História Ice Cream - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, J-hope, Jikook, Kim, Lemon, Namjin, Taehyung, Taeseok, Vhope, Yaoi
Exibições 103
Palavras 1.786
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


➶『Hi!』➴

❀▸ Como vão pessoas? Estão todas muito bem? ESpero que sim! Aqui estou eu novamente com mais um capítulo da fanfic! Eu estou muito feliz em escrevê-la, estou amando mesmo! Porém, amanhã é o dia mais acansativo que eu tenho na semana, então não dá para fazer o capítulo, mas eu já fiz os racunhos necessários.

❀▸ Eu acho que as coisas estão acontecendo muito rápido, queria saber a opinião de vocês, se tenho que desacelerar, demorar um pouco mais ou já pah! VHope na área ou continuar assim, comentem por favor! Respondo quando eu tiver tempo okay? Okay.

➶『Boa Leitura!』➴

Capítulo 3 - Three: The Class


T H R E E: The Class

 

Jung Hoseok;

Cheguei em casa sorrindo. Meu dia havia sido bom, razoavelmente bom. Mas eu achei bom, e isso que importava. Fui logo para o banheiro. Tomei banho rápido e me vesti. Peguei meu dinheiro e desci para comprar as coisas lá de casa. Eu necessitava de comida porque de manhã você acordar e ir numa cafeteria é um saco, cafeterias são um saco. Se bem que a cafeteria que fui no qual não me recordo o nome – porque nemdevo ter visto – era legal. A moça era legal. Desci no elevador e fui no mercado comprar as coisas, só tinh um problema: eu era péssimo em fazer comida. Mesmo. Um lixo. E então olha a minha idéia: (a) falar para o Jin fazer comida pra mim, (b) ir morar com o Jin ou (c) instalar um aplicativo que ensine. A D era eu me ferrar e ter que ir em reustarantes para comer. Acho que a C era a melhor opção.

Voltei para casa com as sacolas e deixei tudo na mesa, desensacolando e colocando nos devidos lugares. Quando estava terminando, minha mãe me ligou. Ótimo!

Alô?

— Oi filho! Tudo bem no novo apartamento?

— Sim, mãe.

— Ah, que bom! Então, é, ontem nós acabamos por passar na frente do seu colégio e vimos você com alguns garotos...na verdade, era realmente você?

— Claro que não, mãe, eu não posso, lembra? Só posso falar agora com os professores e pessoas que não sejam da minha idade.

— Ah, então tudo bem! Só liguei para visar isso mesmo, seu pai ficou furioso! As pessoas hoje em dia...acho que você não devia seguir o exemplo delas!

— Está bom, mãe. Estou ocupado agora, depois nos falamos.

— Tchau filho!

— Tchau.

Desliguei o telefone com raiva. Quando eu estou feliz, algo tem que acontecer de ruim! Agora meus pais vão praticamente me vigiar, sério, eles acham que eu tenho dez anos. Se bem que quando eu tinha dez anos as coisas eram bem divertidas, mas agora é tudo diferente. Vontade de vltar a ser criança! Sem responsabilidades, sem problemas, tudo que eu queria eu tinha, sem faculdade, sem precisar procurar emprego, era tudo mais fácil!

Terminei de guardar as coisas e me deitei no sofá. Fui procurar algum aplicativo ensinando a como fazer comida ou um site, mas eles pareciam falar japonês. Realmente estava muito difícil. Eu iria sofrer! A sorte é que existe macarrão instantâneo, e eu lembrei-me de comprar. Só o coloquei no microondas por uns três minutos e pronto! Almoço do resto dos dias até arranjar algum namorado que faça comida para mim. Será que o Taehyung sabe fazer comida? Espera, eu estou me iludindo! Ele é só meu amigo, mesmo que eu precise dele.

Todos meus pensamentos só lembram Tae, tudo que eu fazia me lembra o Tae, tudo agora é o Tae. Não entendo como um garoto que rearamente falava comigo se tornou alguém que eu amo.  Foi tão rápido. Eu nem sei como e quando, mas eu me apaixonei por ele. Decidi tentar me concentrar em comer o macarrão e não me sujar todo. Quando terminei o macarrão fui ver as horas. Espera, JÁ ERAM TRÊS E MEIA DA TARDE?! Eu não me recordo de fabricar as coisas para depois comprar no mercado. Eu demorei oque, uma hora no supermercado. E eu só fiquei nas seções de guloseimas e carne. Não sei como os pais são tão rápidos.

