- Eu já ouvi essa história de outros carnavais,Pyo. Não tenho mais ânimo para atura-la. Apenas me devolva para aquele inferno em uma semana,e estaremos quites,certo?

  - Nada feito. - Disse levantando deixando um Taeil boquiaberto para trás.


- Ma-mas... Espere! Por que nada feito? - Ignorei a pergunta é fui para sala. - Eu disse para me esperar! - Enrroscou suas unhas em minha camisa.


  - Eu não vou te devolver Taeil. Eu não quero te devolver,eu te comprei,certo? E eu não quero te devolver. - Me virei para ele após o mesmo desenrroscar-se de mim. - Você não vai me odiar por muito tempo,Taeil.

  - Eu sempre vou te odiar,Jihoon.

O menor,enfurecido,saiu batendo os pés da sala,enquanto as palavras deles,por algum motivo,rondavam minha mente.

  ...

  - Eu poderia ter gravado o dia que você disse que não queria um híbrido,não poderia? - o loiro disse enquanto jogava os dardos no alvo que ficava na parede do escritório. - Ele deve ter sofrido muito,por isso é tão arisco. Vai ser difícil ganhar a confiança do pequeno.

  Como eu disse,Yukwon é uma ótima caixinha de segredos,e ótimo psicólogo também. Parece ser patético da minha parte,mas sempre que estou em apuros com meus próprios problemas,chamo-o para me ajudar - ou ao menos,tentar. 

  - Não acho que tenha sido um erro compra-lo,eu só ... Queria um híbrido como Kyung e Jaehyo. - Disse fazendo um biquinho,o mais velho riu,e se levantou para pegar os dardos.

  - Acha mesmo que eles ja vieram simpáticos e educados assim? Jaehyo arranhava MinHyuk ao menos duas vezes ao dia por ciúme. Kyung fazia questã de bagunçar os CD's de JiHo todo santo dia.  Você não o tem em casa nem a um dia,Maknae.

  - Acho que minhas expectativas foram muito grandes nele. - Bebiriquei um pouco do café que Yukwon me trouxe. - Como devo fazer para que ele pare de ser tão orgulhoso e ... medroso?

  - Ele vai precisar de alguém em seu cio. Como ele não tem um híbrido também,terá que passa-lo com um humano. Depois disso,ele é seu. - Cuspi todo o café que estava na minha boca,encima da mesa. - É bom que você limpe isso depois.

  - O que disse?! - Perguntei já com medo da resposta.


  - É mentira,seu idiota. - Suspirei aliviado fazendo o loiro rir - Híbridos de laboratório raramente tem Cio. Você só precisa educa-lo. Quando o mesmo fizer muita "graça",apenas ignore e feche o circo dele. Ele tendem a querer muita atenção,e quando não recebem,são chatos,e tentam adquiri-la de qualquer jeito,e é aí que você vai ver se seu Híbrido gosta de você ou não,pois ele vai correr atrás de você,em busca de atenção.


  - Tsc! Eles são realmente como gatos.


  Ouvimos batidas na porta,e uma voz fina atrás da mesma.


   - Sr.Pyo? Está ... falando sozinho? - A voz baixa ecoou o corredor,fiz sinal para que Yukwon se calasse.


  - Não estou,Taeil. Estou em uma chamada Skype. - Menti fazendo Yukwon morder o dedos para não rir.


  Yukwon não era alguém extra-oficial,cujo precisava ter a identidade escondida - Por mais que do jeito que eu mentia,parecesse -,mas Taeil é imprevisível,em um dia,ele forà amável e detestável,não queria que o pequeno se envolvesse com muitas pessoas ao meu redor em tão pouco tempo. 


  - Me perdoe,vou voltar para meu quarto. - Disse soltando a maçaneta,que só então percebi que estava sendo abaixada.



  Yukwon fez gestos para que eu fosse atrás do mesmo,e eu o fiz.



  - Taeil! - Gritei abrindo a porta - Pod... Oh! Meu Deus ... Seu corpo,ele ...


  O Pequeno estava com óculos de armação fina e redonda,uma camiseta cobrindo seu pequeno shorts,e as coxas a mostra,o corredor era iluminado apenas por alguns abajures,cujo os mesmos não iluminavam tanta coisa,deixando Taeil mais ... Gostoso? Onde estou com a cabeça!
   Seu corpo era quase totalmente tatuado,as cores exuberantes pintavam meus olhos,e o pequeno abraçado ao travesseiro se virou me olhando. 

