História If we were... Just Married - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari
Tags Pos-guerra, Romance, Sasusaku
Exibições 2.154
Palavras 5.861
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Sintam

Capítulo 15 - Saikai


Fanfic / Fanfiction If we were... Just Married - Capítulo 15 - Saikai

O dia parecia especialmente bonito naquela manhã. O sol reinava com poucas nuvens, assim as cores da vegetação podiam ser vistas com mais vida, o azul do céu era mais evidente e uma brisa ainda um pouco fria, por causa da noite que acabara de se retirar, acarinhava a face de Naruto parado na pequena varanda de seu quarto com as mãos na cintura em uma pose digna de Gai-sensei de olhos fechados inspirando ar puro.

- Você acordou cedo… - Hinata erguia lentamente o corpo da cama enquanto coçava os olhos incomodados com a luz que entrava pela porta. Quando conseguiu olhar melhor, pode contemplar o benefício da luz especial daquele dia sobre seu marido. Seus cabelos pareciam mais dourados, sua pele mais bonita, já que estava sem camisa e seu olhos ainda mais azuis quando se virou para ela com um largo sorriso branco que quase brilhou mais que o sol. Para ela, claro.

- Pra falar a verdade eu quase nem consegui dormir! - Veio animado até ela sentando-se na cama, mas ainda olhando na direção da porta ladeada pelas cortinas finas cuidadosamente escolhidas por Hinata. - Ontem tive notícias boas demais para conseguir dormir!

- As pessoas geralmente não dormem pelo contrário - Hinata sorriu enconstando-se na cabeceira da cama.

- Hahahahahaha - Deu uma gargalhada gostosa - Quando a felicidade é extrema também é impossível controlar a empolgação. - Todos ficaram loucos quando souberem de tudo!

- Parece que teremos mais casamentos vindo por aí - Hinata disse sorrindo doce, mas logo sua expressão se tornou pensativa - Acho que terei problemas com os vestidos.

- Ai meu Deus como você é fofa! - Naruto engatinhou até ela e deitou-se em suas pernas de frente para sua barriga - Vai ser a mulher mais linda do mundo quando ele começar a crescer… - Deslizou a mão pela barriga da esposa.

- Ou ela…

- Ou ela… - Ele repetiu sorrindo largo como só ele era capaz de fazer. Ficou parado em silêncio perdido em pensamentos, o que era bem raro, mas sem perder o olhar sonhador fixo naquele ponto do corpo da esposa. Sorria de canto sem se dar conta, pensando em tudo o que poderia fazer com aquela criança… Nossa, ele seria pai! Agora seriam uma família mais que completa! Quase gritou para Sasuke a novidade na noite anterior, mas o amigo apareceu com muita pressa, daquele jeito esquisito dele, pedindo um anel emprestado para Hinata praticamente invadindo a casa sem dar muitas satisfações. Estava mais para um ladrão, mas após Naruto insistentemente, quer dizer encher o saco aos berros diga-se de passagem, exigir que ele falasse o que ele queria com o anel, Sasuke disse que precisava pedir Sakura em casamento naquele momento. A partir daí ele foi quase chutado por Naruto para que fosse mais rápido. - Ei… - Naruto falava com o filho que se formava - Você vai ser muito feliz… Vai ter o pai e a mãe aqui pra ficar com você… Eu irei te ensinar várias técnicas e olha só você tem que ser bem forte viu?! O Tio Sasuke e a Tia Sakura vão se casar e provavelmente eles terão um filho… - Ergueu os olhos sorridentes para Hinata como se dissesse “é mesmo eles terão filhos não é?”, Ela sorriu concordando com a cabeça - Ele vai ser seu rival. então trate de acabar com ele hum?

- Naruto! - Hinata riu.

- Eu tô falando sério! Mas não esqueça, serão melhores amigos ok?

- Podem ser duas meninas já pensou nisso? - Aquela conversava já estava indo bem longe, mal Hinata estava grávida e já pensavam em quando Sakura poderia gerar uma criança.

- Hum… - Ele estava pensando naquele momento - Então trate de ser mais forte também! Faça ela chorar… E se for um menino bata com bastante força… - Diminuiu o tom de voz - Provavelmente ele vai ter uma cara azeda igual do pai, popular com as garotas e tudo mais, você vai ser a única que não vai dar bola pra ele e ele vai rastejar pra você! Depois eu penso se eu deixo ele ser seu marido… - Fez uma cara de desdém.

