História I Will Protect You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin, Jungkook, Rap Monster
Exibições 69
Palavras 3.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Yoló

Eu sei
EU SEI!
Tô que nem uma barata tonta que não sabe o que faz e nem pra onde ir! T^T

Mas tenho boas notícias... Irei continuar com essa. Agora é certeza :v
Me desculpem por decepcioná-los com as que tentei. Minha cabeça está realmente uma merda. Não tava conseguindo continuar nada. Uma tremenda confusão...

Maisi, pretendo fazer essa e terminá-la com exito.
Irei demorar para postar os caps, por isso estão avisados.

Obs: Pode conter erros. Eu revisei. Mas sempre tem uns ali ou aqui.

Boa leitura♡~☆

Capítulo 1 - More Hurts


Fanfic / Fanfiction I Will Protect You - Capítulo 1 - More Hurts

P.o.v _____

   - Eu tenho saudades...

  Soltei um pesado suspiro e continuei a colorir o desenho que eu acabara de fazer.

   - Saudades da Omma e o Appa juntos...

  Terminei de pintar os cabelos castanhos ondulados da mamãe e guardei todos os lápis de cores no pequeno estojinho. Levantei o desenho para o alto e o fitei.

   - Ficou lindo. - Sorri e o deixei sobre a cama.

  Desci da mesma e caminhei até a porta, a abri e olhei para os lados. Andei pelo corredor e entrei no quarto do papai e da minha madrasta. Procurei por uma fita adesiva pelas gavetas e sorri ao achar um grande rolo. O peguei e saí do quarto, fechando a porta com cuidado.
  Voltei em direção ao meu quarto correndo animada e empurrei a porta para entrar. Quando vi meu irmão ali, fiquei parada e permaneci o olhando. Ele fitava o meu desenho.

   - É... até que tá bonitinho... - Ele posicionou seus dedos no meio do desenho e o rasgou, o amassando em seguida.

   - N-não... - O olhei com os olhos cheios de lágrimas e o mesmo sorriu.

   - Irmãzinha... para com isso. Você nunca terá sua família novamente. - Senti uma lágrima descer e percorrer minha bochecha. A limpei com a mão e o mesmo se aproximou. - Veja... minha mãe e seu pai estão felizes juntos. Eles nunca irão se separar... e você sempre estará comigo.

  Eu nada disse. Apenas permaneci parada derramando lágrimas e o mesmo se inclinou ficando da mesma altura que eu. Ele retirou minha mão do rosto e selou minha boca demoradamente. O afastei o empurrando com as minhas mãos.

   - A mamãe disse que isso é errado...

   - Não é não... Eu nem sou seu irmão de sangue.

   - M-mas e-eu já disse que não quer-- Fui calada por outro beijo e o mesmo segurou meu queixo.

   - Cala a boca. Eu te beijo quando eu quiser. Pirralha... - Ele soltou aquelas palavras rudemente, fazendo-me querer chorar ainda mais. - Vá logo se arrumar para a escola.

  Vi o mesmo caminhar até a porta e antes de sair, me olhar.

   - Se você demorar... já sabe. - O tom ameaçador que ele usou na frase me fez tremer de medo.

  Eu sabia muito bem o que ele faria se eu demorasse. E eu não queria de modo algum que ele fizesse aquilo novamente. Aquilo...

  Me arrumei o mais rápido que pude e separei meus livros e os coloquei em minha mochila. Pus a mochila em meus ombros e saí do quarto indo em direção a cozinha.

   - Bom dia princesa. - Avistei meu Appa e sorri.

   - Bom dia Appa - Me aproximei e me sentei em uma cadeira vaga na mesa.

   - Bom dia pequena.

   - Bom dia unnie.

  Após comermos e conversamos um pouco sobre a mesa, Appa olhou seu relógio e nos alertou para irmos para o carro. Desci da cadeira e ajustei minha mochila em minhas costas, caminhei até a saída e abri a porta. Avistei o carro do Appa e corri até ele abrindo a porta de trás. Me sentei e fechei a porta. Derrepente ela se abriu e Hoseok me olhou sério.

   - Vai pra lá. - Mandou e me afastei indo para perto da janela da porta ao lado. O mesmo se sentou ao meu lado e apoiou seu braço na janela.

