História Ice And Fire - Capítulo 55


Escrita por: ~

Exibições 430
Palavras 8.600
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, meus filhotes!
Bom, o momento que tanto esperamos finalmente chegou. Eu literalmente ralei nesse capítulo, virei noite escrevendo a mão, revisando, pesquisando, deixando de fazer minhas próprias coisas pessoais... Então eu tentei o meu melhor, espero de verdade que vocês gostem. Não revisei ainda, então pode ter erros ou talvez eu esqueça de por algo, não sei, mas estou muito cansada agora então apenas irei postar e ir dormir. Voltarei depois pra checar e farei os ajustes se necessário.
Sem mais delongas, nos vemos lá em baixo nas notas finais (é importante, então LEIAM).
Boa leitura ^-^

Capítulo 55 - Goodbye My Friend


Fanfic / Fanfiction Ice And Fire - Capítulo 55 - Goodbye My Friend

Eles foram arrastados sem delicadeza alguma pelos capangas de Jean. Durante certo patamar do corredor, o barulho e os gritos do salão principal já podiam ser ouvidos. Isso somente apavorou e agonizou eles, que rezavam para que nada de pior acontecesse e que os gritos fossem dos amigos de Jean.

Infelizmente, não eram.

Assim que alcançaram o piso do salão, notaram que a situação era mais grave do que pensavam.

Normani desmaiada.

Veronica, Lucy e Ariana cercadas por cerca de dez vampiros.

Dinah e Austin uivando de dor.

Hayley e Miley presas por Cara, ambas gritando ao ter o ácido da vampira em contato com suas peles.

- FALA PRA ELES SOLTAREM ELAS! – Camila bradou, se debatendo contra o aperto de Jean, que ria. – O SEU PROBLEMA É COM A GENTE, DEIXA ELAS IREM!

- E qual seria a graça se eu fizesse isso? – O vampiro desdenhou. – Eu disse que iríamos nos divertir e nós vamos! – Garantiu, sádico. – Zayn?

O vampiro suspirou frustrado, parando de torturar Dinah e Austin em seguida.

- Senhor...? – Reverenciou estupidamente Jean.

- Ajude Cara a terminar o serviço – instruiu, fazendo com que os pares de olhos ali presentes se arregalassem. – Esses aí ainda serão úteis.

Zayn assentiu e marchou diabolicamente até as escadas, esbanjando um sorriso assassino e mirando as meninas de forma provocativa.

A agitação, agonia e gritos se intensificaram conforme ele se aproximava de Miley, Hayley e Cara. As meninas já tinham seus braços em carne viva, mas se mantinham firmes e leais aos amigos. Jamais os entregariam e muito menos se deixariam serem humilhadas.

- O que... Ele não... Ele não pode! – Selena protestou, mesmo que ela sequer aguentasse consigo mesma naquele momento. – Di-diz... diz pra ele parar!

- Jean, não precisamos fazer isso – Ally interveio, se dirigindo ao vampiro pacificamente. – Deixe-os ir. Nós podemos resolver tudo e entrar em um acordo com uma boa conversa, não precisamos tirar tantas vidas sem motivo.

- Acontece que eu tenho motivos, anjo – falou com deboche, causando náuseas em Ally. – Não faz ideia do quanto isso me dá prazer... O medo e a agonia em seus olhos... A dor.

- SEU FILHO DA PUTA COVARDE! – Avril gritou entredentes, se soltando dos braços de Terry e avançando com toda a raiva.

Contudo, no segundo seguinte ela caía de joelhos no chão. Os olhos revirando nas órbitas. As mãos sobre a cabeça. O grito de dor rasgando a sua garganta... Fazendo-a se contorcer e implorar para que aquilo parasse. 

- DEIXA A MINHA IRMÃ EM PAZ! – Lauren vociferou, tentando se soltar também, mas sendo contida pelos clones de Alexa.

- Calminha, baby – a vampira murmurou, roçando a boca sobre o pescoço da hispânica que se debatia. – Continua com o mesmo cheiro maravilhoso, imagino que o gosto ainda seja também.

- É melhor você ficar bem longe da minha noiva, sua vadia – Camila grunhiu, sentindo o seu sangue ferver drasticamente. – Você sabe que eu vou sair daqui e assim que isso acontecer, não sobrará nem mesmo as suas cinzas imundas pra contar história!

- Noiva? – Alexa gargalhou alto, ignorando a ameaça da latina. – Quem diria hein, Jauregui... Ela conseguiu mesmo te domar.

- É o que acontece quando se ama alguém e é correspondido... Ops! – Lauren se fez de desentendida, cutucando a ira de Alexa. – Esqueci que você não sabe o que é isso.

- JÁ CHEGA! – A vampira gritou, enfurecida. – Zayn, faça!

E antes que alguém pudesse dizer mais alguma coisa, os gritos de Miley e Hayley se intensificaram. Aos poucos eles foram silenciando e a cor em seus corpos foi sumindo, como se estivessem secando. Elas foram ficando tão brancas que alcançavam um tom quase azulado, deixando seus traços cada vez mais mórbidos. Começaram a tossir ao sentirem suas gargantas se fecharem e os pulmões queimarem com a falta de oxigênio. Por fim, seus corpos sem vida tocaram o chão, assinalando a sentença final.

Tudo pareceu acontecer em câmera lenta em seguida.

Uma Lauren furiosa se desvencilhou de Alexa, ao tempo em que as raízes de Camila perfuraram os ouvidos de Jean, o retardando. Ambas correram... Lauren alcançando Cara no andar de cima com apenas um passo, socando o seu rosto e atingindo o seu estômago com joelhadas, para em seguida arrancar um pedaço de seu pescoço com uma mordida e jogar o seu corpo pelas escadas para que Dinah terminasse o serviço sujo.

Avril acabara de fazer o mesmo com Terry, sendo auxiliada por Ally no momento de distraí-lo para que ele não usasse de seu poder contra ela de novo, dando liberdade para que a loira avançasse e perfurasse o seu corpo com a sua espada. As duas seguiram para ajudar Veronica, Lucy e Ariana, acabando rapidamente com os vampiros que estavam prestes a sugarem todo o sangue das garotas.

Lauren acabara de alcançar Zayn, que agora mantinha uma expressão de pânico em seu rosto. Havia esgotado o seu poder com Miley e Hayley, e agora frente a frente com Lauren ele não tinha chance alguma. Ainda mais sabendo que o seu fim lhe aguardava entre os dentes afiados de Dinah.

No entanto, tudo voltou a desmoronar.

Alexa acabara de atirar uma adaga na direção de Camila, que corria para ajudar Demi e Selena, de costas para o ato covarde e traiçoeiro da vampira. O atrito seria inevitável... Isso se no último instante, o lobo negro não tivesse saltado em sua frente. A lâmina cravou diretamente em seu peito, manchando os pelos escuros de vermelho.

- Seu imbecil! – Alexa o xingou, seus olhos levemente arregalados. – Porra, isso não era pra você! – A vampira levou as mãos até os cabelos, remexendo-os nervosamente.

Só então Camila cessou os seus passos, notando o que estava acontecendo.

