História If You Do - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags Aly, Clary, Jackson, Mark
Exibições 102
Palavras 3.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello!!! Então, eu sou Kalini e podem me chamar de Kah. Está fanfic já existiu e eu a apaguei, mas decidi restaurá-la, e acabei mudando um dos personagens.
Espero que gostem e que apóiem. Enjoy it!

Capítulo 1 - Begin


Fanfic / Fanfiction If You Do - Capítulo 1 - Begin

~Anônimo:

Sangue. Era a única coisa que existia ali. Ah, e alguns corpos também. Todos jogados pelo chão. Minutos atrás estes homens e mulheres gritavam de medo por terem seus amigos de trabalho serem baleados em sua frente! Por que eu fiz isso? Simples, para chegar no vigésimo andar sem ter ninguém na minha cola. Para eu finalmente acertar minhas contas com o homem que mais trouxe desgraça para a minha vida.

Ao me certificar de que não tinha mais ninguém vivo, fui até o elevador. Eu não precisaria me preocuparr com coisas como câmeras de segurança, alguns de meus homens de confiança haviam desligado o sistema de segurança deste hotel. O caminho até o quarto número 2011 parecia durar anos. Ao chegar de frente à porta, peguei o cartão de abertura do quarto que estava guardado em meu bolso. Dentranquei a fechadura e abri a porta lentamente.

Com passos lentos e silenciosos caminhei até o quarto do Hotel até encontrá-lo. Quando o achei, apontei a arma lentamente para sua cabeça. Ao ter o revólver apontado para sua cabeça, a sua expressão era de total espanto.

-Olá, Charlie! Como vai?-Falo.-Aposto que não me conhece, mas faço questão de lhe dizer que vim aqui para te presentar com uma viagem.

-O-o que faz aqui?-Ele gagueja.-O que quer?

-Eu vim acertar minhas contas com você!-Falo e dou alguns passos em sua direção.

-Não dê mais nenhum passo! Chamo meus homens e eles podem te fazer voar pelos ares!-Ele fala.

-Então os chame! Aposto que nenhum aparecerá! Você está blefando! Você não trouxe ninguém nesta viagem com você! Veio sozinho. Mas esse fato me surpreende. Charlie Shone viajando para a Coréia do Sul, para mexer com gente perigosa e sem nenhum guarda-costas?-Falo.

-Como sabe tudo isso sobre mim?

-Eu tenho que monitorar a minha vítima, não é mesmo?

-Você não tem coragem de matar!

-Não? Quer apostar?-Destravo o gatilho do revólver.-Você é tão velho, mas tão idiota!

-O-olha, se me deixar vivo, juro que não te mato!

-Está achando que sou idiota de acreditar nas suas promessas? Você pode enganar seus antigos aliados, mas não a mim.-Dou mais passos em sua direção.-Mas agora chega de conversa! Agora é a hora de você ganhar a sua viagem. Viagem só de ida para o inferno!-Ri.-Você tem algum último pedido?

-Não toque um dedo nas minhas filhas!-Ele fecha os olhos.

-Isso eu não posso prometer. Aproveite sua viagem. Adeus.-E então apertei o gatilho e uma bala atravessou seu crânio. Os lençóis que tinham na cama que o velho estava deitado se encontravam ensanguentados a cada vez mais. Uma poça de sangue se formou ao redor de sua cabeça. Não me contentei em acertá-lo com apenas um tiro, então disparei mais tiros. Aquilo era como um peso tirado de mim. A morte era muito pouco para ele, mas assim ele poderia pagar pelo o que me fez!

~Alyce Crew Shone:

Qualquer adolescente deixando seu país para passar um ano do outro lado do mundo se sentiria desesperado ou sem rumo na vida. Mas eu não. Eu poderia estar desesperada por estar deixando Los Angeles para passar um ano na Coréia do Sul com uma "Host Family", ou seja, uma família portiça, mas ao contrário de estar desesperada, eu estava muito feliz. E então muitos devem estar se perguntando: " E quanto à sua família? Não sentirá falta?", e então eu respondo: "Eu não tenho ninguém para sentir falta!".

