História If you can still smile, that's spice. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Bakugo Katsuki, Midoriya Izuku
Tags Bakudeku, Bakugou Katsuki, Bnha, Boku No Hero Academia, Bottom Kacchan, Deku, Dekukatsu, Kacchan, Katsudeku, Mha, Midoriya Izuku, My Hero Academia, Yaoi
Visualizações 323
Palavras 7.691
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Super Power, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, olha eu aparecendo aqui do além. Dessa vez com uma fanfic de KatsuDeku porque estou muito na hype de Boku no hero academia! Bem, eu quero avisar que essa fanfic contem SPOILERS!!!!! São spoilers do manga, que se passa entre os capitulos 117~121, sendo visto do ponto de vista do Kacchan e não do Deku. As frases que são do manga estão em negrito nos diálogos. Bem, espero que vocês gostem! Nos vemos nas notas finais. ^-^

Foto da capa do capitulo: konbu3 @ twitter

Capítulo 1 - I'm unable to even express myself.


Fanfic / Fanfiction If you can still smile, that's spice. - Capítulo 1 - I'm unable to even express myself.

Lidar com sentimentos nunca foi seu ponto forte. Essa coisa abstrata, fora da lógica, que muitas vezes ficava fora de controle era algo que Bakugou odiava, mesmo que ódio também fosse um sentimento. Raiva, ódio e nervosismo eram os únicos sentimentos que ele parecia ter algum controle, era algo que sentia tanto que não era difícil de expressar. Todos sempre sabiam quando o loiro estava nervoso e claro, isso nem sempre trazia alguma coisa boa e por isso ele sempre ficava tenso. Só conseguia demonstrar as coisas através disso. Por que as pessoas tinham que julga-lo mal? Irritantes, eram todos irritantes.

Felizmente, agora no colegial ninguém naquela escola de heróis tinha medo dele. Tinham alguns olhares atravessados, algumas palavras de repreensão e ele era zoado algumas vezes, mas nenhum deles tentava de fato se afastar. Eles eram fortes e Katsuki pela primeira vez na vida conseguiu perceber que ele não era tudo que seu orgulho lhe fazia pensar que ele era. Isso o fez querer crescer, o fez querer mudar... Mas de alguma forma sentia que não estava evoluindo.

Ele observou como o garoto de cabelo bicolor, antes tão excluído e vazio, estava agora interagindo com varias pessoas da classe e se divertia com o grupo de seu conhecido de infância. O loiro observou a mudança que Todoroki tivera em tão pouco tempo e se perguntava: Por que ele sempre era melhor? O que Todoroki tinha que lhe faltava? Eles estavam sempre rindo, se divertindo e principalmente: Ficando mais fortes. Tanto Todoroki, quanto Deku, quanto aquela garota Uraraka... Até mesmo IIda estava diferente depois de passarem tanto tempo com Midoriya e aquilo deixava Bakugou muito nervoso.

Midoriya Izuku... Ele estava sempre envolvido nas memórias e frustrações de Bakugou. Sejam elas boas ou ruins. Ele sempre estava ali. Nas memórias da infância enquanto brincavam juntos no jardim. Na lembrança do dia em que descobriu sobre sua individualidade. Nos dias em que brincavam de explorar a floresta. No dia em que caiu daquele tronco de arvore. Nas lembranças da escola. No dia em que foi atacado por um vilão. No dia da prova para entrar no ensino médio. No dia em que ficou em primeiro no festival desportivo, ele estava lá, torcendo para o maldito do Todoroki. No dia em que foi sequestrado pela liga dos vilões. E principalmente: No dia em que foi salvo do sequestro, que também foi o dia em que ele mesmo destruiu seu maior herói, All Might. Assim como no dia em que teve sua carteirinha provisória de herói recusada. Sempre, Deku sempre estava lá. Sendo chamado para isso ou não, ele sempre estava lá. E isso era irritante.

Recentemente, ele não conseguia ficar perto daquele garoto. Toda vez que o via, a raiva lhe consumia e queria arrebentar aquele maldito sorriso com suas explosões. Aquilo tudo era sufocante. Ele não conseguia aguentar mais.

Já faziam algumas semanas que todos da classe 1-A estavam morando juntos nos dormitórios. E haviam acabado de voltar da viagem com relação a suas carteirinhas provisórias de heróis. Todos estavam muito empolgados olhando aquele pedaço de plástico, com exceção de duas pessoas, ninguém menos que os dois melhores alunos da classe: Bakugou Katsuki e Todoroki Shoto. O de cabelo bicolor estava sentado em um canto do sofá, observando a animação de todos com seu rosto indiferente como sempre, mas ele parecia feliz de certa forma. Enquanto o de cabelos loiros rebeldes estava em um silencio perturbador. Ele estava irritado, já com tantas coisas, e não queria ficar perto daqueles idiotas.

Ele foi até a cozinha pegar um pouco de água antes que começasse a se exaltar e explodisse aquela sala inteira. E enquanto se aproximava do cômodo, ele acabou ouvindo uma conversa que não deveria.

- Você gosta dele, não gosta, Uraraka-san?

- E-E-EHHHHHH? C-Claro que não! Por que você insiste nisso, Aoyama-kun?

- Sabe, você deveria falar isso pra ele. Vocês passam bastante tempo juntos, o amor faz parte da juventude, eu acho que vocês fariam un beau couple~

- Ah... Você deveria parar de insistir nisso.... – A voz da garota estava trêmula. Ela com certeza estava com aquele rosto redondo vermelho.

- O que você sente quando está perto dele, mademoiselle?

- Hm...Quando estou perto do Deku-kun? – O silêncio durou alguns segundos. Ela provavelmente estava analisando o que sentia.  – Eu gosto da presença dele... Estar com ele é encorajador. Ele é forte, mais do que ele mesmo pensa ser... Ele não desiste, continua sempre correndo atrás do que ele acredita. Mesmo quando ele perde, ele se levanta e tenta de novo e de novo. Isso é incrível, não acha? – Ela tinha um sorriso no rosto enquanto seu olhar estava perdido ao longe. – Eu quero ser como ele. Não, eu quero ser mais incrível que ele! Eu quero ser digna de estar ao seu lado, ser forte como ele. Deku-kun é incrível, eu acho isso desde o primeiro dia em que eu o vi. Meu coração bate mais forte algumas vezes quando estou perto dele, meu rosto também fica vermelho... As vezes sinto que vou desmaiar, mas quando vejo suas costas correndo em direção ao que ele deseja... Isso me dá forças e me faz querer correr ao seu lado. – Agora ela sorria para o loiro que adorava misturar o japonês com o francês. Claro que Bakugou não podia ver isso, ele estava encostado na parede do corredor. Mas apenas ouvindo aquela conversa quieto ele conseguia imaginar ela sorrindo.  – Isso... Isso é amor, Aoyama-kun?

