História I Will Never Give Up On You - Capítulo 32


Escrita por: ~

Exibições 72
Palavras 1.925
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey amores mais um capítulo... Espero que gostem... Boa leitura <3

Capítulo 32 - Because half of me is also love ...


[...]

-Aqui esta... – diz Ian estendendo uma xícara de café recém-feito, para Nina.

A morena terminou de retirar suas botas (que estavam sujas de lama) e a deixou do lado da cadeira de balanço a onde estava sentada. Em seguida pegou a caneca que Ian estendia para ela, arrumou o cabelo e assistiu ele se sentar ao seu lado e lhe envolver num abraço. Ambos ficaram ali por longos minutos apreciando a bela paisagem que tinham dali a onde estavam. Notou que da ultima vez que esteve ali, aqueles campos eram bem mais bonitos. Concluiu que Tom fazia uma diferença enorme para a fazendo, mesmo ela ainda estando bonita, faltava um toque a mais. Olhando para o enorme campo, ela divagou por seus pensamentos, se lembrando de cada coisa boa que já viveu ali.   

-Quer brincar agora? – pergunta Nina em tom baixo quebrando o tremendo silencio que ali tinha.

-Me parece uma boa. – diz Ian a encarando – Eu começo?

-Não, não. Eu me lembro muito bem que da ultima vez que estivemos aqui, foi o senhor que começou. – diz Nina após ter tomado um gole de seu café

-Memória boa em... – comenta Ian sorrindo.

-Claro que tenho, ainda sou bem nova queridinho. – ela diz tocando a ponta do nariz dele.

-Okay, novinha. Você começa então. – ele diz rindo de sua esposa.

-Por que me trouxe aqui? – ela pergunta o mais direta possível, mas de uma forma descontraída.

-Porque eu queria lhe fazer uma surpresa. – ele responde rápido e com sinceridade.

-Sabe que falhou, não sabe? Eu descobri antes de ir me arrumar.– ela diz arqueando uma de suas sobrancelhas.

-Eu sei... Fazer o que. –ele diz dando de ombro e ela ri da cara que ele faz – Bobinha... Minha fez.

-Diga. – diz ela tomando outro gole de seu café.

-Você ainda o ama? – ele pergunta de forma direta assim como ela.

-Eu ainda gosto do Austin, você sabe disso – confessa ela – mas...

-Não. Agora é a sua vez de perguntar. – diz ele a interrompendo

Mas antes que ela pudesse perguntar alguma coisa, algo em meio as arvores lhe chamou a atenção. Forçando os olhos um pouco mais, constatou que se tratava de um homem. Um homem alto, forte e bem machucado. O grande homem aparentava ter uns quarenta anos, mas não impediu que Nina se sentisse ameaçada. Se sentando agora corretamente ela fita o homem, temendo que ele seja perigoso.

-Quem é aquele? – ela diz olhando em direção do homem. Ian segue o olhar da esposa e nota de quem se tratava.

-Parece que é o filho do caseiro... – diz ele com os olhos atentos no homem – Se eu não me engano ele se chama Hanson, ou algo assim.

-Nossa... Ele parece ter se metido em uma briga feia. – comenta Nina num sussurro, observando o braço quebrado, as cicatrizes profundas e os olhos roxos do homem, que acabara de parar na escadaria da varanda. – Olá! – ela diz descendo a mesma junto de Ian.

-Olá... Senhora... – ele diz soando mais como um questionamento.

-Somerhalder. Nina Somerhalder na verdade, mas pode me chamar só de Nina. – ela diz sorrindo com orgulho (por ter pronunciado o sobrenome do marido que ela carregava) e entrelaçou seus dedos com os de Ian (ato que o deixou muito feliz, sentia que estava mais perto de seu objetivo).

-Okay... Bom fiquem a vontade, qualquer coisa estou aqui ao seu dispor. – o homem diz se colocando a disposição deles.

-Você não me parece bem, então pode deixar que a gente se vira. Aproveite e descanse um pouco. – indica Ian.

-Tudo bem... Com licença. – diz o homem por fim, se retirando.

[...]

- Ok. Que tal a Andie? – Ian pergunta olhando para Nina com carinho.

