História I will be your remedy - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Regina Mills, Swanqueen
Visualizações 373
Palavras 2.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, perdi o sono e escrevi esse cap agora. Está um pouco grande, maaas....Muito obrigada pelos comentários e pelos favs. Isso me faz muito feliz. Aproveitem. Espero que estejam gostando. Aceito opiniões também heim bjss

Capítulo 3 - "É apenas um almoço"


Fanfic / Fanfiction I will be your remedy - Capítulo 3 - "É apenas um almoço"

Regina POV

Depois de sair da loja de Emma, minha cabeça saltitava. Parecia que ia explodir a qualquer momento. Como se um aneurisma enorme estivesse em meu cérebro, e cada movimento brusco que eu fizesse, o mesmo estouraria. Eu agi de uma forma tão impulsiva chamando-a para almoçar comigo que nem tive tempo de pensar se eu deveria mesmo me entregar a ela. Eu passei por tanta coisa nesses últimos dias. Por mais que eu tentasse me convencer de que seríamos apenas amigas, algo em Emma me dizia que isso não seria possível. Ela parece ser daquelas que você mergulha, explorando cada pedaço e quando você  acha que sabe, sempre tem mais a ser descoberto. O olhar intenso e calmo que ela me lançou, aquilo me prendeu a ela. Era como se eu estivesse me afogando e ela viesse como um sopro tentando me salvar. Emma apareceu como um fôlego. Eu não podia conter a felicidade e curiosidade que crescia em meu peito.


Entrei no carro acelerando. Andei pelas ruas e a cada esquina que eu dobrava com o carro, eu via o sorriso de Emma. Não é possível Regina! Você  está ficando louca. Eu não posso estar apaixonada, eu nem a conheço, não sei de suas manias, seu gosto musical, não sei se ela tem filhos e muito menos se ela gosta de mulheres. A onde foi que eu me meti? Eu que sempre hesitei em mergulhar de cabeça nas pessoas, principalmente quando eu não as conhecia, estava ali, à beira de pular do trampolim, dando um salto arriscado, caindo logo em seguida num mar de águas sem qualquer medida de profundidade. Em um oceano onde eu não sabia se estava disposta a me deixar levar consigo.


Eu queria chegar em casa com pressa, estava sedenta por um banho relaxante. Já era noite e as horas voaram. Parecia que eu tinha me encontrado com Emma não fazia nem uma hora. Era tudo tão recente... Joguei a bolsa no sofá, subi as escadas, entrei no quarto e tirei a roupa rapidamente. Coloquei uma música para relaxar e por coincidência, ela me lembrou a Emma. Entrei na banheira sorrindo ao me lembrar dos pequenos momentos que tivemos hoje mais cedo e relaxei ouvindo a música, tentando conter toda a ansiedade que minha alma exalava. Terminei meu banho, me sequei, fui até o closet e peguei meu suéter preto, pus minha calça de dormir e deitei. A lua iluminava meu quarto. Uma luz que se eu olhasse por muito tempo, ficaria cega. Levantei para fechar a cortina com o objetivo de amenizar a claridade que entrava em meu quarto. Por fim, deitei com um sorriso no rosto. Faziam anos que eu não sabia como era dormir sem me preocupar com o amanhã. Claro que esse não era o motivo real. Minha paz tinha nome, Emma Swan. Enquanto o sono não vinha, me peguei pensando em uma frase do famoso McDreamy, vulgo Derek Sheperd.


“Quando estamos com o coração em risco, nós respondemos de duas formas: nós iremos correr ou iremos atacar. Tem um termo científico para isso: lutar ou voar. É o instinto. Nós não podemos controlar. Ou podemos?”  


Para você eu não sei, mas para mim, isso fez total sentido. Acabei dormindo. 

Acordo com várias ligações de Zelena.  


- Alô? - disse murmurando, quem em sã consciência liga pra uma pessoa a essa hora?


- Nossa sis, que mau humor! Mas não tô nem aí, liguei pra dizer que eu conheci uma mulher, seu nome é Ruby e ela é totalmente perfeita para mim. Nos conhecemos em uma boate. Ela é daí de NY e vem passar esse final de semana comigo. Antes que pergunte, a empresa está bem, tudo está sobre controle.