- Isso é você quem tem que descobrir sozinha, mademoiselle. Mas eu acredito que esse seja um sentimento muito bonito. 

Após ouvir aquilo, Bakugou saiu pisando forte para seu quarto. Ele entrou e fechou a porta, escorregando por ela e se sentando no chão, apoiando as mãos em seu cabelo. Sentia seu coração apertado e estava hiperventilando agora. Amor? Aquela imbecil de rosto redondo gosta do Deku? Por que ouvir aquilo doeu tanto? Por que diabos aquele maldito nerd sempre estava se distanciando dele? Os sentimentos do loiro começavam a ficar uma bagunça.

Midoriya sempre estava o subestimando. Desde crianças. Desde aquele maldito dia em que caiu daquele tronco de arvore. Depois ele também o venceu na primeira batalha que tiveram. Depois, ele não foi digno suficiente para que Todoroki usasse seu lado de fogo, porém Deku foi. Depois ele o ajudou a completar aquela luta contra All might. Depois ele avisou a todos que os vilões queriam era capturar Bakugou Katsuki. Depois estava lá com Kirishima para lhe salvar. Agora ele estava fazendo outros amigos. Amigos que enxergavam o quanto aquele nerd imbecil era incrível. Amigos que iriam defendê-lo a todo custo. Aquilo era sufocante... Pensar que um dia Deku não estaria mais ali... Aquilo era...  Assustador?

Sua mente ficou uma bagunça. Ele voltou a pensar em algo que já faziam alguns dias que ele tentava não pensar. Ele destruiu All Migth. Se ele tivesse sido mais forte... Se ele tivesse sido mais forte as coisas teriam sido diferentes. Talvez se ele não evitasse tanto os seus sentimentos, as coisas teriam sido diferentes... Se ele não estivesse sempre fugindo de Midoriya, talvez... Talvez ele não tivesse arruinado tudo?

Os olhos de Bakugou se arregalaram e ele encarou o nada por alguns segundos, pensando nas palavras que Uraraka havia dito e quando ela disse que aquilo poderia ser amor. O rosto do loiro ficou vermelho e sua mente parecia quebrar. Ele não poderia amar Midoriya. Aquilo era nojento. Eles eram garotos. Não tinha como isso dar certo. O garoto explosivo não estava bem mentalmente, a culpa por ter destruído seu ídolo o consumia e agora os pensamentos de Deku lhe odiando também estavam lhe consumindo. Imaginava o garoto de cabelos verdes o encarando e pensando como ele era nojento, enquanto ria da sua cara e saía andando com aquela maldita de cara redonda, vivendo um romance maravilhoso.  Porque é claro que eles iriam ficar juntos, Izuku não teria motivos para recusar caso ela se declarasse para ele. Ele era simples e aquela garota era incrivelmente forte e fantástica. Midoriya iria ficar feliz por saber que ela o amava... O achava incrível... E ela iria levar Deku para longe de si. Deku iria embora. Deku é hétero. Deku vai me odiar. Deku... Deku.... Deku...

- Quem você pensa que é para me subestimar, seu nerd de merda...? Por que é sempre você...?  - Katsuki abaixou a cabeça e sua mente ficou em branco.

Ele saiu do quarto, desceu as escadas e caminhou até a sala, vendo que todos ainda comentavam felizes sobre aquele maldito pedaço de plástico. Ao avistar Midoriya, o loiro passou ao lado e o chamou.

- Ei! Deku. Vá lá fora depois. É sobre sua individualidade. – Ele sussurrou e então sumiu do olhar de Izuku.

Midoriya ficou angustiado com aquilo. Assim que todos dormiram, ele fez o que lhe foi dito e caminhou até o lado de fora, procurando por Bakugou. Assim que o encontrou, o loiro saiu andando e então o menor o seguiu.

- Ei, Kacchan... Onde você ta indo? A gente não pode ficar andando por aí no meio da noite...

- .... – Bakugou não o respondeu e continuou caminhando.

- Eiii! – Midoriya voltou a chama-lo.

- .... – E novamente Izuku foi ignorado. O outro não sabia, que apesar de seu rosto estar sereno, a mente de Bakugou estava gritando. “Eu matei o All Migth. Eu arruinei tudo. Eu sou fraco. Eu gosto de você. Mas eu também te odeio. Você é incrível. E eu te odeio.”

Eles caminharam juntos até o ground beta onde se deu a primeira aula prática deles, em que a turma havia sido dividida entre vilões e heróis.

- Esse... é o Ground beta...

- Foi aqui que lutamos pela primeira vez durante o treinamento de combate... E eu perdi. – "Sim, foi aqui que pela primeira vez ele me venceu na força física. Mas Deku não sabe que ele já havia me vencido faz tempo."  – Desde então, eu fico puto só de pensar nisso. Você sempre foi um inútil sem individualidade... Mas por algum milagre foi aceito na U.A... E por algum milagre ainda maior sua individualidade se manifestou, não é? Você era um desgraçado incompreensível que não falava nada além de lixo que não fazia sentido. Mas desde então... Você tá com essa maldita expressão satisfeita enquanto cresce mais ainda... Desde o caso daquele vilão gosmento... Não... Desde quando o All Might colocou os pés nessa cidade... Você vem crescendo mais e mais... Mais e mais... E no fim até conseguiu sua licença provisória. E eu reprovei. O quão zoado essa merda é? Hein?

- Eu a consegui mostrando minhas habilidades e---

- CALA A BOCA, SEU CUZÃO! – "Lá estava ele, de novo me subestimando. Lá estava ele querendo se defender para novamente mostrar o quanto ele vai continuar caminhando e indo cada vez para mais longe de mim, para um lugar onde eu não posso ir..."

- Desculpa...