  Appa entrou logo em seguida e partimos para a escola. Eu e Hoseok estudávamos em escolas diferentes. Minha escola era de ensino fundamental e a dele de ensino médio. O appa nos deixava em frente a escola e se despedia da gente com um beijo. Ele sempre foi carinhoso com o meu irmão, mas ele parece não gostar disso.

  Quando minha aula chegou ao fim, fui a frente da escola esperar o Appa e avistei Hoseok caminhando em minha direção.

   - Por que veio andando até aqui? - O perguntei curiosa e o mesmo me olhou.

   - Porque eu quis. - Respondeu seco e olhou a movimentação na rua.

  Fiquei em silêncio e depois de alguns minutos o Appa chegou. Entramos no carro e permanecemos calados até chegar em casa.

   - Agora vá para o quarto e faça suas tarefas. E você também Hoseok. Se cuidem. - Acenamos para o papai e a unnie enquanto víamos os dois partirem para o trabalho.

  Entrei em casa novamente e parti para o meu quarto ignorando Hoseok. Organizei meus materiais e começei a resolver minhas tarefas de casa em minha mesa de estudos, onde eu ficava balançando minhas perninhas por não conseguir tocar o chão quando me sentava.
  Quando finalmente acabei tudo, resolvi pintar as gravuras que havíam na folha de exercício, até que meus olhos foram cobridos e levei um susto.

   - Irmãzinha... Já terminou o dever de casa? - Escutei a voz do meu irmão bem perto de minha orelha. Assenti e o mesmo retirou suas mãos dos meus olhos.

  Eu havia esquecido de fechar a porta...

   - Boa menina. Agora vamos brincar, sim?! - Ele puxou minha cadeira a virando e me pegou no colo.

   - Brincar de quê? - Curiosa, o perguntei e o mesmo negou colocando seu dedo indicador em meus lábios.

   - Você irá saber ao decorrer da brincadeira... ok?!

  Meu irmão começou a andar comigo em seus braços e a me levar em direção ao seu quarto.

   - Sabe quando eu disse que sería punida se fizesse algo que me irritasse?

  Ao escutar aquela frase, meu coração começou a bater forte em meu peito e minha pressão pareceu baixar. Assenti vagarosamente.

   - Você me irritou hoje baby...

   - M-mas eu não fiz nada.

   - Fez sim. Você não conversou comigo hoje e me irritou com o desenho que fez. - Tentei descer de seus braços e o mesmo me apertou, me prendendo a ele. - Você quer sua família de volta e quer que a gente suma... não é isso?! - Começei a ficar nervosa com o tom irritado dele e senti meus olhos marejarem.

   - N-não...

   - Não? Você me provou o contrário hoje de manhã... - Abriu a porta de seu quarto e a fechou bruscamente.

   - E-eu só não quero que faça aquilo novamente! Por favor... - Pedi e o mesmo sorriu me jogando em sua cama.

  Lágrimas já escorriam pelo meu rosto naquela hora, a visão que eu tinha de Hoseok era horrível. Eu estava com medo dele. Estava com medo do que ele sería capaz de fazer comigo.

   - Por que não quer que eu faça aquilo novamente? - Ele levou suas mãos ao cinto de sua calça e o tirou, me deixando ainda mais apavorada. - Hm?! Me responda.

   - P-porque dói... - Disse baixo me encolhendo perto da cabeçeira da cama, tentando em vão, me afastar dele enquanto ele se aproximava.

   - Fico feliz em saber disso... Eu amei seus gritos de dor aquele dia... Sabia?! - Me encolhi ainda mais quando o mesmo se aproximou em passos largos e puxou meu braço fortemente. - Eu preciso escutá-los novamente...

   - Não. Por favor... Por favor... - Pedi choramingando e o mesmo sentou na cama.

  Fui colocada em seu colo e o mesmo levou sua mão ao meu short. Tentei o empedir segurando-as, mas o mesmo deu um tapa em minhas mãos, fazendo-me recuar chorando alto e o implorando para não fazer tal ato.
  Meu short foi baixado juntamente com minha calcinha e fui colocada de bruços em seu colo. Meu bumbum estava exposto e eu sentia muito medo e vergonha naquele momento.

   - Ah... é tão bonitinha... Você não sabe o quão linda você é irmãzinha. - Apertei meus olhos e minhas mãos quando senti ele passear sua mão pelo meu bumbum.