- Austin? – Arregalou os olhos ao observar o lobo ferido, se apavorando ainda mais ao ver o corpo lupino se modelar no corpo do garoto, que quase sumia entre a poça de sangue que o cercava. – Meu Deus – correu para se ajoelhar e colocar a cabeça do garoto sobre o seu colo. – Por que você fez isso?! – Questionou agoniada, tentando inutilmente estancar o sangue em seu peito com a própria mão. Austin, soado e pálido, tentou abrir a boca algumas vezes para responde-la, mas sempre que tentava era como se arames farpados bloqueassem a passagem. – Não fala nada! – Disse ao notar a sua enorme dificuldade para lhe responder. – ALLY? – Procurou pela baixinha em meio ao caos, encontrando-a encurralada por Justin e alguns clones de Alexa. – Ally, ele... ele... FAZ ALGUMA COISA! – Implorou, sentindo as bochechas molharem com o líquido salgado que escorria de seus olhos.

Ally com seu rosto igualmente úmido, fechou os olhos e negou com a cabeça para a latina.

Ela não conseguiria salva-lo.

E ele havia se sacrificado por Camila.

Era para ser ela ali em seu lugar.

- Deixa – a voz quase nula do garoto ressoou entre tosses. – Eu me-mereço... É o mi-mínimo que eu po-poderia fa-fazer... É a mi-minha... minha ho-hora.

- Não diga bobagens! – Camila rosnou entredentes. – Todos nós erramos e nem por isso merecemos morrer... Você não vai morrer, ouviu? Você vai ficar bem... – engoliu em seco, usando as duas mãos para tampar o buraco causado pela adaga em seu peito. – Vai ficar bem... – sussurrou mais para si mesma, tentando crer em suas palavras.

- Está tu-tudo bem – Austin sorriu fraco. – É me-melhor a-assim... – tossiu, tomando fôlego para conseguir terminar de falar tudo o que precisava. – Mi-minha recompensa... é a su-sua felicidade – a garganta de Camila queimava com os soluços que lhe subiam, junto aos batimentos desesperados de seu coração. – E... sua fe-felicidade es-está... com Lauren. Fi-fique co-com ela... e tudo terá valido a pe-pena – Camila fechou os olhos e permitiu que mais lágrimas jorrassem, assentindo com a cabeça para o que o garoto havia dito. – E agora... agora você sa-sabe... – Austin usou de suas últimas forças para fita-la nos olhos e mostrar o quanto estava sendo sincero e que estava verdadeiramente arrependido por tudo o que causara. – Eu realmente te amei – confessou baixinho, sentindo os olhos pesarem sem que ele tivesse controle, apenas queria se entregar a escuridão de uma vez. – Me de-desculpa.

Suas pálpebras se fecharam e sua cabeça pendeu para o lado, levando a sua alma para um outro estágio. Camila não aguentou o peso da situação e se deixou levar pela dor, tombando a cabeça para baixo e murmurando diversas vezes o quanto sentia muito.

Lauren tinha Zayn vulnerável em suas mãos e a raiva ainda presente em suas veias mortas, mas ela estava sentindo a dor de Camila e aquilo a estava enfraquecendo. Tudo o que ela queria era pegar a sua latina e fugir para bem longe, de forma que fossem só as duas e ela pudesse cuidar da sua garota como bem entendesse. Mas ela sabia que qualquer passo em falso poderia colocar todos em risco e que deveria aproveitar o fato de Zayn estar fraco, pois se ele recuperasse a energia... Aí sim, todos estariam mortos.

- Você não consegue – Zayn debochou, mesmo com a voz fraca. – Foi mesmo domada... Toda aquela fúria e mar de gelo se derreteu e se transformou em um lindo arco-íris! – Riu entre tosses, pois as mãos de Lauren pressionavam o seu pescoço.

- Você não me conhece – a hispânica murmurou sombriamente.

Suas presas se alongaram e com toda a fúria em seus olhos brancos revoltos, ela perfurou o peito do vampiro com a sua própria mão. Sorriu satisfeita ao girar a mão dentro do vampiro e ouvir seus gemidos sôfregos de dor.

- Como se sente agora, babaca? – O questionou, esmagando o seu coração entre os dedos.

- Ele... nã-não bate me-mesmo – alfinetou, deixando Lauren ainda mais furiosa.

Ele sabia que estava cutucando a onça, mas também imaginava que não teria forma melhor para morrer senão pelas mãos da Jauregui.

- CHEGA! – O grito de Jean ressoou pelo salão, paralisando todos os movimentos. – Um passo e eu mato ela! – Apontou para uma Camila com o rosto inchado e vermelho se debatendo em seus braços. – Dessa vez eu não vou hesitar, envenenarei diretamente o sangue dela se vocês não cooperarem! – Lauren trincou o maxilar e cerrou os punhos, praguejando mentalmente por ter de soltar Zayn. – Peguem as armas delas e tentem segurar elas agora, seus idiotas! – Ordenou aos seus capangas.

Veronica, Lucy e Ariana continham graves hematomas em seus corpos, assim como Allyson que mancava. Alexa usava e abusava de seus poderes para manter todas as pessoas presas, assim como os Jauregui’s que estavam em um canto mais afastado da confusão. Christopher era o único irredutível, lutando para se soltar. O garoto tinha um senso de justiça muito forte, muitas vezes se deixando levar pela impulsividade. Era o motivo pelo qual ele estava tão machucado. Já Clara e Taylor apenas choravam e rezavam aos deuses para que tudo ficasse bem. Demi e Selena não estavam diferentes, ainda mais que a bruxa sabia exatamente quais eram os planos de Jean e aquilo a apavorava. Já Demi pensava em diversas possibilidades para sumir com a namorada, mas estava sendo impedida por Jade e pelo fato de que jamais deixaria as suas amigas em uma situação tão fodida como aquela sozinhas.

- Mate-a, Bieber – Jean ordenou, indicando uma Ariana completamente devastada, mal lutando para se soltar do aperto de Alexa. Seria inútil de qualquer forma, pelo menos para ela. A garota com o poder sobre a gravidade, ainda não conseguia acreditar que fora tão boba ao cair nos papos do vampiro. – Eu disse pra mata-la – repetiu pausadamente ao notar que Justin permanecia parado em seu lugar. – Eu estou te mandando terminar o serviço que começou, ela não é mais necessária. E precisamos mostrar quem dita as regras aqui!

O loiro caminhou vagarosamente até Ariana, parando em sua frente e engolindo em seco ao vê-la desviar os olhos por sentir tanto asco ao ponto de não conseguir encara-lo. E ao contrário do que imaginavam, Justin gostava de Ariana. Não só dela, mas ele também havia aprendido a gostar de cada uma ali, assim como descobriu qual o verdadeiro significado da palavra “família”. Era tudo muito diferente do que ele pensava e agora mais do que nunca ele entendia.

- É isso mesmo – Camila disse em voz alta, após ouvir os pensamentos do vampiro. – Ele não se importa com nenhum de vocês, apenas os usa para sua própria maldade. Não existe sentimento ali dentro daquela casca de rancor.

Justin baixou o olhar, absorvendo as palavras da latina.

- Não dê ouvidos a ela, só está tentando te manipular – Jean se pronunciou, encarando o garoto firmemente. – É só o que eles sabem fazer... Te enfeitiçar pra depois te apunhalar pelas costas!

