História I Will Never Give Up On You - Capítulo 29


Escrita por: ~

Exibições 67
Palavras 2.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E ai pessoal? Saudades? Duvido muito. Vocês devem estar de saco cheio de mim, posto uma vez fico semanas sem postar, mas a verdade é que eu to cansada de ficar postando e não ver retorno. Não quero ser a dramatica, mas eu realmente amo essa fic e queria postar ela completa, no entanto se eu não vejo retorno fica difícil. Então a partir de hoje eu só postarei aqui quando eu ver que esta dando em alguma coisa.
Se estiver ruim, quiserem fazer alguma critica, enfim... sintam se a vontade a dizer, ou pelos comentários ou por mensagem. Eu só preciso saber o porque de não estar dando certo essa fic.
Enfim... É isso, desculpe o desabafo e aproveitem o capítulo. <3 <3 <3

Capítulo 29 - Love is in the air ... or not! (part.II)


[...]

Minutos depois Phoebe adentrou o salão porém não encontrou Candice em canto algum. Ela ainda chegou a perguntar para algumas pessoas se a tinham visto, porém ninguém soube responder. Até que ela avista Candice saindo do banheiro feminino, automaticamente ela corre novamente em direção da loira.

-Candy! – diz Phoebe.

-Achei que minhas frases de teatro te afastariam pelo resto da noite. – diz Candice tentando não demonstrar nenhuma emoção.

-Besta... Que tal dançarmos? Lucky costumava ser a nossa musica preferida. – diz Phoebe sorridente ao ouvir a musica que tocava agora, fazendo com que Candice sorrisse também.

-Acho que essa musica não combina mais comigo. – comentou Candice

-Besteira. Vem! – Phoebe diz a puxando, porém ela que foi puxada. Assim que ela olhou para trás para ver o que era, não pode acreditar.

-Você. Agora. Comigo. – diz Joseph no ouvido de Candice, mas num tom alto suficiente.

Phoebe não foi capaz de abrir a boca para dizer nada, apenas assistiu Joseph levar Candice dali e apalpar a bunda da loira enquanto caminhava com ela para uma direção qualquer.

[...]

- Boy I hear you in my dreams (Menino, eu ouço você nos meus sonho), I feel your whisper across the sea (Eu sinto o seu sussurrar através do mar), keep you with me in my heart (Eu trago você comigo no meu coração) You make it easier when life gets hard (Você faz ser mais fácil quando a vida fica dificil). – Alex cantava olhando diretamente para Michael.

Os dois estão num palco em um outro lugar do salão, o lugar era tão grande que deu para fazer vários ambientes inclusive o do Karaokê, que era a onde eles estavam agora. Ao som de Lucky- Jason Mraz e Colbie Caillat eles mostravam a todos que sabiam cantar perfeitamente.

- Lucky I'm in love with my best friend (Sortudo, estou apaixonado pelo minha melhor amiga) Lucky to have been where I have been (Sortudo por ter estado onde eu estive) Lucky to be coming home again (Sortudo de novamente voltar para casa). – Trevino canta a outra parte perfeitamente afiado.

Todos podiam sentir o quão conectados eles estavam, aquela realmente era a musica que os definiam desde a faculdade. Até mesmo quando tiveram que se afastar, jamais deixaram de se amar. E prova desse amor veio em forma de uma pequena e delicada menininha, Eloise essa sim era a prova de que o amor deles sobreviveu a distancia e se manteve firme ate então.

A voz deles continuaram a preencher o lugar fazendo alguns casais irem até a pista para dançar, enquanto outros apenas assistiam de longe.

[...]

- Argh! Por que esta falando ainda dessa Mishelly? – disse Nina tentando sair do colo de Ian, mas o mesmo a puxou de volta a agarrando mais forte ainda.

-Só estou recordando essa época. – explicou Ian com a voz um pouco trêmula.

-Você ia perder a virgindade com aquela puta. – vociferou Nina

-E você disse que tinha perdido a sua com aquele gay. – rebateu Ian.

-Mas eu menti e depois eu desmenti. – Nina diz fazendo bico e cruza ainda mais os braços.

-Claro. É uma ótima notícia para se receber na noite de núpcias. – ele responde rindo para si mesmo. Porém, uma pontada de culpa surgiu em seu peito “Eu também menti”, pensou o moreno com amargura. Seus pensamentos foram dissipados com um tapa estralado em seu ombro, automaticamente ele segurou o maxilar da esposa e a fez o encarar.

-Solta. - Nina diz entre os dentes. Ian mordeu o lábio inferior de sua morena e logo se viu a beijando.

-Eu te amo. – ele sussurrou no ouvido dela assim que cessaram o beijo, e mordeu o lóbulo da mesma.

-Quem é que não ama?! – ela diz fazendo com que seu marido desse risada.

