História I Wouldn't Change A Thing - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 25
Palavras 3.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heey :))
Boa leitura !!!

Capítulo 6 - Surpresa


POV CAMILA

Observei Lauren caminhar até sumir do meu campo de visão. Não entendi ela querer ir embora assim derepente, mas agradeci mentalmente. Não que eu quisesse que ela tivesse ido, mas minha felicidade em encontrar Shawn foi tanta que queria aproveitar que estávamos ali para matar a saudade à sós.

- Nossa Mila, nem acredito que te encontrei agora, pensei que estivesse no seu quarto ou enfiada naquela biblioteca. – ouvi a voz de Shawn e me virei para fitá-lo.

- É que resolvi vir ler ao ar livre hoje. – dei de ombros e sorri me aproximando mais dele.

- O que é um milagre ! Quase não te vejo fora da parte interna do colégio quando não é para as aulas de educação física. – sorriu divertido. Só minhas amigas sabiam que ali era meu lugar de paz, onde eu passava quase a maior parte do meu tempo “livre”.

E agora Lauren também sabe.

Meu subconsciente me lembrou e eu sorri imperceptivelmente.

- Sabe que gosto de ficar quieta, e não há lugar melhor pra isso do que meu quarto e a biblioteca. – peguei a caixa de primeiros socorros que estava no banquinho e comecei a caminhar lentamente.

Não senti meu amigo me acompanhando, parei e olhei por cima dos ombros.

- Vai ficar mesmo parado aí ?

- Claro que não, só fiquei perdido aqui na sua beleza. – senti minhas bochechas arderem um pouco, provavelmente corando por causa do que ele disse.

- Vou entregar isso na enfermaria e a gente vai pro pátio conversar, pode ser ? – perguntei mudando o assunto enquanto caminhávamos lado a lado.

- Mas que coincidência, eu ia te propor isso. – disse descontraído colocando as mãos nos bolsos da frente de sua calça.

Revirei os olhos sorrindo e empurrei de leve seu corpo com o meu para o lado. Pedi para que ele fosse indo pegar um lanche pra gente enquanto eu entregava a caixinha na enfermaria.

Caminhei pela parte do refeitório de cabeça baixa até chegar no pátio, onde eu avistei Shawn de longe sentado em uma mesinha.

- Pronto, agora podemos conversar à vontade. – sorri e sentei de frente para ele.

- Que saudades que eu tava de você – segurou minha mão direita sobre a mesa e soltou um sorriso lindo. Sabe aquele de deixar qualquer garota toda boba apaixonada ? Pois é... mas pena que isso não tinha o mesmo efeito sobre mim.

- Eu também estava Shawn...muita saudade. – suspirei e segurei sua mão de volta. E isso só fez com que ele aumentasse ainda mais o sorriso.

- Mas me conte, como você está ? E sua mãe, a pequena Sofi, os estudos, a vida ? – perguntou pegando um dos copos de suco na bandeja e colocando à minha frente.

- Minha mãe perguntou sobre você acredita ? Ela te adora, não sei por qual motivo, você é um chato. – levei o copo de suco até meus lábios sob o olhar incrédulo do garoto.

- Chato Mila ? Jura ? – fingiu estar ofendido e eu ri. – Sua mãe é uma mulher encantadora, e sabe que sou o genro perfeito para ela, talvez por isso ela me ame tanto. – deu de ombros e mordeu seu sanduíche natural.

Parei de sorrir assim que ouvi aquilo e semicerrei os olhos em indignação. Ele estava querendo virar o jogo à seu favor.

- E quem disse que eu vou namorar você ?! – respondi convincente.

- Espere só até eu terminar de comer esse sanduíche, vou te provar que está enganada nessa sua decisão. – confesso que estava morrendo de saudades desse jeito do meu amigo. Mas deixando claro que eu não nutria nenhum outro tipo de sentimento que não fosse amizade. Não que isso fosse bom, porque Shawn Mendes é mesmo um cara incrível, mas eu simplesmente não conseguia enxergar ele mais que um grande amigo. Triste, mas é a vida... a gente não escolhe de quem gostar não é mesmo ?!

Depois de nos alimentarmos, continuamos ali, conversando sobre todos os assuntos atrasados. Fiquei até sem noção de tempo.