- Acho que você acabou de descrever a si mesmo – Camila voltou a alfinetar sem medo, causando certo desespero em Lauren.

- Cala essa boca, garota esúpida! – Jean a repreendeu, puxando seus cabelos entre os dedos e fazendo-a gemer de dor. – Cabello’s... – negou com a cabeça. – Sempre tão intrometidos!

Camila, pelo raio mestre de Zeus, não fala mais nada!

Lauren lhe implorou por pensamento, olhando-a com pavor.

Não se preocupa, ele não vai fazer nada comigo. Precisa de nós duas vivas por um motivo que eu adoraria descobrir. Isso sim me assusta.

Que seja, não vamos dar sorte ao azar.

- O que está esperando, idiota? – Jean voltou a pressionar Justin. – Anda, faça!

O loiro respirou fundo e direcionou um olhar para cada uma das meninas pelas quais conviveu diariamente nas últimas semanas, enxergando em seus olhos o medo, a dor, a raiva, mas acima de tudo... a lealdade.

- Não.

- Como é? – Jean o questionou, fingindo não ter ouvido direito.

- Eu não posso e não vou fazer isso – anunciou, firme.

Jean arqueou a sobrancelha e somente o encarou por alguns instantes, para em seguida gargalhar alto.

- Que ceninha mais patética, não? – Falou com Zayn, Jade e Alexa, que o acompanhavam nas risadas. Avril e Lauren reviraram os olhos quase ao mesmo tempo. – Pois bem, um a mais um a menos não fará diferença. É apenas mais diversão pra nós – Justin cruzou os braços sobre o peito, o enfrentando. – Deixarei que Zayn cuide de você, traidor.

Dessa forma, Jean estalou os dedos para o moreno que não demorou a sorrir e se preparar para avançar em Justin.

- Você não vai tocar em mais ninguém, Jean – a voz de Michael Jauregui preencheu a sala, fazendo com que Zayn parasse bruscamente. Alejandro e Sinu vinham ao seu lado e os três paralisaram no mesmo momento em que pousaram os olhos nos Jauregui’s mais ao canto, os arregalando com a enorme surpresa. – SEU DESGRAÇADO! – Michael gritou, furioso. – O QUE VOCÊ FEZ COM A MINHA FAMÍLIA?

- Jauregui, finalmente você chegou. Já estava ficando entediado aqui – Jean desdenhou, sorrindo satisfeito. – Cabello’s... É claro – rolou os olhos ao fitar Alejandro e Sinu. – Inconvenientes e petulantes, como sempre.

- Acho melhor você pensar bem antes de se meter com a minha família – Alejandro afirmou, cerrando os punhos. – Eu já estou sendo condescendente demais em deixar que Mike acabe com você, ao invés de fazer isso com as minhas próprias mãos por se atrever a encostar na minha filha.

- Sua filha me forçou a fazer isso – deu de ombros. – Seria tão mais fácil se vocês colaborassem... Eu não sou o vilão, são vocês que não cooperam!

- Chega de tanta estupidez, Jean – Michael o interrompeu. – Diga de uma vez por todas o que você pretende com tudo isso e porque manteve a minha mulher e os meus filhos presos aqui, quando pra mim eles estavam mortos!

- Ora, a resposta é simples... – murmurou, caminhando pateticamente de um lado para o outro com Camila em seu braço esquerdo. – Eu precisava deles vivos, por isso os tirei da cabana antes que a tempestade de neve da sua querida filha assassina atingisse o local – Lauren grunhiu entredentes, cerrando os punhos com mais força para que não fizesse nenhuma bobagem que colocasse a vida de sua noiva e sua família em risco. – Depois eu apanhei Alexa e nós sumimos no mapa, apenas dando tempo ao tempo. Eu os observei de perto, passo por passo, gravando detalhes e estratégias, pontos fracos... juntando tudo o que eu precisaria nesse momento perfeito em que estamos agora.

- Por que tudo isso? Depois de tantos anos... – Michael suspirou, cansado de toda aquela merda que o perseguia durante séculos.

- Você sabe o porquê – Jean o respondeu, fechando pela primeira vez o sorriso sádico que sempre pintava em seus lábios. – Quero que sinta na pele a dor de perder tudo. Quero que veja com os seus próprios olhos as pessoas que você mais ama morrerem. Quero te ver implorar aos meus pés... jurar submissão a mim.

- E como pretende conseguir isso? – Alejandro quem perguntou, rindo irônico. – Meu caro, até um cego, surdo e mudo, saberia que você está em desvantagem aqui. Nos poupe de nos tornarmos assassinos idiotas como você e se renda de vez!

- Nunca! – Rosnou entredentes, abrindo aquele sorriso frio novamente. – Eu tenho outros planos, meus queridos amigos... Não trouxe a melhor bruxa da atualidade até aqui atoa – direcionou um olhar para Selena e lhe piscou um olho, deixando-a enojada. – Vejam... – com a mão direita ele retirou uma espécie de amuleto de dentro de seu casaco, fazendo com que todos prendessem a respiração ao fitarem o objeto claramente próprio para a prática de magia negra. – Sabem o que é isso? A chave que eu precisava pra me vingar e de quebra dominar o mundo. Com isso o poder de Lauren e Camila será meu... E com um poder maior que os deuses em mãos, todos cairão aos meus pés!

Um silêncio desconfortável se instalou, sendo cortado apenas pelas risadas perversas e sonhadoras de Jean.

Merda, o que nós vamos fazer agora?!

Era o pensamento desesperado de Lauren, que por fora se mantinha neutra e inabalável, mas por dentro surtava.

Se dermos a ele, ele vai destruir tudo. Se não dermos, ele vai destruir de qualquer jeito. Ainda quer nos matar no processo... Caralho!

Lauren, calma!

Camila pediu, encarando-a significativamente.

Parece que Selena tem um plano... a latina maneou a cabeça para o lado ao ouvir os pensamentos da bruxa... Um plano meio complicado e arriscado, mas um plano.

Bom, já é alguma coisa. Lauren revirou os olhos. Seja o que for, quero que corre até mim na primeira oportunidade que tiver.

Eu já tinha isso mente, meu amor. Somos melhores juntas.

Ambas trocaram olhares intensos, onde diziam tudo o que sentiam. Os lábios de Lauren movimentaram suavemente até formarem as palavras “I love you”. Camila sorriu de lado e lhe piscou com um olho sem que Jean percebesse.

- Acho que o senhor deveria explicar como descobriu tudo e como essa magia funciona – Jade que se manteve quieta o tempo todo sugeriu, atraindo a atenção do vampiro. – Todos vão morrer mesmo, que diferença faz? – Deu de ombros com a expressão seca e fria, como se não desse a mínima para aquilo.

O vampiro a encarou pensativo durante alguns instantes, sorrindo em seguida.

- Tem razão, Thirlwall. Eu esperei tanto por esse dia, não custa nada fazer com classe – murmurou animado ao tempo em que Alexa e Zayn reviravam os olhos impacientes, para em seguida fitar Michael e os Cabello’s. – Primeiramente eu comecei por... – iniciou o discurso.