- Esse tempo todo... Isso me deixou puto. Me deixou com nojo. – "Eu não quero que você me deixe. Fique longe daquela mulher e daqueles idiotas, Deku."Mas sabe... Com todo o incidente de Kamino, eu finalmente juntei as peças.

Aquilo que você pegou emprestado... Você finalmente tornou seu, não é?”

- Esse tempo todo eu estive pensando nisso... Você recebeu esse poder do All might... Não é mesmo?  

- ...

- Aquele desgraçado, chefão dos vilões... Pelo que eu pude ver, estalando os dedos ele conseguiu roubar as individualidades das pessoas e dar para outros... Eu quase não acreditei... Mas quando uma das pussy-cats teve que se aposentar por sua individualidade ter desaparecido... E sem falar naquelas porras de noumus que tinham múltiplas individualidades. Levando tudo isso em conta, minha teoria faz sentido. – Colocando isso em palavras, sua mente conseguia enxergar um caminho agora, mas por outro lado seus sentimentos continuavam uma bagunça e novamente a única coisa que ele sentia era raiva... E aos poucos ela estava começando a tomar conta de si. Bakugou estava de frente para Midoriya e apertava suas mãos dentro dos bolsos da calça preta que usava, tentando manter a calma e ter uma conversa com o idiota do Deku.

- All Might e aquele chefão cuzão tem alguma relação. A “transferência de individualidade”... Na verdade só pode significar... Que All Might tem algum tipo de relação com aquele desgraçado. E isso está ligado com o fato da sua individualidade ter sido “confiada” a você por alguém, não é? Depois que conheceu o All Might... Você começou a mudar. – "Sim... Você parou de ficar atrás de mim. Você começou a se afastar, você quer me deixar, você quer mostrar o quanto eu sou fraco e o quanto você é melhor que eu... Você é um maldito... Eu te odeio..." E ele perdeu seus poderes...  

“O PRÓXIMO... É VOCÊ!”

- Sem falar que você encarou aquela frase diferente de todo mundo.

- .... – Midoriya se mantinha em silencio, lembrando de como ele chorou igual a uma criança quando a verdadeira forma de All Might foi revelada a todos e ele usou o resto do poder que ainda tinha para vencer o All for One e então apontou para as câmeras da televisão enquanto dizia aquela frase. Izuku sabia que era diretamente para ele que seu herói estava dirigindo tais palavras.

- Como o All Might não me respondeu... – Naquele dia que ele e Aizawa foram até sua casa para convencer seus pais a deixá-lo voltar a U.A depois de seu sequestro – É por isso que eu vim falar com você, sacou? – "Não é só por isso... Eu preciso saber... Eu preciso saber o quanto eu te odeio. Eu preciso vencer. Eu preciso entender o que me faz ficar para trás."

“- Felizmente o Jovem Bakugou estava convencido de que você estava falando bobagens... Por isso dessa vez passa, mas, por favor, não deixe isso se repetir.”  - A voz de All Might ecoou na cabeça de Midoriya e isso fez com que ele apertasse suas mãos, se sentindo culpado por ter aberto a boca. Kacchan havia descoberto seu segredo, porque ele foi fraco e não conseguiu manter sua promessa com All Might de que manteria aquilo em segredo.

- O fato de você não estar negando... Significa que eu estou certo, não é?

- Se ouvir a verdade... No que isso vai te ajudar? – O olhar de Midoriya era forte e frio, ele estava desafiando Bakugou com aqueles olhos grandes e aquilo irritou o loiro.

-  ........ Você e eu... Sempre gostamos do All Might e quisemos ser como ele. Não é? Não é verdade? O cara que eu achava que não passava de uma pedra jogada num canto da estrada... Do nada, foi reconhecido por aquele que eu mais admiro. "POR QUE É SEMPRE O BASTARDO DO DEKU? O QUE ELE TEM QUE EU NÃO TENHO? POR QUE TODOS PERTO DELE CONSEGUEM IR PRA FRENTE? O QUE HÁ DE TÃO DIFERENTE ENTRE NÓS? POR QUE ELE É MAIS FORTE DO QUE EU? POR QUE ELE ME TRATA IGUAL UM MERDA? Ele vai me deixar... Ele vai me deixar.... Eu não posso... Eu não posso deixar..."É por isso que... Você vai lutar comigo! AQUI E AGORA! – Bakugou esticou sua mão, deixando pequenas explosões serem feitas ali, mostrando um olhar sério.

- POR QUE?????? – Diferente do loiro, o garoto de cabelos verde estava incrédulo com aquilo. O que diabos passava na cabeça de Kacchan? – Hã???? Espera aí!! Por que isso do NADA? Não... Sério, isso é uma má ideia! Pra começo de conversa já é ruim nós estarmos aqui! No mínimo... precisamos lutar durante um treino! Precisamos reservar um local de treinamento e lutar lá. Não tem motivos para uma luta agora, não é? – Midoriya tentava explicar nervoso, querendo fazer Kacchan entender que aquilo era totalmente sem sentido.

- Não entendeu? Se lutarmos a sério, eles vão tentar nos impedir.  E eu quero confirmar o que tem de tão grandioso em você... Pra fazer com que o próprio All Might fosse tão longe. – "Sim... o que tem de tão grandioso em você, Deku? O que te faz ser tão especial? Por que eu te odeio tanto? Por que meu peito dói quando penso que você vai embora? Quando penso que você é mais forte e melhor do que eu? Por que sempre que eu te olho... Dói...?"  Os olhos de Bakugou ficaram vagos por alguns segundos e sua expressão ficou tão neutra que Midoriya estranhou. Mas logo as sobrancelhas dele voltaram a ficar franzidas e seu rosto foi tomado por uma raiva fora do normal. – Se sua vontade era tão maior que a minha... Então isso prova que minha vontade estava errada todo esse tempo, não é? – "Sim... todos mentiram pra mim. Todos sempre mentiram, já que minha vontade estava errada... Deku você mentiu pra mim esse tempo todo... Você sempre se achou superior a mim."

- Kacchan...-

Não importa o tamanho da confusão em que ele esteja... No fim, ele sempre vence. Não importa o problema em que esteja, ele sempre salva as pessoas com um sorriso...”

- Se não quiser se machucar, então levanta esses punhos! Ah! É mesmo! Agora você usa chutes, não é? – Katsuki alongava seu braço direito enquanto encarava Midoriya com sangue nos olhos.

