História If You - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias NU'EST
Personagens Aron, Baekho, Jason, Jr, Minhyun, Ren
Tags Amizade, Aron, Baekho, Fluffy, If You, Jason, Menção Jren, Minhyun, Nu'est, Nuest Crianças, Nu'est W, Nu'est-m, Ren, Srachoiren
Visualizações 10
Palavras 2.099
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem, voltei.
Apenas ressaltando que isso tudo era uma one shot que precisou ser dividida, por isso ela pode parecer confusa.
Esse capítulo explica bem mais o sentido da fic.
Espero que gostem!

Capítulo 2 - Ela sempre mostra o Norte, mas só nós sabemos nosso destino


Seoul/2006

-Aqui, Aron-hyung - JR estendia um pequeno pacote para o aniversariante - feliz aniversário.

Quando Aron abriu, mal acreditou.

-Nossa! Você ainda tem essa coisa?

-Eu tinha... Agora ela é sua.

O garoto que agora fazia 13 anos balançava a bússola na sua frente, lembrando-se de quando corriam naquele parque quatro anos atrás.

-Você é um adolescente agora, hyung - JR continuou - isso é pra te lembrar de sempre ir na direção certa. Não desviar dos seus objetivos. Seguir em frente, mesmo quando as coisas forem difíceis.

-Uau. Profundo - Aron suspirou - obrigado, JR!

Aron pendurou a bússola no pescoço, a mesma estava presa por um cordão de prata. Ren, BaekHo e MinHyun também ficaram surpresos ao ver que tal objeto permanecia conservado, que JR o havia guardado muito bem. Passaram a festa inteira sentados em uma mesa redonda, lembrando da infância boa que tiveram juntos e zoando o amigo que agora entrava na adolescência. Quando todos se foram e a festa acabou, Aron tomou um banho e foi para seAronêto, pendurando a bússola perto da sua prateleira de livros e prometendo cuidar daquele objeto tão bem quanto JR.

---

Seoul/2010

-Alô Ren? To ligando pra confirmar o parque hoje, te busco às 19 mesmo?

-Ah, oi Aron... Na verdade eu não vou hoje, eu... Tenho um trabalho de matemática pra fazer. Mas divirtam-se ok?

-Tem certeza?

-Claro. Eu juro que a próxima vez eu vou.

-Ok então. Até segunda.

-Até.

Ren não tinha nenhum trabalho para entregar na segunda, mas o que ele também não tinha era vontade e animação para sair de casa naquela noite. Naquele momento ele só queria alguém para abraçar, mas ao mesmo tempo não queria estragar a noite divertida que seus amigos teriam. Passaram-se quarenta minutos quando ouviu sua mãe batendo na porta do quarto, avisando que alguém queria vê-lo.

-Quem é, omma?

-É o Aron, filho.

Ren suspirou, abrindo a porta e deixando que o amigo mais velho entrasse.

-Quer alguma coisa, Aron? Um café, uns biscoitos?

-Não, obrigado - o menor respondeu com um sorriso - só vou tratar de um assunto rápido - completou, fechando a porta assim que sra Choi virou as costas.

-O que houve? - perguntou o mais novo.

-Eu é que te pergunto, maknae. Desembucha, o que aconteceu?

-Nada. Sério, não aconteceu nada.

-Choi MinKi - Ren suspirou ao ouvir o mais velho lhe chamar pelo nome completo - você não consegue me enganar nem pelo telefone, muito menos pessoalmente. Vem, senta aqui e me conta tudo - Aron sentou-se na cama do mais novo, que fez o mesmo.

-Tudo bem. Aron, eu acho que estou apaixonado...

-E por que fala como se fosse ruim?

-É que... - suspirou - eu acho que to apaixonado pelo JR. Eu não sei explicar, mas... Eu me sinto tão diferente perto dele. Não é como quando estou com você ou com o Baekkie. Com ele parece que meu coração acelera de um jeito diferente. Minha respiração muda e até meu jeito de falar. Eu estava na casa dele essa semana e fiquei observando ele com outros olhos. O jeito que a franja dele cai na testa com aquelas mechas vermelhas, o jeito que os olhos dele brilham quando está lendo, e o sorriso dele - suspirou - ele tem um sorriso tão perfeito. Ai, hyung, me ajuda, eu não sei o que eu faço. Isso é tão errado!

-Errado? - o mais velho perguntou confuso.

-Claro que é. Eu cresci ouvindo que isso é abominação. Cresci ouvindo os princípios de homem e mulher. E de repente me pego atraído por um dos meus melhores amigos. Aron, eu estou tão perdido.

-Vem aqui - Aron esticou os braços para acolher o amigo em um abraço bem aconchegante. Por fim, pôs a mão no bolso e balançou o objeto entre os dedos, ainda preso pelo cordão de prata - você se lembra disso?

O maior arregalou os olhos.

-A bússola! Nossa, Aron, quanto tempo faz? Quase dez anos né?