POV LAUREN

Consegui chegar no quarto com muita dificuldade depois de deixar Camila com o namoradinho idiota. Meus joelhos começando a me incomodar de verdade, me fazendo lembrar que teria que usar saia um bom tempo. Seria impossível colocar calça jeans com os joelhos fudidos.

Droga !

Bufei abaixando meu short com cuidado.

Pelo menos consegui evitar um atropelamento.

Sorri me lembrando de Camila.

Pensei na garota completamente distraída e comecei retirar a camisa dessa vez, com a maior calma do mundo também, pois o ombro parecia que ardia mais.

- Parece que toda vez que te vejo nesse quarto você está seminua – me assustei com o baque da porta do quarto me tirando de meus pensamentos. – estou começando a achar que você quer seduzir eu ou Mani. – Vero se jogou de costas em sua cama rindo.

- Você não faz meu tipo Iglesias, mas a Mani...quem sabe não é ?! – balancei as sobrancelhas sugestiva olhando para a morena que retirava seu uniforme.

- Ouch ! Essa doeu Laurenzo. – dramatizou Verônica.

- Nem venha com esse papinho pra cima de mim Lauren, não caiu nessa lábia de conquistadora. – Mani me olhou com um sorriso convencido vestindo uma regatinha branca.

- Toma essa Edward ! – minha outra amiga gargalhou.

 - Não seja tão segura assim Manibear...sabe que sou uma ótima conquistadora. – devolvi em tom de brincadeira com uma piscadela pegando a toalha que estava no sofá, e indo em direção ao banheiro.

- HaHa já sou vacinada meu amor.– ouvi sua risadinha enquanto entrava no banheiro. – E palmito, vê se não demora aí, eu e Vero queremos conversar com você.

- Se prepara Jauregui... – foi a vez de Vero falar um pouco mais alto porque eu estava fechando a porta.

Agora a tarefa mais difícil, tomar banho.

Vamos Lauren, são só ralados.

Disse para mim mesma antes de entrar na água um pouco mais fria. Consegui, quinze minutos de gemidos dolorosos, mas consegui tomar um bom banho. Me sequei na maior lentidão do mundo tomando cuidado com os machucados. Vesti uma roupa leve e simples, não sairia mais do quarto hoje.

Você deve estar me achando uma fresca, mas quem já se ralou em uma pista de asfalto sabe que isso dói pra caramba. E eu tinha dois ralados enormes e um pequeno, então me dê um desconto.

Sai do banheiro e caminhei até o sofá para colocar a toalha molhada.

- Mas que porra é essa Lauren ?!? – Vero em um pulo parou de frente pra mim examinando meu estado.

- Machucados oras ! – respondi como se fosse óbvio.

- Nossa ! Sério ? Idiota ! Quero saber o que aconteceu. – sentou na minha cama de braços cruzados.

- Quem te esfolou assim mulher ? – Mani perguntou se sentando do outro lado na cama.

- Eu tava andando de skate e do nada apareceu uma garota na minha frente, não consegui fazer outra coisa a não ser desviar dela, mas tinha uma pedra infeliz bem no chão, pro lado em que desviei o skate e bem, sai ralando na pista. – fiquei em pé de frente para as duas.

- Isso é castigo por não ter me chamado pra ir junto, bem feito ! – Vero passou a mão direita nos longos cabelos os jogando para trás.

- Lógico ! Você some nesse colégio, não sei o que tanto faz zanzando por aí. – rebati revirando os olhos.

- Esse lugar é gigante Lauren, tem tanta coisa pra fazer, mas você só quer ficar enfiada aqui dentro desse quarto. Sua emo gótica depressiva anti-social ! – ela praticante gritou.

- Você é tão irritante Iglesias ! – me alterei cruzando os braços abaixo dos seios. Era quase sempre assim, ela tinha uma facilidade imensa para me irritar e não poupava disso.

- Você que é muito esquentadinha Jauregui. – abaixou o tom de voz e sorriu debochada.

Maldita ! Fazia Isso só pra me estressar.

Fechei os olhos e respirei fundo na tentativa de me acalmar.

- Só não te arrebento agora porque isso aqui tá doendo. – respondi mais calma olhando para meu ralados.