- Espera aí! É sério! Não podemos fazer isso! –

Midoriya dizia desesperado, balançando seus braços, tentando enfiar algum juízo na cabeça do loiro, o que foi em vão, pois o mesmo pulou em sua direção com uma explosão, pronto para atacá-lo com sua mão direita.

- KACCHAN!!!

Antes de ser atacado, Midoriya conseguiu se esquivar do ataque de Bakugou. Ele o conhecia suficiente para entender como ele iria lhe atacar, usando a direita como uma finta, para então usar seu poder de verdade. Para fugir disso o de cabelos verdes pulou e defendeu do ataque direto, sendo jogado um pouco para cima pela explosão que foi rebatida no chão por Bakugou.

 - Tsc!

- Você sempre consegue ler os movimentos dos outros, né? SEU DESGRAÇADO! – "Novamente esse maldito está me subestimando. Ele acha que pode me vencer! Ele sempre se acha melhor do que eu. EU TE ODEIO, DEKU! SEU PEDAÇO DE MERDA!"  Katsuki gritava em sua mente, mantendo um sorriso psicótico no rosto, enquanto tentava acertar o outro garoto. – CAI PRA DENTRO!

- Kacchan... Vamos mesmo fazer isso? Temos mesmo que lutar? EU NÃO ACHO QUE TA ERRADO! NINGUÉM ACHA QUE O QUE VOCÊ ADMIRA TA ERRAD- Midoriya tentava gritar, tentando fazer aquelas palavras entrarem no coração de Bakugou, que parecia ter construído uma muralha de ferro em volta de si mesmo e nenhuma palavra parecia alcançá-lo. Antes que pudesse concluir sua frase, ele foi atacado novamente por uma explosão furiosa do loiro, que parecia um animal focado em matar sua presa.

- EU DISSE PARA ESPERAR! – Midoriya insistia.

“Me espere, Kacchan...”  Mesmo ficando sempre atrás de mim. “Você está bem?”  Não importava quantas vezes eu batia nele e o mandava para longe. Ele sempre continuava correndo atrás de mim.

- PARE DE FUGIR E LUTE DE UMA VEZ! – "Eu tentei te afastar! Eu tentei te deixar longe de mim! Eu sabia que não podia deixar você ficar por perto, eu sabia que você ia bagunçar meus sentimentos, de alguma forma eu sabia... Eu sabia que um dia você ia ser a minha derrota. Você causou tudo isso, Deku! É tudo culpa sua! Você não foi embora quando eu tentei te afastar, quando eu te mostrei meu pior lado. Você continuou correndo atrás de mim, sem desistir! ISSO É CULPA SUA! AGORA VOCÊ QUER ME DEIXAR! VOCÊ QUER ME DESTRUIR!"

Nos admirávamos...  A mesma pessoa.

Vou te dizer isso uma única vez... Auto confiança é muito importante. Você, sem dúvidas, possui o talento para se tornar um herói profissional. Eu sei o motivo. É por causa do repentino crescimento do jovem Midoriya, não é? Mas... Se compararmos alguém do level 1 com alguém do level 50... É impossível o ritmo de crescimento dos dois ser igual, não concorda?”

POR QUE???????? Muitos “porquês” diferentes gritavam na cabeça de Bakugou. Nem ele sabia direito do que ele queria a resposta. “Não é verdade, não é só por causa da força dele que eu estou irritado... Não é só por isso que eu odeio ele... Não... É mais do que isso... POR QUE EU TE ODEIO TANTO, DEKU?” Ele mesmo queria se entender, ele não conseguia achar as respostas. Para tirar esse peso de si, ele continuava a ataca-lo, usando todo seu poder, pulando em direção de Midoriya, pronto para explodi-lo em um milhão de pedaços. Mas Deku não era o mesmo de antigamente, ele não apanhou quieto. Ele revidou, lhe dando um chute quando Bakugou pulou em sua direção para explodi-lo, fazendo com que o loiro caísse no chão.

“ POR QUE? “

Midoriya ofegava em pé, enquanto observava Kacchan caído no chão. Seus olhos verdes se arregalaram, pelo medo de ferir seu precioso amigo de infância. Ele correu em sua direção, lhe esticando a mão e uma cena de flashback veio em sua mente, o dia em que Kacchan caiu daquele tronco e no desespero ele correu até o loiro, lhe estendendo a mão para lhe ajudar.

- V-Você ta be—

- PARE DE SE PREOCUPAR COMIGO! – A mão de Midoriya foi brutalmente socada para o lado, sendo então afastada por um loiro furioso. – LUTA DE UMA VEZ! ME DIZ POR QUÊ!! POR QUE? POR QUÊ?! ERA VOCÊ QUE SEMPRE FICAVA ATRÁS! POR QUE AGORA ISSO MUDOU? E SOU EU QUE FICO CORRENDO ATRÁS DE VOCÊ?! UM MERDA COMO VOCÊ CONSEGUIU ESSE PODER E FICOU MAIS FORTE... O ALL MIGHT RECONHECEU O SEU TALENTO... E MESMO EU FICANDO MAIS FORTE TAMBÉM... POR QUE?  POR QUE EU TIVE QUE DESTRUIR O ALL MIGHT?  - Os olhos verdes de Midoriya se arregalaram enquanto ele ouvia Bakugou gritar. Finalmente seus pensamentos transbordaram de sua mente e ele começou a por tudo para fora. Ele apertava a mão em sua regata, na altura de seu peito, como se pudesse apertar seu coração para que ele parasse de doer. Era sufocante estar vivo agora. – Se eu fosse mais forte... Eu não teria sido pego por aqueles vilões... E isso nunca teria acontecido... – Bakugou finalmente chorou. Era a segunda vez que ele chorava na frente de alguém e novamente quem estaria nessas lembranças era Deku, que permanecia chocado, observando o desespero que tomava conta de Kacchan. – O All Might queria manter isso em segredo! Ninguém podia saber! Eu tento não ficar pensando nessas nisso... Mas, de repente, tudo começa a vir de uma vez só! EU NÃO SEI O QUE FAZER! – A voz de Bakugou era cheia de desespero. Ele não falou sobre tudo que passava em sua mente, ele não poderia dizer para Deku sobre sentimentos que nem ele mesmo entendia. Ele queria entender por que as pessoas sempre achavam o garoto de cabelos verdes incrível. Ele negava para si mesmo seus próprios pensamentos, era difícil acreditar que aquele inútil tinha se tornado alguém tão incrível.

