História I will always love you. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Jikook, Não Deixe Jikook Acabar, Vai Ter Lemon Porque Sim
Visualizações 7
Palavras 1.066
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes que venham me perguntar se eu tô sofrendo, não, eu não tô (como se alguém fosse perguntar) felizmente, mas é que eu tava meio triste, as vezes isso acontece, bipolaridade é foda, e eu vi uma fanfic triste de Taeyoonseok que acabou com um finalzinho mais ou menos, com gostinho de quero mais, e eu tive essa ideia. Legal, né ?
Eu escrevendo sentia uma dorzinha no peito ;-;
Essa é a primeira vez escrevendo uma two-shots e com um começo triste, então perdoa eu se estiver ruim ;-;<3
E EU NÃO SEI FAZER CAPA, OK ? POR ISSO VAI UMA IMAGEM ALEATÓRIA DO JIKOOK
Boa leitura

Capítulo 1 - A Carta


Fanfic / Fanfiction I will always love you. - Capítulo 1 - A Carta

Eu era simplesmente seu amigo. Seu melhor amigo.

Mas não era somente amizade que eu sentia por você. Eu queria te abraçar, te acariciar, andar de mãos dadas com você, brigar, estar em seu lados em todos os momentos, seja bom ou ruim, queria ficar para sempre ao seu lado.

Eu queria sentir o gosto de seus lábios contra os meus.

Porém, isso nunca aconteceria, não é ? Você somente me via como seu amigo, seu amigo de infância. Nunca passou pela sua cabeça que eu gostasse de você, que eu amasse você. Afinal, mesmo se você pensasse isso, meus sentimentos nunca seriam retribuídos, porque você é hétero.

Nunca achei que simples palavras poderiam acabar facilmente comigo, mas acabou. Eu chorei dias e noites por isso. Ficava me perguntando o porquê de não ter nascido do sexo feminino, porque assim poderíamos ficar juntos e ninguém julgaria.

Ah, esse era seu maior medo, não é ?  Você tinha medo de que te julgassem, de que zoassem, de que te excluíssem, por isso passou a fazer parte do grupinho de populares.

O grupo que eu tanto odiava.

Você não tem idéia do quanto doía ver você falando mal dos homossexuais, dos gordos, dos deficientes, dos diferentes. Doía-me ver você fazendo todas aquelas atrocidades.

Mesmo assim eu continuava te amando, porque eu sabia que você não era desse jeito, sabia que você só queria se encaixar.

O tempo passou e, felizmente, aquele grupinho amadureceu e se arrependeram de tudo. Lembro até hoje de vocês no refeitório, de cabeça baixa, pedindo desculpas a todos que fizeram mal. Eu fiquei tão orgulhoso de você.

Claro, um simples pedido de desculpas não apagariam as brincadeiras de mal gosto que fizeram e muito menos diminuiriam a dor.

Então, você deu uma idéia. A idéia que eu odiei e odeio ainda.

Tentar ajudar aqueles que machucaram.

Eu deveria estar feliz porque foi você que deu essa idéia, mas não consigo. Não sou tão hipócrita a esse ponto. Porque foi assim que você conheceu ela, uma das garotas na qual era vítima das suas brincadeiras.

A garota por quem você se apaixonou.

Isso era tão clichê e eu odeio clichê, você sabe bem disso, mas você adorava clichês, deve ser por isso que você começou a gostar dela.

Doeu quando você veio me pedir conselhos.

Doeu ver você se declarando para ela.

Doeu ver você saindo com ela de mãos dadas como eu queria que você fizesse comigo.

Doeu ver você dando beijos nela.

Doeu.

Porque fui eu quem te ajudei.

A cada coisa que fazia para te ajudar, era como se estivessem me enfiando uma faca no coração. A cada momento que te via com ela, a cada caricia trocada, era como se meu coração se quebrasse mais e mais. Era como se arrancassem um pedacinho do meu coração lentamente, como se quisesse que eu sofresse mais. E o pior era ter que sorrir e fingir que está tudo bem. O que é sorrir verdadeiramente ? Nem sei o que é isso mais.