- Sempre tem uma desculpa não é ?! Arregona. – sorriu de lado debochada.

- Olha aqui sua imbecil eu s... – parti pra cima dela mas fui interrompida por Normani que parou em minha frente.

- Será que dá pro casal de idosas pararem de palhaçada ?! – alterou o olhar entre mim e Vero que tinha o corpo arqueado para trás no colchão com as duas mãos se apoiando, uma de cada lado.

Respirei fundo mais uma vez e puxei uma cadeira de rodinhas que ficava em uma mesinha na parede ao lado da porta, me sentei mais perto da cama e estiquei o joelho que mais ardia em cima do colchão.

- O que querem conversar ? - perguntei olhando para ambas.

- Sobre o que vimos hoje, duas vezes ainda. – a morena sorriu e sentou do meu lado direito, mas no colchão. Agora eu tinha uma de cada lado me encarando.

- E o que foi que vocês viram ?

- Você com um sorriso idiota nesses lindos lábios. – tinha quer ser Vero para falar tal idiotice.

- Isso mesmo, pode ir tratando de nos explicar qual é o motivo. Ou melhor, quem é o motivo...

Eu sabia que isso não iria passar em branco.

Eu só não entendi uma coisa...

- Como assim viram duas vezes ? Eu só me lembro daquela hora lá no pátio que a Ve...

- Quando entramos aqui no quarto, você estava com o mesmo sorriso bobo, agora explica isso. – Normani me cortou impaciente.

A pior parte de ter amigas que te conhecem melhor que você mesma, é que bem, elas te conhecem o suficiente para saber que cada coisa que você faça, tem um significado, ou um motivo, ou os dois... E minhas amigas eu posso jurar que são capazes até de saber o que eu estou pensando, só pela forma como elas me olham quando está na cara que tem algo acontecendo comigo. Não custa nada contar pra elas sobre a Camila, afinal não tem nada demais acontecendo...

Camila...

Sorri involuntariamente lembrando mais uma vez da garota.

- Meu Deus ! Eu vou dar na sua cara se você não parar de sorrir assim e não contar logo o que tá acontecendo. – Vero se remexeu inquieta em cima da cama.

Revirei os olhos e dei de ombros para tentar conter um pequeno nervosismo que se instalava em mim.

- É só uma garota que eu conheci ontem. – respondi indiferente. Pelo menos foi o que achei que fiz.

- Conheceu ontem e já tá otária assim ? – Vero era assim, mandava na lata.

- Que ?! Tá maluca, eu não estou otária coisa nenhuma. – fiz uma careta.

- Mas vai ficar rapidinho. – a morena disse rindo baixinho. – Se apenas com um dia de conversa você já tá sorrindo toda boba, imagina se continuarem a se falar todo dia... – completou sugestiva.

- Imagina depois que Laurenzo pegar a garota de jeito. – Verônica sorriu maliciosa. – E o que essa garota tem pra ter te deixado assim, logo você, que deixa bem estampado nessa sua cara branca que não vai com a cara de ninguém aqui desse colégio ?!?

- Nada a ver, não levem pra esse lado, ela só é...diferente. Ela é simples, diferente do resto, é engraçada e...linda ! – tentei não sorrir, mas foi impossível.

- Own que linda Laur ! Ela deve ser mesmo uma graça, nunca vi você assim, sorrindo por alguém que acabou de conhecer. Você é sempre tão.... – Mani olhou para cima tentando encontrar a palavra certa.

- Grossa ? – gargalhei de leve. – Sim, eu sou mesmo, mas vocês sabem bem o motivo de eu ser assim. – tirei a perna que estava sobre o colchão e aproximei mais ainda a cadeira para perto da cama. – Acontece que Camila não fez com que esse meu lado aparecesse, sei lá, ela é tão natural, tão ela mesma, não se acha ou tenta chamar atenção como a maioria das pessoas desse lugar, e eu simplesmente agi naturalmente também, nada demais. – conclui me levantando. Olhei pela janela e reparei que estava escurecendo do lado de fora.

- Huuum.... Camila. Bonito nome não é Vero ?! – elas se entreolharam sugestivas e eu revirei os olhos pela milésima vez. – E por algum acaso, a garota que você quase atropelou na pista, é a tal Camila ?