Ambos se encontravam (agora) na parte mais movimentada da fazenda. Uma área que era separada por muros de tijolos expostos e um cercado de madeira em volta de toda a área utilizada para cavalgar. Tal lugar que Nina não sabia se pertencia aos Somerhalder, apenas sabia que o lado esquerdo daquela área (tal que era separado pelo muro) tinha se tornado um haras há três anos atrás.

O começo da tarde foi amistoso e com o céu limpo. Nina assentiu para Ian, afirmando que cavalgaria com a égua Andie, que é inteiramente branca. Como contraste Ian optou pelo seu cavalo Eagle, que é marrom com detalhes brancos em seu pelo. Ambos montaram nos animais, e Nina lançou para ele um olhar desafiante.

-Por que me olhas assim? – ele pergunta desconfiado, porem Nina nada diz apenas ri e sai campo a fora cavalgando o mais rápido que conseguia.

Ian não demorou muito para cavalgar rapidamente atrás dela. Até conseguiu ultrapassa-la, mas quando olhou para trás a procura da mesma, pode presenciar a mais bela das visões que era a de Nina com seus cabelos esvoaçando enquanto cavalgava. O sol refletindo sua pele a deixa ainda mais bela. Ela por sua vez notando que Ian estava hipnotizado por sua pessoa, se aproveitou da oportunidade e o ultrapassou, mandando em seguida um beijo para ele enquanto ria do mesmo.

[...]

 A noite caiu e com ela vieram as lembranças. Novamente sentada na varanda Nina (que observava o céu estrelado) relembrava a ultima vez que estava aqui. Se recordou perfeitamente de como Ian “fugiu” com ela e quando chegaram a pediu em casamento. Um dos dias mais “assustadores” e mágicos de sua vida. Recordou da forma como Ian a olhara enquanto cavalgava, era o mesmo jeito que ele a olhara há sete anos atrás quando estiveram aqui. Pensou o que Ian teria preparado a mais para ela, já que o mais extremo ele já o tinha feito anos atrás. Não existiria nada mais grandioso que o seu pedido de casamento, certo?

Suspirando pesadamente, Nina se levanta da cadeira de balanço e caminha pelas arvores que tinha logo a frente. Parou em frente a uma árvore que ficava próxima a casa rural e se lembrou de Ian ter escrito sua frase preferida com canivete ali. Grunhiu ao notar que o mesmo estava coberto por lodo. Então ouviu atrás de si, um limpar de garganta. Se virou rapidamente e viu Ian parado atrás dela com um sorriso torto nos lábios.

-Que pena está coberto por lodo. – diz Ian olhando para o mesmo lugar que Nina estava olhando segundos antes.

-É eu percebi... – ela diz com uma pitada de ironia em sua voz. Ian, então pega um galho e esfrega por cima do lodo que tampava sua frase talhada.  

-Consegue ler? – perguntou e Nina forçou os olhos para ler o que ela já sabia que estava escrito, em seguida afirmou com a cabeça.

-Que a minha doideira seja perdoada... – ela repetiu, se lembrando dele ter lhe dito a mesma frase naquela madrugada.

-Porque metade de mim é amor e a outra... – ele diz completando e Nina sorri boba.

-Também. – ela completa perdida nos olhos azuis de Ian – Nina e Ian Somerhalder.

Ambos olharam novamente para a arvore e identificaram  em baixo de seus nomes, a data de seu casamento. Ele a envolveu em seus braços beijando o topo de sua cabeça, a olhou com indecisão, mas tomou coragem para dizer o que tinha para dizer.

-Precisamos conversar Nina... – ele diz tremendo um pouco a voz.

-Não pode ser amanhã? Eu estou tão cansada... – diz ela fazendo biquinho e ele riu. Sim ele queria esclarecer as coisas, mas não se importaria de deixar para o outro dia.

-Okay... Mas amanhã sem falta. – ele diz em tom engraçado.

-Pode deixar papai. – ela diz rindo.

-Vamos dormir? – ele pergunta rindo

-Dormir? – ela diz com uma cara sapeca e a voz um tanto sexy.

-Nina... Ainda faltam duas... – ele não pode terminar a frase, pois ela foi beijando seu pescoço até chegar em seu lóbulo aonde ela mordeu suavemente.