Meu pai foi assassinado durante uma viagem para a Coréia do Sul a dois anos atrás. Ele tinha algumas negociações a fazer, mas depois desta viagem, nunca mais o vi com vida. Clary, minha irmã, e eu, só o vimos quando seu corpo morto foi deportado para os Estados Unidos.

Desde sua morte, a mãe de Clary passou a ficar à frente de tudo, como; nossa herança, casa, Facção e guarda das duas (eu e Clary). Eu sou mais velha que Clary apenas um mês. Bom, nós somos filhas de mães diferentes. Meu pai era casado com Clarice, mas a deixou para ficar com minha mãe, que estava grávida. Mas bem na época do divórcio, Clarice descobriu estar grávida também. Meu pai tinha dúvidas se era pai de Clary ou não, mas um exame de DNA comprovou que sim. Nós duas fomos criadas com o nosso pai e moramos com ele até sua morte, já que minha mãe morreu no parto de meu nascimento e Clarice nunca ligou para a Clary. E é por isso que Clary não a suporta! Então fica super contente quando Clarice está cuidando de assuntos relacionados à facção ao contrário de estar em nossa casa, enchendo o saco! E não faz diferença a presença dela ou não, pois desde sempre aprendemos a conviver com nosso pai e nossa governanta, Jessica.

 O que é a " Facção "? Eu não sei ao certo, mas meu pai dizia que era a forma de defender o nosso país e de nossa família ter a paz. Sei também que a nossa fonte de luxo sai de lá e que a morte dele foi causada por algo nesta facção. E além disto, depois da morte de nosso pai, Clarice juntamente com todos os membros da facção, nos obrigaram a participar de uns treinamentos que não fazem muito sentido para mim e para Clary! Aulas de tiros, aulas de luta, academia, alimentação regulada e saudável...Não sei o que é essa Facção, mas com esses treinamentos posso concluir que é algo muito perigoso!

Mas a nossa vinda para a Coréia do Sul é algo muito maior que apenas estudos, nós queremos descobrir o que aconteceu com o nosso pai! A Clary mais que eu! Mas ainda sim quero saber o que aconteceu com o meu pai. Quero sabe o porquê de lhe tirarem a vida!

[...]

Ao sair do avião senti a brisa gelada tocar minha pele quente e logo fui obrigada a vestir meu casaco. Depois de pegar as nossas malas, eu e Clary fomos para o portão de desembarque do aeroporto. Ao sair logo vimos um garoto segurando uma plaquinha escrita "Welcome Clary and Alyce.". Sim, ele escreveu em inglês! Nós duas passamos anos nos preparando para vir para a Coréia, tendo aulas de coreano. Mas falando com o Kunpimook Bhuwakul por chat Online, ele falou que era fluente em inglês. Melhor assim.

-Oi.-Falo ao nos aproximar dele.

-Ai meu Deus!-Ele me abraça.-Bem-vindas!-Abraça a Clary.-Clary e Alyce. Certo?-Ele agora fala em coreano.

-Sim!-Clary ri.

-Fico muito feliz de finalmente conhecê-las pessoalmente, depois de meses nos falando apenas por redes sociais.

Ele é muito simpático e bonito. Com os cabelos castanhos quase avermelhados, rosto bonito e corpo muito semelhante ao de um modelo. E se não me engano, olhando de perto, ele estava com um pouco de maquiagem para esconder as imperfeições de seu rosto.

-Exatamente, Kunpi...Ai meu Deus! Não consigo falar o seu nome.-Clary fala.

-Olha, como vocês irão fazer parte de minha família, me chamem de BamBam. Para ficar mais fácil para vocês!-Rimos.

-Okay, BamBam.-Falo.

-Bom, acho melhor irmos. A minha mãe está nos esperando no estacionamento.

-Claro.

-Deixe-me ajudá-las com as malas.-Ele pega uma mala minha e a mochila de Clary. Ao chegar no estacionamento logo avistamos uma mulher parada em frente a um carro com uma garotinha no colo.

-Clary! Alyce!-Ela coloca a garotinha no chão e vêm em nossa direção logo nos abraçando.-Sejam bem-vindas!

-Muito obrigada!-Falo em coral com Clary.

-Me chamem de Lee Chae.-Ela fala.-Melhor irem por mim, meu nome em tailandês não é um dos melhores!-Rimos.

-Já tiramos essa conclusão apenas com o nome do BamBam. Kunpim...-Rimos.