Por quê diabos elas não paravam de sorrir ?!! Isso estava me irritando.

- Sim, e coincidentemente, ela é da minha turma, e pra melhorar mais um pouquinho, ela é minha dupla na aula de química. – coloquei um moletom preto, o frio começando a se fazer presente.

- Eita !!! Já vi que essa novela só está começando... – Vero se levantou batendo palminhas. – É melhor alguém avisar pra essa garota que a Jauregui é perigosa, não perdoa quem entra em seu caminho. – gargalhou fazendo Normani se jogar para trás rindo.

- Chega ! Vocês só sabem me tirar do sério, não é possível. E parem com isso, Camila não é garota pra mim, e ela namora.

- Ok...se você tá dizendo, a gente acredita. – Mani se levantou também vestindo um moletom e calçando os chinelos. – Vamos dar uma volta, você precisa de um suco de maracujá.

- Eu não estou a fim de sair.

- Ninguém perguntou se você está a fim, só vem e não estressa. – as duas saíram antes que eu argumentasse novamente.

O que eu fiz para merecer essas duas ?

Andei em passos apressados até alcançá-las. Passamos pelo corredor dos armários e entramos no caminho de outro que parecia ser o corredor B. Mani tagarelava sem parar e eu apenas caminhava junto à elas, ainda estava emburrada. De longe avistei duas garotas encostadas na parede ao lado da porta de um dos dormitórios. Estava distante, mas vi que era uma baixinha, bem baixinha de cabelos castanhos bem claros e uma alta com cabelos enormes e quase loiros...espera...

Eu acho que já a vi em algum lugar.

Verônica em algum momento que não percebi, começou a andar de costas enquanto falava de uma garota de sua turma que quase pegou. Verônica Iglesias é realmente impossível.

- Daí quando eu ia partir pra cima o profes... Ai ! Droga ! – parou de falar assim que trombou com alguém atrás de si.

- Você não olha por onde anda não hein ?! – a baixinha que avistei de longe, agora estava olhando irritada para minha amiga que continuou de costas para elas.

- Desculpe se não tenho olh... Brooke ?!? – parou de falar assim que se virou ,exclamou e perguntou ao mesmo tempo assim que colocou os olhos sobre a menor.

Aposto que é mais uma vítima da minha amiga.

Pensei olhando para ambas, a menor pareceu se assustar e sorriu nervosa.

- Vero...

- Espera... Brooke ? De Ally Brooke ? – foi a vez de minha outra amiga se manifestar.

- Normani ? – a baixinha com nome de Ally arqueou as sobrancelhas.

- Meu Deus que coincidência te encontrar aqui ! Pensei que nem se lembrava mais de mim. – Vero relaxou a postura e sorriu para a menor que retribuiu de imediato.

- Verdade, já faz quase 1 ano desde que nos vimos pela última vez, você sumiu depois de...bem...você sabe. – Ally já estava bem mais descontraída e agora as três conversavam entre si, enquanto eu e a outra garota que estava encostada na porta, só olhávamos sem saber o que dizer exatamente.

- Dinah,se lembra da minha prima, Lucy ? – a baixinha se voltou para a amiga.

- Lucy Vives ? – perguntou confusa.

Vero torceu o nariz quando ouviu o nome da garota. Era sempre assim.


- Sim, me lembro, o que tem ela ? – mantinha os olhos sobre sua amiga.

- Minha prima e Vero foram namoradas. – respondeu simples.

Lucy e Ally são primas...está explicado.

- Ah sim... então essa é a famosa Verônica Iglesias ? – olhou para minha amiga com uma cara de poucos amigos.

- Essa aí, sou eu mesma, prazer ! – estendeu a mão direita para a garota.

Soltei um risinho baixo, Vero era tão cínica quando queria. Tentei não chamar atenção, mas foi em vão.

- E essa é Normani, amiga da Vero. – Ally se adiantou e apresentou a morena. – E você é...nunca te vi com Verônica. – a menor sorriu tímida para mim e eu coloquei as mãos no bolso do moletom.

- Lauren... Lauren Jauregui. – sorri de lado para Ally e...como é mesmo o nome da outra ? Acho que é Dinah.