Bakugou queria voltar para sua infância, onde as coisas eram mais simples, os sentimentos eram mais simples. Voltar para a época onde ele tinha certeza que Deku seria o único a ficar com ele para sempre, independente de qualquer coisa... Midoriya sempre estava em todas as suas memórias. Pensar que aquilo um dia iria acabar, porque Deku finalmente resolveu sair de baixo de suas asas e mostrar que sempre foi incrível, sempre foi melhor e que ele havia se enganado esse tempo todo... Ele odiava Midoriya Izuku... Mas... Ódio era a única coisa que Bakugou entendia bem... Então, talvez esse sentimento pudesse ser ódio de si mesmo por não conseguir entender seus próprios sentimentos.

Midoriya estava em choque. Ele havia paralisado com seus olhos arregalados, encarando seu amigo. “Durante todo esse tempo... Muito mais do que eu... Ele estava carregando muito mais peso do que eu...Sofrendo... Remoendo...Essa luta pode não ter nenhum sentido. Pode não ter nenhum sentido quem vai vencer e quem vai perder. Mas eu sei o que tenho que fazer agora.”  Enquanto pensava isso, o garoto de cabelos verdes pulou gritando um “Smash” dando um chute contra a cabeça de Bakugou, que logo começou a sangrar e mostrar os dentes em um meio sorriso recheado de ódio.

- Essa é a chance perfeita... para saber se o meu estilo de luta com a perna é efetivo ou não. – “Kacchan nunca soube demonstrar suas emoções direito. Eu sei disso, eu estou com ele a tempo o suficiente para entender. Ele precisa de ajuda. Ele precisa colocar isso pra fora... Esse é o jeito dele... Mas o fato é que, neste momento, o único capaz de receber os sentimentos do Kacchan... Sou eu!” – Se vamos lutar... Então eu vou com tudo!  - Midoriya gritou, enquanto deixava o One for All tomar conta do seu corpo todo.

Katsuki deixa suas emoções explodirem e só há uma coisa que Izuku pode fazer... Permitir que seu amigo de infância coloque todas suas frustrações para fora em uma luta justa. Midoriya não iria deixá-lo vencer tão facilmente.

- Eu não tenho a mínima intenção de virar seu saco de pancadas... Kacchan! – “Pode ser que, lutando comigo, tudo que ele queria era liberar o que estava sentindo, coisa que ele não podia fazer com mais ninguém. E mesmo que tenha sido o caso, pode ter sido egoísta da minha parte, mas eu não posso deixar ele ganhar sem lutar. Olhando pra trás agora, meu pensamento foi distorcido. Desde o jardim de infância...Até o fundamental...E o ensino médio...Nós dois estivemos juntos por mais tempo do que eu consigo me lembrar e mesmo assim... Nunca conversamos sobre o que sentimos de verdade... Nem ao menos uma vez.”  Diferente do loiro, o de cabelos verdes conseguia enxergar isso. O fato de que nenhum dos dois nunca falou como se sentia, o que pensava. Claro que Midoriya tentou algumas vezes, mas Kacchan era muito difícil de se lidar, então ele sempre desistia e deixava estar. Claro que ele também nunca esperou que Bakugou fosse chegar algum dia por mágica e começar a falar sobre seus pensamentos e sentimentos, isso não fazia o tipo dele.

Enquanto pensava sobre isso, Midoriya se distraiu alguns segundos e foi o que Bakugou precisava para usar suas explosões para ir ao alto e então tentar atacar Midoriya de cima, mas felizmente o menor foi mais rápido e conseguiu desviar se jogando para trás com o poder impulsionando suas pernas.

- “Essa passou perto...”  

- “Não posso deixar ele pensar!”

E Bakugou continuou insistindo em lançar varias ondas de explosões em direção a Midoriya. Não deixando que o outro usasse seu cérebro, algo que sempre o salvava em quase todas as confusões que ele se metia. Ele podia ser fraco, medroso, um coelhinho assustado de olhos grandes, mas Izuku era esperto e disso Bakugou sabia e muito. Enquanto o de cabelos verdes tentava escapar dos ataques rápidos e explosivos das mãos do loiro, ele não percebeu que em uma das oportunidades Kacchan pulou para trás dele e já estava pronto para lhe estourar as costas. Em um movimento rápido de chute no ar, Deku conseguiu se afastar dele mas perdeu o controle e voou contra a grade de proteção da rua. Antes que pudesse ter tempo para respirar com a dor que sentiu ao bater forte suas costas, Bakugou pulou em sua direção, pronto para lhe explodir pela frente, fazendo com que Izuku se agarrasse a grade e levantasse seu corpo com a ajuda do One for All, jogando seu corpo pra trás através de uma pirueta com o auxilio da barra de metal e em um movimento rápido, Katsuki segurou o braço esquerdo de Izuku, o jogando longe com toda a força que conseguiu, pensando que com isso jogaria todos os seus sentimentos confusos e perturbadores para longe também.

Claro que Midoriya não iria deixar isso barato. Ele logo se ajeitou e ficou sob seus joelhos, pronto para ficar em pé, ou ao menos para receber algum ataque de Bakugou, enquanto tomava um pouco de ar.

- Eu sei que isso é constatar o obvio, mas... Você está ficando realmente mais forte. – Meu método padrão é prever os movimentos do inimigo e decidir o melhor movimento a fazer... Mas desse jeito, eu não consigo... Ter a velocidade de reflexo para me mover imediatamente depois de enxergar. Uma coisa é certa... Seus movimentos estão mais afiados do que antes.” Midoriya tinha um sorriso no rosto enquanto pensava o quanto Kacchan era incrível.

- DO QUE DIABOS VOCÊ ESTÁ RINDO? – Kacchan pulou em direção ao Deku com uma explosão poderosa, que rapidamente se desviou dela por pouco com ajuda do One for All em suas pernas.  – Pensei que você tinha dito que não seria meu saco de pancada! Pelo jeito você tava errado!

- EU NÃO VOU SER! – Midoriya se levantou e se preparou para pular em um conta atraque contra o loiro.