-Quem é que se importa? – ela pergunta com voz sexy ao pé do ouvido dele – Estou com saudades Ian... Estou com saudades de você... – ela diz se afastando dele e correndo em direção a casa antes mesmo que ele tentasse a beija-la.

Assistiu ela atravessar a porta, e correu atrás dela. Assim que adentrou a mansão, viu Nina correndo para o andar de cima. Ele a seguiu e quando chegou no corredor pode ver a porta do quarto deles aberta. Quando chegou no quarto, pode apreciar a bela visão de Nina dançando de forma muito sensual. Ela então olha para ele e o chama com o dedo indicador, sem hesitar ele vai em direção a ela, depois de fechar a porta.

Nina o empurra para a cama aonde ele cai sentado. Olhando diretamente para os olhos dele ela continua sua dança sensual, enquanto retirava lentamente sua roupa. Ian tentou agarra-la, mas fora impedido, pois ela o empurrou novamente para a cama. Assim que terminou de se despir ela caminhou até ele e sentou em seu colo de frente para ele, e o beijou com voracidade.

Automaticamente Ian colocou suas mãos na cintura de Nina a puxando para mais perto de seu corpo, ela arranhava de leve a nuca de Ian, era um beijo muito intenso, um beijo cheio de saudade e desejo. Ela para então o beijo, deixando sua testa colada na dele, e sorri. Ian aperta sua coxa com força e morde os lábios. Ele vai a deitando na cama, enquanto colava mais seus  corpos.

-Você não sabe o quanto esperei por isso... – ele diz beijando toda a extensão do pescoço da mulher – Você tem certeza disso?

-Shiiiu... Você fala demais. – ela diz colocando o indicador nos lábios dele, já que o mesmo a encarava preocupado – Apenas faça... – ela sussurra e o beija novamente.

Ian então voltar a passar a língua pela orelha dela e dá uma mordida de leve na mesma. Ela por sua vez se arrepia toda, deixando escapar um suspiro que fez Ian sorrir. Ele começa a descer seus beijos pelo pescoço dela, enquanto a mesma puxava seu cabelo. Ian começa a beijar seus seios enquanto acariciava as costas de sua amada. Ele chupava os seios de Nina com uma vontade impressionante (o que não era muito de se surpreender, já que fazia tempo que não tinha uma relação igual aquela com ninguém) e isso estava deixando Nina louca, já que ela soltava gemidinhos baixos e abafados . Ian tirou a camisa e a calça ficando apenas de cueca, já era possível ver o volume por conta de sua excitação, então volta a descer seus beijos pela barriga de Nina, até chegar em sua intimidade.

[...]

Ian apertava seu corpo contra o de Nina com muita força, era como se os corpos deles fossem virar um só. Então ele a penetra devagar, Nina morde os lábios dele com força (assim que o puxa novamente para um beijo) e solta um gemido que o fez começar a beijar todo seu pescoço, a fazendo se arrepiar. Ele começa a dar velocidade de força aos movimentos que fazia dentro de dela. Podia ouvir o barulho da cama batendo na parede, mas não havia problema, pois estavam apenas os dois na casa. Ian troca de lugar com Nina a deixando por cima, aonde ela começa a rebolar em seu colo e beijar todo o peitoral dele.

Ficaram nisso até que chegarem ao ápice juntos. Ao deitarem na cama ofegantes, ela vira para ele e sorri. Ian a puxa para junto dele e lhe dá um beijo na testa. Eles ficam naquele jeito abraçados, até pegarem no sono. Nada foi dito por ambos, pois não tinha nada a se dizer apenas sentir. Sentir o amor eminente que ambos sentiam um pelo outro.


Notas Finais


E ai? O que acharam desse final? Ah gente fala sério, não se pode ter duvidas que ela vai voltar oficialmente para o Ian né? Ou não? Bom veremos... Prometo tentar resolver isso no próximo capítulo. Bom é isso comentem dizendo o que acharam (isso é muito importante) e eu tentarei postar o próximo capítulo que esta quase pronto amanhã, mas não prometo nada pois estarei ocupada amanhã (no caso hoje). Enfim... É isso bjs e até a próxima...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...