- Prazer Lauren. Bom, o que vocês fazem por aqui, são desse corredor também ? – a baixinha puxou assunto.

- Estamos indo dar uma volta, somos do corredor A. – Mani se pronunciou, olhando até demais para a maior, amiga de Ally.

Estranho, Mani não era de encarar alguém assim.

- E vocês, o que estão fazendo aqui do lado de fora ?

- Esperando nossa outra amiga, a gente tá indo assistir um filme com o pessoal de outra turma, vocês querem vim, vai ser legal... – Ally perguntou educada.

Verônica me olhou rapidamente e eu ia negar com a cabeça, mas Mani foi mais rápida.

- É claro que a gente quer ! – sorriu eufórica. – Não aguento mais ficar naquele quarto.

Dinah sorriu junto da menor, eu sorri forçada e Vero sem graça.

- Bom, então se vocês quiserem ir, nós só vamos esperar nossa ami...

- Meninas, vocês viram aonde eu deixei meu celu... – todos os olhares se voltaram para a garota que parou ao lado de Ally ajeitando o pequeno laço vermelho no cabelo. Ela percebeu e cortou a frase pela metade quando me viu.

Não...isso só pode ser pegadinha !

Cadê as câmeras escondidas ?

- Lauren ?! – disse mais para si mesma do que pra mim.

E eu ?

Bem, eu continuei parada, estática, com cara de nada, fiquei completamente sem reação, apenas a encarava, mas por dentro eu estava explodindo. De quê exatamente ? Também não sei...


- Camilinha ? – escutei a voz de Vero ao meu lado mas continuei encarando a garota à minha frente. Ela só desviou o olhar porque minha amiga falou um pouco alto, com empolgação, e isso despertou Camila.


- Olá Verônica ! – respondeu com um sorriso tímido. Linda ! Pensei ainda olhando para ela que tinha a atenção em minha amiga agora.


- Hey Mila ! – foi a vez de Mani cumprimentar.

- Manibear..! – exclamou com uma risadinha.

Que intimidade toda é essa ?!?

- Acho que já podemos ir né garotas ! – Dinah se desencostou da parede e começou a caminhar. Logo todas nós andávamos lado a lado pelos corredores, até chegar na sala de vídeo que era onde os outros alunos estavam. Estávamos em uma fileira : Dinah na ponta direita, Mani ao seu lado, logo depois Camila, Vero, Ally e eu na outra ponta.

Eu estava completamente alheia a conversa das cinco garotas que pareciam se conhecer há anos, me senti meio excluída, mas esse é meu jeito. Até agora não descobri o motivo exato de minhas amigas conhecerem Ally e Camila, mas já vi que teria muito tempo pra isso depois. Elas não paravam de falar nenhum segundo, e senti que a partir desse dia, as coisas vão mudar no nosso círculo que na verdade era um triângulo da amizade...

E mais uma vez eu e Camila nos encontramos. Apenas coincidência, ou destino ? Não sei, mas isso já estava me preocupando, levando em consideração tudo que já havia sentido apenas nesses quatro “encontros” com a garota de olhos castanhos. Algo me diz que vou ter que exercer bastante o meu autocontrole.

Me perdi em pensamentos e só percebi que estava agora dentro da sala de vídeo, porque assim que entramos, uma conversação se fez presente me despertando.

O lugar não estava tão cheio assim, apenas mais uns sete alunos, sendo meninas e meninos, e até que eles eram...suportáveis. Escolhemos o filme e logo todo mundo se acomodou ali no chão mesmo, pois tinha um tapete enorme e alguns pufes espalhados em cima do mesmo. Pegamos nossas pipocas e refrigerantes, e um garoto que eu não tinha reparado até então, deu play no filme. Eu o reconheci quando ele se aproximou de onde eu e as meninas estávamos e sorriu para alguém em especial.

Espera...esse é o... Shawn ?

Sim, é ele mesmo.

Revirei os olhos quando o vi sentando ao lado de Camila no tapete.

Por quê será que ele me incomoda tanto ?!

Neguei mentalmente e tratei de me concentrar no filme.

Isso só está começando...


Notas Finais


Agora começa a ficar interessante... u.u
Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...