- E se o nosso for um menino e o deles uma menina?

- Se essa menina puxar a Sakura-chan ela será muito bonita, mas não se engane, ela é assustadora! Então, seja bem forte para não apanhar.

- Você é forte e apanha.

- Esse não é o ponto. - Fez bico. Hinata riu e fez carinho nos cabelos loiros dele.

- E você vai deixar que ela seja a esposa dele?

- Sasuke irá implorar que meu filho se case com ela! Ele vai ser o melhor cara da terra igual o pai! Forte, bonito e vai ser do tipo que irá proteger ela com tudo o que pode! Eu pensarei no caso dela… - Fez a mesma cara de desdém de antes.

- É muito bom sonhar com tudo isso, mas ainda nem sabemos se a Sakura aceitou o pedido!

- Mas é claro que aceitou! Teria como ela recusa

---

tuc

tuc

tuc

tuc

Sasuke batia com o indicador na mesa de madeira no mesmo ritmo do relógio. Seu corpo estava acomodado de forma um pouco desleixada apreciando os breves momentos de silêncio que ele sabia que Naruto quebraria assim que sua cabeça oca conseguisse entender o que estava acontecendo. Ergueu o olhar um pouco para ver o amigo ainda com o cenho franzido olhando para o anel de Hinata na palma de sua mão. As vezes abria a boca, mas recuava e lambia os lábios pensando um pouco mais.

- O que aconteceu?! - Naruto falou com um pouco mais de alteração na voz como se fosse brigar com um filho que havia acabado de fazer algo inacreditável. Sasuke apenas voltou a fitar a ponta de seu indicador ainda emitindo o leve som de baque sobre a madeira de segundo em segundo - Sasuke!

- Ela disse pra eu ir embora. - Não ficou olhando para a cara de Naruto, mas pela visão periférica viu ele exasperar.

- O que vai fazer?!

- Preciso de alguns tecidos para cobrir os móveis…

- Sasuke! Caralho!

O moreno olhou para Naruto surpreso com sua reação.

- PARA DE AGIR COMO SE NÃO SE IMPORTASSE!

- Eu já aceitei minha condição há algum tempo, mas acabo fazendo besteiras como essa.

- Você nunca aceitou merda nenhuma! Se tivesse aceitado não teria mudado de ideia naquele dia não é? - Disse erguendo seu braço protético só para ver os olhos negros desviarem vacilantes - Você queria! Você tem uma droga de um sonho aí dentro, se permitiu deixar ele sair e agora vem com esse papo?! Porra Sasuke o que você tem na cabeça?! - Naruto já estava em pé prestes a arrancar alguns fios de sua cabeça - Estava tudo indo bem demais?! Você tinha que voltar com esse complexo solitário? Para com isso! Porra não dá pra ser feliz?! Ainda por cima machuca ela também! É A MULHER QUE VOCÊ AMA! Para pra pensar idiota! Ela tem toda razão de estar com raiva de você!

- Eu sei…

- Eu sei?! Se sabe por que raios não faz nada e diz com toda simplicidade do mundo que vai embora?! - Parou fechando os punhos - GRRRRRRRRR! EU QUERO MUITO TE BATER!

- Eu fiz.

- O que?!

- Eu… - Fechou os olhos soltando o ar cansado - Implorei.

Naruto parou surpreso.

- E você sabe como é que se faz isso?!

- Eu pedi que ela fosse comigo… - O loiro se sentou com um pouco a mais de força na cadeira.

- A solução para isso é tão simples que chega a ser ridícula, basta ficar Sasuke, só isso. - Falou erguendo os ombros e balançando a cabeça.

- Eu não posso.

- Tá pra nascer alguém mais cabeça dura que você! Putz se seu filho… - Estalou a língua - Ou filha for assim que nem você eu não vou deixar eles namorarem com o meu nem a pau! - Dito isso cruzou os braços emburrado olhando para o lado com um bico nos lábios. - Eu fico louco com você! Sem brincadeira! - Ainda estava de cara virada falando com ele, mas ao mesmo tempo parecendo falar com outra pessoa - Toda vez tem alguma coisa que só você consegue compreender! Sempre existe um propósito maior que você só é capaz se for sozinho e pisar em quem você ama e te ama também! Você é um maldito sortudo de ter um amigo como eu pra tentar te acordar sempre! Eu tenho provado ter razão até agora dá pra me escutar dessa vez?! INFERNO! - Parou de olhos arregalados encarando o amigo - Eu vou ter que te bater de novo?!

