História I Will Always Love You - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 13
Palavras 1.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Heyy ❤

Desculpem não ter postado ontem, mas estive ocupada a tratar de uns assuntos... Mas aqui está mais um capitulo 🎉

Falamos lá em baixo...
Kisses ❤🙈

Capítulo 10 - TEN


Fanfic / Fanfiction I Will Always Love You - Capítulo 10 - TEN

April acordou aos poucos por conta dos raios de luz que entravam pela janela, encomodando os olhos verdes de April.

Logo ela se habituou á luz e deu de caras com um ser humano dormindo profundamente, era Mathew, ela sorriu, mas logo esse sorriso se desfez quando se lembrou do ocorrido, e logo lhe caiu a ficha que ainda não havia contado a Toby, e nem sabia como o havia de fazer.

Levantou-se do chão e andou até á porta, saindo do quarto.

Andou um pouco ás voltas no corredor pensando numa maneira de contar para Toby, ela sabia que ele iria reagir mal, pois eles sempre foram muito apegados.

Quando finalmente ganhou coragem, o que demorou vários minutos, entrou no quarto e deu de caras com um ser humaninho muito lindo lendo um livro atentamente. As suas expressões eram exatamente iguais a de Jacob quando estavam concentrados.

Ela entrou e fechou a porta indo em direção ao pequeno ruivo, que agora sorria para April.

— Bom dia — ela disse dando um beijo na pequena testa de Toby.

— Bom dia — ele disse sorrindo.
Ela se sentou ao lado de Toby e bateu nas suas pernas para que ele deita-se sua cabeça nas mesma, e assim o fez, ela começou a fazer cafuné nos cabelos ruivos do pequeno enquanto pensava em alguma forma de contar, contar que o seu pai já não estava mais cá, contar que ele já não podia dar abraços ao seu próprio pai, contar que ele já não podia comer a comida deliciosa de Jacob, contar que já não tínhamos ninguém com quem confiar, contar que seu próprio pai havia morrido, morrido em um acidente de carro.

— Toby… — ela suspirou — a mana tem que contar uma coisa para ti, mas você tem que prometer que vai ser forte, okay?

— Claro mana — ele sorriu — eu sou muito forte.

Ela sorriu.

— Então, Toby, o papai — ela começou já sentindo os seus olhos lacrimejarem, mas rapidamente as limpou para que ele não as visse — ele sofreu um acidente.

Toby levantou a cabeça para assim ficar cara a cara com a ruiva. A expressão do pequeno ruivo mostrava sobretudo preocupação.

— Mas ele está bem, certo April?

— Toby, o papai está no céu.

— E-Ele morreu? C-Como April? — ele disse gaguejando, enquanto algumas lágrimas já escorriam pelas bochechas rosadas do garoto.

— Anda cá meu pequeno — ela abriu os braços para Toby e ele sem pensar duas vezes abraçou a mesma com força, deixando todas as suas lágrimas sairem.

A ultima vez que o garoto havia se sentido assim foi com a morte do seu irmão, Lucas, á sua própria frente e havia sido a pior coisa que ele já havia passado, e April estava sobretudo com medo de que, agora com a morte de Jacob, Toby se torne de novo o garoto isolado e triste que se havia tornado quando seu irmão morreu.

O pequeno ruivo acabou por adormecer nos bracos da irmã por tanto chorar.

A ruiva deitou o irmão cuidadosamente para não acordar o mesmo e depositou um beijo em sua testa.

Saiu do quarto e foi em direção ao seu quarto, quando e entrou deu de caras com uma visão linda. A visão de Mathew sentado a esfregar os seus olhos enquanto bocejava.

— Bom dia — ele disse manhoso quando viu a ruiva perto da porta — Anda cá — ele disse pois havia acabado de lembrar o ocorrido de ontem.

— Eu acabei agora de contar a Toby — ela disse enquanto se abraçavam.

— Como ele reagiu?

— Mal claro. Ele começou a chorar, e acabou por adormecer de novo por chorar tanto.

— Vai ficar tudo bem, okay ruivinha? — ele falou dando um beijo na testa de April.

— Espero que sim.

[…]

April, Mathew e Toby estão agora a almoçar silenciosamente. Toby havia acabado de acordar á alguns minutos atrás e tinha os olhos um pouco enchados. Ele estava distante e seu olhar estava diferente. April já estava a começar a ficar preocupada, pois ela não queria ver aquele menino distante e triste que sempre se isola no quarto como no ano passado, quando Lucas morreu. Mas infelizmente, é exatamente isso que está a acontecer agora com Toby.

April está a comer silenciosamente enquanto pensa, principalmente de como serão as coisas daqui para a frente. Ela ainda só tem 17 anos, ainda estuda e não conseguirá trabalhar. Alem disso, como ainda só tem 17 anos, não pode cuidar sozinha do irmão, não legalmente. Ela pensava em como as coisas ficarão daqui para a frente.

Mathew comia, enquanto tentava,de alguma maneira, fazer os dois ruivos sorrirem, nem que seja um pouco, mas não está a dar resultado. Pensava também em como estaria Melanie, já que ele não havia dormido lá estava preocupado se seu pai havia tocado nela, ou em sua mãe.

Todos estes pensamentos foram interrompidos pela campainha a tocar.

April foi abrir a porta devagar, já que estava cansada, deparando-se com dois policiais.

— Boa tarde — um deles falou.

— Boa tarde, o que desejam? — ela perguntou um pouco assustada.

— Queríamos resolver dois assuntos. Podemos entrar?

— Ahm, claro, entrem — ela deu espaço para eles entrarem e assim os dois fizeram enquanto olhavam atentamente para cada detalhe da casa.

— Muito bem, como você sabe, você tem apenas 17 anos e seu irmão 11, o que significa que pelas leis, terão que ir para casa da vossa mãe, e ficar sob a costódia dela.

— Tudo bem — April disse.

April estava na fase em que qualquer coisa estava bem para ela, apesar de ela não gostar de sua mãe, ela aceitou bem, pois sabia que assim tinha que ser, e não valia a pena resistir.

— E em segundo, nós inspecionamos o carro em que seu pai se encontrava no acidente, e descobrimos algo um pouco esquesito.

April arqueou a sobrancelha, ela não estava aperceber onde os policiais queriam ir com aquela conversa, nem o que eles estavam a querer insinuar com aquilo.

— Nós encontramos os cabos dos travões cortados, o que originou o acidente. E o que eu estou a querer dizer que alguém sabutou o carro do senhor Jacob.


Notas Finais


Heyy...

Amanha faço anos 🎉
E com isso eu trarei mais de dois capítulo a amanhã yeah 🎉❤

Eu peco que vocês deem uma olhada na minha outra fanfic, que eu irei atualizar quando puder.... Ficarei muito feliz ❤🎉
https://spiritfanfics.com/historia/maybe-forever-6398042


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...