-E essa princesinha?-Pergunto.

-É a minha irmã. Fala "oi" para as meninas, MinHee.

-Oi.-A garotinha fala e se esconde atrás do irmão.

Entramos no carro e Lee Chae nos levou até sua casa em menos de dez minutos. A casa ficava em um condomínio avaliado como caro. A casa era muito parecida com a minha em Los Angeles. Logo que saiu do carro, BamBam começou a gritar por alguém.

-JinYoung! JinYoung!-Ele grita e sua mãe logo o repreende.

-BamBam! Tá ficando louco? Para de gritar!-Ela fala e entra em casa levando MinHee.

-JinYoung!-Ele ignora e volta a gritar até um garoto de cabelos escuros, pele branca e orelhas grandes aparecer. O garoto era pouco mais alto que eu, eu com 1,70. Ele era muito simpático e o seu sorriso era muito fofo, seus olhos se enrugavam!

Depois de nos desejar boas-vindas, ele e BamBam nos ajudaram a levar as malas para dentro da casa.

-Vou mostrar os quartos de vocês.-BamBam fala.

Ao subir as escadas me deparei com um corredor extenso e cheio de portas. BamBam abriu uma das portas.

-Alyce, minha mãe separou esse quarto para você, mas se quiser trocar com a Clary não tem problema. O quarto separado para ela fica aqui ao lado.

-Não, eu fico com esse mesmo!-Falo e JinYoung me ajuda a colocar as malas no quarto enquanto BamBam mostra o quarto de Clary.

-Então...é Clary, né?! É sua irmã?-Ele fala puxando assunto.

-Sim. E sim, ela é minha irmã!-Sorri.

-Vocês vão estudar no mesmo colégio que o BamBam?

-Quanto a isso não sei ao certo. Mas é provável que sim.-Falo.-Você estuda no mesmo colégio que ele?

-Sim. É o meu primeiro ano lá. Tive que mudar de colégio porque vim morar com o meu pai.

-Ah. Você tem quantos anos?

-19.

-Também tenho 19.

-E a Clary?

-Ela fez 19 no mês passado.

-Gente...-O BamBam aparece na porta do quarto acompanhado pela Clary.-...minha mãe está chamando vocês para comerem alguma coisa.

-Oba! Comida!-JinYoung fala animado.

-Minha mãe tá chamando as meninas e não você.-BamBam retruca.

-Vou comer do mesmo jeito!

-Bom, eu vou só tirar essas botas e já desço.-Falo e os meninos saem.

-E aí?!-Clary fala.

-Oi.-Falo.-Como se sente estando finalmente na Coréia do Sul?

-Aliviada e você?

-Feliz. Muito feliz.-Falo.

-Feliz por ter uma chance maior agora de encontrar o Key na rua, ou por finalmente ter deixado os Estados Unidos e por ter se livrado da Clarice?

-Pelos dois.-Ri.-Mas feliz mesmo por ter deixado Los Angeles. Eu não aguentava mais ter que viver com todas aquelas coisas ruins.

-É assim que me sinto. Acho que estou mais aliviada por não ter que conviver com todas aquelas coisas ruins que aconteceram com a gente.-Ela fala.-Mas vejo que já está com um amigo novo, não?-Ela faz uma cara de maliciosa e depois começa a rir.

-O quê? Oi? Do que tá falando?

-JinYoung.-Ela ri ainda mais.

-Clary, não tem nada a ver! Ele é bonito, mas já é um amigo!

-Eu sei que você pega os seus amigos, Okay?

-Só foi o Jack!

-Ah, claro! Tá esquecendo do Carter?!

-Clary, cala a boca. Não estou interessada no JinYoung!

-Vamos ver isso depois! Olha, se chegar a ficar com ele eu vou rir muito e falar "eu disse"!-Ela ri.

-Acho mais capaz você ficar com ele. Ele está todo interessado em você! Tudo pergunta de você!

-Eu não sei de nada. Sei que tá afim dele sim!

-Ai, Clary...cala a boca!-Falo. Tiro minhas botas e calço meus chinelos.-Não fala mais nisso. Fica na sua.