- Para com isso - Disse sério. - Não é nada disso.

- Então o que?

- Realmente existe um propósito maior, eu deixei bem claras as minhas intenções em relação a manutenção da paz no mundo ninja, em especial para Konoha. Minha concepção de como um Hokage deve agir, como Itachi agiu… O esforço dele não pode ser jogado fora…

- Não está! Estamos todos nos esforçando! O mundo está em paz!

- Você não viu as mesmas coisas que eu nessa última missão?

- Vi, mas podemos cuidar disso juntos não acha?

- Podemos! - Sasuke agora projetava-se um pouco mais para frente para defender o seu ponto - E faremos isso! Não estou descartando ninguém! Mas, é necessário que alguém tome a frente e saia dos muros da vila para entrar nas sombras que é onde esse tanto de coisas está acontecendo! Eu não entrarei nas sombras eu serei elas! Eu sou elas! Sei muito bem que não sou mais o mesmo e entendi muito bem que não posso seguir meu caminho ninja sozinho, estou ciente de que existem outras pessoas que se importam comigo… sou totalmente consciente de você que é meu melhor amigo! Eu não esqueci da nossa briga e nem de nada que nos trouxe aqui e muito menos fecho meus olhos para o amor que tenho por ela! Tanto que pedi que ela viesse comigo! Um pedido egoísta como sempre… Sakura tem uma vida aqui, eu não estou pensando em deixar tudo para trás sem me importar com ela, por mim a levaria junto de mim a força, mas eu não posso fazer isso com ela. Mas… Ainda espero que aquele lado dela que é estranhamente louco por mim ainda tenha sobrevivido um pouco e que ela me dê uma resposta positiva.

- Você é terrível…

- Eu sei… - Bagunçou o cabelo com sua mão fechando os olhos - E você ainda acha que alguém como eu merece alguém como ela?

- Não - Naruto respondeu imediatamente - Eu acho que alguém como você merece ser feliz e se isso inclui a Sakura-chan, então, essa pessoa deveria lutar com tudo o que tem por isso ao invés de ir na direção contrária e forçar a pessoa que ama a ir junto.

- É como você disse, a solução é muito simples, mas eu tenho um dever.

Naruto ficou olhando para Sasuke por cerca de um minuto em silêncio até abrir a boca novamente.

- Olha… - Colocou os cotovelos sobre a mesa - Eu não vou mentir eu te entendo muito bem. Desde sempre. Toda a raiva que sentia antes e o que pretendia eu conseguia compreender, só achava que tinha feito do jeito errado. Poderia muito bem ser alguém forte sem ser pelos meio que procurou, sem achar que precisava se afastar de todos baseado nesse seu orgulho bobo. Agora, continuo te entendendo, sei muito bem o que quer fazer e admiro muito seu pensamento! Mas… Caramba, eu queria poder te ver finalmente bem, sem tanto peso nas costas…

Os dois ficaram em silêncio por um longo tempo, ambos perdidos em pensamentos profundos demais para a compreensão de alguém comum. Qualquer um que não tenha sentido o mesmo que eles ao longo da vida não poderia entender a profundidade que aquela conversa estava tendo. Não se limitava a Sasuke ir ou não.

- Você… Que está com Hinata, por um acaso se desfez do peso nas costas que tinha antes?

- Ele só cresce cada vez mais - Naruto sorriu de canto, cúmplice - Mas eu sempre busquei por ele, era isso que queria, carregar todas essas pessoas preciosas em minhas costas para que todo vivessem em paz, é uma preocupação que me agrada… Ainda mais aquelas pequenas que ainda estão por vir.

- Esse é o seu mal, quer que todos fiquem bem, mas nem sempre é possível. Eu sou como você Naruto, esse peso que está sobre seus ombros também está nos meus.

Os dois se olharam em um consentimento mútuo.

- Você acha que ela irá me esperar?

- Eu achava que ela não recusaria um pedido de casamento seu, eu não sei mais nada. Sakura-chan não é mais uma garotinha, ela também mudou.

- Chega de enrolação! - TenTen estava mais pra lá do que pra cá, as maçãs de seu rosto estavam coradas denunciando seu estado alcoolico muito alegre. - Eu quero saber que papo é esse!

