História I will - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O
Tags Aceitacao, Baekhyun!fem, Chanbaek, Chanbaek!fem, Chanyeol!fem, Exo!fem, Fem!chanbaek, Fem!exo, Melhores Amigas, Menção Baeksoo
Visualizações 48
Palavras 1.762
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Comédia, FemmeSlash, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - I will know you


 

Meu encontro com Kyungsoo foi mais o perfeito possível, eu estava radiante, não tinha mais a pressão das provas, em alguns dias veria Chanyeol, o tempo estava bom, o céu limpo e ele segurou minha mão por boa parte do passeio. Vi seu nervosismo e rosto vermelho, então esbarrei nossos dedos de propósito.

Apenas caminhamos, tomamos sorvete e conversamos um pouco. A todo momento eu falava da minha melhor amiga que estava chegando, e ele foi paciência, gentil, me ouvindo de verdade, ficando genuinamente feliz por mim.

Isso que me fez gostar de Kyungsoo, a forma como ele é verdadeiro, principalmente em suas expressões.

Um livro aberto.

Nós não nos beijamos naquele dia, mesmo que ele houvesse me deixado em casa e me presenteado com um dos sorrisos mais lindos do mundo. Mas ainda não era a hora.

— Não vamos nos ver muito agora, já que as férias estão se aproximando.

— É só me chamar para outro encontro. — falei com um sorriso, vendo-o assentir uma vez, parecendo muito feliz com minha resposta.

— Vou fazer isso, então.

Aquela semana passou de forma completamente lenta. Continuei trocando mensagens com Kyungsoo e uma vez até fui até a cafeteria, quando precisei ir na faculdade revisar minhas provas na outra semana, então acabamos conversando bastante. Os dias se arrastavam e eu mal conseguia acreditar que no dia se seguinte iria buscar Chanyeol na estação! Ela estava instalada na capital, Seul, e eu moro em Incheon.

Estava radiante, mais do que feliz, tudo parecia estar dando certo na minha vida.

Para Yeollie: Eu vou com uma blusa bege e saia vinho, ok? Vou te esperar na saída.

Para Baekkie: Tudo bem.

Para Baekkie: Estou ansiosa, quero te ver.

Para Yeollie: Eu também.

Para Baekkie: Parece que eu sinto uma constante saudade de nós duas, mesmo que quase não lembre da nossa infância, sei lá…

Para Yeollie: Entendo você, vamos matar essa saudade enquanto estiver aqui.

Para Yeollie: Vai dormir, precisa sair cedo amanhã.

Para Baekkie: Te amo, boa noite.

Para Yeollie: Amo você.

 

Me joguei na cama, completamente extasiada, dormir era quase impossível, minha cabeça formiga de tanta ansiedade e ideias do que queria fazer com minha melhor amiga. Iriamos conhecer todos os pontos turísticos da cidade, eu a levaria na minha faculdade e no café o qual Kyungsoo trabalhava. Vamos ao cinema, ao parque e até em um barzinho legal de noite. São tantas possibilidades, tantas coisas para falar, fazer e planejar.

Chanyeol tirou o ano para pensar no que queria fazer em sua faculdade, por isso está em casa, apesar de sempre estudar para o vestibular.

Eu mal conseguia me aguentar de tanta ansiedade, e acabei dormindo enquanto fantasiava com os dias seguintes.

 

[...]

 

Dei um pulo da cama.

— Baekhyun, seu despertador já tocou três vezes, você não tinha que sair? —  minha mãe gritou, abrindo a porta do meu quarto.

Sair?

Eu tinha que sair?

Para que?

Olhei meu celular, vendo uma mensagem de Chanyeol, era uma foto bonita da paisagem com o sol nascendo.

Para Baekkie: Estarei aí em breve.

Puta que pariu!

Me levantei correndo, tomando um banho rápido e colocando a roupa que separei no dia anterior, sequer penteei o cabelo ou passei maquiagem, apenas peguei um pedaço de bolo para comer no caminho enquanto corria pela rua.

Sou uma péssima melhor amiga!

Avisei que já estava a caminho da estação, perguntando para Park quanto faltava para chegar.

Para Baekkie: Acho que menos de vinte minutos.