[...]

O corpo de Candice bateu com força na parede da casa do sitio. A luz estava fraca, mas ela podia ver nitidamente a fúria nos olhos de Joseph. Sua respiração foi funda, desejou naquele momento estar bêbada o suficiente para não se lembrar do que ele estava preste a fazer com ela.

-O que você sua puta, disse a Phoebe? – Joseph perguntou ríspido e demonstrou sua verdadeira fúria.

-Nada demais... Apenas que jamais a deixaria sozinha. – resmungou Candice. Não demorou muito até que Joseph lhe acertasse um soco no estomago. Não pode evitar gemer de dor.

-E o que aquele aspirante a italiano esta fazendo no país? – ele perguntou com ódio nítido em sua voz

-Quem? – ela se faz de desentendida.

-Deixe-me refrescar sua mente. – ele diz rasgando o vestido da loira, e passou os dedos sobre a cicatriz que ela tinha na barriga. O vento passou rasteiro por eles.

-O que isso tem a ver? Joseph... – ela choramingou e recebeu um tapa forte no rosto.

Ela só não caiu, porque ele a segurava pela cintura com força. Lágrimas brotaram de seus olhos, todas amarguradas. Ela sabia que mais dia, menos dia Joseph voltaria a ser o antigo Joseph quando descobrisse suas mentiras. Todo o carinho, atenção e proteção de dois anos atrás foram dissipadas com as descobertas de suas mentiras. No entanto ela não desejava que fosse naquela noite.

Os dedos de Joseph deslizaram pelo corpo da loira, parando várias vezes sobre sua cicatriz. A noite mais tenebrosa de sua vida passou várias vezes pelo seu rosto. A noite em que ela teve que ser forte o bastante para se salvar, após ter sido espancada várias e várias vezes. A noite em que fora obrigada a deixar para trás duas pessoas importantes de sua vida, mesmo que ela estivesse carregando em seus braços uma de suas preciosidades, ela preferia estar com os três ou com nenhum.

-Eu quero que você tenha um filho meu. – Joseph resmungou, agora mais calmo e soltou Candice devagar.

-Claro, como você quiser. - ela disse rápido, sem nem ao menos pensar no assunto. Um sorriso predominou nos lábios de Joseph.

-Pelo menos substituirá o filho que você esperava daquele projeto de italiano. – ele sorriu ao relembrar da noite que reencontrou sua presa.

-Com certeza. – Candice disse mais calma e com alguma dificuldade abraçou o homem a sua frente. Repetiu várias e várias vezes para si, “Com certeza”.

-Tem que ser menina. Florence me cansa com seus choramingos... Alias, já estou com saudade de seus choros.  – ele diz com voz entojada, Candice notou que naquela viagem ele tinha descoberto mais dela do que ela poderia imaginar.

Há tempos ele não fala com ela dessa maneira, seu coração temia que ele tivesse descobrido sobre Joe e Lorenzo. Uma dor forte lhe invadiu o peito, não se perdoaria se algo acontecesse com os dois, já bastava Florence estar passando pelo o que passa.

-Charlotte. O nome dela será Charlotte. – ele sussurrou com carinho no pé do ouvido dela.

Novamente sentiu seu corpo ser pressionado na parede fria, e as mãos ásperas de Joseph deslizar sua pele até chegar a sua intimidade. Seu corpo gelou quando ela sentiu ele rasgar com brutalidade sua peça intima.

-NÃO! – ela grita em desespero e bate grosseiramente nele, que agora afundara sua cabeça em meio ao seio da loira.

Ela sentiu os dentes dele penetrarem sua pele com força desnecessária, em meio a dor que sentiu no momento fora forte o suficiente para reprimir um grito de dor. Seu ar se tornou escasso a tamanha dor que ela sentia a cada mordida que recebia de Joseph, o mesmo só retornou quando ele parou de mordê-la.

-Não me estressa Candice... – ele falou calmamente enquanto alisava o cabelo dela – que eu posso te dar para o Hans, que por sinal vem mostrando muito interesse em você ultimamente.

Candice se sentiu um objeto em meio aquelas palavras. Sem mais nada a dizer ela cedeu para Joseph o que ele queria, em sua cabeça era melhor ceder do que lutar em vão. Ela sabia que ele a teria ela querendo ou não, mas pior seria se ele a entregasse para Hans. Jamais temeu tanto uma pessoa quanto temia de Hans, ela não queria ter que passar pelo que passou e nunca mais queria ser violentada por ninguém.

[...]