- É! Conta logo! - Sakura estava para morrer de curiosidade apesar de seus problemas pessoais, pelo menos aquela reuniãozinha de garotas estava servindo para lhe distrair.

- Eu te juro que se não começar a falar eu vou jogar toda essa bebida na sua cara!

- Hetel! - Hinata tirou o copo da frente da esposa do Hokage assustada.

- Eu tô brincando menina! - As outras riram - Mas eu falo sério sobre deixar de enrolação.

- Ok - Ino que estava fazendo doce há um tempo limpou a garganta - Para que meu cabelo continue sem resíduos dessas bebidas asquerosas eu falarei.

- Finalmente! - TenTen ergueu seu copo e tomou um gole em comemoração.

- Então - Começou - Depois que aquela ave me pegou fui levada até o monte hokage… Cheguei lá toda descabelada, fiquei uma arara com ele! Obviamente já sabia que o Sai tinha me pegado, eu vinha evitando ele todos esses dias chateada com muita razão! Aí agora ele queria me forçar a falar com ele de uma forma ou de outra! Não demorou muito uma outra ave pousou ao lado da minha, ele saltou dela rapidinho e veio na minha direção, tentei sair de lá, mas ele veio rápido e me segurou.

~~~ - Ino…

- Sai me larga! - Olhei pra ele com muita raiva mesmo, mas aquela cara dele não vacila um segundo isso dá muita raiva!

- Eu queria te pedir desculpas.

- Não dava pra fazer isso como uma pessoa normal? Sem precisar me tratar como um saco de farinha, me jogar no lombo de uma coisa dessas e me trazer pra cá?!

- Eu tentei, mas você saia de perto sempre, não vi outra alternativa.

- Ok, você já pediu suas desculpas, agora me solta.

- Você não me respondeu.

Sério ele tava brincando com a minha paciência.

- Você foi um cretino Sai! Como acha que posso te perdoar pelo que me disse?

- Não era minha intenção.

- Não dá pra ver outra intenção em uma pessoa que diz que a outra é uma vagabunda que não seja machucá-la!

- Desculpa eu apenas li que era disso que se tratava e achei que deveria levantar os prós e os contras antes de te pedir em namoro.

- Antes de o que?!

Nessa hora eu tomei um susto! Como assim?! Ele ia me pedir em namoro naquele dia?! Eu fiquei um pouco feliz, senti alguns tufos de algodão doce começarem a se formar no meu estômago, mas fiquei ainda mais chateada de ele ter tanta dificuldade social a ponto de conseguir fazer uma besteira dessas com a garota que ele queria namorar! Eu não sabia exatamente o que pensar, de qualquer forma ainda estava com bastante raiva de ele ter me associado ao tipo de garota vagabunda. Poxa mesmo que não fosse intencional me machucar eu ficava bem triste de ele ver as características que ele leu sobre isso em mim. Tudo isso por causa desse povo maldoso que não perde a oportunidade de difamar uma garota belíssima como eu, acho pura inveja. Viu as outras concordarem com ela antes de continuar.

- Te trouxe aqui porque eu quero me redimir - A mão dele deslizou pelo meu braço até a minha mão - Vem comigo. ~~~

- Aí você foi né? - TenTen bateu de leve ou nem tanto assim com o ombro em Ino.

- Eu estava totalmente sem ação, eu fiquei um pouco surpresa com o pedido de namoro… Eu já tinha sido pedida antes, mas sempre de um jeito nada confiável. Naquele dia, bem, naquele dia tinha sido bem legal, mas ele tinha que estragar tudo!

- Você iria aceitar? - Sakura perguntou.

- Não me interrompam! Enfim, eu deixei que ele levasse, afinal também estava bem curiosa pra ver do que se tratava e fiquei chocada. Tinha um concavidade nas rochas, as paredes eram parcialmente cobertas por umas trepadeiras e elas estavam todas iluminadas com uns pontinhos de luz, eu achei que eram luzinhas, mas eram vagalumes!

- Como assim?! Ai que lindo! - Hetel já chacoalhava as mãos empolgada.

- Depois eu soube que ele tinha pedido ajuda pro Shino.

- Ele se esforçou mesmo hein? - Sakura estava surpresa de o seu aviso ter sido levado tão a sério, aquele esquisito gostava mesmo de Ino.

- Então… - Continuou - Também tinha uma mesa para dois - Ia falando pausadamente adorando as garotas de olhos arregalados para ela - Estava coberta por uma toalha branca que ia até o chão, em cima os pratos estavam perfeitamente arrumados, quando eu digo isso não quero dizer que apenas estavam colocados bonitinhos, era como se fosse um restaurante chique mesmo! - Todas fizeram um “O” com a boca - Os guardanapos estavam dobrados com perfeição e tinha um candelabro lindíssimo no meio…

- Ai que lindooo! - Hinata colocou as mãos sobre o peito encantada.

- É do clichê que a gente gosta! - Hetel falava com um sorriso no rosto - A gente sabe que é clássico, que várias já tiveram a oportunidade, mas ficamos desejando receber essa demonstração de carinho também. - Sorriu para todas, mas não se deu conta do sorriso fraquíssimo que Sakura exibiu diante daquelas palavras. Ter um relacionamento normal, era algo que ela queria com toda a exuberância e delicadeza da palavra.

- Eu fiquei chocada! - Os olhos azuis da garota brilhavam diferentes - Aí ele me soltou e andou na frente, foi até uma cadeira e quando eu vejo ele me mostra um buquê de rosas vermelhas magnífico!

- Ai que ótimo, dar flores pra dona de uma floricultura - TenTen revirou os olhos.

- Saiba que eu fiquei ainda mais chocada, acho que fiquei até de boca aberta. Eu nunca tinha recebido flores! Já tinha visto tantas pessoas irem comprar, ficava imaginando as histórias que estavam por trás daquelas aquisições e agora eu era uma delas!

- Não pensou que ele pode ter comprado em uma concorrente?

- Ai TenTen quando você bebe fica chata assim? - Sakura cutucou.

- Foi um gesto muito gentil da parte dele, se ele comprasse lá talvez Ino soubesse… - Hinata tentou explicar.

- Mas foi na floricultura da minha família eu reconheço aquela forma de fazer arranjo de longe - Jogou os cabelos pro lado convencida. - É o tipo mais caro.

- Sabia que ela ia reparar, vocês não conhecem essa coisa? - A garota de cabelos castanhos terminou tomando mais um gole.

- Tava uma brisa tão gostosinha, ele puxou a cadeira pra eu sentar, as flores estavam com a fragrância que eu amo… Eu estava me sentindo em um sonho, aí comecei a ficar com medo de acordar ou de ele estragar tudo aquilo, estilhaçar o vidro. Fiquei reparando no jeito inexpressivo dele, ele parecia mais duro e mecânico que o normal, isso foi me incomodando.