Molhei meu rosto, tomei um poco de água, peguei meu celular e fui ler meu caderno. Por que isso? Já que eu preciso me lembrar de quando eu estava no primeiro ano da faculdade, eu preciso me lembrar de algumas coisas. O primeiro ano da faculdade foi o mais difícil para mim, era tudo diferente do ensino médio. Jin disse que realmente é o mais difícil, o último ano é praticamente uma revisão de tudo. Percebi que já era um pouco mais tarde e então fui para o apartamento de Tae. Era no andar de cima, o apartamento acho que era o 40. Apertei o botão da campanhia e ele abriu.

Eu quase peguei ele ali mesmo.

Puta que pariu, ele está proibido de atender a porta assim. Estava com apenas a toalha na cintura. Seu corpo estava todo molhado e em seu abdomên tinha gotas pequenas de água. Seus cabelos – também molhados – estavam todos bagunçados. Ele estava muito sexy. Queria muito fodê-lo ali mesmo.

Controlei minha enorme vontade dando um sorriso. Tudo bem, foi um tipo de sorriso nada apropriado mas foi o mais normal que eu consegui. Vi suas bochechas ficarem cada vez mais vermelhas o deixando-o fofo.

— Ah...oi! — travei ao abrir minha boca, se controlar enquanto ele estava na minha frente daquele jeito era quase impossível.

— O-oi Hobi-hyung, e-entra! — eu percebi que ele estava tentando ao máximo não gaguejar, mas mesmo assim as palavras saíam trêmulas.

Entrei no apartamento dele, que era muito bonito e bem decorado. iquei surpreso ao não ver bagunça nem caixas de pizzas por aí, e também não tinha nenhum cobertor e controle de xbox no sofá. Pensei que Tae fosse mais desorganizado. Ele disse para eu me sentar no sofá enquanto ele ia vestir alguma roupa porque, bom, ele estava só de toalha. Queria que ele ficasse assim mesmo, mas ao mesmo tempo não porque não iria me concentrar com ele assim.

O mesmo voltou depois de um tempo já vestido, infelizmente e felizmente. Estava com um caderno e uma caneta. Tae tinha cara de bom aluno, queria dar aulas para ele.

— Bom, o professor que fala I mousikí eínai metamfiesménoi epistími constantemente em todo início de aula na verdade está passando mais ciência, matemática e essas coisas do que música. — ele disse revirando os olhos.

— É porque na verdade a música é matemática disfarçada. Se você é bom na matemática, vai ser bom na música, se você for bom na música, vai ser bom em matemática. — disse me lembrando das palavras do meu professor.

— Ahh! Então acho que eu devia desistir da música! — Tae disse rindo brincando, não pude deixar de rir junto.

— Mas você vai se acostumar, eu também odiava matemática mais agora incrivelmente ela se tornou minha matéria favorita. — eu sorri enquanto disse.

— Tomara que eu me acostume! — rimos junto com seu comentário. — Bom, mas agora isso está bugando minha mente: essas coisas toda eu me lembro de ter feito ano passado até, mas agora ele elaborou umas coisas que me faz querer pular da sala. — ele disse apontando para as contas.

— Ah! Nossa, eu amo isso! Se mata, é a melhor coisa do mundo fazer essas atividades! — disse a ele empurrando de leve seu ombro.

— Em minha legitíma defesa eu digo que quando nós nos acostumamos a fazer tal coisa nós gostamos mais, e eu só estou fazendo isso praticamente desde o início do ano toda quarta e quinta-feira! — ele disse para se defender me fazendo rir um pouco.

— Não vou discordar de você, mas é muito legal sim. Olha, isso é praticamente a mesma coisa que você aprendeu o ano passado, mas a diferença é que essa matemática tem que ser testada na voz para entender, não é só fazer a conta! — disse virado para ele.