Porque isso nunca aconteceria comigo.

Afinal, eu sou um garoto e você também.

Sempre acharam que ficaríamos juntos no final, e, sinceramente, até eu achei, por causa das crises de ciúmes que tinha de mim. Achava fofo. Mas não foi isso que aconteceu.

Aquela garota tímida, que nunca gostou de mim por ter me assumido homossexual e eu muito menos dela, se revelou e mostrou a víbora que era que somente esperava a presa certa aparecer para abocanhar e, infelizmente, você foi a vítima. Saia para baladas, bebia até quase entrar em coma alcoólico e ficava com outros homens, me deixando com você em meu colo chorando e fazendo meu coração se apertar, porque eu te traria melhor. E era sempre a mesma desculpa que ela dava.

Eu tinha bebido demais e confundido ele com você, amor.

E você, como bom tolo apaixonado, acreditava e a desculpava e isso me machucava ainda mais, porque depois de algumas semanas, ela estaria saindo e bebendo e você em meu colo ao prantos. Nunca odiei tanto uma pessoa como eu a odiei.

Eu sempre estive lá por você. Sempre que você precisava de consolo, eu estava de braços abertos, pronto para te dar o carinho e o amor.

Até aquele dia.

Você tinha invadido o meu apartamento alterado, gritando coisas desconexas. Eu estava confuso. Do que você estava falando ?  Até que você simplesmente me acusou de ter batido na sua namorada na qual tinha falado isso sem ter quaisquer provas e você fez o que eu achei impensável.

Você me bateu.

Foi somente um tapa, mas foi como se meu corpo inteiro tivesse sido acertado, principalmente meu coração que ainda estava se recuperando, mas que agora tinha voltado a estaca zero. Eu vi seu rosto incrédulo, como se não tivesse acredito no que tinha feito, e vi você tentar me pedir desculpas, mas não deixei. Estava extremamente magoado e traído com aquilo, assim como sentia raiva.

Raiva por você ter acredito naquela piranha sem ter nenhuma prova.

Raiva por ter te incentivado a cair nessa teia.

Raiva por ainda te amar.

Em meio aos gritos, disse que era impossível ter batido nela, afinal, estava viajando e você nem sequer tinha percebi. Mandei você sair da minha casa e nunca mais voltar ou conversar comigo. Você foi, sem sequer tentar consertar a situação.

Dias se passaram e eu chorava cada dia.

Chorava por você não ter tentando nada pela nossa amizade.

Chorava por você ter acreditado nela.

Chorava pelo meu coração partido.

Chorava porque não era mais necessário, somente você me prendia a esse mundo.

Então, recebi a noticia que acabou com quaisquer resquícios de esperanças que ainda existiam em meu coração.

Você ia se casar.

Aquilo foi a gota d’água. Meu coração finalmente se despedaçou e não teria mais concerto, a não ser por um milagre. Estou sozinho agora. Minha omma e Appa estão bem juntos, Jin e Namjoon já se resolveram, assim como o threesome Taeyoonseok e todos meus outros amigos.

Eu não tenho mais ninguém.

Resolvi que irei sumir. Ninguém precisa mais de mim, não é ? Todos têm alguém. Ninguém ia sentir minha falta, muito menos você. Só espero que seja feliz com que você escolheu passar o resto de sua vida.

E lembre-se.

Não importa quanto tempo passe...

Eu sempre irei te amar.

To: Jeon Jungkook.

From: Park Jimin.


Notas Finais


Está bom ? Ou não ? Vai ser sim um segundo capítulo, porque eu não posso deixar o otp acabar assim.
É O OTP, MANO !
Vai ter lemon, porque todos gostamos de lemonada ( ͡° ͜ʖ ͡°), mas será a segunda vez que faço, então sorry antecipadamente se estiver ruim.
ATÉ O PRÓXIMO E O ÚLTIMO CAPÍTULO !
Braços ( ~*^*)~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...