História Ib, e o Horripilante mundo de Guertena - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ib
Exibições 62
Palavras 1.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


VOLTEEEEEEEEEIIIII!!!!
Olá gente! Tudo bem? Agora é serio em? Kkkkk voltei pra ficar eu JURO!
Podem me adicionar no face okay pessoal? Quero me comunicar com vocês e aceito sugestões! E adivinhem? Irei fazer um sorteio! Me add no face e comentem na minha foto de perfil : " Eu sou fã!" e quem ganhar pode me ajudar a escrever a fanfic! Vamos lá! Sorteio até o dia 17!

PERFIL: Driih Kawaii

Capítulo 9 - Cada vez mais curiosa...


Fanfic / Fanfiction Ib, e o Horripilante mundo de Guertena - Capítulo 9 - Cada vez mais curiosa...

Estava em mundo repleto de escuridão, não conseguia enxergar mesmo que quisesse.
Apertei meus olhos para tentar ver algo, não via nada ainda, comecei a andar, naquele local escuro que nem me permitia saber o que aquele "lugar" era.
Continuei a caminhar, minha respiração de tornou ofegante, tive de parar e respirar. Quando me sentei no chão, uma luzinha apareceu, era pequena, plana e redonda, sua cor ia de um branco ao azul, ate que se tornou azul por completo, brilhava muito.
Fui engatinhando até ela, quando a olhei de perto, percebi que era uma pétala de rosa, era linda, minha mão estava prestes a toca-la quando outras pétalas foram aparecendo mais adiante.
Fui as seguindo devagar engatinado, ate que elas começaram a aparecer mais rapidamente e eu tive de voltar a correr atrar das pétalas.
A ultima estava perto do caule, a rosa esta morta, e quando a olhei as pétalas não brilharam mais.
Tudo voltou ao breu, não via nada novamente e não sabia o que fazer. Andei por todo o lugar e nada aconteceu. Não havia mais que eu pudesse fazer ali.
Me ajoelhei perto da rosa morta.
Passei a mao de leve no seu caule, e quando menos esperava, uma mão agarrou fortemente meu pulso.
Eu; Aaaaaah! Me larga! 
Aquela coisa não queria me soltar, comecei a arranhar aquela mão e comecei a ouvir gemidos de dor.
Garry: Ib... Ib... Para...
Aquela voz...
Eu: Garry?... Garry! Meu Deus!

Era ele! O garoto dos meus sonhos... Visões... Não sabia mais exatamente o que eram mas ele estava ali! Por algum motivo vê-lo fez com que a alegria me tomasse por inteiro, e essa alegria gerou uma luz, ajudando-me a ver seu rosto..
Garry...
Eu: Meu Deus é você! Me perdoa não quero te machucar eu juro! - Segurei a mão de Garry e a levei perto de meu rosto - Me perdoa por favor! Me diz o que esta acontecendo eu preciso saber... Por eu não consigo me lembrar de você na minha vida? Você parece ser tao importante pra mim Garry...
Ele segurou o meu pulso novamente, ouvi um barulho de corrente, logo depois, seus lábios sua vez tocaram os meus, fechei meus olhos e permiti, naquele momento, acalmar meu coração com aquele gesto.
Garry segurou meu rosto de leve e olhou nos meus olhos, vi as correntes que prendiam seus pulsos...
Eu: O que esta acontecendo?... Eu... Eu... Não sei o que f-fazer...
Senti uma lágrima escorrer pelo meu rosto.
Garry: Não chpre Ib, ainda precisamos de você, Você é a única que pode nos ajudar...
Eu: O que eu devo fazer então?
Garry: Procure o momento certo, sempre na biblioteca OK?
Eu: Eu não estou entendendo... Eu vou a biblioteca todo o dia e nada acontece.
???: Garryyyyy, Onde você está meu bem? Apareça!
Garry olhou para a esquerda de onde a voz vinha segurou meus ombros e me tirou de perto dele.
Garry: Vá Ib! Precisamos de você! Vai...
BIBIBIBIBIBIBIBI
Meu despertador tocou as seis e quinze, Com muita preguiça abri os olhos devagar, a luz vazia com que eles ardessem, Gumi não havia fechado a janela antes de dormir de nono imaginei.
Desliguei meu despertador e ouvi o chuveiro desligando também.
Me sentei em minha cama, fiquei pensando novamente no sonho... O que sera que estava acontecendo, já faziam três dias que tinhas sonhos estranhos desde o incidente na sala da diretora, ia todos os dias umas três vezes ao dia na biblioteca desde então, mas nada acontecia, e agora com esse novo sonho... Não sabia o que fazer além de esperar algo cair dos céus.
A porta do banheiro se abriu Gumi saiu de toalha.
Gumi: Foi mal a demora no chuveiro Ib, meu cabelo estava horrível- Ela riu- Cara você não sabe p que acontecei ontem...
Eu não prestava muita atenção no que ela dizia, não conseguia parar de pensar no que estava acontecendo, esta realmente ficando louca de vez? 
Gumi: Heey, Ib... Ib!
Olhei para Gumi meio assustada com seu tom de voz.
Gumi: Esta tudo bem? Você tá tao desligada des... Espera... Teve outro sonho não é?
Eu: Sim...
Ela me olhou com estranheza.
Gumi: Quem apareceu desta vez? A garota loirinha? O de Cabelo lilás? A boneca?
Eu: Só Garry, ele estava preso à correntes, ouvi uma voz estranha e...