-Por aí. Ficou anos nas mãos do JR e agora nas minhas. Eu to sempre com ela não sei porquê - riu.

-E por que resolveu me mostrar isso agora?

-É o seguinte. Olhe para agulha. Ela sempre aponta pro Norte, certo?

-Certo.

-Ela aponta sempre pra lá, como se nos dissesse que aquele é o caminho. A agulha nunca se desvia nem muda de sentido. Sempre na mesma direção, como se nos obrigasse a seguir o que ela diz.

-E?

-E... Que se a gente estiver em uma rua e for sempre para o Norte, uma hora a rua vai acabar. Vamos dar de cara com um muro ou algo do tipo e vamos ter que parar de seguir. Mas o tempo vai continuar passando e a gente precisa tocar nossa vida, então podemos virar para a esquerda ou para a direita.

-Não estou entendendo...

-Maknae... Se ficarmos sempre andando para a frente não vamos muito longe. Temos que virar, mudar o sentido. Não quer dizer que você esteja fazendo o caminho errado, você apenas precisa ir por outro ponto de vista. Sempre vai haver uma curva, para a esquerda ou para a direita e por mais que a bússola aponte para a frente, você não pode ir sempre pra lá ou então vai dar de cara no muro. Você precisa seguir o próprio caminho, o caminho que seu coração mandar você seguir, independente do que a bússola diz.

-Nossa... Eu nunca tinha pensado nisso. Você é demais, hyung! Obrigado, de verdade. - Ren deu um abraço forte no amigo, que retribuiu - você é o melhor. Eu te amo, tá?

-Eu também, maknae. E então, vamos ao parque?

-Quer saber? Vamos sim! Me espera tomar um banho?

-Claro. Vou falar com os outros.

-Eu volto logo - Ren gritou já indo para o banheiro.

Enquanto o mais novo estava no banho, Aron foi até a cômoda do mesmo, que além das gavetas continha um espelho, seus CDs e alguns porta retratos. Aron pegou a bússola e pendurou na pontinha do quadro que continha uma foto de Ren ao lado de JR. Estava na hora de passar aquele presente para outras mãos.

----

Seoul/2013

-Com licença... - os cinco amigos encararam o garoto de cabelos vermelhos e sotaque estranho - estar ocupada essa cadeira?

-Não - respondeu JR - sente-se conosco. Você não é coreano, é?

-Não - o jovem disse, sentando-se - eu ser Chinês. Aluno de intercâmbio. Me chamar Fu Long Fei, mas pode me chamar de Jason.

-É um prazer, Jason. Eu sou JongHyun mas todos me chamam de Junior. Esse do seu lado é o Aron, aquele é o BaekHo, esse aqui é o MinHyun e esse aqui é o Minki.

-Minki? - o chinês olhou confuso para o maknae.

-Pode me chamar de Ren - respondeu o mais novo.

-Você ser garoto? De longe eu achei ser garota - comentou e viu o vermelho das bochechas de Ren - desculpe, eu não querer...

-Tudo bem - o maknae riu - todo mundo acha isso mesmo, eu não me importo - completou dando uma risada de leve - que faculdade está fazendo, Jason?

-Estou a cursar cinema - o chinês respondeu - fiz uma prova para a Coréia e outra para a França, mas só passei para essa. Vou ficar um ano e meio aqui. E quanto à vocês?

-Eu faço Literatura japonesa - respondeu MinHyun.

-Jornalismo - respondeu Aron.

-E nós três fazemos música - disse BaekHo por fim.

-Que legal! Cursos muito bacanas! Vocês parecem ser legais - comentou o chinês.

-Só parecemos mesmo, no fundo somos um bando de retardados - Aron comentou, rindo.

-Hyung! Vai assustar o garoto assim - BaekHo repreendeu em tom irônico - não liga pra ele, Jason, somos pessoas bem legais, tá?

Os meses foram se passando e Jason estava sendo muito bem acolhido não só pelos cinco, mas pela universidade em geral. Haviam outros alunos de intercâmbio da China, mas Jason não podia manter muito contato com eles, pois precisava se familiarizar com o coreano. Jason era mais velho do que todos - inclusive Aron - mas se tornou uma companhia bem divertida.

Mas já faziam algumas semanas que o clima estava estranho entre o grupo e até mesmo o chinês notava essa diferença. BaekHo estava afastado, não saía mais depois das aulas e sempre dava uma desculpa como um trabalho difícil pra fazer - o que ficava evidente que era falso, já que JR e Ren conheciam sua grade.

-Então vem aqui em casa, vamos assistir um filme ou algo assim - MinKi dizia ao telefone.

-Ah, não sei... - o mais velho soava desanimado.

-Eu vou ter que ir te puxar pelos cabelos Kang DongHo?

-Aish, não diz meu nome completo, me dá nervoso!

-Então trate de vir senão eu vou até aí - o mais novo soava autoritário, o que era até engraçado.