Michael, Alejandro, Sinu e Clara não eram bobos, eles logo sacaram qual era a da vampira. Michael principalmente, ajudando a dar corda no discurso de Jean. Eles sabiam o quanto ele era esperto e traiçoeiro, mas também sabiam o quanto ele gostava de se gabar e exibir seus feitos. As meninas demoraram um pouco para entenderem, mas perceberam que eles estavam tentando ganhar tempo para algo.

- Faça o que tiver que ser feito e eu te cubro – Jade sussurrou para Selena.

A bruxa meio assustada, engoliu em seco e assentiu com a cabeça. Jade se afastou cautelosamente até onde Ally estava para busca-la e assim a anjinha pudesse ajudar Selena.

- O que isso significa? – Demi murmurou com a namorada, seu coração disparado em seu peito ao imaginar a próxima loucura da bruxa.

- Significa que eu tenho que dar um fim – sua voz falha ressoou, alarmando a telepata. – Só eu posso fazer isso agora.

- Hey, não – Demi protestou imediatamente, segurando o rosto da namorada entre as mãos. – Eu não posso te perder de novo!

- Você nunca irá me perder – enfatizou, acariciando a bochecha da namorada com o polegar. – Mas Camila e Lauren precisam de mim – Demi fechou os olhos e suspirou, assentindo em seguida. – O que eu vou fazer pode trazer sequelas... Sequelas terríveis. Eu não sei como vai ser, mas precisa me prometer que nunca vai esquecer de quem eu sou e que nunca vai desistir – pediu.

- O que vo-

- Só promete – a interrompeu, ouvindo-a bufar.

- Ok, eu prometo – garantiu. – Nunca desistiria de você, meu amor.

Selena sorriu docemente, se inclinando para tocar os lábios da telepata com os seus em um beijo calmo e rápido, afinal não tinham muito tempo.

- Eu te amo – sussurrou sobre seus lábios com toda a certeza do mundo, não querendo que Demi jamais esquecesse ou duvidasse disso.

Antes que Demi pudesse lhe responder, Allyson a cutucou. A bruxa se virou e Ally usou de toda a força que lhe restava para curar seus ferimentos e restaurar a sua energia. Após feito, a anja se afastou desejando-lhe boa sorte.

Jean continuava com o seu discurso brilhante, enquanto ninguém mais aguentava ouvi-lo.

- Por fim, este amuleto irá sugar todos os poderes – concluiu, fitando o colar como se fosse a joia mais preciosa.

- Finalmente! – Alexa exclamou com as mãos para o alto. – Podemos fazer isso e matar todo mundo logo?

- Tudo bem, mas só porque admiro essa sua sede de sangue – o vampiro sorriu como se realmente se orgulhasse. – Também não vejo a hora, então vamos lá... Thrilwall? Traga a Gomez!

Jade assentiu e puxou Selena bruscamente pelo braço, essa que fingia ainda estar debilitada. O que Jean não sabia, era que Selena jamais conseguiria fazer um feitiço daquele porte se estivesse tão fraca quanto anteriormente. O que soava estúpido, já que um vampiro tão experiente deveria saber dessas coisas simples.

- Vai precisar deixa-las juntas pra isso – informou, indicando Lauren e Camila. – Senão o feitiço não irá funcionar.

Jean ponderou por alguns segundos, intercalando olhares entre as duas.

- Tudo bem – assentiu, caminhando com Camila até Lauren. – Mas qualquer gracinha que fizerem, eu juro que acabo com vocês! – Ameaçou entredentes, jogando a latina na direção da hispânica.

Camila desastrada como era tropeçou, mas sua noiva já estava acostumada e muito bem preparada para essas coisas. Lauren a segurou pela cintura e grudou seus corpos, passando as mãos pelas costas e pelos cabelos da latina para checar se estava tudo bem. Camila se agarrou ao seu pescoço, suspirando aliviada por finalmente poder respirar com mais tranquilidade e calma. Lauren sempre seria a sua morfina, assim como Camila era a dela.

- Precisarei de quatro velas – Selena continuou a instruir e Jean gesticulou para que Zayn buscasse. Assim que o vampiro voltou com as velas, Selena passou a recitar algumas palavras em latim. Logo um círculo de fogo se formou no meio do salão, se expandindo e formando uma espécie de estrela em seu centro. A bruxa depositou uma vela em cada extremidade do círculo e se virou para Jean. – Entre – indicou e o vampiro entrou no círculo sem hesitar... um grande erro. – Agora você precisa derramar algumas gotas de seu sangue bem no ponto onde as linhas se cruzam – Jean levou os próprios dentes ao pulso, o perfurando e derramando o sangue negro sobre o ponto indicado. – Estiquem as mãos – disse a Lauren e Camila, piscando com um olho só para que as duas vissem e se tranquilizassem.

Ambas esticaram as mãos e Selena as uniu, uma sobre a outra, deixando as mãos com as alianças por último, de forma que as peças se tocassem. Em um estrondo, uma luz extremamente forte reluziu do encaixe de suas mãos, causando um pequeno susto em todos os presentes. Era absolutamente lindo... e um pouco assustador.

Camila e Lauren se entreolharam, abrindo sorrisos automáticos ao sentirem em suas almas que Selena estava apenas fortalecendo-as. Aquilo não era uma magia ruim, definitivamente não!

Era puro.

No entanto, apenas as três sabiam e entendiam. Demi e Ally talvez suspeitassem, mas não com tanta certeza. Com isso, o pequeno sorriso de Selena se fechou ao tempo em que ela se afastava e migrava o seu olhar para Jean. O vampiro sorriu ambicioso, seus dedos formigando junto a ansiedade sobre o que viria a seguir. A bruxa fechou os olhos quando voltou a murmurar baixinho em latim, suas mãos gesticulando suavemente junto as suas palavras. Então o ar no ambiente se tornou um vento revolto, tão forte ao ponto de esvoaçar seus cabelos e bagunçar os poucos móveis que ainda continham ali. O vento parecia trazer consigo a mais furiosa das tempestades, como se vinda direto do tártaro por ordem do próprio Hades. Era escuro, sombrio, vazio e frio... Como o suspiro de um dementador. Ali sim, não havia nada de puro.

Era apenas trevas.

Tudo foi se intensificando, até o momento que simplesmente parou. O fogo se apagou e o vento foi embora, restando apenas a escuridão que ficara contida dentro do medalhão no pescoço de Jean. Oh, sim... O vampiro estava estranho. Seu semblante confuso e seu corpo frágil, como há muitos anos não sentia. Era como se tivesse passado semanas e mais semanas sem sequer uma gota de sangue em seu organismo, o deixando fraco.

Era como se... Toda a sua energia e poder tivessem sido sugados a força de seu domínio.

- O que você fez?! – Questionou com a voz rouca ao cair sobre seus joelhos com as mãos sobre o pescoço, sentindo a sua garganta em brasas. – O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?! – Gritou impaciente, se apavorando com o fato de que tudo aquilo somente piorava.

- Digamos que... – Selena deu um passo à frente, sorrindo satisfeita para o vampiro rendido. – Você está provando do seu próprio veneno.