— Ahhh! Nossa, agora eu gostei, então é como se eu tivesse de usar a aula de canto da professora Min para entender! — ele disse com uma expressão de que entendu o motivo da vida.

— Exato! Isso é meio uma porcentagem para como devesair sua voz na hora do canto, aí temos de juntar esses milhares de números para achar o perfeito! Ano que vem você vai usar isso no canto pra caramba! — disse a ele.

PERA, CHAMA O ALADDIN PORQUE EU SOU UM GÊNIO! — ele gritou mas não tão alto.

— Na verdade você é o Aladdin e eu sou o gênio, eu te dei a inteligência, me agradeça! — o corrigi brincando.

— Tá, tá, obrigado gênio! — ele revirou os olhos brincando.

Fui o ajudando a resolver as contas que realmente o professor havia feito de maldade. Ele disse que o professor passou umas contas a mais à ele porque não estava prestando atenção, e realmente ferrou ele. Ele estava sentado ao meu lado, e eu chegava acidenalmente mais perto para mostrar oque ele deve fazer. Me inclinei um pouco para mostrar como fazer e acabei chegando mais perto de seu rosto. Parei de falar para oberva seu rosto. Ele era tão concetrado, não sei como ele consegue ser assim.

— E...? — ele insinuou para que eu continuasse a falar, mas eu só conseguia olhar seu rosto. Ele virou para mim e corou ao perceber que eu o olhava. Ele é extremamente lindo. Seus lábios carnudos e vermelhos, ele mordia o lábio inferior com vergonha. Eu queria tornar aqueles lábios meus, apenas meus e de mais ninguém. Coloquei minha mão sobre o rosto dele, acariciando sua bochecha. Fui chegando cada vez mais perto com o espaço tão curto que uma fina folha de papel seria a única coisa que separaria nossos lábios.

— H-Hoseok... — ele falou com uma voz trêmula e gaguejando.

— Shh... — coloquei o dedo indicador em sua boca aumentando o espaço dos nossos lábios. Eu retirei o dedo e fui chegando nossos lábios mais perto, mais perto...

Algum filho da puta ligou no celular de Taehyung. Aquele som me dava uma vontade enorme de destruir o celular dele. POR QUE ALGUÉM TEM QUE LIGAR JUSTO AGORA?! PORRA, LIGA OUTRA HORA! O DIA TEM VINTE E QUATRO HORAS!

— H-Hoseok e-eu pre-preciso atender... — ele disse se levantando e indo pegar o celular que estava na mesa. Fechei meus punhos com raiva, tentei não me mostrar irritado ma estava quase impossível. Finalmente ele desligou o celular.

— Eu já vou. — eu disse de cara fechado. Abri a porta e sair. Desci para o meu andar querendo socar tudo. Eu queria tanto, tanto, tanto ter aqueles lábios só para mim, mas eu tenho quer ter um azar! Abri a porta do apartamento e a fechei com força. Me joguei no sofá querendo bater em tudo. Que ódio! A única hora em que eu finalmente tive coragem de beijá-lo, a porra do celular toca!

Me levantei e comecei a chutar tudo. Eu nunca fiquei tão irritado na minha vida! Eu só queria ter Taehyung, só! Mas eu nunca consigo nada! Bufei. Só peguei minha toalha e fui tomar um banho. Encostei minha cabeça na parede e deixei a água cair no meu corpo. Desliguei o chuveiro, coloquei a toalha em minha cintura e me deitei na cama. Eu queria muito aqueles lábios, só de pensar neles eu já fico louco. Aqueles lábios carnudos e vermelhos. Eu só preciso deles para sorrir.

Eu não vou desistir dele, ah mais não vou mesmo!


Notas Finais


❀▸ Eu sei, saiu pequeno mas eu achei bom. Na verdade eu gostei muito de escrever ele, não sei porque, acho que foi por causa do quase-beijo que aconteceu comigo esses dias, mas eu era o Tae na situação -q

❀▸ Espero que gostem e podem dar suas opiniões no comentários, críticas construtivas, elogios, enfim, dê sua opinião! Obrigado por ler pessoinha que está do lado daí <3

➶『Bay!』➴


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...