Descemos as escadas e nos juntamos aos meninos que falavam baixo sobre algo. A mãe de BamBam estava ao lado dando comida para a MinHee, mas logo pediu que BamBam o fizesse para que ela pudesse tomar banho. Quando ela saiu, foi quando BamBam realmente falou o que tinha em mente.

-Eu estava pensando com o JinYoung e nós decidimos que queremos mostrar alguns pontos turísticos de Seoul para vocês, e nada melhor do que mostrar a melhor boate daqui.

-A mãe do BamBam não pode saber que vamos para essa boate.-JinYoung fala.-Nós temos um amigo que trabalha como segurança lá e ele sempre autoriza nossa entrada.

-A gente vai poder beber?-Clary pergunta.

-Por acaso o barman de lá é um estudante do nosso colégio, conheço ele.-BamBam fala.-Mas pode ser que hoje ele não esteja trabalhando. MinHee, não conte nada disto que ouviu para a mamãe, okay?

-Tá bom.-Ela fala baixinho. MinHee mesmo tendo três anos falava muito e falava exatamente o que ouvia.

Pelo final da tarde, JinYoung foi para sua casa e nós três começamos a nos arrumar. Tomei um banho, vesti uma calça preta cós alto, um top cropped preto, coloquei uma jaqueta vermelha e calcei um scarpin prateado. Fiz uma maquiagem usando base, corretivo, rímel e batom vermelho vinho, nada exagerado para não dar a deixa para a Lee Chae que iríamos para uma boate. Deixei meus cabelos soltos e passei perfume.

Quando cheguei na sala, Clary estava sentada no sofá, assistindo Bos Esponja com a MinHee.

-Cadê o BamBam?-Pergunto.

-Não sei. Deve estar descendo.

-Você está no estilo "nigga".-Falo rindo. Ela usava uma calça preta, uma blusa no estilo de uniforme de basquete, um tênis da Adidas, uma bandana na cabeça e sua maquiagem estava bem natural, com apenas um batom vermelho para chamar a atenção.

-E você está no estilo patricinha de Los Angeles.

-Nossa. Ridícula.

-Mas está bonita.

-Você também, ridícula.-Falo.

Quarenta minutos. Foi o que esperamos pelo BamBam. Ele estava vestido de forma fashion e olhando mais de perto...aquilo era maquiagem. Nada contra, mas ele usa maquiagem 24 horas?! Homens usando maquiagem, bom, já estou acostumada. Sei que muitos dos asiáticos têm uma vaidade muito semelhante a de mulheres. Mas o BamBam é nível máximo!

Clary também percebeu , mas apenas me indagou com um olhar.

Saímos de sua casa e nos juntamos a JinYoung para irmos de táxi até a boate. Como dito, entramos na boate com facilidade. O lugar estava cheio de adolescentes, tanto que cheguei a me perguntar se aquele segurança também era amigo de todos esses adolescentes, o lugar tinha uma música bem alta e as músicas que tocavam eram americanas, então eu conhecia todas.

-Vão querer beber o quê?-JinYoung fala.

-Qualquer coisa que tenha álcool.-Clary fala. JinYoung saiu e voltou com dois copos com uma bebida vermelha na mão. Clary virou a bebida de uma vez só, e ao beber a minha senti algo queimando minha garganta. BamBam e JinYoung foram para a pista de dança e já começaram a aproveitar suas noites.

-Vamos, Aly.-Clary fala.

-Eu já vou. Só vou terminar a minha bebida.

-Tá. Eu vou lá.

-Okay.

Ela saiu e eu decidi ir até uma bancada no bar, me apoiei lá e fiquei bebendo minha bebida tranquilamente e observando as pessoas ali. Em meio a multidão me peguei encarando um garoto que fazia o mesmo comigo. Ele levantou seu copo como um brinde e sorriu para mim, fiz o mesmo. Ele me interessou. Aos poucos eu vi ele se aproximando, e fiquei mais afim dele por sua atitude.

-Sozinha?-Ele fala em meu ouvido pela música alta. Sua voz era uma loucura!

-Estou com uns amigos e a minha irmã.-Falo em seu ouvido também.

-Você é muito bonita.

-E você é muito atraente.-Sorrimos.

-O que acha de irmos para um lugar menos barulhento?

-Claro.