 -  Você deve estar bolando algum dos seus planos... Como sempre! – Bakugou juntou suas mãos e lançou uma explosão com as duas gritando “STUN GRANADE”  contra Deku que se jogava em sua direção e prontamente se defendeu, pulando para trás. – ISSO SEMPRE ME DEIXOU PUTO! EU NUNCA SEI NO QUE VOCÊ TA PENSANDO! – Você ta sempre pensando que eu sou fraco. Você está sempre querendo mostrar que é melhor do que eu. Quer mostrar que é mais inteligente. Quer mostrar que tem mais amigos. Mesmo um inútil como você... Deve estar pensando quando vai rir de mim, quando vai bagunçar tudo ainda mais e se divertir com isso...” – NÃO IMPORTAVA QUANTAS VEZES EU ESPANCAVA, VOCÊ SEMPRE VOLTAVA CORRENDO ATRÁS DE MIM! E VOCÊ SEMPRE FICOU OLHANDO PRA MIM COMO SE FOSSE SUPERIOR, COM ESSA DROGA DE OLHAR! MESMO VOCÊ NÃO PASSANDO DE UM MERDA QUE NUNCA TEVE NADA! – “Você sempre brincou comigo! Eu te mandei pra longe! Eu mandei não ficar perto de mim! Você está acabando comigo, Deku!” – É COMO SE TODO ESSE TEMPO... VOCÊ TIVESSE ME SUBESTIMANDO COM DESPREZO... E TENTANDO DE VERDADE ME SUPERAR PORQUE SABIA QUE VOCÊ CONSEGUIA! É ESSE TIPO DE ATITUDE SUA... QUE EU NÃO SUPORTO! – “Você sempre soube que era melhor do que eu... É por isso que você nunca me deixou... Você queria se sentir grande... E você ficou... Você ficou aqui pra me mostrar o quanto eu sou um perdedor e um fracassado... Eu te odeio, Deku... Por que você fez isso comigo? POR QUE VOCÊ NÃO FOI EMBORA?”  Bakugou finalmente conseguiu falar, pelo menos algumas coisas, sobre o que pensava de Midoriya e assim colocou pra fora um pouco daqueles sentimentos que ele reprimiu por tantos anos.

Ao ouvir aquelas palavras, o corpo do de cabelo verde paralisou. Ele não acreditava no que havia ouvido. Aquelas palavras eram como facas e o atravessaram com força. Izuku não queria acreditar nisso... Era isso que Kacchan pensava de si? Era tão doloroso.

- Você me via... Dessa forma...?

- ....

- Acho que é normal... Não querer se relacionar com alguém que sempre te humilha e despreza. Mas mesmo assim... É como você disse... Eu nunca tive nada. E é exatamente por isso que... No mesmo nível que as coisas ruins que você fazia pra mim, o tanto de coisas que você conseguia fazer de forma brilhante me deixava admirado.

Nesse momento, quem ficou quieto foi Bakugou, enquanto olhava fixamente para os olhos verdes de Izuku, que demonstravam uma grande determinação. Ele não parecia estar mentindo, aquilo fez o coração do loiro bater mais rápido, de uma forma diferente quando envolvia apenas a adrenalina. Aquilo doeu, de novo aquela dor... Aquela maldita dor que sempre vinha quando ele pensava que um dia Deku iria lhe largar. Ele sentiu vontade de chorar de novo e por um momento ele esqueceu até como se respirava, ele apenas tinha todos os seus sentidos voltados para ouvir e observar Midoriya. 

- .... – “Ele me acha brilhante? Ele se admirava ao me olhar? Não... Ele está mentindo novamente... São mais mentiras para que ele possa continuar acabando comigo. Por que ele não para? Por que ele não diz logo que me odeia? Por que ele não diz a verdade? Eu não aguento mais isso... Eu não aguento mais esses sentimentos! DEKU EU TE ODEIO!” Os fantasmas em sua mente continuavam a atormenta-lo, aquilo estava ficando pior e ele novamente estava sendo tomado apenas pela raiva que sentia, pelo rancor e por seu próprio medo.

- Você, que tinha tantas coisas que eu nunca tive... PRA MIM VOCÊ ERA UMA PESSOA INCRIVEL E INSPIRADORA... QUE ESTAVA ATÉ MAIS PROXIMA DE MIM QUE O ALL MIGHT! E POR CAUSA DISSO.... EU SEMPRE....... – Eu não posso deixar o Kacchan continuar a pensar essas coisas horríveis sobre mim. Eu sempre achei ele incrível, eu nunca pensei nada de ruim a respeito dele e ele precisa entender isso. Kacchan, você não pode ver isso... Mas seus olhos, todo esse tempo, seus olhos parecem os de uma criança precisando ser salva... Você precisa de colo, você precisa de ajuda... Kacchan eu quero te salvar! Minhas emoções vieram a tona... E eu perdi levemente o controle. O limite superior que meu corpo normalmente permitia... Todo esse tempo... 5% era o limite que eu tinha consciência enquanto estava no estado de FULL COWL. E pra minha surpresa, nunca passou pela minha cabeça... Exatamente o quanto eu fui capaz de treinar e aperfeiçoar o meu corpo até então.

- “Ele está... Mais rápido que antes... Não da pra desviar a tempo! Tenho que bloquear!”

- EU FINALMENTE TE ALCANCEI! – “Limite maximo de poder! 8%! KACCHAN EU VOU TE SALVAR!”

Midoriya saltou em direção a Bakugou com uma velocidade ainda maior do que antes e prontamente lhe deu um chute que foi difícil para o loiro desviar, mas que por muito pouco ele conseguiu, usando seus braços como escudo. Seus braços doíam agora, mas não tanto quanto deveriam, provavelmente pela adrenalina que corria por seu corpo. Midoriya ficou surpreso com seu ataque, mas não esperou muito para logo golpear Kacchan com outro chute, que em seguida colocou sua direita para trás e preparou uma explosão para contra atacar o outro garoto e como resultado os dois foram jogados para trás numa explosão que ocorreu quando os dois ataques de chocaram. Mas enquanto Bakugou notava que os ataques de Midoriya estavam mais rápidos, o de cabelo verde logo levantou e correu em sua direção pronto para ataca-lo novamente.

- ISSO É TUDO QUE VOCÊ TEM? – “É tão idiota que eu não posso falar pra você, mas... Quando meu sentimento de ‘quero vencer’ é maior do que o ‘querer salvar’, eu sempre falo palavrões. E embora essa devesse ser uma parte de mim que eu não gostasse... No fim, em minha mente... Você é a imagem da vitória.”

