História I'd do anything for you - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gustavo Stockler (Nomegusta), Kéfera Buchmann
Personagens Gustavo Stockler, Kéfera Buchmann
Tags 5inco Minutos, Fanfic Kesta, Gustavo, Gustavo Stockler, Kéfera, Kéfera Buchmann, Kesta, Kesta Fanfic, Nomegusta, Romance, Youtubers
Visualizações 100
Palavras 1.204
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi bombonzinhos ❤
como diz minha amiga pabllo

chegueeei, tô preparada pra atacaaarrrr

Primeiramente, obrigada pelos 85 favoritos ❤
Segundamente (rs) eu espero que gostem do capítulo ❤ boa leitura!

Capítulo 29 - Desaparecendo


♡ Ouçam Faded - Alan Walker enquanto leem ♡

 


NARRADORA ON

Assim que Kéfera viu Lucas, começou a chorar. Durante os passos pesados que teve que dar para chegar onde ele estava, era como se seu chão estivesse finito. E estava chegando no final, ela caiu sobre a última parcela do chão que ainda sobrava. Ficou ali, chorando. Era como se houvesse uma chama dentro dela e que as lágrimas fossem as faíscas. Estava queimando sozinha.
As pessoas passavam por ela e eram incapazes de erguer a mão para ajudá-la, apenas olhavam a tristeza no olhar da jovem. Elas podiam sentir a dor que Kéfera estava passando, só observando-a. Ninguém era corajoso o suficiente para dirigir uma palavra se quer a ela.
Ela estava sozinha. Porque seu melhor amigo, seu companheiro, seu anjo, seu irmão, o seu amor não estava ali para ajudá-la a levantar. Ela teria que voltar aos seus tempos de bebê, quando seu pai também havia a deixado. Aprender tudo sozinha, sem alguém ali do lado para orientar. Seria como aprender a andar de bicicleta sem capacete e joelheiras. A diferença é que "um joelho ralado dói bem menos que um coração partido".

Lucas: Vem, Ké... - ela não se moveu - Você tem que ser forte.
Ké: Ele era minha alma gêmea, Lucas...
Lucas: Eu sei que é difícil, mas acha que pra mim é fácil? Eu perdi tudo que tinha.

Ele tentou animá-la, enquanto precisava ser animado. Tentou segurar as lágrimas dela, enquanto fazia de tudo para não deixar uma escapar e acabar com palavras confortantes ditas. Ele tentou dizer que tudo ia ficar bem, enquanto não sabia o que aconteceria daqui uma hora. Tudo podia mudar, ele sabia disso. Porque tudo estava bem há 20 minutos. Estava.
Com muito custo, ela se levantou. .

Ké: Eu preciso vê-lo...
Médico: Não podemos liberar agora, senhora.
Ké: Vocês não entendem! Eu já perdi pessoas e não consegui me despedir delas. Não façam ele fazer parte da minha lista, por favor... eu preciso dizer adeus. - dizia enquanto chorava - Por favor!
Médico: Só vou pedir que não demore. Me desculpe por isso, mas é o melhor para ele.
Ké: Ele está morto, nada que façam vai melhorar a situação dele!
Médico: Se acalme...
Lucas: Toma isso, Ké.

Lucas deu a ela um calmante, dissolvido na água. Mais calma, não chorava como antes. E assim, pôde entrar no quarto pela última vez.
Ela entrou acompanhada de Lucas. Quando chegou perto da cama, pediu para que ele se retirasse, só para poder se despedir.


