História Ice and Fire - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Brandon "Bran" Stark, Catelyn Stark, Daenerys Targaryen, Eddard Stark, Jon Snow, Personagens Originais, Rhaegar Targaryen, Rickon Stark, Robb Stark, Sansa Stark, Theon Greyjoy, Viserys Targaryen
Tags As Crônica De Gelo, Daenerys, Fogo, Game Of Thrones, Jon Snow, Jonerys, Reino
Visualizações 643
Palavras 3.287
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, pessoas!

Milhões de anos depois eu voltei! Demorei e com certeza não é o melhor capítulo que já escrevi, mas finalmente tenho algo que posso postar!
Sei que demoro muito, mas não tenho muito tempo para isso. Então, tenho que achar tempo e formas de escrever quando tenho ideias. Faço o possível.
Me perdoe essa demora eterna sempre!

Ah e não liguem para o erros, nunca consigo ver todas.

Boa leitura!

Capítulo 11 - Rhaegar


Fanfic / Fanfiction Ice and Fire - Capítulo 11 - Rhaegar

            Desciam as escadas, Arya já tinha corrido na frente em direção as câmaras. Mas Rhaegar e Jon iam lado a lado calmamente. O príncipe olhava de lado, observando o rapaz cujo braço estava enfaixado.

            Jon era uma incógnita para ele, tinha gostado da pessoa que ele era, mas isso ao mesmo tempo que se intrigava muito. Era estranho um cara tão habilidoso, bem apessoado e gentil ser tão humilde e discreto não se gabava de nada que fazia, pelo contrário, minimizava tudo. 

            Olhando o rapaz notou que além do cabelo e os olhos, ele nada tinha de Stark, tinha feições menos brutas que os irmãos, mas seu jeito do norte fazia isso passar despercebido se não fosse bem reparado. E era fácil ver o que fazia Dany gostar tanto dele, era merecedor de toda admiração.

- Ei! Andem vocês dois! – Arya chamou já lá de baixo.

            Jon sorriu, e se apressou a descer. Rhaegar o seguiu e logo eles estavam nas escuras câmaras. Logo os olhos se acostumavam e eles podiam ver os ossos negros dos dragões.

            Arya tinha muitas perguntas que Rhaegar respondeu sem problemas. Jon não fez uma única pergunta, mas prestava bastante atenção a tudo que o príncipe falava. Arya estava impressionada e ia de um lugar ao outro olhando e tocando os ossos, repetindo a pergunta de qual era cada dragão, até que ela tinha decorado.

            Foi um dia divertido que ele passou com os dois irmãos. Mas foi o último dia tranquilo. Dali em diante tudo eram preparação para receber as muitas pessoas que viriam para o seu casamento, e ele era o responsável pela segurança do lugar. Estava tão sobrecarregado e nervoso com tudo aquilo, que acabou por pedir ajuda a Jon e Robb, que atenderam com prazer, pois não tinham muito o que fazer ali e ficaram felizes em ajudar.

            Eles foram de grande ajuda na hora de organizar a guarda da cidade para chegada dos nobres do norte para ao casamento. Todas as famílias nobres do norte foram convidadas, mas a chegada de tanta gente a cidade em meio a um conflito silencioso como esse que estavam com o Lannister era um grande problema. A possiblidade de alguém indesejado entrar em meio as pessoas era imensa. Então Robb e Jon o tinham aconselhado a deixar homens da guarda real do norte ficar nos portões com o guarda sulista para que eles identificassem todos que estavam entrando, assim aumentaria a dificuldade na entrada na cidade por estranhos. Mas mesmo assim a sensação ainda era de vulnerabilidade.

            Eles prepararam um grande pátio ao lado do castelo para que os nortenhos arrumassem suas barracas para passar ali a semanas, para o casamento e suas comemorações. Rhagar tinha inspecionado tudo junto com o príncipe Stark e Jon Snow, e acharam que era um bom lugar. Era cercado por murros, antigamente usado para o treino do próprio príncipe, mas agora estava limpo e seguro para os convidados.

            Eles passavam o dia olhando em volta do castelo para ver se não tinham deixado nenhuma brecha, mas depois de alguns dias parece já estava tudo certo. Então eles param com isso, e só então Rhaegar pode voltara dar atenção a Sansa.