~~~ - Com fome? - Sai disse após sentar na cadeira a minha frente. Eu só fiz que sim ainda olhando pra ele meio desconfiada. Ele pregou a vista nas tampas redondas que estavam no centro da mesa, sabe? Aquelas de restaurante que o garçom levanta, super chique, eu tava adorando. Ele foi levantando bem devagar e gente, acho que eram os sushis mais lindos que já vi na vida… Não faz cara feia TenTen… Eram lindos, todos feitos com todo o cuidado do mundo, brilhavam de fresquinhos e pareciam terrivelmente deliciosos!

- Eu espero que você goste - Aí foi que eu notei algo, o jeito estranho dele… Sim mais que o comum… Era por ele estar morrendo de nervoso, nessa hora não deu, meu coração bateu mais rápido.

- Você fez?

- Sim - Ele disse suspirando - Eu li alguns livros e procurei algumas pessoas que pudessem me ensinar e tentei reproduzir, acho que estão perfeitos. - Ele olhou pra mim de um jeito que nem parecia ser o Sai - Eu queria que tudo fosse perfeito, não queria estragar tudo de novo, me desculpe pela ave, acho que errei nesse ponto - Ele franziu o cenho incomodado com isso e eu já estava toda derretida.

Juro, eu não consigo descrever como eu me senti, parece até que to passando por aquelas sensações de novo! Eu queria chorar, ao mesmo tempo queria rir, tinha umas borboletas na barriga, tava nervosa, ao mesmo tempo estava desinibida, estava feliz, mas queria bater nele e meu coração batia de um jeito doido…

- Antes de comer… Desculpa, sei que está com fome - Ele mal conseguia me olhar nos olhos - Vem aqui, eu tô ansioso pra te mostrar algo, agora que escureceu é o momento perfeito.