Aterrorizada com a imagem do vampiro definhando aos poucos, Camila abraçou Lauren com força. Por mais que ele merecesse de certa forma, ela sentia pena do homem e a hispânica a admirava por isso... por sempre acreditar em um lado bom das pessoas, mesmo esta pessoa sendo Jean-Claude. Na cabeça de Lauren a justiça estava finalmente sendo feita e elas poderiam ter algum tempo de paz, para desfrutarem se suas vidas. Demi se aproximara para igualmente abraçar Selena e tê-la sobre a proteção de seus braços, sentindo-a tensa e cabisbaixa. Lucy e Veronica se mantinham da mesma forma, sentindo seus corpos pesarem como se tivessem sido atropeladas por um avião (como Hayley costumava dizer), mas aliviadas como a muito não se sentiam. Justin aproveitou do momento para tentar uma aproximação, mas foi brutalmente barrado por um campo de força de Ariana. Avril mantinha os olhos faiscantes em Jean, assim como Michael. Ally, Clara e Sinu já analisavam a situação em que estavam agora, a Cabello tratando de ir ao socorro da velha amiga e Ally correndo até Selena para que essa ajudasse Normani ainda desmaiada sobre os braços de Dinah. Zayn tentou um ataque sobre elas, sendo violentamente jogado contra a parede do outro lado do salão por Jade.

- SUA VADIA TRAIDORA! – Grunhiu, furioso.

- Eu sempre te achei um imbecil, de qualquer forma – a morena deu de ombros, prendendo-o firmemente pelos braços contra a parede. – Se divirtam! – Sorriu incentivadora para Vero, Lucy e Ariana.

As três mesmo fracas como estavam não hesitaram em se aproximarem com suas espadas, com sede de justiça em seus olhos. Seus peitos se apertaram com o enorme vazio que continha ali desde o momento em que o vampiro de nariz empinado dera um fim naquelas que elas chamavam mais do que melhores amigas, de irmãs. Zayn engoliu em seco e arregalou os olhos ao se ver encurralado pelas mulheres, sabendo que aquele sim seria o pior fim de todos.

Lucy foi a primeira a cravar sua espada.

Depois Vero.

E Ariana.

Os gritos do vampiro ecoaram pelo ambiente, cessando apenas quando a sua voz foi silenciada pelas chamas que lhe queimavam os membros.

Jean se encontrava extremamente furioso. Ele jamais se conformaria. E por isso ainda lutava contra o veneno que lhe desfigurava.

- SUAS VAGABUNDAS DESGRAÇADAS – vociferou, se arrastando pelo chão na direção de Lauren e Camila. – EU VOU ACABAR COM VOCÊS!

Em um último esforço, ele usou de sua velocidade para avançar sobre elas.

Mais um grande erro.

Camila e Lauren não precisaram de muito. Apenas desejaram com todas as forças que ele não chegasse perto.

E ele não chegou.

Seu corpo foi atingido por um encaixe reluzente perfeito entre o raio de Zeus, o tridente de Poseidon e o elmo das trevas de Hades. Havia saído daquela luz que irradiava das mãos das duas garotas e brilhava tanto quanto as estrelas, prendendo o vampiro pelo pescoço na parede, totalmente suspenso.

Para Camila, aquelas seriam as Relíquias da Morte dos deuses.

Para Lauren, aquele seria o Eclipse perfeito da junção de suas almas.

Em seguida, fora a vez de Avril ter a sua sede de justiça saciada. A loira avançou sobre Jean e se aproveitando do estado em que o vampiro se encontrava, o atingiu com socos, chutes e joelhadas.

- Isso é pela minha mãe, seu desgraçado! – Afirmou, quebrando seu maxilar com um soco. – E isso é pelo meu pai! Pela minha irmã! Pela minha cunhada...!

Disparou a falar enquanto distribuía as pancadas em Jean, parando somente quando Alejandro a afastou e a abraçou. A loira nem ao menos percebera que estava chorando, mas se sentia extremamente mais leve. O homem se afastou para terminar o serviço sujo, deixando Avril sobre os cuidados de Ariana que entendia muito bem como ela estava se sentindo.

Michael Jauregui apenas aproveitava cada segundo para matar toda a saudade que sentia de sua família.

E vendo isso, Alexa se desesperou.

Ela até tentou fugir, mas foi brutalmente arrastada por uma raiz de Camila.

- Aonde pensa que vai, loirinha? – A latina sorriu com desdém, caminhando vagarosamente até a vampira caída no chão, tentando se soltar de forma frenética. – Você é toda minha, vadia.

Camila gesticulou com o indicador, fazendo com que o corpo de Alexa fosse violentamente arrastado pelo chão até ela. Sua última tentativa fora usar de seus clones, mas com apenas um movimento com a mão Camila queimara cada um deles antes que pudessem alcança-la.

- E então, valeu a pena toda essa palhaçada que você armou? – A latina se apoiou sobre um dos joelhos ao lado da vampira. – Olhe pra você agora, Ferrer... No chão... – o corpo de Alexa fora jogado brutalmente no teto pelas raízes após a vampira ter resmungado uma de suas frases sarcásticas e nojentas. – Totalmente fodida... e não do jeito bom – riu. – Sem absolutamente nada. Só vazio – negou com a cabeça, estalando a língua no céu da boca. – Se era isso que queria, você está de parabéns! – Bateu palmas, se virando em seguida.

Camila sabia que ela não deixaria barato. Por isso sorriu de lado, sentindo os seus olhos queimarem com o provável tom negro que se expandia de suas íris para as pupilas, junto as veias saltadas em suas têmporas.

E ela estava certa.

Alexa se levantou furiosa, grunhindo ao correr na direção da latina. Camila se virou no momento certo, agarrando-a pelo pescoço e enroscando as pernas pelo seu torso, pegando impulso para quebrar o pescoço da vampira. Feito isso, suas mãos foram tomadas pelas chamas ardentes que tanto a fascinavam. O fogo foi se espalhando por todo o corpo da vampira, até que não restasse nada além de uma bela fogueira.

Lauren observava tudo apoiada com as costas na parede, sorrindo e suspirando feito idiota.

- Finalmente ela vai te deixar em paz – Camila comentou sorridente ao enlaçar o pescoço da noiva com os braços.

- Nos deixar – Lauren a corrigiu.

- Mas quem ela queria era você – a latina revirou os olhos, ocasionando uma risada na hispânica. – Ri mesmo, idiota! – Bufou.

- Meu amor, você é a única que eu quero – apenas com essas palavras Lauren desarmou Camila, fazendo-a sorrir ao roçar seus narizes. – Apenas me prometa uma coisa...

- O quê? – A latina questionou, deslizando seus lábios nos da hispânica superficialmente.

- Que vai me dar uma chave de pernas daquela!

Camila gargalhou alto, jogando a cabeça para trás e mal notando que Lauren acabara de se apaixonar mais uma vez. Tomou-lhe o rosto pálido entre as mãos e depositou beijos estalados em cada cantinho acessível de pele que encontrava, fazendo-a rir.

[...]

- Então, qual era a do Mahone no fim das contas? – Lauren questionou a noive, a abraçando por trás ao observarem o jardim do castelo ser caprichosamente decorado por Ariana e as fieis instruções de Ally. – Quero dizer, eu sempre achei que ele fosse um cretino sem coração.