Ian rodopiou Nina graciosamente pelo salão, e a mesma atendeu seu gesto o seguindo nos movimentos seguintes. Ela dentou sua cabeça sobre o ombro de seu marido, e pode ter certeza que ele sorriu com isso, assim como ela sorriu. No entanto tudo que é bom acaba rápido, e no caso deles fora rápido demais. Nina sentindo seu celular tocar, o retira do decote (arrancando risada de Ian) e indica para ele que iria atender enquanto saia às pressas.

- Finalmente desgrudaram. – diz Nikki aparecendo atrás de Ian com os braços cruzados e um largo sorriso no rosto.

-Okay... – Ian resmunga baixinho rindo.

-Então... Conseguiu o que queria? – ela pergunta – Tipo... Ela é sua?  Totalmente?

-Sim... Acho que sim. – ele sussurra.

-Você sabe o que deve fazer agora né? – ela questiona.

-Eu vou fazer. – ele diz firme.

-Quando? – ela pergunta curiosa.

-Daqui quatro dias. – diz Ian.

-O QUE? Mas você só tem sete dias. – ela o informa.

-Stella irá ficar quatro dias comigo e três dias com Nate. É tempo o suficiente, assim que eu a deixa-la na casa dele eu arrumo a mala dela como o combinado.  E você já sabe o plano. – ele a informa.

-Eu sei... – ela diz arrastando a voz em sinal de tédio. Ambos riram. – Só espero que ela diga sim logo e te mantenha seguro... – ela diz e tom mais sério, mas muda rapidamente o tom de sua fala ao finalizar a frase – Caso contrário eu parto para a luta.

-Ai Nikki só tu mesmo... – ele diz rindo – Você sabe que esses dias serão minhas ultimas tentativas né?

-Sei. – ela diz meio que resmungando, mas mantém seu sorriso.

-Seu filho esta brincando? – ele pergunta mudando o foco da conversa.

-Sim. – ela diz sorrindo simpática – Alias vou ir vê-lo.

-Espere! – ele diz puxando seu braço levemente – Antes me conceda uma dança?

-Eu adoraria, mas não posso. Sua esposa esta entrando, aproveite que essa musica é de vocês e dance com ela. – Nikki diz simpática e só então Ian notou a musica que estava tocando.

I lose control because of you babe (Eu perco o controle por sua causa, meu bem )

I lose control when you look at me like this (Eu perco o controle quando você me olha deste jeito)

There's something in your eyes that is saying tonight (Há algo em seus olhos que está dizendo esta noite)

I'm not a child anymore, life has opened the door (Eu não sou mais uma criança e a vida nos abriu uma porta)

To a new exciting life (Para uma nova vida emocionante)

-Nikki... – ele tentou dizer mais alguma coisa, mas ela já tinha se afastado e ido atrás do filho.

- You an I – Scorpions? – perguntou Nina incrédula.

-Yep baby. – diz Ian rindo.

-Meu Deus resgataram essa musica do baú. – ela diz rindo

-Pois é... Ela me lembra da época em que nem namorávamos ainda, mas você já me fazia perder o jeito. – diz Ian.

-É mesmo? – Nina pergunta depositando seus braços no ombro de Ian – E sabe que ela me lembra das vezes que você perdia o controle, me deixava vermelha e ainda por cima morta de sede de seus lábios.

-É? E você gostava? – Ian pergunta fazendo uma careta.

-Não... Na verdade eu amava. – ela diz beijando suavemente os lábios de Ian. – E sempre vou amar. – ela finaliza ao se afastar dos lábios dele.

[...]

Os minutos foram passando calmamente e para os dois era como só eles estivessem no salão. Em meio a sorrisos e beijos eles dançavam ao som de um rock leve. Uma musica antiga, que parecia ter sido inspirada neles aos dezesseis anos. Quando ambos descobriam que em baixo da forte amizade e companheirismo, existia um algo a mais. Existia o amor que ambos sentiam um pelo outro. Essa era a musica que marcou o beijo que mudou totalmente a forma como se viam, a forma como agiam. Essa foi a musica que mostrou a eles o que eles realmente sentiam um pelo outro. E por fim, foi a musica que marcou o começo deles e agora marcaria o recomeço para Nina e Ian.

- I love you girl I always will… I swear i'm there for you… (Eu te amo garota, eu sempre amarei. Eu juro que estarei lá para você... ) – Ian diz o trecho da musica baixinho no ouvido de Nina - Till the day I die   (Até o dia que eu morrer) – finaliza.

-Pare de falar nossos votos de casamento. – ela o repreende em tom brincalhão.

-Por que? Você gostou deles no nosso casamento. – diz Ian fazendo um beicinho.

-Verdade... São minhas frases preferidas. – ela assumi sorrindo e  se inclina para beija-lo. Não seria loucura se dissesse que aquela fora a milésima vez que o fazia. 


Notas Finais


Se gostarem comentem e dependendo eu posto o próximo. Bjs e até a próxima, espero que tenham gostado. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...