Ele levantou na minha frente e foi pra borda das pedras olhando pra cidade, eu engoli em seco e fui né. Tava com uma vontade louca de correr e abraçar ele por trás apertado até ele ficar sem ar, mas me controlei. Antes de chegar na beira eu já pude ver um brilho diferente na cidade, aquilo conseguiu segurar minha atenção e eu fui mais pra beira… Quando cheguei eu entendi o motivo das tintas dos leões na rua...

CASA COMIGO?

- Tava escrito na cidade com a tinta que brilhava com a luz da lua. ~~~

- INO ME DIZ QUE VOCÊ ACEITOU! - Hetel levantou batendo com as mãos na mesa - Ai menina isso tudo foi tão lindo que eu é quem quero casar com o Sai agora!

- Hetel-san! - Hinata puxava a roupa da mulher tentando fazer com que ela se sentasse rapidamente já que as pessoas estavam olhando.

~~~ - O que?! - Eu virei pra ele. O Sai sorriu sem graça, eu não sabia que ele seria capaz disso!

- Você aceita?

Eu virei um fogo de artifício, eu era uma explosão brilhosa eu… eu… eu… fui pra cima dele e abracei com a força que estava segurando desde que fui até ali, eu já chorava e ria alto ao mesmo tempo, a mão dele tocou a pele das minhas costas, eu senti um arrepio tão gostoso!

- PIROU GAROTO?! CLARO QUE NÃO!

~~~ - Ok, eu vou te bater - Hetel levantou novamente, mas as garotas seguraram e Ino não parava de rir.

- A gente mal começou pra que pressa?… Bem… Agora estamos namorando! - Sorriu largo batendo palminhas, ela realmente estava explodindo de felicidade.

- Quem diria o Sai… - TenTen reconhecia.

- Não é? Revelação! E eu achava que Sasuke e Sakura terem dado certo tinha sido o fim das surpresas por esse ano - Hinata admitiu. Estava tentando puxar o assunto pra ver se Sakura falava sobre seu noivado.

- Quanta coisa! Shikamaru e Temari noivos! Sasuke e Sakura juntos! Não demora muito noivos eu espero… e eu… pelo visto encontrei o cara que eu queria! - Ino exultou olhando nos olhos da melhor amiga que tentava devolver a expressão animada, lembrava da conversa de dias atrás o tipo de cara que ela sonhava, um que fizesse de tudo para lhe agradar… Mais uma vez a vida mostrou que escrevia certo por linhas tortas. A rosada achava que o seu “certo” já havia chegado, mas parecia cada vez mais torto.

- Eu serei uma boa tia para os filhos de vocês! Prometo!

- Não diga isso! Vai dar tudo certo pra você.

- Impossível Hetel - TenTen deu um sorriso bêbado - Ele morreu lembra?

O clima de alegria da mesa sumiu, os sorrisos morreram e é a expressão de dor tomou a face de todas.

- Desculpa.

- Não querida, nós entendemos - carinhosamente Hetel esticou-se um pouco e pegou a mão da garota.

- Hinata… - Sakura passou o braço pelas costas da amiga - Tudo bem?

- Não faz essa cara - A voz de TenTen estava embargada agora também pelo choro - Ele cumpriu a missão dele, tenho certeza que ele onde estiver não se arrepende da decisão que tomou, eu fico imensamente feliz de ver você… vocês - Abria o coração para as outras - se realizando, eu fico feliz de não ter demorado tanto quanto vocês - O riso na verdade foi um soluço contido. - Se eu ficasse de mimimi o tanto que vocês, meu choro não seria de saudade e sim de arrependimento.

- Tem toda razão menina - Hetel apertou a mão da garota tentando passar energia positiva - Você pode lembrar dos bons momentos não é mesmo? Não é peso na consciência, não é arrependimento, infelizmente essa saudade maldita vai ficar, mas se agarre nessas lembranças tão doces que ele te deixou.

- Por que não assumiram? - Ino enxugava as lágrimas.

- As coisas foram se tornando uma bola de neve - Deu de ombros com duas pequenas cachoeiras nos olhos - Isso não importa, eu e ele sabíamos - Olhou pra cima triste respirando fundo - Ele era tão aconchegante, acreditem, daquele jeito indiferente dele, ele se tornava alguém completamente carinhoso.

- Eu acredito - Sakura falou por impulso, as outras olharam para ela sem ligar os pontos daquela informação.