            Ele a achava uma mulher linda, com uma certa inocência, sabia que ela tinha um pensamento meio errado e sonhador sobre a vida, mas as vezes achava isso fofo nela. Mesmo com tudo isso que ela passava, ele sabia que no fundo ela era uma pessoa forte e confiante como todos naquela família tão bruta do norte, que mesmo um rosto delicado não queria dizer que eram uma pessoa frágil. Conseguia ver que tudo que Sansa precisava para ser uma boa rainha era um pouco de incentivo e senso de realidade, podia mostrar isso a ela, com a sutileza que ela merecia. Bom, ao menos tentaria.

            Como não tinha tido muito tempo para ver a noiva nos últimos dias resolver que devia dar uma volta com ela pelo castelo naquela tarde. E assim o fez. Começaram a dar uma volta pela grande sacada para ver o mar, mesmo que de longe. Depois do que houve com Jon, ninguém mais ia até lá, até mesmo porque os reis haviam proibido as famílias de ir lá. Estava a três dias do casamento e isso era bem pouco se ele parasse para pensar.

- Como tem sido seus dias aqui? – Rhaegar perguntou a garota.

            Podia parecer uma pergunta qualquer para puxar assunto, mas Rhaegar queria era saber como Sansa estava se sentido no sul, tão longe de casa.

 - Ah são ótimos. Sua mãe te me mostrado o castelo, e eu o acho lindo, tão aberto, arejado e claro, bem diferente de Winterfell, mas eu gosto. Me sinto confortável até.

- Que bom. Fico feliz que esteja gostando daqui.

- Sim, eu gosto. Mas e você? Terminou seus afazeres?

- Meus afazeres não acabam nunca, princesa. Mas posso tirar uma tarde de folga.

- Todo mundo precisa descansar um pouco as vezes.

- Tem toda razão. Como andam os preparos para o casamento? – ele questionou.

            Viu que a menina ficou meio sem graça, como sempre acontecia quando tocava no assunto.

- Bem, sua mãe e a minha são as que fazem mais coisas, eu só experimento o vestido quando preciso, e dou minha opinião quando me pedem ou acho justo.

- Acho certo, é o seu casamento tem que gostar dele.

- Tenho certeza que eu vou – ela falou meio sem querer.

            Rhaegar só sorriu para a garota, que desviou o olhar sem graça. O cabelo cor de fogo dela, era lindo, tão diferente de tudo que ele estava acostumado, ficou olhando os cabelos dela enquanto eles andavam, foi quando se deu conta que entrava, na sala do trono, onde se encontrava seu pai, o rei Stark, Robb e Jon, eles conversavam, mas pararam quando eles entraram.

- Rhaegar? Tem certeza que está tudo certo para essa semana?

            Sansa abriu a boca e então se abaixou fazendo um reverencia.

- Vou deixá-los sozinhos – ela falou e foi logo saindo.

- Nos vemos depois – Rhaegar falou come ela.

            A menina sorriu e saiu apressada.

- Ela está completamente encantada – Robb falou rindo.

            O que fez com que todos rissem também, mas Rhaegar só sorriu ao príncipe nortenho.

- Acho que o príncipe Stark está certo. Vai tocar a arpa no casamento?

- Não sei...

- Só toque... Vai deixar ela ainda mais encantada.

- Vou ver com a mãe depois.

- Faça isso... Mas então, está certo de que se lembrou de tudo?

- Acredito que sim, Jon e Robb me ajudaram. Acho que pensamos em tudo.

            Jon que tinha se afastado e passava por uma das colunas, parecia pensativo, e bem distante dali.

- Jon? – Ned Stark chamou.

            Mas o rapaz continuava distraído.

- Jon?! – Robb o chamou mais alto.

- Sim? – ele falou se virando para os quatro que agora o olhavam.

- Você está bem? – Ned quis saber.

- Sim, só estava pensando.

- Em?                                    

- Pai, a guarda real veio pra cá com a gente. Metade de nossos exércitos estão vindo com os nobres, para os proteger...Certo?

- Sim, no que está pensando, Jon? – Ned quis saber.

            De algum modo o rei nortenho estava preocupado com os pensamentos do bastardo, era como se ele soubesse que Jon estava pensando em algo que ele mesmo não tinha pensado, era como se isso acontecesse sempre, e ele estivesse acostumado a ser aconselhado de forma bem efetiva pelo filho indigno, não que Rhaegar pensasse assim, pois gostava bastante de Jon e o achava muito merecedor de tudo que poderia conseguir.