   - P-pare! Eu vou contar para o papai! - Exclamei nervosa e o mesmo depositou um forte tapa, fazendo-me gritar de dor e chorar mais ainda.

   - Cala a boca! Você não vai contar nada a ninguém... Se não eu te mato. - Continuei apertando minhas mãos em punhos, deixando que minhas lágrimas molhassem um pouco os lençóis.

   - P-por favor pare!

   - EU DISSE PRA CALAR A POHA DA BOCA!

  Senti meu bumbum arder e chorei ainda mais alto. Hoseok depositava fortes tapas no mesmo e eu tremia a cada contato.

   - Olha o que você me faz fazer irmãzinha... Seu bumbum agora está todo vermelhinho... - Escutei o mesmo sorrir e minha cintura foi puxada bruscamente. Tentei me soltar e caí deitada no chão.

  Me desesperei e me apoiei no pequeno criado mudo, me levantando e correndo até a porta. Girei a maçaneta e a mesma estava trancada. Olhei a tranca e a chave não estava lá. Gritei por socorro e escutei a risada de Hoseok invadir o quarto.

    Ele é um louco...

    Omma...

  Bati na porta fortemente e fui puxada novamente por ele, que me jogou em sua cama, puxando meu short e o jogando em um canto qualquer. Tentei descer de sua cama novamente e mesmo me prendeu, segurando meus braços.

   - Sua pestinha teimosa... Agora você vai ter o que merece...

  Puxei o ar em meu pulmões respirando fundo e vi o mesmo desabotoar sua calça. Mexi minhas pernas tentando empurrá-lo dali mas fora em vão.
  Gritei alto e o mesmo deu um tapa em meu rosto, fazendo-o virar para o lado. Derrepente fui virada de bruços e minha blusa foi levantada. Hoseok empinou meu quadril e se encaixou nele, colando o seu contra o meu.
   Senti minha garganta arder quando o seu cinto de couro entrou em contato com as minhas costas e apertei forte meus olhos. Várias outras cintadas foram depositadas e eu gritava alto. A dor era extremamente horrível. Aquilo doera como o inferno e eu pedia a Deus que aquilo tudo acabasse de uma vez por todas.

   - Isso me excita... - Caí fraca em sua cama respirando ofegante e o mesmo espalhou beijos pelas minhas costas. - Você não sabe o quanto eu quero meter em você... Mas acho que você não aguentaria e acabaria por não conseguir levantar no dia seguinte... isso me causaria sérios problemas. Mas me deixaria feliz...

  Permaneci parada respirando fundo e sentindo meus olhos enchados por conta do choro. Eu já não tinha forças para chorar e nem me esperniar tentando sair dali.
  Hoseok saiu de cima de mim e suspirei em certo alívio. Após alguns segundos torturantes esperando pelo pior, ele ajeitou suas roupas e pegou uma pequena caixa. Em silêncio, minha blusa fora erguida mais ainda e senti minhas costas arderem quando senti ele passar algo pelos machucados. Era um algodão com alcóol...
  Apertei meus olhos e ele limpou e cuidou de meus machucados, me vestindo em seguida.

   - Aish... o que estou fazendo... - Escutei Hoseok susurrar e me sentei sentindo as lágrimas vindo novamente. - Onde vai?

   - M-me deixe ir... por favor...

   - Não.

  Hoseok me abraçou forte fiquei com as minhas mãos entre nós, evitando mais contato.
   Eu ainda tinha muito medo dele.
 
   - Me desculpe... - Ele levantou meu rosto segurando meu queixo e selou seus lábios nos meus, como sempre fazia. - Fique aqui comigo... Durma aqui com o seu irmão.

   - N-não. Eu quero voltar para o meu quarto...

   - Não me faça ficar irritado novamente pirralha...

  Baixei minha guarda e Hoseok me puxou, apertando-me com força. Soltei um baixo gemido de dor reprimido pelos meus lábios e o mesmo afroxou o abraço.

   - P-por que faz isso?... - Perguntei em um fio de voz.

   - Isso não é da sua conta. Você não precisa saber nada sobre mim... É como saber que seu copo de vidro quebrou... você não vai conseguir concertá-lo. É inútil. E você é apenas uma criança de 10 anos...

