História I will follow you !Banglo! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P
Personagens Bang Yongguk, Zelo
Tags Banglo, Bap, Bdsm, Junhong, Youngguk, Zelo
Visualizações 102
Palavras 1.666
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello^^
Boa leitura, babys <3

Capítulo 4 - Corpo e alma


Fanfic / Fanfiction I will follow you !Banglo! - Capítulo 4 - Corpo e alma

Youngguk segura uma xícara de café enquanto observa Junhong dormir todo encolhido na beirada da cama.

Noite passada fez um pedido que sabia que seria negado. Zelo tem ideais e mesmo abalado sabe que para conseguir aquele corpo teria que destruí-lo um pouco mais.

Sabe que se insistir um pouco mais terá o que tanto quer de Choi. Seu corpo. Mas o preço disso é acabar totalmente com todo psicológico dele, mas se destruí-lo qual será a razão de ter Choi Junhong?

- Por que está me olhando? - o mais novo indaga assim que abre os olhos fitando o ser sem blusa prestando mais atenção em sua tatuagem.

- Gostou? - diz ao perceber a atenção dele em sua tatuagem o fazendo desviar o olhar- “Viva la revolucion”, é sex, não?

- Não importa só para de olhar pra mim - cobriu sua cabeça e virou para o outro lado - sai logo.

Bang ri deixando a xícara vazia em cima de uma mesinha e deitando na cama novamente dessa vez bem perto do acastanhado.

- Hey - o chama com voz suave - abaixa esse cobertor.

Espera por uma resposta mal criada antes de o fazer baixar, mas o maior apenas tira um de seus braços de baixo dos lençóis e o mostra o dedo do meio surpreendendo Bang e o deixando fulo.

Antes que pudesse puxar seu braço seu pulso é agarrada e sente o mais velho por seus dedos em volta de seus lábios o fazendo sair de baixo das coberturas, mas antes que pudesse pensar em bater nele ganha a imagem do de cabelos pretos abocanhando seu dedo e depois ouviu barulho de sucção fazendo seu corpo formigar.

Abruptamente jogou seu corpo para trás e teria caído se Bang não o segurasse.

- Gostou disso? - antes que zelo pudesse pensar em um modo de distanciar-se sua cintura é agarrada de baixo das cobertas bem perto do curativo.

- Detesto quando você me toca.

- Nem quando eu te faço carinho?

- Você pode estar fazendo massagem no meu pé que eu ainda vou detestar a ideia de suas mãos me tocarem.

Youngguk ri, já esperava por uma resposta assim, mas não parou com o leve carinho na cintura e chegou mais perto mesmo ele tentando impedi-lo.

- Se você quiser eu lavo todos os banheiros dessa Mansão, mas por favor, não toca em mim. Tenho nada contra gays, mas eu não sou.

Youngguk ignora totalmente as palavras dele levando a outra mão ao pescoço sem marcas fazendo leves carícias alí também.

-  O que preciso fazer pra você tirar suas mãos de mim sem apertar a queimadura?

Segura os pulsos de Youngguk para que pare com os toques o deixando irritado.

-  Solte-me.

- Solte-me você! Eu preferia dormir nu no quintal ao vez do seu lado em uma cama com você me tocando desse jeito.

Então afasta as mãos com todas as forças que tem e tenta sair da cama, mas o outro é mais rápido e o puxa pela blusa o fazendo deitar e fica por cima segurando os pulsos do maior com força.

- Você é uma incógnita, sabia? - rapidamente levanta a blusa de Choi mesmo este tentando impedir e quando chega em seus pulsos a enrola e prende em um pequeno gancho a cabeceira impedindo Zelo de mover suas mãos.

- ME SOLTA! ISSO É ESTUPRO!

- Todos os outros eu punia com chicotes, sabe? Condutores elétricos e outros brinquedos, mas sei que esse não é o tipo de punição que sirva pra você.

- E por que não? Por que você sabe que eu prefiro 55 vezes a dor de uma queimadura do que você passando a mão pelo meu corpo?

Junhong praticamente rosna essas palavras enquanto assiste Bang brincar com os dedos na pele quente do abdômen de poucos músculos.

- Por que sei que não adianta te torturar fisicamente e isso é interessante, mas te darei uma opção. Deixe me te beijar e se livrará da punição.

- Vá pro inferno! Sei que há muitas outras pessoas com quem faz essas coisas então me deixe em paz! O que EU tenho que te faz me querer?

O mais velho apenas fita a fisionomia de raiva que reprime um suspiro ao sentir dedos indicadores rondando seus mamilos.

Zelo morde os lábios com força reprimindo um arfar quando sente seus seios serem apertados e arranca um sorriso de Bang.

- Você é diferente.

- Diferente..como? - tentou parecer firme até as mãos saírem de seu peito.

- Você tem caráter - brinca com o umbigo de Choi - e é muito bonito. Meu tipo, sabe?

- Então é só um passatempo pra você, destruir a dignidade de pessoas que julga ser seu tipo?

- Não diria passatempo e sim um desestresse. Mas você é forte, Junhong. Sempre consegui o quero na segunda noite no máximo, mas sei que pra você ceder a mim eu tenho que destruir sua mente, mas acho que não aguentarei até lá.