Estávamos em uma espécie de corredor. Era menos barulhento e pouco escuro. Encostei em uma parede e ele se pôs a minha frente, colocando uma mão apoiada na parede pouco acima de minha cabeça. Ali eu podia reparar melhor em sua beleza. Seu corpo magro, seus cabelos tingidos de louro, sua boca bonita e pequena e seus olhos lindos.

-Se eu te beijasse acharia estupidez ou abuso?-Ele pergunta, falando em meu ouvido, mesmo sem ter necessidade.

-Claro que não.-Falo em seu ouvido também.

Ele colocou uma mão em minha nuca e a outra em minha cintura, passei meus braço por seu pescoço e aproximei nossas bocas. Ele tomou meus lábios em questão de segundos e logo estava explorando minha boca com sua língua. Aquele garoto beijava muito bem!

Nossas pausas com os beijos eram curtíssimas e logo voltávamos aos nossos beijos. Sua mão na minha nuca puxava meus cabelos levemente para cima e para baixo, e sua mão que estava em minha cintura foi descendo e chegou em minha bunda, logo a apertando. Já as minhas mãos foram para os seus cabelos e eu os puxava muito levemente.

[...]

-Onde é que você estava?-Clary fala. Nos segundos anteriores eu estava aos beijos com o garoto...garoto atraente, que eu nem me dei o trabalho de perguntar seu nome.

-Eu estava com um garoto...

-Percebi! Essa sua boca vermelha aí.-Ela fala.-Vamos embora. O táxi já deve ter chegado.

Saímos da boate que já estava quase vazia e entramos no táxi que logo deu partida.

-Estava onde, mocinha?-BamBam fala.

-Estava com um garoto...

-É isso ai! Já chega fazendo a festa!-JinYoung ri.

-Mudando totalmente de assunto...JinYoung, você viu que o Mark e o Jackson estavam lá também?-BamBam fala.

-Não os vi.

-Eu os vi rapidamente, mas logo os dois sumiram.

-Quem são Mark e Jackson?-Pergunto.

-São uns de nossos amigos. Vocês os conhecerão amanhã.-BamBam fala.

Quando chegamos na casa do BamBam fui direto para o quarto que me foi designado, tomei um banho e vesti uma das minhas blusas masculinas que uso como pijama. Deitei na cama e ia quase apagando a luz do abajur quando alguém bateu na porta:

-Entra.-Falo e a Clary adentra o quarto.-Oi.

-Oi.

-Veio me dar beijinho de boa noite?

-Acho que você prefere beijinho de boa noite do cara que você estava pegando na boate!

-Realmente! Nossa! Ele beijava tão bem! Meu Deus! E a voz dele era outra coisa maravilhosa...

-Qual o nome do cara?

-Eu não sei.

-Como não sabe o nome do cara?

-Não sei!

-Não acredito que ficou com um cara sem nem saber o nome dele! Já te avisei que uma hora você vai acabar se ferrando com isso! Você é tão responsável às vezes e em outras é mais irresponsável que uma criança!

Depois de levar o super sermão de Clary Cooper Shone, ela foi para o seu quarto e eu acabei adormecendo. Quando acordei eu me sentia completamente descansada, olhei no relógio e...11 horas! Meu Deus! Dormi demais!

Levantei, tirei meu pijama e vesti um shorts cós alto, uma regata grande e folgada, fiquei com meus chinelos mesmo e fiz um rabo-de-cavalo no cabelo. Arrumei minha cama e saí do quarto para comer alguma coisa e voltar depois para arrumar minhas coisas nos armários.

Antes mesmo de chegar na cozinha escutei uma gritaria. Me aproximei e vi que vários garotos junto com o JinYoung, Bambam e Clary estavam na cozinha fazendo alguma coisa.

-Oi gente.-Falo e faço alguns dos meninos se virarem para mim, tirando suas atenções do que estavam fazendo. Ao passo que todos viraram, minha boca ficou em formato de " o ".

-Meninos, essa é a Alyce.-BamBam fala. Logo o garoto loiro da noite passada dá alguns passos em minha direção, antes que todos fizessem isso, com um grande sorriso no rosto.

-Oi Alyce. Tenho muito prazer em conhecê-la! Sou Mark Tuan.-Aquela voz. Aquele era o garoto atraente da boate.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e dêem muito amor a esta fic💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...