História IF YOU DO - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7, Monsta X
Personagens BamBam, Hyung Won, I'M, Jackson, JB, Joo Heon, JR, Ki Hyun, Mark, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho, Youngjae, Yugyeom
Tags Bambam, Chae Hyungwon, Got7, Hentai, Hyungwon, Jackson, Jaebum, Jinyoung, Jooheon, Kihyun, Lee Jooheon, Lee Minhyuk, Lim Changkyun, Mark, Minhyuk, Romance, Shin Hoseok, Shoujo, Shownu, Son Hyunwoo, Wonho, Yoo Kihyun, Youngjae, Yugyeom, Yugyeomromance
Exibições 81
Palavras 795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - PIRRALHA, part. 2


 – Yugyeom POV –

Minha mãe estava mais animada do que o habitual. Ela até pegou um dos seus melhores vinhos da adega para levar a esse tal lugar especial. Já cogitei várias possibilidades em minha mente: uma viagem, visitar meus avós, um bebê a caminho, mas minha mãe nunca tomaria vinho com um bebê em seu ventre. 

Os observei assim que desci de meu quarto devidamente trocado. Eles se calaram no mesmo instante em que me viram e se olharem com uma evidente alegria nos olhos. Isso estava me deixando mais irritado que poderia imaginar. Com certeza, não sou uma pessoa adepta a segredos e muito menos, surpresas.

Estávamos a caminho de nosso lugar especial. Minha atenção caiu para as ruas de Seoul; elas estavam mais movimentadas do que o normal e o Rio Han exibia suas lindas luzes coloridas e seus jatos de água que dançavam de acordo com uma música coreana famosa. Ao virarem em uma avenida, sabia que nosso destino era nosso antigo bairro. Bairro esse que visito todos os dias antes de ir à escola. Paramos em um pare, em frente a ponte onde havia visto aquela pirralha observar o céu com adoração e depois falar tchau a um passarinho que tinha pousado no corrimão da ponte.

Assim que esta memoria invadiu meus pensamentos, me lembrei de mais cedo, quando Jackson me perguntou se eu a conhecia. Mas é claro que não! Gritei em pensamentos, mas de alguma forma, agora, ela me parecia conhecida. Suspirei exasperado para saber quem era aquela pirralha. No entanto, como havia previsto, não achei nada em minha mente.

Paramos em frente uma casa tradicional coreana. Sua frente estava repleta de flores. Mamãe desceu animada de dentro do carro e correu para apertar a campainha. Fiquei ao seu lado, e sentia seu espirito alegre invadir meus sentidos. Se ela está feliz, também ficarei.

Uma mulher magra e baixa abriu a porta com a mesma alegria estampada no rosto. Suas bochechas tinham uma tonalidade rosada naquele rosto redondo e, sim, esse rosto conhecia de algum lugar.

- JANDI-AH! – Disse mamãe alto, se tacando para os braços da mulher. Abraçando-a fortemente.

Meu coração parou. Minha mente deus voltas e mais voltas. Essa é a mãe de Sook. Claro que sim! Sook é exatamente igual a mãe. Baixa demais, rosto redondo, bochechas levemente rosadas e cabelos castanho claro. Porém, Sook sempre fora um pouco gordinha na infância. Entrementes, todos a chamavam de pequena Jandi. Será que ela está aqui?

Não fui capaz de dizer nenhuma palavra a Senhora Kim e Senhor Kim, apenas me curvei como manda o costume coreano e sorri alegremente para eles. Todos me olharam, como se compreendessem meu silencio. Minhas mãos soavam, meu estomago estava embrulhando e me sentia um pássaro preste a sair da gaiola. Sook me fez falta todos os dias e poder revê-la me deixara mais feliz do que já estou. Será que ela vai para escola? Será que ela vai para a mesma escola que eu?

Ouvi passos descerem as escadas e me levantei no impulso. Meu coração batia falhado e sabia que nesse momento, minha cara de bobo deixava todos na sala atônicos, inclusive o gato branco deitado na poltrona, levantou a cabeça para me observar. Ao meu espanto, aquela Pirralha entrou na sala com um sorriso enorme nos lábios, sorriso esse que sessou assim que seus olhos encontraram os meus. Minhas sobrancelhas se ergueram assim que constatei que era ela mesma que estava ali parada em pé. Minha boca se abriu em um “O” e minha respiração saiu pesada antes de olhar minha mãe que me encarava.

- Diga alguma coisa, Yungyeom... – disse ela por fim. Olhei novamente Sook.

Seu corpo se tornou uma estátua e seus olhos ainda estavam fixados em meu rosto. Vi sua garganta se mexer em uma engolida seca; seus olhos ficaram incrivelmente brilhantes e vi algo escorrer pelo seu rosto. Seria uma lágrima? Minha mão se ergueu por instinto. Queria enxugar suas lágrimas, mas hesitei antes mesmo de dar algum passo em sua direção. Ela correu corredor a dentro e subiu as escadas com a mesma pressa.

Antes mesmo que conseguisse raciocinar algo coerente, corri atrás dela. Me senti um completo tolo aquele momento; minhas mãos suavam e meu coração tremia de uma tal forma que me deixou irritado. Minha garganta deu um nó dolorido e, sabia que também estava prestes a chorar. Porém, me mantive forte.

Parei em frente sua porta fechada e deixei todo meu sentimento vir à tona. Ela está diferente demais: magra, seus cabelos estão pretos como do seu pai e seu rosto redondo não estava mais ali. Mas o pior de tudo, ela me conheceu como o valentão da escola. Ela me conheceu como o ser mais temido daquela maldita escola.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...