- Ai, já chega… Eu bebi demais…

- Você precisa descansar - Hinata disse levantando-se em direção a morena.

- Me façam um favor - TenTen se ajeitava apoiada em Hinata - Aproveitem muito ok? NAMOREM MUUUITO! NÃO SE ARREPENDAM DE NADA! - Os outros olhavam curiosos, mas elas não davam a mínima.

- SIM SENHORA! - Ino fez graça levantando também com cara de determinação e lágrimas nos olhos.

As outras riram da cena vendo as duas se afastarem, o choro de TenTen aumentou quando abraçou a Hyuuga andando para longe das outras. Aquelas duas conseguiam entender um pouco da dor da outra por causa daquela pessoa que passou por suas vidas de maneira inesquecível.

Quando as coisas podem se tornar tarde demais? Na maioria das vezes as coisas são arrastadas por muito tempo e nos acostumamos com isso. É comum estar sempre esperando, é normal sempre sofrer de ansiedade, está tudo bem estar só, você vai ficar bem assim mesmo, esteve até agora não é? É bom pensar em apenas ir andando pra frente, assim mesmo. Fingir que não liga e vai esquecer como se fosse um floco de neve sob um sol quente, mas na verdade é um iceberg que exibe somente a ponta e os problemas são muitos maiores em baixo. Você passa a achar que é assim mesmo, pensa muito, de verdade, em como as coisas poderiam ser melhores e acha estranho a imaginação de como deve ser estar bem, mas já está programado pra aceitar, veja bem, não é concordar, mas aceitar que as coisas são assim mesmo. E assim vai…

Mas em algum momento tudo isso não pode ser tarde demais pra ser revertido?

Era assim que estava, assim que esteve. A ferida estava fechada por fora, aos olhos de todos era plenamente capaz de fazer o que quisesse, mas somente ela sabia que por dentro ainda estava tudo rasgado apesar de exibir um sorriso.

Apesar de já conviver dessa forma consigo mesma, quando tudo finalmente fica bem, o céu se abre, o sol brilha e a ferida começa a dar uma coceirinha gostosinha em aviso de que está sarando, você rapidamente se acostuma em estar bem. Afinal era pra estarmos sempre assim não é? Bem. Fomos feitos pra isso, não pra tristeza, dores e separações, mas para sorrir, viver e abraçar. Você já sabe muito bem como era antes, mas quando alguém bate na ferida ela abre de uma forma brutal e sangra de maneira difícil de estancar, dói muito mais. É terrível voltar pra lá, você não quer, se recusa, não! NÃO É POSSÍVEL QUE TUDO ESTEJA ASSIM NOVAMENTE!

É melhor não se dar mais ao trabalho de querer ficar bem… Machuca menos conviver com uma ferida fechada superficialmente do que tê-la aberta de novo, de novo e de novo.

Sakura parou de pés juntos sentindo a brisa da noite passar pelos seus cabelos, olhava para seus pés com os braços juntos ao seu corpo como um soldadinho cabisbaixo. Sentia aquele maldito calor nervoso dentro de si, não conseguia evitar que ele queimasse. Não era gostoso, não como um refúgio para o frio da noite, ele ardia, doía, mas ela sabia que fazia parte do doloroso processo de cauterização da ferida, assim, ela fecharia, pelo menos por cima, bem mais rápido. Sabia exatamente onde ele estava e que erguer a cabeça faria aquilo tudo doer ainda mais, mas a dor já era velha conhecida, apesar de por breves momentos esquecida.

Lentamente seus olhos verdes foram subindo do chão para a direção da árvore que farfalhava tranquila do outro lado da rua de seu prédio. Aquele mesmo maldito lugar onde um dia ela achou que teria alta. Lá estava tudo escuro, não era possível ver nada e nem ela tinha nenhum tipo de poder ocular para poder ver, mas sabia que estava ali. Ficou olhando fixamente de cenho franzido até que depois de alguns segundos aos poucos uma silhueta foi se formando vindo em direção a fraca iluminação da rua. Se ele estivesse com o sharingan ativado, como fazia quando realmente queria fazer alguém se borrar de medo, seria possível vê-lo desde quando estava parado, provavelmente encostado no tronco da árvore.