   - Você não pensou nisso quando fez tudo isso comigo...

   - Calada... Você não entende.

   - Não entendo mesmo...

  Suspirei e limpei meus olhos.

   - Hoje... Nós vamos passear com a Omma no lugar que você gosta...

   - N-nós não vamos mais para o lugar que você queria? - O olhei e o mesmo sorriu fracamente.

   - Pequena _____... Agora tudo vai ser decidido por você. A minha Omma nunca me escutou mesmo... Logo agora que ela tem uma filha menina.

   - O que quer dizer com isso Hoseok oppa?

   - Eu não fui desejado... Pode parecer que não mas, eu sou uma escória pra ela. - Arregalei meus olhos e o encarei.

  De alguma forma, aquilo havia me atingido bastante. Realmente, ela parece amá-lo bastante. Mas esse amor pode ser apenas por... pressão?
  Ela sempre coloca algo para ele fazer. Ela sempre coloca todas as responsabilidades nele.

   - Hey... Não me olha assim pirralha. Eu acabei de bater em você... Lembra? Quer que eu faça de novo? - Balanço minha cabeça negando rápidamente e ele riu levantando-se da cama e ficando de pé comigo em seus braços.

  Meu irmão saiu de seu quarto comigo e me levou ao meu.

   - Eu sou realmente uma escória _____. Eu pedi desculpas, e se você me desculpou... pode esperar... quando eu surtar novamente, eu vou descontar em você. - Seus olhos estávam presos nos meus quando ele ditou a frase pausadamente.

  Derrepente fui colocada no chão e ele suspirou se virando em direção a porta.

   - Eu vou levar um amigo junto hoje. Mas não fique muito perto dele ou sofrerá as consequências... Entendeu?! - Assenti e vi o mesmo sair de meu quarto fechando a porta em seguida.

  Caminhei até minha cama e senti meus olhos encherem de lágrimas. Minhas costas doíam bastante. Me deitei com cuidado e respirei ofegante enquanto fechava os olhos lentamente, tentando esquecer de tudo aquilo.

   - Eu queria tanto poder ter um anjo da guarda que cuidasse de mim e me desse carinho... - Susurrei e acabei por dormir.
  

  

 
  Acordei sendo balançada por alguém. Abri meus olhos e vi a unnie me chamando.

   - Pequena, se arrume ou vamos nos atrasar. - Coçei meus olhos e bocejei.

   - E-está bem unnie.

   - Me chame de Omma. - A olhei e a mesma sorriu gentilmente para mim.

   - Ok... Omma. - Sorri e a mesma me abraçou.

  Me sentei e a unnie saiu de meu quarto. Me levantei e peguei uma toalha limpa, seguindo para o banheiro.
 
  Tomei meu banho com um pouco de dificuldade por conta dos ferimentos, e os deixei sem curativo. Eu não conseguia alcançar minhas costas para fazê-los direito.
  Vesti um vestido azul bebê rodado que cobria meus joelhos e penteei meus cabelos. Me assustei quando a porta do meu quarto foi aberta e vi um garoto encostado na mesma.

   - Quem é você? - Perguntei e o mesmo sorriu se aproximando.

   - Jeon Jungkook. Sou amigo do seu irmão. Ele não te contou que eu viria?

   - Contou... mas não me disse seu nome e nem como você era. - Disse e o mesmo sorriu soprado.

   - Precisa de ajuda no cabelo? - Apontou para os meus cabelos e eu neguei. - Por favor, me deixe fazer um penteado em você. Seus cabelos são lindos. - Jungkook caminhou até mim e pegou a escova que eu segurava e passou a pentear meus cabelos.

   - Obrigada.

  - Irei fazer uma maria chuquinha... Você é muito fofa. Ficará ainda mais. - Corei levemente e o deixei amarrar meus cabelos.

  Quando o mesmo terminou o penteado, me olhei no espelho e sorri. Estava realmente muito bonito.

   - Muito obrigada Jungkook oppa.

   - Disponha.

   - Ei... Vamos logo, está ficando tarde. - Olhamos para a porta e Hoseok nos olhava sério.

  Lembrei do que ele havia dito e fitei Jungkook.

   - É melhor irmos logo. - Ele sorriu e eu assenti.

 

[...]