- Quem está protegendo o norte? – perguntou o Snow encarando o pai.

            O rei abriu a boca olhando o filho.

- Não acho que vão se focar lá, estamos aqui... – Robb começou.

- Não é a nós que querem, Robb... São as terras, e elas estão lá desprotegidas. – ele se virou para o rei nortenho -  Isso não vai dar certo, senhor.

- Calma, Jon. Serão só alguns dias, e logo todos estaremos de volta, não há tempo para que façam nada – Ned tentou acalmar o filho.

- Pode acontecer...

- Jon? – Robb o chamou se aproximando do meio irmão – Pare de se preocupar tanto com tudo. Estamos aqui para o casamento da Sansa, só aproveite, logo estaremos voltando para Winterfell e você pode se preocupar com o que quiser.

            Jon suspirou frustrado, ele estava convicto de suas preocupações, mas o pai e o irmão não pareciam partilhar disso.

- Eu avisei – falou o bastardo e saiu do salão deixando todos ali.

            Rhaegar, ficou olhando o rapaz sair do salão apressado. Achava que ele estava certo em se preocupar, mas não ia interferir nos assuntos do norte. O Snow tinha dito ao pai que se preocupava, mas não ser ouvido o deixara ainda mais preocupado, pois por si só nada podia fazer. Sentiu empatia pelo rapaz, se fosse com ele também se sentiria irritado com o pai e o irmão, não que a opinião de seu irmão costumasse servir para algo, Viserys costumava falar muita porcaria, sem falar que era extremamente prepotente.

- Se está certo de que fez tudo possível, só fique de olho para que nada saia de controle – Aerys falou a Rhaegar.

- Claro, pai... Vou ficar de olho.

            Rhaegar só assentiu para os Starks ali e saiu.

            Terminou de sair do salão e olhou em volta, se lembrando do que tinha de fazer. Tinha que falar com a mãe. Então saiu em busca dela. Foi encontra-la na cozinha com a rainha Stark.

- Mãe? – ele chamou.

            Ela o olhou e sorriu, abrindo os braços para recebe-lo.

- Oi, meu filho.

            Ela o abraçou e beijo a bochecha. A rainha Stark só o olhava com um sorriso, conseguia ver muito da rainha em Sansa, os cabelos, os olhos azuis, mas só na aparência. Catelyn Stark tinha uma amargura, que Sansa não herdara, sendo a mais nova muito mais feliz e cheia de expectativas com as coisas, o que faltava e muito na rainha.

- A senhora está ocupada?

- Um pouco, mas pode falar.

- Bom, o pai acha que devo tocar na festa do casamento, acha que vai haver como?

- Claro, sempre há como ouvir você tocar, meu querido. Deixo tudo pronto para que o faça, ok?

- Sim, obrigado, mãe.

- Sem problemas.

            Voltou a abraçar a mãe e então as deixou ali.

            Naquele mesmo dia os nobres do norte começaram a chegar e foram tomando seus lugares no grande pátio que começou a se encher de grandes barracas, onde pessoas de armadura e roupas escuras andavam de um lado para o outro. Era impossível não notar que as pessoas estavam incomodadas com o clima e o fato de que estavam em barracas. Ali existia muitos poucas arvores, ao contrário do norte, onde tudo era muito mais envolto por natureza. Eles realmente estavam longe de casa e isso era visível neles, como era em toda família real de lá.

            Foi até lá para cumprimentar eles, Robb o acompanhou e os apresentou a todas as famílias que já estavam ali. Existiam gente de todo jeito. Mas mesmo diferentes eles pareciam iguais, se é que isso fazia sentido. Os senhores eram homem grande e fortes, em sua maioria de barba grande grisalha como os cabelos. A expressão carrancuda e modos brutos. Mas todos fizeram reverencias quando eram apresentados ao príncipe platinado. Muitas das meninas mais novas suspiravam com a passagem do Targaryen, e Robb ria delas. Ele sabia que o príncipe era novidade a muitas delas, e vê-lo pela segunda vez, agora sem Sansa por perto, as fazia demonstrar ainda mais, mas apesar de já ter amado toda essa atenção, sabia que era hora de sossegar e se casar. Já estava velho para brincar com a vida. Tinha que aprender a ser um bom rei, e em sua concepção, ser infiel, mesmo a mulher, era fora de questão para alguém que queria ser rei. Mas, ainda não estava casado de todo jeito.