O olhar dele não era diferente do dela: sério de cenho franzido. Sasuke não avançou demais, parou a metros de distância dela e observou. Viu aos poucos o franzido da testa quase translúcida de Sakura aumentar, suas sobrancelhas juntarem-se além da forma que costumava apreciar, quando estava concentrada em algum procedimento médico, seus olhos verdes passavam a ser exibidos sem tanto espaço e seus lábios esconderam-se tentando conter o que seu cérebro não conseguia. A primeira lágrima surgiu como uma pérola, mas devagar não se manteve dessa forma e passou a trilhar o caminho em direção ao seu queixo, o traçado que outras começaram a seguir continuamente. Porém, a face dela carregava aquela mesma expressão.

Engoliu em seco.

Deu o primeiro passo, o segundo vendo que ela não se movia nem um centímetro, terceiro, quarto, o quinto e ao mesmo tempo que levantava a perna para o sexto, ergueu o braço com muita segurança. Olhava diretamente para ela, sem quebrar nem por um segundo aquele contato. Seus dedos sentiram novamente o leve calor do rosto macio de Sakura deslizando em seguida pelo pequeno rosto até que sua palma descansasse em sua bochecha enquanto os dedos entrelaçavam-se pelo já tão bem conhecido caminho entre seus fios de cabelo cor de rosa de cheiro tão aconchegante. Era tudo o que queria fazer e por Deus que ela não o afastasse. Inclinou-se como em câmera lenta para finalmente tocar os lábios que desejava.

Estavam com gosto de lágrima, lhe pareceu como um veneno naquele instante. Não sentia seus membros, sua capacidade de pensamento se esvaía gradativamente, apenas tomava consciência dos batimentos de seu coração. Assim que era morrer? Era dessa forma que se sentia? Já tinha passado por isso uma vez com Naruto e lembrava de um filme passar por sua cabeça ao invés de apagar por completo, mas naquele momento estava tudo escuro.

Não.

Aquilo não era como morrer.

Era como recomeçar.

Como a explosão de um motor no momento de uma ignição, Sasuke abriu os olhos e ergueu a cabeça para varanda do apartamento de Sakura. Levou-os em um segundo até ali, em seguida pelo vidro olhou para dentro e em um instante já estavam lá dentro. Longe do frio e de qualquer olhar, presos em um mundo construído só pelos olhos que se chocavam.

- Agora, é a próxima vez. - Disse calmo, cheio de significado.

Ainda de braços colados em seu lados ela fechou os punhos.

- Por que sempre sou eu quem tem que largar tudo? - Aquela mesma expressão estampada em seu rosto, mas as lágrimas se renovavam a cada segundo. Ela parecia tão pequena e mortífera.

- Eu nunca permiti que largasse tudo por mim. - Sakura abriu a boca, mas ele continuou - Você nunca teve nada a ver com nenhum erro meu. Nem quando fui embora a primeira vez, sabendo que aquilo seria muito mal e nem quando saí para pagar por essa escolha. Você nunca teve parte em nada disso e nem deveria passar por nem um segundo dessas coisas.

- Então - Sua fala era mais um gemido de dor - Por que…?

- Porque você é parte fundamental do meu recomeço.

Os olhos dela se arregalaram. Seu corpo todo tremia, as pernas a mantinham em pé de forma inexplicável.

- Eu te peço - Sua face serena olhava para ela com toda sinceridade que conseguia reunir em seu coração - Eu imploro - Esperava que esse fosse o jeito de fazer aquilo - Não quero destruir tudo o que você construiu - Mais uma vez sua mão se erguia em direção a ela - Mas admito que estou sendo egoísta - Sua mão virava lentamente até ficar com a palma para cima - Em querer que você faça parte do meu sonho. - Em sua palma um aro  de ouro delicado brilhava, não era o mesmo de dias atrás - Até aqui construí ruínas, agora quero construir um clã.

.

.

.

.

.

O mundo estava em silêncio.

.

.

.

.

.

Nem mesmo o vento fazia qualquer som do lado de fora, se fazia, era indiferente.

Sakura olhava para a palma da mão de Sasuke sem qualquer reação, suas habilidades cognitivas tinham entrado em pane, mas um ruído no meio de todo aquele silêncio lhe despertou do transe. A boca dele havia se movido, não tinha conseguido compreender logo de cara, mas ao poucos seu cérebro foi lhe dando a informação necessária.

- Vem comigo, Uchiha Sakura.


Notas Finais


Não consigo dizer nada. Até o último capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...