- Como assi... - antes de terminar os lábios molhados e frios de Bang caminha pelo seu pescoço o arrepiando - P-PARE! AH!

Youngguk não resiste em Passar os dentes de leve  naquele pescoço alvo e ameaçando  marca-lo, mas controla-se para não fazer isso agora pois o momento de macular essa pele será quando zelo render-se completamente a Youngguk.

- NÃO! - Sente os lábios descer pela clavícula. Mesmo remexendo todo seu corpo nada afasta a boca desse ser de si - EU NÃO QUERO!

Bang não hesita morder os mamilos tão sensíveis e rebitados o fazendo arfar pala primeira vez. Zelo não entende o porquê sente tanto estímulo naquela região. Odeia admitir que a língua e as mãos desse homem o façam sentir esse tipo de coisa.

- Oh! - não consegue suprimir ao sentir beijos descendo pelo seu abdômen até chegar no umbigo onde Bang brincou com sua língua - NHUUNG! - Tentou não gritar, mas esse toque arrepiou todos os pelos de seu corpo - P-PARE! POR FAVOR!

Seu medo é aparente já que a boca do menor está a poucos centímetros de sua calça. As mãos que poupam com vontade suas coxas ameaça a chegar perto daquela região o deixando mais desesperado ainda.

- NÃO, NÃO, NÃO! PARE, EU NÃO QUERO! POR FAVOR...

Youngguk não resiste e para o que faz para fitar o rosto angustiado, desesperado e temeroso, mas além de tudo isso achou lágrimas também o que o surpreendeu um pouco.

- N-não olhe pra mim d-desta forma - pedido em meio de soluções - e não v-volte a me tocar, por favor. Faço o q-que quiser, mas pare de me tocar.

- Corresponda meu beijo, babe - segura o queixo do ser abaixo de si - caso recuse-se então voltarei ao que fazia e saiba que estava quase chegando onde queria.

Riu malicioso olhando para um Junhong desesperado. Esperou alguns segundos, mas ele ficou apenas em silêncio.

- Bem - segura a barra da calça dele - então...

- Eu aceito - diz rápido fechando os olhos com força.

- Então me peça - ri vitorioso.

Mesmo se zelo negasse não o tocaria intimamente. Seu blefe deu certo. O maior hesitou por um tempo, mas não queria ser mais violado.

- M-me beije - Seu rosto cora parando de chorar.

- Ah, babe - segura seu queixo e encara os lábios que serão seus como se fosse devora-los.

De fato iria. Mesmo agora tendo conseguido apenas a boca de Choi sabe que conseguirá muito mais.

Mesmo que totalmente destruído, Bang Youngguk quer o corpo e a alma de Choi Junhong.

- Não vai ser tão ruim - Deixa um selinho - pense em coisas boas - outro - mas se pensar que sou uma menina - e outro - eu vou ficar muito irritado.

Sem mais delongas grudou seus lábios e logo tratou de movimenta-los. Os lábios de Junhong tremem e são hesitantes. Totalmente excitante para Bang.

Suas línguas se esbarravam causando sensações estranhas em Zelo, nem boas nem más, apenas estranhas.

Bang morde de leve o lábios inferior de Choi o fazendo suspirar. Youngguk está calmo, zelo tem sua respiração descompensada e seus lábios tremem.

Apenas quando o ar do menor  se fez ausente o beijo foi cessado. Ambos recuperam a respiração olhando um para o outro. O de madeixas negras recuperou primeiro e tratou de soltar as mãos de Zelo que desesperado por espaço acabou caindo no chão.

O mais velho senta na beirada da cama assistindo o castanho por de volta a blusa ainda sentado no chão um pouco distante de si.

- Você me divertiu, merece um prêmio - diz fitando a fisionomia confusa do outro totalmente vermelha pelo recente choro - pergunte o que quiser que responderei.

- Meu pai! - disse como se fosse óbvio.

- O que exatamente quer saber?

- Tudo! Mas comece falando quando meu pai começou a trabalhar pra você.

Bang suspirou e depois sorriu.

- Seu pai era um garoto de programa, aí um dos meus rivais descobriu que seu pai dormia com a mulher dele e se não fosse por mim ele teria morrido, mas acabou que ele me ajudou a matar aquele filho da puta então o deixei trabalhar comigo.

- M-mas...

- Acha mesmo que seu pai terminou a escola e foi ajudar seu avô numa lojinha de sapatos? Eh, ele mentiu. De novo.

- C-como você sabe de tudo isso?

- Bom, ele era meu empregado, então...

- Não, me refiro em como você sabe até o que ele fala pra mim?

- Como eu sei que 80% de sua vida é uma mentira e 90% das coisas que ele te fala é mentira?

Levanta e aproxima-se do mais novo que até pensa em recuar, mas não o fez pois Bang apenas se abaixou em sua frente e olhou fixamente em seus olhos.

- Eu sempre segui você, Junhong. De todas as formas que possa imaginar.


 

 


Notas Finais


Espero que esse tenha compensado a falta de saliência do anterior hahahh.

Quero compartilhar com vocês a contagem regressiva que comecei no capítulo anterior com a ~CahDaeJae.... 3.....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...