- ZEEEL! Se eu soubesse que era uma notícia dessa, eu não lhe trataria assim. Me perdoe. Estou muito feliz por você. Espero que ela lhe faça bem mesmo e que ela ponha muito juízo nessa sua cabeça.


- Ai Regi, eu tô muito apaixonada. Como está tudo aí?


- Está tudo bem. Conheci uma mulher também. Seu nome é Emma Swan. Mas ainda não sei se eu me entrego ou não. Você sabe, faz pouco tempo que eu e Arizona nos divorciamos, então tenho receio de isso ser carência de minha parte. Mas sei lá sis, quando bati o olho nela, algo dentro de mim me dizia que ela é a mulher da minha vida. - eu pude sentir meu rosto corando ao dizer isso, primeira vez que digo algo desse tipo alto, para alguém que não seja eu. Um silêncio se formou.


- Zel? Ainda está aí?


- Sim Gina, só estava pensando no quanto você está sendo boba pensando se deve ou não se entregar a ela. Você está apaixonada Regi. Se agarre, não deixe que esse divórcio acabe fazendo com que você se feche às  pessoas. Encare isso como um recomeço, mergulha sem se preocupar. Tudo fica mais leve quando você não se importa com o que acontecerá depois.


- Eu amo você Lena. Aaah, me esqueci, eu e ela almoçaremos hoje.


- Não acredito que meu neném terá um encontro! Eu também amo você.


- Não é um encontro Zel, não ainda.


- Isso é o que você diz. Quero saber se dá parte dela também não é um encontro. Tenho que ir maninha, uma papelada me espera. Te amo!


- Amo você. Beijo.


Encerro a ligação e volto a jogar minha cabeça no travesseiro esperando a hora passar. Levanto e vou fazer minha higiene matinal. Tomo um banho demorado e não consigo conter a animação de encontrar a Emma hoje. Me enxugo, enrolo meus cabelos na toalha e vou em direção ao closet. Escolho uma blusa de manga preta, uma saia lápis preta também, e um salto scarpin vermelho. Penteio e seco meus cabelos, marco uma hora no salão, meu cabelo já estava grande, e eu gosto dele bem curtinho. Passo uma maquiagem leve e pincelo meus lábios  com um batom vermelho sangue fosco. Feito isso, tomo um café e vou pegar meu carro. Entro e acelero em direção do salão.


- Quero um corte curto, que me deixe sexy e ao mesmo tempo, passe uma imagem de mulher poderosa, executiva.


A cabeleireira fez um corte magnífico. Do jeito que eu queria. Paguei e saí do salão. Fiquei fazendo hora até dar a hora de ir buscar Emma.



Emma POV


Acordo com Ruby e Henry se jogando em cima de mim.


- Acorda mãe!  Hoje é o grande dia! - Ele diz me beijando na bochecha.


Fiquei sem entender até lembrar que eu sairia com Regina hoje. Levantei dando um beijo na testa dos dois e saí correndo para fazer minha higiene matinal. Saio do quarto e pego a primeira roupa que eu vejo. Pego minha jaqueta e dessa vez coloco uma sapatilha branca com alguns detalhes. Vejo que estou com um blusa branca de tecido delicado. Nada tão demais e nada tão de menos. Eu estava confortável. Eu estava sendo eu mesma. Se eu quisesse que Regina gostasse de mim ou sentisse algo assim como sinto por ela, começaria por ela gostando de mim do jeito que sou. Nada muito vulgar, mas também nada muito sem sal. Vesti minha calça favorita,  tinha uma tonalidade de jeans azul claro. Apanhei minha bolsa e desci vendo Henry e Ruby jogados no sofá depois de ter comido o café da manhã.


- Uau! Você está linda mamãe.