- COMO É QUE É?  

Midoriya pulou e ergueu seu punho, enquanto Bakugou se defendia com seu braço esquerdo e carregava uma quantidade de explosão que o fez voar alto, indo em direção da Izuku.

- “Se pretende vir pra cima de mim pelo ar, tenho uma coisa pra você.”

- 5%... - “Não que eu quisesse ir pra cima sem motivo ou pulando... Fiquei mais forte do que eu pensava, mas... Tenho certeza que pro Kacchan... O estilo de tiro ficou fortemente marcado com um avanço direto e idiota mais uma sequencia de chutes. Esta pode ser uma luta para por tudo pra fora. Mas não vou jogar tão limpo assim! O estilo de tiro é uma forma de lutar para evitar o uso excessivo dos braços, mas...”  - EU NUNCA DISSE QUE EU NÃO PODERIA USA-LOS! – A personificação da vitória. Izuku levantou seu braço e distribuiu o poder do One for All em seu braço esquerdo. “Me desculpe mas... Eu quero vencer! Assim eu posso mostrar pro All Might porque ele me escolheu... E eu espero que isso seja suficiente pra você entender, Kacchan!!”

Midoriya ergueu o punho e então desferiu um soco contra o rosto de Bakugou, o que fez sua mente ficar em branco naquele momento. Ele perdeu o ar e talvez aquele soco era o que ele precisava para entender. O que as pessoas ao redor de Deku sempre conseguiam perceber eram seus verdadeiros sentimentos. Era como se aquele garoto fosse uma chave que abrisse portas que nós mesmos trancamos dentro da gente. Talvez fosse isso que fazia de Izuku alguém tão incrível, mais incrível que até mesmo o herói que Bakugou sempre admirou. A pessoa mais incrível que ele poderia encontrar sempre esteve ao seu lado... E ele finalmente entendeu que todo o seu ódio era na verdade puramente medo de perder ele.

- EU NÃO VOU DEIXAR VOCÊ IR EMBORA, DEKU! EU NÃO VOU PERMITIR QUE VOCÊ ME DEIXE! EU ACHAVA QUE TE ODIAVA, MAS NÃO É ISSO, ESSE SENTIMENTO É DIFERENTE... EU NÃO SEI O QUE É ESSA MERDA DE SENTIMENTO, MAS EU NÃO VOU DEIXAR VOCÊ IR EMBORA! EU NÃO VOU DEIXAR! EU NÃO VOU PERDER PRA VOCÊ! 

E ao ouvir Bakugou gritar aquelas palavras enquanto o socava e também recebia alguns socos, Midoriya se distraiu ao ouvir que Kacchan não entendia sobre o que sentia com relação a si, então acabou não percebendo que o loiro transpirou o suficiente para fazer uma grande explosão no ar e jogar os dois como uma bola de canhão ao chão, onde Katsuki conseguiu imobilizar Izuku.

Os dois ofegavam e agora se encaravam, enquanto o loiro continuava mantendo o corpo do menor imobilizado. Os dois estavam sangrando, machucados e suados. Mas Midoriya pode olhar nos olhos vermelhos de sangue de Katsuki e perceber que ali haviam algumas lágrimas.

- Eu venci... O poder do All Might... Mesmo com ele... Mesmo tornando-o seu... Ainda assim perdeu pra mim. – Bakugou apertou a mão contra o rosto de Izuku, sentindo que poderia chorar a qualquer momento, não sabendo mais por qual razão. Suas emoções estavam uma bagunça. “Eu venci, Deku... agora você não vai embora... não é...?” – VAMOS!  POR QUE VOCÊ PERDEU?” – “O que você sente por mim, Deku...?”

- Kacchan... O que você quis dizer com... Não vai me deixar ir embora? – Midoriya tentou olhar o loiro com um dos olhos que conseguia manter aberto.

- ... – Bakugou arregalou os olhos, notando que ele deixou seus sentimentos saírem quando ele finalmente entendeu que não odiava Midoriya e que, na verdade, era o extremo oposto. O único que sempre foi dependente de alguém aqui, era Katsuki que dependia de Izuku. Essa sempre foi a verdade. O loiro não queria ver Deku sendo tirado dele, imaginá-lo com aquela garota foi a gota d’agua para seu coração aguentar e aquela porta queria ser aberta.

- Kacchan... Podia ser que você... Gosta de mim...?

Os olhos vermelhos se arregalaram ao ouvir aquilo. Era diferente quando vinha da voz de outra pessoa, quando aquilo era verbalizado e sua mente ficou vazia por alguns segundos. Midoriya não falou aquilo com um sentido malicioso. Ele apenas perguntou o que talvez Kacchan não conseguia entender o que era e ele ficou feliz de pensar que poderia ter uma pequena chance de não ser odiado pelo loiro. O rosto de Katsuki ficou vermelho e seu coração batia de forma pesada, enquanto sua respiração começou a ficar acelerada com medo que Deku fosse lhe odiar agora e dar-lhe aquele olhar de nojo, rindo de sua cara e o chamando de repugnante, dizendo o quanto ele era um lixo por estar apaixonado por outro cara e ainda tentar sempre esconder essa fraqueza através de uma aparência de rebelde.

- Kacchan...? – Midoriya o chamou em uma voz baixa, enquanto tentava acalmar sua respiração.

- CALE A BOCA! – Ele ergueu a mão, pronto para explodir o rosto de Izuku para não ter que encarar aqueles grandes olhos verdes o encarando com desprezo.

- JÁ CHEGA VOCÊS DOIS! Me desculpe, mas... Tomei a liberdade de bisbilhotar vocês.

- All...

- Might....

- Me desculpem... Por não ter percebido.

Bakugou parou seu ataque e agora os dois observavam seu ídolo caminhar em sua direção. Aos poucos o loiro foi soltando o de cabelos verdes e saindo de cima dele. Abaixou a cabeça e suas mãos fecharam em um punho, se lembrando do que o levou a brigar daquela maneira com Deku, antes mesmo de seus sentimentos confusos com relação à possibilidade de não odiar o menor, com a possibilidade daquele maldito poder levar Deku para longe de si.