            Nos dois dias seguintes ele esteve com Sansa todas as tardes, e conversou um pouco Robb e Jon, e deu uma olhada em tudo que tinha feito para a segurança.

            No fim da tarde do dia anterior ao casamento Robb veio até ele.

- Ei! Está tudo pronto, vamos? Só tenho de convencer Jon a vir junto, ele tem se recusado terminantemente – falou o príncipe sem parar.

- Ahn? Está falando do que? – Rhaegar questionou confuso.

- Da sua despedida de solteiro, logico. Reservei o melhor bordel da cidade. Convidei Viserys, Theon e Jon, não sei quem mais você gostaria de chamar.

- Sério? Tem certeza sobre isso... – Rhaegar perguntou duvidoso.

- Ah! Não se faça de bonzinho comigo, Rhaegar. Todo mundo sabe da sua fama de mulherengo. Não vou dizer nada a Sansa, nenhum de nós vai. E é bem normal que cara solteiro vão a bordeis, você não é casado ainda.

- Ok. Você me convenceu.

- É você foi fácil. Jon é jogo duro – comentou o Stark inconformado.

- Por que?

- Jon é um cara estranho, não sei se notou. O levei uma vez a um bordel e ele fugiu de todas as meninas e foi embora. Não sei o que se passa na cabeça dele.

- Vamos lá, vou falar com ele – Rhaegar se ofereceu.

            Assim eles seguiram até o quarto do bastardo onde bateram.

- Entre.

            Os dois entraram e Jon estava de pé perto da janela com os cabelos soltos e sem camisa. Usava só a calça negra, nem mesmo as botas estavam calçadas.

- O que está fazendo? Viemos te buscar – Robb falou bravo.

- Eu já disse que não vou, Robb.

- Sério isso? É minha despedida, você se tornou meu amigo, vou ficar muito decepcionado se não estiver lá...

- Rhaegar...

- Não tem desculpa.

            Jon suspirou frustrado. Rhaegar sabia que apelar para o lado emocional funcionaria com Jon.

- Ok. Eu só não quero passar vergonha.

- Vergonha? – Rhaegar riu. – Esse tipo de coisa não tem erro. Vem, filho. Vamos logo.

            O modo como Rhaegar o chamou o fez se sentir uma criança. E queria menos ainda ir para lá. Calçou as botas e vestiu uma camiseta. Amarrou a metade de cima do cabelo para tirar dos olhos e seguiu com os dois. Que logo encontraram com Viserys e Theo, que tinha chegou depois com a família Karstark. Jon revirou os olhos odiava o modo como Greyjoy adorava caçoar dele. Rhaegar ainda chamou mais uns três amigos e assim eles seguiram pela cidade. Rhaegar viu que Jon ia mais atrás cabisbaixo e foi até ele.

- Tudo bem? – ele quis saber do nortenho.

- Vou estar, depois que eu voltar para o meu quarto – respondeu o Snow.

- Nossa, qual seu problema com mulheres?

- Não tenho problema com mulheres – respondeu Jon sem mudar a expressão.

- Não é o que parece.

- Olha, eu sou um bastardo, sabe disso, certo? – Rhaegar só assentiu. – Eu nem sei quem é minha mãe. Meu pai nunca me contou. Pode ser qualquer uma, qualquer mulher. Uma camponesa, uma nobre, uma prostituta. Eu só não quero ser responsável por mais pessoas como eu. Nem todos têm a minha sorte, Rhaegar. Tenho minhas limitações, mas tenho uma vida muito boa para um bastardo... Tenho uma casa, bons irmãos, um pai, treinamento, acesso a tudo que preciso...

- E uma princesa apaixonada por você – Rhaegar completou.

- O que?

- Não se faça de bobo. Minha irmã está perdidamente apaixonada por você. Nunca a tinha visto assim por ninguém.

            Jon olhava Rhaegar com a boca aberta.

- Isso não melhora minha situação.

- Sério? Dany é linda...