- Quem poderia imaginar? – Dinah inteirou, quase ronronando com o carinho de Normani em seus cabelos.

- Acho que o amor é capaz de mudar até mesmo o pior dos seres – Lucy comentou. – Ele amou Camila, de verdade.

Lauren revirou os olhos com isso, emburrando a cara e causando uma baixa risada em Camila.

- Odeio admitir, mas o que ele fez por Camila foi admirável – a hispânica confessou, suspirando. – Queria ter tido a oportunidade de agradecer.

- Você tem, amor – a latina afirmou, acenando para o local onde preparavam para o funeral de seus guerreiros. – Ele irá nos ouvir onde quer que esteja – se virou para beijar-lhe a bochecha, sorrindo em seguida ao observar Sofia saltitando contente por Ally e Ariana terem deixado ela ajudar com as flores.

- Então, como ele foi parar justo com Alexa? – Normani questionou.

- Bom, no começo foi tudo apenas para se provar – Camila começou a explicar tudo o que havia descoberto vasculhando a mente do lobo. – Ele se sentia excluído e inútil aqui no Instituto, querendo mostrar que poderia fazer a diferença e ser alguém importante. Foi bem nesse momento que Alexa despejou seu veneno. Ele se aproximou de mim pra descobrir sobre o meu poder, mas acabou se afeiçoando de verdade.

- Mesmo assim ele continuou fazendo merda, né?! – Vero exclamou, negando com a cabeça.

- Na verdade, ele só continuou porque não confiava em Alexa e queria me proteger – Camila voltou a explicar. – Com o tempo ele foi entendendo que eu e ele não éramos pra ser, porque a minha história com Lauren já foi escrita há muito tempo. Logo depois ele também se afeiçoou à Alexa e passou a acreditar que poderia fazê-la mudar, mas... Bom, nós vimos no que deu.

- Isso é tão triste – Mani suspirou pesadamente. – No fim, ele não teve a chance de viver um amor correspondido. Não teve tempo o suficiente para encontra-lo.

- É mais uma prova de que devemos aproveitar cada segundo e agradecer por tudo o que temos ou conquistamos – Lauren comentou, seus olhos migrando entre Camila e sua família posta do outro lado do jardim, conversando com os Cabello’s. – Nós, definitivamente, somos garotas de muita sorte.

Todas assentiram para as palavras da hispânica e se deixaram observar o movimento que ocorria por ali. Ariana e Selena prendiam faixas e balões brancos por todo o local, aproveitando de seus poderes. A garota da gravidade queria fazer algo por suas amigas, se sentia culpada por ter trazido Justin até o seu grupo e imensamente estúpida por ter caído em seu papo. Avril havia se tornado uma boa amiga para ela, coisa que Ariana jamais imaginaria há alguns dias. Pensava que o amor e a paz realmente transformavam vidas. Já Selena estava estranha desde que voltaram do castelo de Jean, fechada... quieta... distante. Aquilo preocupava Demi, que se mantinha o tempo too do seu lado, mesmo que não falassem uma palavra sequer. Mas para o resto das meninas, ela apenas estava abalada pelas terríveis perdas que tiveram, assim como todos estavam. Ally, Sofi e Troy ajeitavam as flores com todo o carinho do mundo.

O filho de Apolo estava devastado.

Taylor não havia suportado todo o veneno em seu organismo por mais tempo. Quando eles voltaram para o Instituto, já era tarde demais.

Ally tentava ao máximo ser forte pelo namorado, mas ela também estava sofrendo de forma absurda. Havia perdido suas melhores amigas em batalha e por mais que entendesse que essas coisas aconteciam eventualmente, o seu coração doía. Naquele momento a família gigante que Michael Jauregui construíra no Instituto, precisava estar unida para servir de pilastra uns aos outros.

Jade Thirlwall se aproximou de Lauren, Camila, Dinah, Normani, Vero e Lucy, sorrindo sem jeito. Se sentia uma intrusa ali desde que fora praticamente obrigada a vir morar com eles no Instituto. Ainda era estranho para ela... Novo e diferente de tudo o que já havia passado.

- Ainda não acredito que deixamos Justin ir embora – Vero murmurou indignada ao observar Ariana e Avril ajeitando as coisas.

- Ele nos ajudou no final – Lucy esclareceu. – E pareceu bem arrependido quando se desculpou e disse que era melhor passar um tempo sozinho pra rever seus conceitos.

- Faça-me o favor, Vives! – Dinah exclamou, revirando os olhos. – Aquele traidor preferiu não voltar conosco pra cá pra poder tramar sua vingança!

- Eu não acredito nisso – Jade se pronunciou, se encolhendo levemente ao ter a atenção toda voltada para si. – Justin não é mal, apenas sofreu demais. A maioria ali foi resgatado por Jean em uma situação difícil e com isso eles acabaram acreditando que aquele canalha se importava ao ponto de lhes oferecer uma família.

- Mas só estava montando o seu exército e usando-os – Camila completou.

- Sim – Jade confirmou. – Há cerca de 80 anos a casa de Justin foi invadida por assaltantes armados – informou, causando surpresa nas meninas. – A família Bieber sempre teve um vasto império de riquezas, por isso viviam sob os olhos dos bandidos. Mas daquela vez foi pior... Seus pais reagiram para protegerem os filhos e acabaram sendo atingidos por uma série de tiros. Justin assistiu os pais, a irmã e o irmão mais novo, morrerem diante de seus olhos. E ele também teria morrido... Se Jean não tivesse chegado bem na hora e acabado com os homens. Ele se aproveitou da dor de Justin e lhe ofereceu a maldição da imortalidade.

- Ele acreditou que pudesse ter uma nova família e ao mesmo tempo honrar a antiga – Camila murmurou, negando com a cabeça. – Jean destruiu tantas vidas... – suspirou tristemente.

- Mais nenhuma vida será perdida por causa dele – Lauren lhe garantiu, beijando-a docemente sobre a têmpora.

- E você, morceguinha... – Dinah se voltou para Jade, estreitando os olhos. – Qual a sua história?

Jade sorriu brevemente com o apelido e o tom desconfiado da polinésia, exibindo a pequena covinha que possuía em sua bochecha.

- Ahm, é meio entediante na verdade – deu de ombros, retorcendo os lábios em uma careta. – Há 101 anos atrás uma epidemia de Varíola se alastrou pela Inglaterra e, bem... Eu estava morrendo. Jean salvou a minha vida, me transformando nesse monstro imortal frio e sugador de sangue. Ele fazia questão de me lembrar disso todos os dias, então eu fiquei presa naquele clã durante todos esses anos basicamente porque devia a ele.

- Que babaca! – Veronica exclamou.

- Você merecia um prêmio por aturar aquele velho babão por tanto tempo – Dinah espalmou a mão sobre o seu ombro. – Isso que dá ficar sem transar – negou com a cabeça, como se aquele fosse realmente um problema grave.

As risadas ressoaram depois de tanto tempo de tensão, mas não duraram muito.

[...]