Ela se sentou do meu lado e virou a cabeca ainda me olhando

Gumi: E....
Eu: Ele me beijou... Foi tudo muito real...

Gumi agitou as mãos no ar e arregalou bem os olhos, água de seus cabelos verdes caíram sobre minha cama e escorreram na parede.

Gumi: Então ele te beijou? Meu Pai do céu! Até em sonho você arruma um Boy Magia e eu não.

Nós duas rimos e eu contei tudo a ela, paramos um tempo, caladas, pensando em o que iriamos fazer, afinal, se eu não fizesse nada tudo aquilo continuaria... Eu acho.
Gumi: Ib, a que horas você foi a biblioteca há que horas nesses últimos dias? 
Eu: Bom... Fui as cinco da manhã, ao meio dia no primeiro intervalo e as Cinco no terceiro intervalo.
Gumi: Por que você não tenta ir as três da manhã?
Ib: Não, nunca tentei, não podemos sair antes das cinco da manhã dos quartos.
Gumi:  Esse é o horário dos espíritos, fantasmas sei lá o que! Mas se tudo o que acontece com você é sobrenatural,  uma medida sobrenatural pode dar certo!
Eu já havia ouvido falar sobre isso, na verdade, depois do meu aniversário de nove anos, acprdava frequentemente neste horário, meu terapeuta não conseguiu descobrir o " por que" que tudo isso acontecia. A ideia da Gumi poderia dar certo.
Eu: Mas como iremos entrar na biblioteca sem que ninguém note que estamos saindo do domirtorio fora de hora?
Gumi: É muito simples...
----------------------------------------------------------------------------------------------
Depois do intervalo das 5:00, eu e Gumi ficamos esperando fazer dez horas, (o horário em que todos voltavam para o dormitório no pátio, levamos algumas broncas do guarda Júlio pois ele não gostou da ideia de ficarmos enrolando depois do horário naquele lugar, e quando o relógio anunciou onze horas, corremos para a biblioteca.
Nós duas andávamos pelo corredor que saia do patio e terminava em um portão de saia de emergência, no meio de muitas salas a biblioteca era reconhecível de longe, era uma porta grande que ficava do lado esquerdo do corredor, ficava sempre aberta, mas apostava todas as minhas fichas que desta vez ela estaria fechada pois o horário não permitia mesmo que estivesse aberta.
Gumi: Estou começando a achar que isso foi uma má ideia...
Eu: Por que seria? Essa escola não tem câmeras e os guardas nem sonham em passar aqui, não há como dar errado.
Gumi: Cara olha esse lugar, ta todo escuro e... Medonho.
A palavra "Medonho" saiu de sua boca em um tom estranho que me fez sentir um arrepio...
Eu: N-não seja boba Gumi, nada cai acontecer... Não existe essas coisas de fantasmas...
Gumi: Por favor Ib! Você tá mentindo pra si mesma, Tudo o que aconteceu com você ate agora não foi nada normal! Visões, sonhos, pinturas que aparecem sozinhas, gente pedindo ajuda, isso tudo não é normal! E agora essa tal de Garry pede sua ajuda e estamos indo atrás de uma coisa que não conhecemos no horário dos espíritos.... O que pode acontecer?
Eu: Pode não acontecer nada! Podemos ficar a noite toda naquele lugar e nenhum cisco de poeira se mexer... Eu posso só estar... Ficando louca...
Gumi: E é isso o que você quer Ib? Ser louca?
Eu continuei andando pensando naquela pergunta, e se eu realmente estivesse louca? Teria de sair do colégio e voltar ao terapeuta, ser internada... E tudo de ruim pode vir depois, posso me esquecer de quem sou... Mas, e se algo acontecer? O que poderia acontecer? Eu quero que algo aconteça?
Interrompi meus pensamentos quando paramos bem de frente a duas portas brancas fechadas, uma placa escrito "Biblioteca" estava pendurada nela, segurei o pulso de Gumi e tentei abrir a porta.
A maçaneta era bem gelada, senti o frio passando por de baixo de minha blusa minha calça jeans, minha respiração era forte, e empurrar aquela porta parecia quase impossível. Quando a maçaneta foi para baixo a porta não se moveu, eeu suspirei aliviada.
Gumi: Cara - Ela riu - Sem chave essa coisa nunca vai abrir! 
Ela tirou do bolso do short uma chave dourada, velha e enferruchada na ponta, era a chave da porta.
Eu: Onde conseguiu isso? 
Gumi: Bom... Me inscrevi para o cargo de assistente da bibliotecária logo depois de sairmos do quarto hoje de manhã, pelo meu azar e sua sorte, ninguém quer esse cargo e por causa da minha "escolha" agora tenho a chave. Você esta me devendo uma!
Me alarmei um pouco ao ver a chave, e quando Gumi a colocou em minha mão, meu coração bateu mais forte...
Coloquei a chave na fechadura.
Não abra, Não abra, Não abra...
A chave virou com muita facilidade e a porta se abriu...
Um mundo de aventura me espera... Talvez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...