História I'll always love you, my hybrid - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~isausquina

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Babyjaee, Híbrido, Isausquina, Namjin, Seokjinbiased, Taekook, Vampiro, Yaoi, Yoonmin
Visualizações 463
Palavras 1.515
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, oi!

Espero que gostem. ✨

Capítulo 2 - 02


Fanfic / Fanfiction I'll always love you, my hybrid - Capítulo 2 - 02

✖️

JungKook abriu os olhos e a primeira coisa que viu foi a curvatura de um pescoço pálido. Subiu seu olhar e viu uma boca vermelha, subindo cada vez mais até encontrar o outro. Fixou seus olhos nos do loiro, que estavam de cor esverdeada.

-  Ta-taehy...

- Não fale nada, apenas descanse - o híbrido interrompeu a fala do humano. JeonGuk nem ousou responder e apenas adormeceu ainda em seus braços.

Taehyung ajeitou-o e continuou a caminhar até a sua casa. Colocou JeonGuk no sofá da sala-de-estar e começou a preparar algo para ambos comerem. Já havia pagado o seu desafio, mas Tae não se importou em gravar vídeo algum, o objetivo do garoto agora era cuidar do acastanhado que havia desmaiado em seus braços. Demorou um tempo até seu colega de sala acordar novamente.

- O-o que está acontecendo?

- Você desmaiou assim que ouviu a minha voz – respondeu encarando-o.

- Onde eu ‘tô? – perguntou se levantando.

- Na minha casa – ao ouvir isso, o acastanhado arregalou os olhos fazendo o loiro erguer a sobrancelha em resposta.

- Que horas são? – JungKook continuava com as suas perguntas.

- ‘Pra que tantas perguntas? Está com medo de mim? – fez o moreno arregalar seus olhos.

- Por que teria medo de você? – se levantou e foi em direção a sua bolsa que estava um pouco a frente, encostada na parede. Pegou-a e colocou sob o ombro direito, indo em direção a porta de saída.

- Você é um medroso - caçoou. - Aonde vai? – Tae ergueu sua sobrancelha esquerda. O garoto nem respondeu, nem olhou para trás. Ao chegar na porta disse apenas “minha vida não é da sua conta”. Taehyung nunca se importou com ninguém além de si mesmo e de "sua família", porém com JungKook...

Ele se importou.

A noite passa e o dia chega. O híbrido se levanta e começa a arrumar suas coisas e, em exatos dois minutos, estava na frente do colégio. A chuva estava muito forte, com pedras geladas e pesadas, fazendo o ar ficar sombrio e o céu escuro.

JungKook entrou em sua sala e olhou diretamente para Taehyung, que o encarava. Sentou ao lado do loiro e para sua sorte o professor resolveu fazer trabalho em dupla, em que ele escolheria. Assim, como todos previram, Tae ficou junto com o JK. Logo de começo já estava difícil os dois juntos. Não concordavam em nada, até na cor da caneta que usariam.

- Cacete. E, porquê merda você me tirou daquela casa?

- Eu te salvei. - Os dois estavam gritando.

- Poderia me dizer do quê? – o fuzilou.

- Não. Você não precisa saber. – JungKook já estava estressado. Ele apenas se levantou, olhou para Tae e se retirou da sala, no meio da aula, deixando os alunos de boca aberta e o professor sem entender nada daquela discussão.

Taehyung já não entendia JungKook e agora, que estão começando a "conversar", está entendendo muito menos. Ele apenas ficou quieto e esperou a aula acabar. Não falou nada mais e, de cinco em cinco minutos, olhava para a porta, na espera de que JeonGuk voltasse para a sala. Ao sair, olhou para os lados procurando o acastanhado, mas não teve chance de continuar sua procura, já que "sua família" chegou.

- Procurando alguém, TaeTae? - Jin disse encarando-o.

- Não...

- Não arrumou nenhum problema, né? - NamJoon começou - Você foi transferido do outro colégio por isso!

- Não aconteceu nada. - Respondeu simplesmente.

- Sexta-Feira... Hoje a noite, na minha casa? - Yoongi disse com um sorriso malicioso.

- Vão vocês. - Taehyung ignorou o assunto. - Não vou passar mais uma noite escutando os gemidos e os gritos de vocês.

- Hoseokão, vai? - Jimin dirigiu a Tae.

- Não 'tô afim de ser o único de vela. Dispenso o convite. - Respondeu - E para com essa merda de "Hoseokão".

Hoseok e Taehyung eram bem amigos e agora que o resto do grupo soltou as frangas e confessaram uns aos outros, os dois amigos se aproximaram mais e também eram os únicos héteros - bom, pensavam que eram.

Apesar de suas diferenças, eles não deixaram de ser amigos depois que descobriram o que eram, no que Tae e NamJoon tinham uma certa vantagem de serem híbridos. Eles descobriram suas origens quando pequenos, então sabiam lidar bem com o que eram e faziam de tudo para esconder este segredo do resto do mundo.