- Hoje o dia amanheceu cinzento e frio... Não é um bom dia. Hoje nós estamos nos despedindo de amigos fieis... – Michael iniciava o seu discurso, sendo observado por todos os seus alunos e familiares. Cadeiras foram espalhadas pelo jardim em frente ao altar onde fora porto fotos e homenagens aos falecidos, tudo feito com muito carinho. – Taylor Swift Ogletree, Hayley Williams, Miley Cyrus e Austin Mahone foram guerreiros e leais até o fim – lágrimas já corriam livres e silenciosas pelas peles de nossos personagens, seus corações apertados nos peitos. – Eles foram pressionados até os seus limites e postos a prova por perigos inimagináveis, mas em nenhum segundo eles pararam de lutar ou hesitaram ao darem suas vidas pelos seus amigos e pelo que acreditavam, pelo bem – Camila teve a sua cabeça tombada e o seu rosto escondido no pescoço de sua noiva, que se permitia chorar igualmente contra seus cabelos. Ambas sentindo aquele buraco que se formara em seus peitos latejar. – Hoje seus planos físicos nos deixam somente com a saudade dilacerante, mas seus espíritos vagam livres e em paz, sorrindo e gozando de seu momento nos campos Elísios. E eles merecem. Seus nomes serão sempre lembrados por sua grande honra e coragem, valentia e lealdade. Eles estarão gravados na história como verdadeiros heróis. E por fim... Hoje nos despedimos com tristeza desses amigos queridos, mas com a certeza de que a saudade é a prova do quanto eles foram especiais em nossas vidas. Nos despedimos com a certeza de que por causa deles, o amanhã será um dia melhor. Com a nossa imensa gratidão, carinho e admiração... Que descansem em paz.

Após o discurso de Michael, um por um foram se aproximando para prestarem as suas homenagens e se despedirem à sua maneira. Troy permaneceu sentado, soluçando sobre o colo de Ally até que o movimento diminuísse e só restassem as suas amigas por ali.

- Vocês... – Demi pigarreio, engolindo em seco ao ser a primeira a dizer algo. – Vocês se lembram de quando viramos a noite conversando e brincando até o amanhecer? Alguns dias depois da festa em Cherry Beach.

- Como esquecer? – Vero sorriu travessa. – Acho que eu nunca ri tanto!

- Sim – Demi concordou, abrindo um pequeno sorriso. – Lembram do que elas disseram sobre como desejavam que seus funerais fossem?

~FLASHBACK ON~

- Isso é uma afronta, Miley! – Ally protestava com a sua voz parcialmente embargada.

Haviam decidido que mereciam uma noite de folga em meio a toda a turbulência que estavam enfrentando, se reunindo na sala de estar com algumas bebidas e comidas. Ally não era de beber, mas Dinah, Veronica e Avril haviam batizado até mesmo os sucos. Segundo elas, só daquela forma o estresse iria se esvair de suas costas. Selena, Camila e Lauren eram as únicas que conseguiram escapar. Já a pobre Ally... Com apenas dois copos de suco estava rindo para as paredes.

- Não é uma afronta, o funeral é meu! – Miley se defendeu. – Todos nos dizem a vida inteira o que devemos fazer, mas ninguém tem o direito de botar o dedo na forma como queremos nos despedir desse mundo bosta. E eu quero que seja ao som de Lady Gaga!

- Você não pode simplesmente colocar as pessoas pra dançar Lady Gaga em um funeral, Mi – Ariana riu.

- Claro que pode – Hayley afirmou, apoiando a melhor amiga e parceira de aventuras. – E vocês precisam fazer as nossas últimas vontades... Queremos todas dançando Born This Way e honrando as nossas memórias!

- Somos rainha e temos que partir com estilo – Miley completou, se levantando e brindando com suas garrafinhas de cerveja.

- Qual é, isso é bobagem – Demi negou com a cabeça, rindo em seguida. – E você já pode devolver a minha namorada, Cabello! – Anunciou alto o suficiente para que Camila e Selena que conversavam mais afastadas em um dos sofás se afastassem entre risos.

- Finalmente! – Lauren comemorou com as mãos para o alto, agarrando Camila pelas pernas e a jogando no sofá bruscamente. Camila soltou um gritinho e gargalhou, seu riso morrendo entre os lábios frios da hispânica.

- EWW!!! – Exclamações foram feitas e almofadas arremessadas sobre as garotas.

- Estamos tentando escrever os nossos testamentos aqui – Hayley as repreendeu, abanando um papel de post-it em sua mão. – Vocês não sabem o que é respeito, crianças pervertidas?!

- Ah, vai se foder, foguetinho – Lauren lhe mostrou o dedo médio, ocasionando gargalhadas entre eles. – O que tanto conversavam? – Questionou a Camila e Selena, após se ajeitarem no sofá.

- Segredos mágicos, Jauregui – Selena sorriu de lado, lhe piscado marota.

- Eu deveria me preocupar? – A hispânica maneou a cabeça para o lado, semicerrando os olhos.

- Talvez... – Camila murmurou misteriosa.

- Acho que devemos compartilhar uma magia também, Laur – Demi sugeriu, provocadora.

- O quê?! – Camila e Selena exclamaram em uníssono, gargalhando em seguida.

- A única magia que vocês vão fazer é em quatro paredes – Selena disse, maliciosa. – Cada casal em seu quarto, é claro – esclareceu.

- EWW!!! – Mais uma vez exclamações enojadas ressoaram.

- Olha, se vocês vão começar a fazer coisas estranhas a quatro, Troy e eu vamos nos retirar! – Ally informou, cambaleando levemente para o lado e sendo amparada pelo loiro.

- Do jeito que você está, é capaz de ir parar no quarto com elas e ainda ser passiva de todo mundo, anã! – Dinah zombou.

- Os seus gemidos que eu escuto no meio da noite, significam que você é passiva da Mani? – A anjinha franziu o cenho, verdadeiramente confusa.

- O quê? – Dinah arregalou os olhos, ouvindo as risadas de suas amigas ressoarem. – Acho que está sonhando com um ménage com a gente, Allycat!

- Isso aí, Dinah e eu não temos nada – Normani concordou, desviando o olhar para o outro lado.

- Façam-me o favor! – Avril grunhiu impaciente, após tomar um gole de sua garrafa de Limoncello. – Vocês se comem mais que cachorros no cio!

- Gente, hello! – Miley bateu palmas para chamar suas atenções. – Quando de repente nossos testamentos viraram uma discussão sobre a vida sexual de Dinah e Normani?

- Não estamos t- ambas tentaram protestar.

- Calem as bocas – a loira as cortou. – Se duvidar até o tio Mike escuta vocês transando, só não sei quem é a mais lenta e tapada por não ter feito um pedido de namoro ainda – Dinah e Normani desviaram os olhares, constrangidas. – Agora anota aí, Tay – se virou para a loira que tinha em mãos um bloquinho de notas e uma caneta. – Queremos uma viagem para as Bahamas assim que a guerra acabar!

- Opa, agora eu vi vantagem! – Lauren sorriu animada. – Mas por que mesmo estão planejando seus testamentos, funerais e essa lista do que fazer antes de morrer?

- Por que estamos em guerra e não sabemos se iremos voltar com vida, oras! – Hayley explicou. – Ok... É porque queremos todas dançando Lady Gaga.