-Ok, maknae. Eu chego aí em uma hora, ok?

-Ok.

***

-E então, vai me contar o que está acontecendo ou vamos continuar fingindo que você está bem? - Ren foi bem direto quando o mais velho entrou em seu quarto.

-Nossa... Calma, eu...

-Calma nada, eu estou preocupado, inferno - praguejou o mais novo - eu sei que tem algo acontecendo, BaekHo. Somos amigos desde que nascemos, não só eu mas todos os outros sabem que alguma coisa não está bem. Confia em mim, me diga, por favor.

-Eles pediram pra você falar comigo?

-Não. Na verdade o JR queria falar, aí o Aron se ofereceu mas por fim eu tomei à frente. Você vai me contar?

-Tudo bem. Eu falo.

O mais velho falou sem parar sobre tudo que estava lhe incomodando, sentia-se tirando um peso do coração. Ren era um ótimo ouvinte, escutando tudo em silêncio e esperando a hora certa de falar e aconselhar. BaekHo se sentia pressionado em relação aos estudos. Nunca se achava bom o suficiente e chegou a ter dúvidas se música era realmente o que ele queria. Sentia-se inferior, como se tudo que fizesse fosse inútil e além disso estava temendo o futuro.

-Desculpa eu não ter falado nada antes e ainda por cima me afastar... Eu só não queria parecer fraco. E todos estão tão felizes, principalmente o Jason. Imagina parecer um bebê chorão quando a gente praticamente acabou de se conhecer...

-Você não é um bebê chorão, não fica assim. Eu entendo seus motivos pra preferir ficar quieto, mas que bom que finalmente se abriu. É normal se sentir pressionado e confuso. Não lembra como foi quando eu comecei a namorar o Jonghyunnie?

-Mas é diferente. Você estava correndo o risco de ser rejeitado pela sua família, além da sociedade e seus preconceitos. Era difícil se assumir, meu problema parece besta perto do que você passou.

-Não existe problema maior que o outro, Baekkie - o mais novo disse - cada um tem um limite e cada um sabe até onde vai.

-O que você acha que eu devo fazer?

Ren suspirou. Pensou no que ele próprio faria se estivesse na mesma situação, mas acabou concluindo que ele tinha uma maneira de pensar um pouco diferente dele. Não caberia à ele tomar uma decisão pelo mais velho, que possa fazer o mesmo se arrepender depois.

-BaekHo... Você lembra disso aqui? - o mais novo pegou a bússola, que ainda estava no mesmo porta retrato que Aron havia deixado anos atrás.

-Isso é...?

-Exatamente. Aquela mesma bússola do parque. Perceba como ela sempre aponta para o Norte. Por mais que às vezes tenhamos que seguir para Leste ou Oeste. E por mais que tentemos fazer a agulha mudar de direção. Ela está sempre no Norte, certo?

-Ela foi programada para isso, MinKi.

-Exato. Não é tão diferente com a gente. Olha, durante a vida às vezes temos que mudar um pouco nosso caminho, tomar outra direção, mas o destino continua o mesmo. O destino é a felicidade, é aquilo que vai nos fazer bem. E às vezes uma coisa faz bem e outras vezes ela não faz tão bem assim e vamos buscar outra coisa que nos faz bem. Mas lá no fundo, nosso destino é estar bem, certo?

-Acho que sim - o mais velho respondeu tentando assimilar aquelas palavras.

-E só quem sabe o que nos faz bem somos nós mesmos. Não adianta outra pessoa tentar ditar o nosso caminho, por melhor que ela nos conheça. Assim como não adianta a gente tentar mexer o ponteiro dela. Ela sabe pra onde tem que apontar, e nós sabemos para onde devemos ir.

BaekHo refletiu, tomando o objeto em suas mãos. Resolveu por fim que iria parar um pouco. Desacelerar seu ritmo até descobrir o que realmente queria.

-Não ceda à pressão dos outros, ok? - disse o mais novo - você sabe seu tempo e os seus limites. 

-Obrigado, maknae - o mais velho agradeceu com um sorriso.

Os dois passaram o dia todo juntos. Sem falar em aulas, responsabilidades, nada disso. Resolveram tirar um dia apenas para si, se libertando de qualquer pressão. BaekHo precisava daquilo. E felizmente tinha o melhor amigo ao seu lado.


Notas Finais


Ai, eu amo tanto isso❤ a bússola passando pra todos e ensinando pra cada um uma coisa diferente❤❤
Pra quem é novo(a) no fandom: a bússola é o logo oficial deles.
Eu falei que seria uma fic cheia de metáforas né kkkkk
E teve o Jason também ❤ embora poucos se lembrem dele, ele também fez parte da história do nu'est, então nada mais justo do que incluir isso.
Eu amei tanto escrever essa fic, nem sei explicar (pra ser sincera eu ainda to escrevendo, mas falta pouco kkk)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...