- .... Por que o Deku? Desde aquela hora com o vilão de meleca... Por que tinha que ser esse cara?

- Mesmo não tendo qualquer poder, ele foi mais heroico do que qualquer um. Julguei que era minha responsabilidade ajuda-lo a se levantar naquela arena... E não você, que há muito tempo já fazia isso.

- Mas eu sou fraco... MESMO EU SÓ QUERENDO SER FORTE COMO VOCÊ! E POR EU SER FRACO... Agora você ta assim! – Midoriya observava que Kacchan estava prestes a chorar novamente, mas ele se segurava, o orgulho do loiro não lhe permitiria chorar na frente de outra pessoa... A única pessoa sortuda o suficiente de ver isso era Izuku e algo se remexeu em seu coração. Ele queria abraçar Kacchan e protegê-lo dos próprios pensamentos que o atormentavam.

- Isso não é culpa sua. Todas as estradas chegam a um fim... Eu ficaria assim de uma forma ou de outra. Você é forte. Mas, sabe... Me concentrei demais nessa forma... E permiti que você carregasse um fardo pesado demais.  – Toshinori caminhou até Bakugou enquanto falava, e ao se aproximar dele, fez o que Midoriya queria fazer. Colocou sua mão sobre a cabeça daquela pequena criança que lutava contra o desespero, lhe acariciando ali, tentando lhe passar um pouco de conforto. – Me desculpe... Afinal... Você também é um jovem.  

Claro que Kacchan não se permitiu ser acarinhado por muito tempo. Ele não permitiria tal contato de ninguém, muito menos do seu ídolo. Ele não permitiria ser derrotado em sentimentos, ele iria continuar bancando um gato de rua que jamais vai deixar algum maldito humano encostar nele. Ele sabia o quanto humanos eram traiçoeiros, ele sabia do lado ruim deles e como eles poderiam ser carinhosos para depois te destruir. Era uma barreira que ele colocou em sua alma, para tentar não ser destruído... Mas que Izuku estava quase quebrando. Quase.

- Eu sou herói a muito tempo... E é isso que eu penso: Ficar obcecado com a vitoria da forma que você faz, jovem Bakugou, e querer salvar aqueles que estão com problemas da forma que você faz, jovem Midoriya... Se lhes faltar um ou outro... Vocês não serão capazes de manter seu próprio sento de justiça como heróis.

Os dois se permitiram ficar quietos, observando seu ídolo lhes dar uma importante lição. Eles estavam, nesse momento, com o coração aberto para acatar aquele sermão com tudo que tinham. Eles acreditam em All Might, então se tinha alguém que poderia fazê-los entender seus próprios sentimentos, esse alguém era ele.

- Da mesma forma que o jovem Midoriya almejava a força do jovem Bakugou... O jovem Bakugou temia o espírito do jovem Midoriya. Agora que seus sentimentos foram expostos... Ambos entendem, não é? 

Os dois abaixaram suas cabeças, entendendo o quanto queriam e precisavam um do outro. Estavam juntos a tanto tempo que ficaram cegos para isso. Estavam acostumados com suas presenças, entendiam que não importava o que acontecesse, um sempre teria o outro. E quando Midoriya começou a se afastar, sem notar isso, se envolvendo com outras pessoas, Bakugou sentiu medo que o que eles tinham construído juntos seria destruído... E infelizmente Izuku não percebeu que ele estava indo tão pra longe assim, porque ele sempre almejava chegar onde Katsuki estava.

- Se vocês dois puderem se reconhecer e sinceramente ajudarem um ao outro a evoluir... Poderão se tornar os melhores heróis para vencer e salvar.

Os dois se olharam agora, finalmente, mas ignoraram tudo ao seu redor e seus machucados e os olhos vermelhos se encontraram com os olhos verdes. O coração dos dois parou em uma batida e por alguma razão, ambos sentiram uma espécie de calor que lhes trouxe paz. Eles sentiram que não conseguiriam ficar longe um do outro e que aquele era um sentimento novo, qual os dois nunca haviam sentido antes. Aquilo durou alguns segundos, mas para os dois, foi como se olhassem de verdade por todos aqueles anos que se conheciam.

- Não... Era isso o que eu queria perguntar...

- .... - Bakugou respirou fundo e se jogou para trás, sentando no chão. Ele abraçou suas pernas e escondeu sua cabeça no vão entre elas, não querendo mais olhar para ninguém. Não queria mais que nenhum dos dois enxergassem sua fraqueza... Seus sentimentos. 

- Ei. Se tem a pessoa mais forte ao seu lado... Você não tem como perder.

- ... Eu vou ficar mais forte, pra poder te vencer. – Midoriya disse com clareza, mas ele sentia que tinha que ficar mais forte, se ele não quisesse perder o Kacchan. Seja para a distância, seja para um vilão, ou para os próprios sentimentos e pensamentos dele.

 - Quem mais sabe sobre sua relação com o Deku?

- Recovery Girl, o diretor... Mas entre os alunos, só você.

- ... – O coração de Bakugou disparou novamente. Ele era o único que sabia. Todoroki, a tal da Uraraka, o representante que corre... Nenhum deles sabiam... Deku ainda estava perto... – Você não quer que as pessoas saibam, não é... All Might... Como você tentou esconder... Não vou dizer nada a ninguém. Não vou abrir o bocão como o idiota do Deku... Certo?  Esse segredo... Fica entre a gente. 

Não era apenas o segredo sobre o poder do All Might e a relação dele com o Deku. Havia mais um segredo subentendido naquela frase, porque é lógico que All Might sabia dos sentimentos que nem mesmo  Deku e Kacchan conseguiam entender sobre eles mesmos. Era algo que eles teriam que lidar uma hora, mas como manteria o segredo de seu herói, sabia que ele também manteria deles... E de um segredo entre duas pessoas, eles foram para um entre três. 


Notas Finais


Infelizmente eu não tenho o link da foto capa da historia, se alguém tiver, por favor me informe para eu das os créditos.
Essa fanfic era pra ser uma oneshot, mas uma amiga comentou que seria legal se eu fizesse o lemon, então acabou se tornando uma historia de dois capítulos. O lemon está no capitulo 2.
Queria agradecer a minha amiga Yasmin por ser uma linda e betar toda a fanfic pra mim, valeu mesmo amor. ♥
Se gostarem da historia, fiquem a vontade para comentar. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...