- Eu não danço nem fodendo – Avril esclareceu.

- Nem eu – Lauren concordou.

- Eu danço – Selena afirmou com um sorriso largo no rosto.

- Eu também – Camila deu de ombros.

- Vocês enlouqueceram? – Demi questionou. – É um funeral! E ninguém aqui vai morrer.

- Você não pode garantir isso, Dems – Taylor contestou. – Eu acho que elas estão certas... Eu não iria querer ver as pessoas que eu gosto sofrendo por minha causa, iria querer vê-los bem e felizes. Só assim eu seguiria em paz, sabendo que ficaria tudo bem.

- Eu disse que essa garota era um prodígio! – Miley exclamou, depositando um beijo babado e estalado na bochecha da semideusa. – Agora vamos ensaiar! – Bateu palmas animada, dando play na música em seu celular e o conectando no aparelho de som que havia ali. – Andem, levantem essas bundas gordas – puxou Taylor e Ariana pelas mãos para cima do sofá, começando a dançar. Camila e Selena arrastaram Demi e Lauren. Avril fora empurrada por Normani e Dinah. Ally dançava em frente a Troy, que ficara tão vermelho quanto uma pimenta com a situação. E Vero... Vero tinha uma Lucy adormecida sobre o seu colo. – Acorda, vadia! – Miley bradou, jogando uma boa quantidade de vodka sobre a semideusa.

- ARGH, SUA PUTA! – Lucy se levantou irritada, começando uma perseguição contra a loira, acabando por causar uma imensa confusão e bagunça de comidas e bebidas.

~FLASHBACK OFF~

- Sabem o que eu mais admirava nelas? – Avril perguntou, sorrindo fraco. – A capacidade que elas tinham em sorrir por mais que os céus ruíssem sobre suas cabeças.

- Tem razão – Ariana acenou em positivo. – Pra elas tudo era motivo de festa.

- E elas estavam sempre aprontando juntas – Normani inteirou. – Fazendo brincadeiras pra que todos rissem, como gêmeas siamesas! – Riram.

- Eu gosto da forma como Taylor era sempre gentil e doce com todos – Lucy disse em seguida, fungando baixo. – Poderia ser a pior pessoa do mundo e ela ainda estaria tentando, dando o seu melhor pra conseguir um sorriso.

- Elas apenas... deixavam tudo mais leve e transformavam uma situação horrível em algo engraçado e suportável – Veronica suspirou profundamente. – Traziam alegria pra cada canto que passavam e nos faziam pensar que era tudo mais fácil enquanto tivéssemos umas as outras. Eu acho que seria justo honrarmos seus últimos desejos.

Um breve silêncio se instalou, sendo cortado pelos baixos soluços e fungadas. Até que um estalo ocorreu em Dinah.

- Você está certa, Vero – enxugou as lágrimas, sorrindo para a cara de confusa da filha de Hades. – Vamos honrar suas memórias e elas poderão partir com estilo e em paz, assim como desejavam que fosse.

Sem dizer mais nada, a polinésia sumiu pelos corredores do castelo por alguns instantes, deixando-os confusos. Alguns minutos depois, uma batida conhecida ressoou por todo o ambiente, fazendo-os arregalarem os olhos.

- Eu não acredito que a Dinah fez mesmo isso – Demi murmurou atordoada.

A polinésia suriu desfilando pelo jardim, ignorando todos os pedidos de Michael para desligar a música. O mais velho acabou negando com a cabeça e dando as costas, deixando-as fazerem toda a festa que quisessem.

I’m beautiful in my way, ‘cause god makes no mistakes

Eu sou linda do meu jeito, pois Deus não erra

I’m on the right track baby, I was born this way

Eu estou no caminho certo baby, eu nasci assim

- Então... Acho que é isso – Camila sorriu, enlaçando os braços pela cintura de sua noiva e balançando-as suavemente de um lado para o outro. – Vocês podem descansar agora, em grande estilo – sussurrou baixinho, olhando para o céu.

- Vamos sentir saudades, mas estamos orgulhosas e agradecida por tudo o que fizeram – Lauren a imitou, sendo observada de perto pela latina. – Eu estou até dançando a porra da Gaga por vocês! Então espero que saibam o quanto são importantes – sorriu ao ouvir a gargalhada gostosa de Camila, iniciando um carinho em sua nuca e suspirando em seguida. – E cachorro... Quero dizer, vira-lata... Não... Mahone!

- Lauren! – Camila a repreendeu.

- Desculpa, é a força do hábito – pediu. – Enfim... Nenhum tipo de agradecimento seria o suficiente pelo que você fez, mas muito obrigado... De verdade, você salvou a vida da minha alma gêmea, e portanto, a minha também. Você conquistou o meu respeito e finalmente honrou esse odor de cachorro, estou admirada – riu de leve, imaginando que onde quer que estivesse o garoto provavelmente estaria revirando os olhos e a xingando.

- Acho que agora seremos eu e você – Camila murmurou após o término de sua fala, colando suas testas.

- Só eu e você... Por um bom tempo, meu amor.

- E por onde começamos?

- Bom...

Naquele dia o mundo estava salvo. Entretanto, não significava que o mal havia sido extinguido por completo e os problemas se esvaído. Ainda havia muito a ser feito. O mundo ainda precisava delas para chutar o traseiro das trevas e fazer a paz prosperar, afastando qualquer tentativa do mal de criar raízes em seus solos.

Mas por enquanto... Tudo estava bem. 


Notas Finais


E então, como estamos?
Bem , eu não sei como isso saiu exatamente, mas dei o meu melhor então espero com todo o meu coração que tenham gostado e sentido tudo do início ao fim.
Vamos as partes importantes:
Primeiramente, eu quero agradecer a todos vocês que me acompanharam nessa jornada até aqui, a vocês que comentam em todos os capítulos e a vocês que leem quietinhos, aos que favoritaram, aos que conversam comigo no whats, a todos os que estiverem aqui diretamente e indiretamente. Essa história é totalmente de vocês, eu sou apenas quem escreve... Mas vocês fazem dela o que ela é e me inspiram a continuar sempre cada vez melhor, por vocês. Então, obrigada!
SEGUNDAMENTE (IMPORTANTE): Pra vocês que chegaram até aqui e querem continuar acompanhando a história, irei postar a Segunda Temporada em alguns dias. Preciso apenas escrever as minhas outras histórias e formar uma estrutura melhor para a segunda fase de Ice And Fire. Então, pra quem não me segue ainda, faça isso se quiserem ler a próxima temporada porque será em um espaço novo e quando eu postar vocês serão notificados. Pra quem nunca comentou, nunca participou do grupo no whats, nunca favoritou ou colocou na biblioteca, esse é o momento! Aproveitem isso aqui ao máximo, porque a segunda fase virá pra colocar todo mundo com as caras no chão e os corações esburacados de tiros... Avisando previamente pra arrumarem os seus coletes, bombinhas de ar e remédios contra infartos! ;)

Bom, é isso... caramba eu nem acredito que finalizamos essa fase e estamos aqui depois de quase um ano, é meio surreal e passa um filme inteiro na minha cabeça, mas enfim... Nos vemos em breve, eu amo vocês babies <3
Até logo, meus amigos o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...