KÉFERA ON

E dói. Dói mais que qualquer dor já sentida, que sentirei. Dói mais que um tiro, dói mais que uma facada nas costas, dói mais que tatuar o corpo inteiro de uma vez só, dói mais que sentir um ônibus passando por cima de você, dói mais que qualquer coisa que machuque nesse mundo. Você tem uma chance de recomeçar, nos outros casos. Mas nesse não há chance alguma. Porque o que te daria essa segunda chance, está morto. Os olhos não se abrem para um olhar de tirar o fôlego, a boca não se abre para um sorriso, a alma não te sente e você não pode senti-la, o coração não bate. Os órgãos não funcionam mais. Aquela voz que era familiar, pode até ser esquecida.
Imaginem uma pessoa. Imagino que um anjo tenha vindo à sua mente, certo? Talvez. Se sim, continue com essa pessoa em sua mente. Mas se não, pense na pessoa que te faz sorrir. É dela que estou falando. Pode ser seu/sua namorada/namorado, amiga/amigo, mãe, pai, irmã ou irmão. Pode ser uma pessoa que a distância separa ou que o tempo separou. Porém o seu coração nunca esqueceu. Cutuque suas lembranças e lembre de todos os momentos que vocês tiveram juntos, todos os sorrisos e as brincadeiras. As coisas mais idiotas possíveis, as piadas internas mais bobas, mas de grande significado. Lembre até das brigas. Lembre das lágrimas derramadas e dos motivos que fizeram elas pararem de cair. O amor foi mais forte e superou, não é?! Agora, imagine nunca mais poder ter isso. A vida simplesmente tirou isso de você. Ontem estava tudo bem, hoje acontece a maior catástrofe dentro de você. E você não pode evitar, não pode mudar o passado, não pode. Por mais que peça, por mais que ame, por mais que implore pela misericórdia. É inútil. Você se sente completamente inútil. Você está desaparecendo. O quê fazia o mundo ter sentido, você ter sentido, a sua vida ter sentido se foi e não volta mais.
O pior dos pesadelos, não é? Eu sempre pensei que pesadelos nunca virassem realidade. Até que a vida me provou o contrário. Uma hora você tem todos os motivos do mundo para sorrir, e na outra não tem mais nada que te faça querer abrir a janela e encarar a famosa "realidade". Seus pensamentos se prendem dentro de você. Os seus sentimentos queimam junto ao amor. E não sobra nada. Absolutamente nada.
Foi isso que eu senti quando o vi ali. Não respondendo aos meus questionamentos, não sendo mais.


NARRADORA ON

Enquanto pensava, segurava forte a mão dele. Mas, antes de se despedir dele, foi se despedir com o público. Pegou uma montagem feita há alguns dias, e começou a escrever. Foi breve, mas doloridamente escrito.

legenda: Eu sei o quanto é difícil perder alguém que amo. E sei que é mais dificil ainda quando essa pessoa é você. Você foi (e continua sendo) a pessoa mais importante para mim. Que esteve ao meu lado nos piores e nos melhores momentos. Então, se algum dia eu te magoei, medesculpa por ter te decepcionado. Eu juro que essa nunca foi a minha intenção. Muito obrigada por tudo que fez por mim. Eu prometo nunca te esquecer, meu amor. Eu te amo eternamente, mesmo que passe toda minha vida, eu te amarei.

Depois disso, voltou sua atenção a ele. Que não era mais ele.

Ké: Eu nem tive tempo de te dizer, meu amor... - ela passava seu polegar pelo seu rosto, contornando-o - Agora não há mais motivo para dizer aquilo. - ela chorou mais - Mesmo que não me ouça, queria te agradecer por ter sido tão especial para mim. Você foi a melhor pessoa que apareceu na minha vida, mesmo que tenha sido tão por acaso a gente se encontrar de novo... - disse enquanto lembrava da nossa história -  Me desculpa por ter te magoado tantas vezes, por ter de irritado, por te fazer passar por tudo isso. Eu faria o impossível para te ter de volta, Gu. Eu faria de tudo por você. Eu juro que lembrarei de tudo e que nunca te esquecerei. Sei que está melhor agora, mas eu não consigo te ver tão longe de mim, então me perdoa se eu vou ficar pouco tempo. É que não consigo te ver assim, Gu...

Depois de algum tempo ao seu lado, depois dos últimos momentos, o médico teve que pedir para ela sair. Pela última vez, ela olhou para ele. Agora, era só ela no mundo. Sentada naquele sofá branco acolchoado que havia no corredor, com a cabeça apoiada na parede, ela o viu... desaparecendo. 


Notas Finais


Até a próxima bbs ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...