Ruby concorda com ele e eu agradeço. Tomo meu café e chamo Henry e lobinha para irmos. Deixo Henry no curso e vou para o trabalho com Ruby. O caminho até a loja foi calmo, Ruby não parava de falar no quanto estava ansiosa para ver Zelena. Chegamos e abrimos a loja. A manhã estava agitada, e pra variar, Belle estava atrasada.  A hora foi passando e meu coração vibrou ao ver uma mensagem inesperada de Regina.


Bom dia senhorita Swan. Espero que não se esqueça do nosso compromisso. Beijos. R. M.”


Não demorei muito e logo respondi.


- Como esquecerei ?


- Nunca se sabe. Sempre é bom reforçar senhorita Swan.


- Pode me chamar de Emma, Regi. Estou te esperando. Beijinhos.


Regina era uma das poucas pessoas que eu respondia as mensagens na hora. Comecei a suar frio, estava nervosa para vê-la. Sentir aquela sensação de estar protegida com alguém, eu ansiava por isso.


Minutos depois Ruby desceu até a recepção quando ouviu o sino da porta fazer barulho. Ela se deparou com uma mulher linda. Parecia uma modelo. Ela logo deduziu que fosse Regina.


- Bom dia, a Emma está? - ela me disse sorrindo e eu retribuo.


- Sim, prazer. Ruby! Vou chamá-la.


Regina olha pra Ruby com cara de surpresa formando um “O”  com a boca. Ruby não entende nada e pergunta.


- O que houve?? Está me deixando sem jeito.


- Ah me perdoe, mas eu acho que você é a mulher que está saindo com minha irmã Zelena. Ela mora em Seattle e me contou que conheceu uma mulher doce aqui de NY e que se chamava Ruby.


- AÍ MEU DEUS! VOCÊ  É IRMÃ DA MINHA FUTURA NAMORADA? Gente, eu tô pasma. Deixa eu me apresentar novamente.


Nós  nos abraçamos e ficamos conversando animadamente sobre isso até ouvirmos um barulho de alguém descendo a escada correndo chamando meu nome. Rapidamente Emma se ajeita quando vê que era a Regina. Sem entender as risadas que dávamos, ela vai até Regina e a cumprimenta.


- Olá Regi. Estou feliz por vê-la aqui. Mas posso saber o motivo das risadas?- Ela diz fuzilando Ruby com um olhar de curiosidade.


- Emma, Regina é irmã da Zelena. Acredita nisso?


Eu fico surpresa com a notícia e abro um sorriso por saber que minha amiga namora a irmã de minha futura namoradinha.


- Como esse mundo é pequeno! Nunca pensei que isso fosse acontecer.


Depois de minutos rindo e conversando sobre como Zelena era, Regina me direcionou até o carro. Nos despedimos de Ruby e fomos até um restaurante que ficava de frente ao mar. O caminho até lá foi de puro sorriso. Regina parecia nervosa e confesso que eu também estava. Contei a ela sobre minha vida e ela fez o mesmo. Quando eu disse que tinha um filho, em seu rosto, formou-se um sorriso cheio de emoção. Pude ver um brilho que não tinha visto antes. Ela começou a falar que estava ansiosa para conhecer o Henry.

Chegamos no local e descemos do carro. Sentamos em uma mesa do lado de fora. A brisa do mar gelada batia em nossa pele. Os cabelos de Regina lindos e cheirosos deixavam tudo com um ar de graciosidade, mesmo que para ela ficar tirando o cabelo da cara fosse desgastante. Reparei que ela cortou o cabelo e elogiei. Já disse que ela mesmo com o cabelo desgrenhado, era a mulher mais sexy e linda daquele lugar? Nosso almoço foi regado de sorrisos, histórias, ela me contava tudo sobre sua infância, gosto musical e eu fazia o mesmo. Parecia que nos conhecíamos há tempo. A cada palavra que saía de sua boca, Regina me cativava mais e mais. Caminhamos pela praia,fui até o mar de água gelada, molhei minhas mãos e joguei água em seu rosto. Caímos na gargalhada. Eu a ajudei tirar o salto para que ela caminhasse confortavelmente pela areia. Ela sentou na areia e fechou os olhos.