- Daenerys é maravilhosa, Rhaegar. Ela é linda, forte e doce, sempre disposta a fazer tudo que por uma pessoa, tudo que eu poderia querer. Mas eu sou um bastardo. Seu pai não quer sua filha com um cara que não tem nada a oferecer a ela.

- Isso não depende dele, Jon. Vai descobrir. Bom chegamos, vê se relaxa. Não pense nessas bobeiras. É isso que essas mulheres fazem pra viver. Não vai dar nada errado.

- Não é só isso que me incomoda – resmungou o bastardo.

            Jon só suspirou.

            Logo eles estavam dentro do lugar. Robb já pediu pela mulher mais experiente do lugar, mas a disse para ir com Jon. Que corou na hora e pareceu querer socar o irmão, mas foi com a bela mulher. Theon Greyjoy olhava Jon e ria, mas o bastardo ignorou.

            Aos poucos cada um foi achando uma bela mulher e sumiu. Rhaegar ficou ali na sala com uma boa quantidade de meninas. Ele conversava com elas. Mas de fundo pode ouvir um gemido de mulher que para ele parecia tão sincero, bem diferente da maioria delas. E ele notou que isso chamou a atenção de muitas meninas ali que olhava naquela direção curiosas.

- O que é isso? – Rhaegar perguntou.

- Parece que seus amigos do norte são bons na cama, não me lembro de nenhum homem daqui fazer isso a Ivna.

- Ivna?

- Aquele que o ruivo pediu para o cara de cabelos negros e presos.

- Jon? – Rhaegar riu.

            Na hora pensou que o garoto só podia estar tirando uma com a cara dele mais cedo.

            Depois do que pareceu segundos para Rhaegar, Jon pareceu ali tão bem alinhado quanto antes. Mas antes mesmo que pudesse chegar ao amigo, uma menina apareceu na frente dele.

- Como é seu nome? – ela quis saber.

- Jon...

- Oi, Jon... Vem comigo. Me mostre o que fez a Ivna.

            Ela agarrou a mão dele e o levou. Rhaegar só voltou a rir. Mas depois disso quando Jon voltou uma segunda vez ele foi mais esquivo e não quis ir com mais nenhuma menina. Rhaegar depois de aproveitar um pouco seu último dia de solteiro se sentou ali na recepção com Jon e ficou conversando com ele. Perguntando o que ele tinha feito, mas Jon se limitava a corar e dizer que nada demais.

            Já era bem tarde quando os outros se deram por satisfeitos e foram pra casa.

            No outro dia Jon, Rhaegar e Robb se encontraram na mesa de café bem cedo. Era o dia do casamento e mesmo a noitada não tinha impedidos que eles acordassem muito cedo.

- Como foi ontem? Vocês dois só ficaram conversando é? – Robb quis saber.

- Mais ou menos. Mas todas as meninas queria levar Jon para o quarto – Rhaegar comentou.

- Fiquei sabendo, o que você fez? – Robb quis saber.

- Eu não fiz nada...

- Ah vamos lá, Jon – Rhaegar o incentivou.

- Eu não... – Jon parou bruscamente.

            Todos seguiram o olhar dele que estava em Daenerys que acabara de entrar ali.

- Não fiz nada – ele completou em tom baixo.

            Todos se silenciaram e Daenerys chegou ali se sentando ao lado de Jon. Ela parecia bem, não tinha nenhum sinal de ter ouvido a conversa.

- Bom dia – ela desejou assim que sentou.

- Bom dia – eles responderam.

- Como foi a despedida de solteiro? – ela perguntou fazendo Jon se encolher ali.

            E Rhaegar teve certeza de que ela sabia de tudo.

- Foi bem... Nada exagerado – respondeu o príncipe Targaryen.

            Dany só assentiu e continuou a comer.

            Jon engoliu sua comida e se levantou pedindo licença. Seguiu a passou rápidos em direção ao interior do castelo.

- Jon! – Daenerys se levantou e foi atrás dele.

            Rhaegar e Robb se olharam e riram baixo.

- Será se ela sabe? – Robb quis saber.

- Aposto que sim...

- Nossa...

            A conversa parou aí. Rhaegar tentou não pensar no amigo com a irmã, tinha que comer logo, seria um dia cheio.


Notas Finais


O que acharam? Espero que estejam gostando.

Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...