Para Baekkie: Não ouviu o despertador, né? Depois me chama de dorminhoca.

Para Yeollie: Você é dorminhoca, eu sou difícil de acordar, é diferente.

Para Baekkie: Tudo bem, eu fico sozinha na estação, esperando minha suposta melhor amiga.

Para Yeollie: Não faça drama, já estou no ônibus, chego em breve!

 

Suspirei aliviada por não ter trânsito no final de semana, e olhei ansiosa a paisagem enquanto os minutos se arrastavam. A ansiedade não me deixava em paz, tinha medo de algo mudar na nossa amizade, e se ela me achasse chata pessoalmente? Estranha? Ou algo do tipo?

Sim, contamos tudo uma para outra, mas por isso mesmo tenho medo de decepcioná-la de alguma forma.

Quando finalmente cheguei na estação, olhei o painel de avisos, mostrando que o trem de Seul havia acabado de chegar.

Aguardei ansiosa na área de desembarque, olhando ao redor para ver se ela estava por perto. Chanyeol disse que estaria com um jeans rasgados e moletom, sempre tão “feminina”. Adoro isso nela, o fato de usar roupas largas e que não são consideradas nem um pouco atraentes, mas nela, ficam lindas de uma forma que não ficaria em mais ninguém.

Afinal, não é preciso ser delicada para ser uma garota bonita.

Movi meus pés de forma ansiosa, arrumei minha roupa e tentei me olhar no espero, estava usando um coque frouxo e sem nenhuma maquiagem na cara, estaria bonita?

Não deveria pensar nisso, mas queria muito que Chanyeol gostasse de mim, mesmo que ela já me amasse. Estranho, não?

Quando ela saiu pela portão, não consegui evitar o enorme sorriso que se espalhou em seu rosto. Chanyeol mastigava o lábio inferior, parecendo tão ansiosa quanto eu, usava um moletom de preto escrito: avada kedavra, bitch. Os fios escuros na altura dos ombros estavam soltos e lisos, com uma franjinha que deixava seu rosto com uma aparência adorável, mesmo com toda a pose de: i don’t give a fuck.

Ela puxava uma mala pequena de rodinha, azul e cheia de adesivos, enquanto olhava para os lados a minha procura. Eu deveria estar muito feliz em finalmente ver a Park, deveria correr e gritar e fazer escândalo, como geralmente faço com as minhas amigas, mas ver Chanyeol depois de todos esses anos me deixou paralisada.

Suas fotos nunca fizeram jus a real beleza da minha amiga.

Ela era linda.

E ficou ainda mais deslumbrante quando seus olhos brilhantes encontraram os meus, abrindo um sorriso tão grande e feliz que me senti completamente aquecida. Acenei entusiasmada, não querendo me perder em todos esses pensamentos confusos, finalmente correndo ao seu encontro.

Ela largou a mala para me abraçar apertado, agarrando minha cintura e tirando-me do chão por alguns instantes.

— Hey, não faça isso.

— Você é ainda mais baixinha do que eu pensei! — disse com um sorriso enorme.

— Não sou nada. —  fiz bico e lhe dei a língua. — Você que cresceu demais.

— Culpe meus pais, não controlo esse tipo de coisa.

— Digo o mesmo. — rebati com um sorriso, então rimos uma da outra.

E, naquele instante, todas as minhas preocupações a respeito da nossa amizade não ser a mesma, sumiram. Pois em poucos minutos e com alguns sorriso, eu percebi que a Park continuava a mesma pessoa de sempre, só que agora, posso tocá-la, abraçá-la, sorrir com ela e descobrir tudo que nunca conseguimos antes, uma com a outra.

 

Seguimos até minha casa entre conversas divertidas e perguntas sobre a viagem, estava morrendo de fome e ela riu da minha barriga roncando, mas o que poderia fazer? Não consegui comer nada pela manhã.

Minha mãe nos esperava com uma mesa farta, ela adorava colocar comida goela abaixo das pessoas, e logo falou como Chanyeol estava magrinha e precisava se alimentar. Minha amiga ficou um pouco mais tímida na presença dos meus pais, mas não a ponto de recusar as delícias que minha querida mãezinha fez.