Taehyung avistou JungKook do outro lado da rua, assim o chamou com um "ei", mas ele não ouviu por estar com fones de ouvido. O loiro correu em sua direção, puxou um de seus fones e repetiu o seu "ei", deixando seus amigos para trás, que observavam toda a cena.

- O que você quer?

- Entender o porquê está bravo comigo. - Taehyung falou seco.

- Não estou bravo com você, nem te conheço. - Respondeu colocando o seu fone novamente.

- Da 'pra tirar essa porra e conversar comigo? Odeio quando falo com uma estátua. - Puxou o fone novamente.

- O que me atacou? Naquela casa... Você me salvou de algo, eu lembro disso. O que era e por quê fez aquilo? - Olhou nos olhos do loiro, encarando-o.

- Escutei as garotas falando e resolvi te acompanhar. Na hora em que cheguei, havia uma "coisa" agarrada a você. JungKook, as pessoas acham que aquela casa é de espíritos e coisas do tipo, dado pelo seu nome "assombrada", mas não é. Nela, a algo bem pior que isso. - Fez aspas com os dedos. 

- E o que é? - JungKook tirou o outro fone.

- Ninguém sabe, ninguém acredita, ninguém gosta, ninguém respeita, ninguém aceita. - disse pausadamente.

- O QUE É? - JeonGuk aumentou seu tom de voz.

- Você vai saber, algum dia, eu acho. - Taehyung ia se retirando, mas o moreno o impediu, puxando seu pulso.

- Para que isso? Você nem me conhece, me seguiu, me salvou de alguma coisa e agora não quer falar comigo. Taehyung...

- Eu apenas te salvei. Só quero saber o porquê de estar bravo sendo que eu permiti que você não morresse.

- O que iria me matar, oras?

- Isso não importa. Olha, acho que a gente começou pelo pé esquerdo. Não nos conhecemos, não sabemos nada um do outro e já discutimos feito crianças. - Tae deu uma pausa. - Meu nome é Kim TaeHyung, e o seu? - Estendeu sua mão ao garoto.

- Jeon JungKook. - Devolveu o cumprimento.

- Novo amigo? - Jimin disse. Foi aí que se deram conta do restante dos garotos.

- Aish... JungKook, esse é o Park Jimin. Aquele é o Hoseok, SeokJin, NamJoon e o Yoongi. - Apontou para cada um, em que Jeon acenou com a cabeça a todos eles.

- Olá. - Disseram em conjunto.

- Vou indo. - JungKook disse, assim ele lançou um olhar a galera e a Tae e seguiu em frente, colocando seus fones de ouvido novamente.

- Ele está na sua sala, né? Já conhecia ele. - Jin disse.

- E da onde conhecia ele? - NamJoon o encarou.

- Daqui mesmo, sabe que eu conheço todos do colégio.

- Sei...

- E, ala, ó o ciúmes. - Hoseok disse.

- 'Tá nesse nível, já? - Taehyung riu.

- Cês vão ou não? - Yoongi, impaciente.

- 'Bora. - Jimin sorriu malicioso para seu amado.

- Até amanhã. - Hoseok e Tae se despediram dos demais, que seguiram para a casa de Yoongi.

Taehyung seguiu sozinho, com os dois fones de ouvido e com as mãos nos bolsos do moletom. No caminho, JungKook veio a sua cabeça e ele lembrou da cena de ver o garoto quase morrer por um demônio. Não podia falar isso para ele, ele não poderia saber nada sobre aquilo. Um simples humano não entende o que Taehyung pensava, o que um vampiro pensava, o que um demônio pensava. A sociedade criou isso e é quase impossível de reverter este pensamento.

No mundo onde vive diferentes tipos de pessoas, diferentes tipos de "criaturas", não poderia existir essa abominação que os humanos tem contra os outros. Ninguém acredita que realmente existem e levam em conta os "espíritos" e coisas do tipo, mas não as "criaturas místicas". Pensam que é ficção e histórias para boi dormir, mas são realmente reais e Tae era um dos exemplos disso. Ele só não sabia que JungKook não abominava-o pela sociedade, e sim por outro motivo.

Foi bem difícil no começo, mas depois de um certo tempo todos se acostumaram com o que eram. Há os bons e os ruins e, graças por todos eles serem bons. Tudo isso se torna um segredo de família mortal. Taehyung e NamJoon sendo híbridos, Jimin um lobisomem, Yoongi um vampiro, Jin um bruxo e Hoseok, o único humano ou melhor, o único normal. Antigamente, houve casos de humanos saberem das criaturas/ pessoas e todos eles sofreram muito por isso, porém Hoseok era um caso a parte.

Se eu virar amigo do JungKook, o que pode acontecer?


Notas Finais


Obrigado e até o próximo! Estão gostando, rs?

~babyjaee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...