  - Olhe Hoseok oppa! Não é lindo? - Chamei sua atenção levando em minhas mãos um urso. O mostrei e ele sorriu.

   - É bem fofo mesmo.

   - Nossa que lindinho! Onde você achou ele? - Olhamos para Jungkook.

   - Naquela loja. - Apontei para a mesma e ele se surpreendeu ao ver vários ursos lá, de vários desenhos e formas.

   - Você pegou ele e não pagou? - Hoseok perguntou um tanto irritado.

   - Não, espere. Eu só peguei para mostrar à vocês.

   - O devolva.

   - Está bem... - Voltei na loja e deixei o urso no mesmo lugar onde eu tinha pego.

  Voltei para o lugar onde estávamos esperando a unnie com os sorvetes e fitei a linda visão do mar, bem á nossa frente.

   - Quando vamos para a vista principal? - Perguntei assim que a unnie chegou com os sorvetes.

   - Vamos agora. Calma pequena. - Assenti e peguei meu sorvete.

  Estávamos no terçeiro andar do prédio. Ele servia para visitas. Haviam muitos quadros, esculturas e ele possuía um ar medieval.
  Quando chegamos a vista principal, corri e me encostei na madeira que nos empedia de cair dali. A noite estava tão brilhosa. Várias luzes estávam ligadas e o mar estava mais bonito que o normal.
  Senti uma pessoa ao meu lado e a olhei. Era o Jungkook.

   - Por que gosta daqui? - Perguntou-me.
 
   - Eu me sinto bem. Eu e meus pais sempre vinhamos aqui.

   - Ah sim... realmente, aqui é bem tranquilo. - Assenti e senti o meu sorvete se desmanchar em minha mão. - Seu sorvete!

   - Aish! - Lembi rápido o mesmo e Jungkook riu de mim.

   - Querida. Venha aqui. - Escutei a unnie me chamar e caminhei até ela. - Seu aniversário está chegando... Eu quero saber o que quer de presente.

  Ah é verdade. Meu aniversário.

   - Eu posso ver minha Omma? - Pedi e a mesma desmanchou o sorriso que antes possuía.

   - Não querida... Peça outra coisa.

   - Mas eu quero ver minha Omm--

   - Eu sou sua Omma agora! - Me assustei com o seu tom de voz e a olhei. - Me desculpe... Não deveria ter gritado.

   - Omma. Eu tenho um presente especial pra minha irmãzinha. Ela vai adorar. - Hoseok passou seu braço pelo meu ombro e se abaixou beijando minha bochecha.

   - Depois quero saber o que é. E me diga logo o que vai querer de presente _____. Não temos muito tempo.

   - Eu vou poder te dar presente também? - Olhei para Jungkook ao escutar sua pergunta e assenti sorrindo. - Vou me esforçar e te dar algo bonito.

  - Ok!

Ficamos mais um pouco ali e a unnie recebeu uma ligação do Appa. Fomos para o último andar e o esperamos.
  Quando ele chegou, estramos todos no carro e meu Appa deixou primeiro o Jungkook perto de sua casa. Nos despedimos e o vi sair do carro.

   - Irmãzinha...

   - Hm? - Olhei para Hoseok e o mesmo se aproximou mais de mim no banco e abraçou minha cintura deitando sua cabeça em meu ombro.

   - Você é tão quente...

  Hoseok soltou um suspiro contra o meu pescoço e senti um arrepio percorrer meu corpo.

   - Está com sono Hoseok?

   - Sim Omma...

  Ficamos em silêncio durante todo o trajeto. Hoseok parecia dormir mesmo em meu ombro. Eu sentia seu peso sobre mim.
  Quando finalmente chegamos em casa, sacudi Hoseok e o mesmo acordou coçando os olhos. Saímos do carro e desejamos boa noite ao nossos pais. Já estava tarde.

  Fomos em direção aos nossos quartos e eu fui na frente. Entrei em meu quarto sem fechar a porta e tirei minhas sandálias.
  Escutei a porta ser fechada e meu coração palpitou forte. Engoli a seco e fiquei paralisada.

   - _____... Eu disse pra você não ficar perto do Jungkook... Eu não gostei nadinha disso. Não entende que é apenas minha?!


Notas Finais


Postarei o próximo capítulo em breve ♡
Espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...