Contudo, depois de uma hora, eu já falei pra deixar as coisas no meu quarto, onde iria ficar em uma cama improvisada ao lado da minha, e arrastei a garota para a rua.

Gosto de passear e queria gastar cada segundinho agarrada a ela.

Minha intenção era ir ao shopping, talvez ao cinema, comprar umas besteiras e passear pelas ruas iluminadas da cidade mais tarde. Contudo, depois de algumas horas andando, Chanyeol fez um biquinho manhoso, e muito lindo que fez sentir coisas estranhas, enquanto me abraçava por trás.

— Baekkie, estou tão cansada da viagem, vamos ver umas séries e ficar debaixo das cobertas hoje, sim? Por favor.

— Mas não queria ver um filme?

— Pode ser amanhã? Você está de férias, meus pés estão doendo.

Nós não ficamos sem assunto um segundo sequer, mas sentir seus braços longos ao meu redor e o queixo apoiado no meu ombro, me fez perder a fala e sentir coisas que jamais imaginei com minha melhor amiga. Coisas as quais eu tento esquecer desde o ensino médio quando encontrava a Minseok escondida no banheiro.

É só uma fase de adolescente, sempre disse para mim, conhecer coisas novas.

Contudo, porque eu não conseguia parar de olhar para a boquinha cheinha e bonita de Chanyeol? Ela me acharia estranha se ficasse encarando demais. Então eu só ri, um pouco constrangida, e me afastei.

— Tudo bem, tudo bem, mas amanhã nada de fazer corpo mole.

— Aish, que mandona. — brincou a Park, beijando minha bochecha e segurando minha mão para andar em direção a saída, como se conhecesse muito bem o lugar.

Acabei rindo — ignorando como gostei da textura de seus dedos enlaçados nos meus —  e puxei-a para a direção certa do ponto de ônibus.

Nós acabamos ficando no meu quarto o resto do dia, pegamos quase metade do bolo que minha mãe fez, um copo de café quentinho e nos esprememos debaixo das cobertas na minha cama de solteiro.

Chanyeol esticou as pernas, brincando com seu pé gelado no meu enquanto nós duas procurávamos alguma coisa legal para assistir no Netflix, rindo daqueles filmes de comédia absurdos e tampando os olhos quando aparecia uma capa muito sinistra de filme de terror.

Somos medrosas.

Ela mais do que eu, para deixar claro.

Acabamos escolhendo um série de suspense policial que parecia bem legal e tinha poucos episódios. Então, passamos o resto da noite assistindo aquilo, nos indignando com os casais, já que shippamos tudo errado, e criando teorias sobre o verdadeiro assassino.

Mas em determinado momento, eu acabei me dispersando do que acontecia na telinha do computador, não por sono, mas porque Chanyeol segurou sua mão na minha, brincando com meus dedos. Acabei fazendo o mesmo, deslizando a ponta dos dígitos em sua palma, como ela fazia comigo. Esse carinho foi se estendendo até o pulso e voltando, me fazendo olhar discretamente para nossas mãos unidas, sem coragem de olhar para ela em si.

E apesar de parecer banal e completamente bobo — coisa de amiga —  aquele gesto simples descompensou meu coração de uma forma que fiquei com medo da Park ao meu lado escutar, me fazendo indagar o que havia acontecido comigo, já que desde que coloquei os olhos sobre minha melhor amiga, tudo ao redor parecia um pouco diferente.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostadooo, aaaaaaaaaaaaa
Acho que a atração sempre é uma porta de entrada, e o fato delas já se amarem fez com que para a Baek, a Chanyeol fosse ainda mais bonita, e seria mentira dizer que não nos apaixonamos pelo que vemos. Mas, isso não quer dizer que aparência é tudo.
Elas já haviam visto fotos uma da outra, mas Baekhyun só se sentiu diferente ao poder tocá-la, ao ser real. É engraçado como as coisas são né, tipo, apesar de amar alguém que conhecemos na internet, ao ver essa pessoa pela primeira vez, geralmente acontece dois opostos, ou você se encanta ainda mais, ou perde o encanto do que tinha antes.
Ao menos, as minhas poucas experiencias foram assim, mais da primeira forma do que da segunda, ainda bem.

Volto em breve com mais ><


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...