  - Eu não tinha muita alegria,então eu as pintava em meu corpo. - Disse sorrindo triste.

  Fui até o pequeno que deu dois passos para trás com os olhos arregalados,tentei tocar suas orelhinhas,mas o mesmo deu um tapa em meu braço,mostrando sua face detestável novamente. Após o ato nos encaramos por alguns instantes e Taeil logo abaixou as orelhas,se curvando.

  - Me desculpe,eu só ...

  - Tem medo? - Perguntei fazendo o mesmo me olhar com os olhos pequenos brilhantes devido as lágrimas que ali se juntavam. - Eu não vou te machucar,pequeno gatinho.

  O rapaz continuava a dar passos para trás,com a cauda felpuda entre as pequenas pernas,suas mãos amassavam o travesseiro com força,tal força poderia rasga-lo.


  - Todos diziam isso,Jihoon. Nada me garante que o senhor será excessão. - O mesmo disse parando uns cinco passos mais distante.

  Eu poderia expreme-lo até que o mesmo contasse-me sua história,mas ele estava irredutível,suas orelhas pontiagudas atentas a qualquer barulho denunciavam alerta,preferi deixa-lo em paz,e endireitar minhas costas para falar formalmente com o menor.

  - O que te traz aqui,então?


  - Está chovendo e ... Eu tenho medo de chuva. - Terminou a frase em tom baixo,como se aquilo esfaqueasse seu orgulho.


  Olhei para a janela ao nosso lado,e as gotas grossas molhavam-a por inteira,deixando a paisagem da cidade inteiramente abstrata. Ri da cara chorosa de Taeil,que apenas entortou o lábio reprovando o ato.

  - Quer que eu te de atenção até dormir? - Perguntei baixo.

  Enquanto o pequeno olhava assutado para a janela que exibia o clarão dos raios e iluminavam o corredor,cuja luz era quase nula. Eu sorria mesmo que minimamente observando de perto a criaturinha cujo tanto almejei cuidar por dias da minha vida,Taeil era delicado e durão,se escondia atrás de um duro casco pra não se machucar. O pequeno me olhou novamente,e balançou a cabeça positivamente.

  - Isso fere meu orgulho - O pequeno disse baixo mas eu o ouvi perfeitamente.


  - O que disse? - Perguntei assustando o menor.


  - Esses trovões fazem muito barulho. - Disse sorrindo amarelo.


  - Vou desligar a chamada Skype,e já subo para seu quarto,me espere lá,sim? - O pequeno concordou e saiu correndo tropeçando nas próprias pantufas.

Um dia ele vai descobrir que não é uma chamada via Skype.

  - É o primeiro dia junto,e já vai dormir com o seu gatinho? Queria que Jaehyo tivesse sido assim. - O loiro disse baixo me assustando.


  - Que susto,seu idiota! Vá pra sua casa que deu sua hora! - Disse o empurrando para fora do corredor.


  - Eu vou,mas eu volto pra saber o que aconteceu! - Disse piscando me fazendo revirar os olhos. - Não seja rude! Se cuide,maknae.


  - Até mais,Kwonnie.


  Após Yukwon deixar o apartamento,subi em disparada para o quarto do menor medroso,desabotoei alguns botões da minha camisa,e afrouxei a gravata,entrando assim no quarto que a meses,não via em tão perfeita ordem. Encontrei-o sentado de frente para sacada,observando os raios iluminarem o quarto sem nenhuma fonte de luz.



  - É bom saber que mantém as coisas em ordem - Disse sentando no pequeno puff próximo a ele.



  - Não me assuste mais assim - Disse se levantando da cadeira e indo deitar. - Pode ficar aqui comigo,até que eu durma? ... Eu não ... gosto de ficar sozinho,Sr ...




  - Não me chame de senhor! Ficarei aqui até que durma,pequeno.




  - Não me chame de pequeno!




  - Certo,anão.

...


Notas Finais


Desculpem a demora,extensa. Estava muito atarefada,espero que entendam!
Taeil medroso,batendo de cara com as próprias palavras rudes,o que será que vai acontecer com esse baixinho Rabugento?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...