Regina POV


Sentei-me na areia. Já não ligava mais para o meu estado. Fechei os olhos e por um bom tempo, fiquei imaginando Emma acordando ao meu lado. Sentia seu olhar intensamente doce sobre mim. Continuei de olhos fechados me permitindo abrir um sorriso. Imaginando em como tudo na vida tem um motivo para tal coisas  acontecerem. Num dia eu era a empresária corna, no outro, eu era apenas eu. Sentada na areia, sem ter que me preocupar com reuniões, palestras, papeladas, todo tipo de problema. Ao lado de uma mulher incrível, que conseguia  fazer com que  eu me sentisse eu mesma. Eu não sei o que Emma tinha, mas eu sabia que ela era meu porto seguro, o lugar que eu correria sempre que estivesse me sentindo sozinha, pois em seus braços, eu teria abrigo e sei que ela cuidaria de mim.  


Emma POV


Fiquei olhando para Regina enquanto ela estava de olhos fechados, apenas sentindo a brisa. Quem diria que por baixo dessa mulher doce, digna de todo amor do mundo, tinha uma empresária séria e fechada para qualquer tipo de relacionamento. Pelo que conversamos mais cedo, eu era uma das poucas pessoas que ela se abria e se sentia confortável para falar de sua vida. Isso me deixou feliz, significa que ela confia em mim. Eu sabia muito sobre Regina, mas ainda assim, parecia ser pouco. Enquanto eu estava perdida em meus pensamentos,ela abriu um sorriso, tive a sensação de que ela sabia que eu estava olhando para ela, mas não me importei, continuei contemplando cada parte de seu corpo, cada parte que meus olhos alcançam. Fechei meus olhos sorrindo e fiquei sentindo a brisa bater, assim como ela. Pude vê-la me espiando, no que me fez dar um sorriso largo de escancarar o rosto. Ela soltou uma risada. A risada dela tinha uma melodia inexplicável. Eu poderia acordar a  ouvindo rindo todas as manhãs de minha vida. Depois de alguns minutos rindo, ela deu um suspiro profundo.


Abri meus olhos e a encarei. Pude ver constelações no fundo daqueles olhos castanhos. Eu via o universo e quanto mais eu fixava meu olhos nos dela, mais eu me perdia. Nesse momento eu tive a certeza de que eu queria Regina comigo todos os dias.


Fomos interrompidas pelo som do meu celular tocando. Era o Henry. Pedi licença e fui atender.


- Mãe, já sai da escola, sai cedo. Estou te esperando.


- Ok amor, já estou indo.


Voltei até Regina que colocava os saltos de volta. Ela me olhava sorrindo, um sorriso apaixonante. Fui até ela e a abracei. Transmitindo a felicidade  que eu sentia por estar com ela.


- Obrigada Regi, por hoje. Eu amei cada segundo.

Ela me olhava com o rosto vermelho, creio que o meu também estava corado.


- Que nada Emma. Temos que fazer isso mais vezes. Eu também amei cada momento ao seu lado. Muito obrigada.


Depois disso fomos andando até o seu carro, conversávamos mais. Parecia que nós tínhamos assuntos infinitos. Ela me deixou no trabalho, pois meu carro estava lá. Fui buscar o Henry na escola e na volta passei para pegar Ruby também. O caminho de volta pra casa foi cheio de perguntas e eu respondi todas.


Henry me encheu o saco até eu mandar uma mensagem para Regina ir lá em casa sábado. Resolvi então mandar, estava com saudades dela.

-  Boa noite Regi! Henry gostou de saber que hoje foi divertido para nós duas e ele não sossegou até eu mandar essa mensagem te chamando para vir aqui no sábado jantar conosco.


Não demorou muito tempo e o celular vibrou.


- Claro que eu vou! Fico feliz dele ter gostado de mim. Hahaha


- Sim, ele não para de falar de você. Em como você deve ser legal.


- Diga a ele que mandei um beijo e que sábado estarei aí para jogar muito vídeo game com ele.


- Pode deixar! Durma bem Regi. Beijos. 

- Você também Em. Até! Beijos.



Notas Finais


até mais gente !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...