História If you (Imagine Daesung) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Personagens Originais, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Amor, Bigbang, Daesung, D-lite, Seungri, Taeyang, Top
Visualizações 97
Palavras 941
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello people...

Voltei com mais um capítulo pra vocês, espero que gostem.

Ah, vcs viram que vai sair o DVD da tour do Dae pelo Japão?
Orgulho do meu oppa ♡

Agora vamos ao que interessa kkkkk

Boa leitura.

Capítulo 4 - O improvável acontece


Fanfic / Fanfiction If you (Imagine Daesung) - Capítulo 4 - O improvável acontece

Eu ainda estou estava confusa com tudo o que estava acontecendo. Mesmo estando animada com aquilo, no fundo sabia que ter um encontro com um k-ídol não era algo que acontecia com frequência.

  O clima havia piorado durante a noite. Pela sacada do quarto, via as pessoas andarem apressadas pelas ruas, encolhidas em seus longos casacos. Algumas passeavam de mãos dadas com seus parceiros enquanto tentavam se proteger da chuva que caia desde o começo da noite.

-já sabe para onde D-lite vai te levar? -Taila se aproximou, me estendendo uma xícara de chá quente.

-não. Recebi uma mensagem dele hoje com um endereço. -Dei de ombros. -Pediu para que eu o esperasse lá. -Voltei a me debruçar no parapeito. A visão dali era algo impressionante.

-seu pai me ligou pela manhã. -Taila disse em tom baixo, se ajeitando em uma das cadeiras que haviam ali. -Queria saber sobre você.

-você não... -Voltei a atenção para ela. Se meu pai souber, é bem provável que me faça voltar. -Contou nada a ele, não é?

-não. -Negou com a cabeça. - Claro que não. -Piscou. -É um segredo só nosso.

Sorri em forma de agradecimento.

-o que seria de mim sem você? -Perguntei rindo. 

                      (***)

 Toda primeira vez é como a risada de uma criança ao ganhar o presente que pedirá ao papai noel. É o tipo de coisa que quando acontece se fica torcendo para que seja real e se repita por muitas outras vezes. E foi assim que me senti a primeira vez que fiquei a sós com D-lite após o fanmeeting.

 E agora aqui estou eu, esperando o táxi que me levaria até minha realidade momentânea.

 O taxista até tentou começar algum assunto, mas não conseguia me concentrar em outra coisa que no meu encontro com Daesung. Não me lembro de nenhum outro fato na minha vida que me fez ficar tão ansiosa quanto estava naquele momento.

 O endereço que me foi dado era um dos mais sofisticados hotéis de Seul. Não podia esperar nada menos de um Ídol.

Me foi pedido pela recepcionista que aguardasse enquanto o avisava que eu havia chego.

 Me sentei em um dos inúmeros sofás vermelhos da recepção, vendo o movimento constante de pessoas que entravam e saiam com pressa, sem se dar ao luxo de parar parar e admirar a incrível estrutura daquele local. Talvez já estivessem acostumados com todo aquele luxo e eu, por não estar tão acostumada estivesse assim tão... Encantada.

-demorei?

 Senti meu corpo se arrepiar por completo ao ouvir aquela voz que tanto amava ser direcionada a mim.

Virei meu corpo para sua direção, me deparando com um belo homem, muito bem produzido. Não pude conter o sorriso quando me vi refletida naqueles olhos castanhos tão intensos.

-não. - Minto. - Cheguei agora.

-você está muito bonita. -Sorriu pegando em minha mão.

-obrigada. -Sorri fraco. -Você também está muito bonito oppa. 

- obrigado. - Coçou a nuca com a mão livre. - Vamos?

   Concordei.

-pra onde quer ir?

-não sei. - Dei de ombros. -Eu não conheço nada por aqui.

-vem, conheço um lugar bem legal.

 Me guiou até o lado de fora onde um táxi nos aguardava.

Fomos o caminho inteiro praticamente em silêncio. De vez em quando Dae me mostrava alguns pontos turísticos ou comentava sobre os locais que frequentava com os colegas de grupo.

O local era uma espécie de lanchonete, estava praticamente vazio.

-o café daqui é o melhor de toda Seul. -Comentou, fazendo sinal com a mão para a garçonete. - Gosta de café?

 Concordei com a cabeça.

-Posso ajudar? -A mulher se aproximou devagar, retirando um pequeno bloco de anotações do bolso do avental.

-Posso escolher por você?

 Concordei com um manear de cabeça.

-um capuccino de chocolate para a dama e um café grego para mim.

-só um momento. -Se afastou, seguindo para o balcão.

-capuccino de chocolate? -Franzi o cenho.

-não gosta?

-é o meu preferido.

-eu já sabia. -Gritou, ganhando a atenção das pessoas ao redor.

-ah é? -Concordei com a cabeça. -Como?

-eu leio mentes. -Cruzou os braços sob a mesa, ficando a centímetros de mim.

-então... O que estou pensando agora? -Ergui a sobrancelha o desafiando. Estava começando a gostar do nosso joguinho.

-quer que eu leia sua mente? -Prendeu seu olhar no meu, como se realmente pudesse ler o que se passava em minha mente.


-quero!


-tudo bem. Você está pensando que eu não consigo ler a sua mente.


   Ri baixo, quebrando o contato visual.


-meio óbvio, não acha?


-você é ruim. -Fez bico. -Pode pelo menos fingir que seu oppa acertou? -Perguntou rindo exageradamente alto.


-tudo bem. -Ergui os braços em rendição. -Desculpa.


-Vamos tentar de novo.


-tudo bem. - Me debrucei na mesa, ficando com o rosto a centímetros do seu. -Minha mente é sua.


-você está pensando em... - Massageou as têmporas, fechando os olhos. -Por que está aqui?


-por que você me convidou. -Dei de ombros, bebendo um pouco da bebida que havia acabado de chegar.


-não. -Riu, negando com a cabeça. -Eu quero saber o que te trouxe para a Coréia?


   'Você'


-a pergunta não seria essa. - Tentei mudar o foco do assunto.


-a não? Então qual seria?


-por que eu?


-te achei interessante e, queria te conhecer melhor. -Corou. -Algum problema?


-sim. Quando se pode ter a mulher que quiser.


-não sabia que você pensava dessa forma.


-não. -Neguei com a cabeça. -É que... Você pode ter a mulher que quiser e... Olha para mim, eu sou...


-muito bonita. -Me interrompeu.


-não era bem isso que eu ia dizer. -Cocei a nuca, sentindo meu rosto queimar, provavelmente estava vermelha. 

   Riu alto, se levantando.


-eu vou pagar nossa conta e já volto.


   Sorri em resposta.


   'Como posso ser tão burra?'


-tem horas para voltar? -Sua mão pousou em meu ombro, o apertando devagar.


-não. Porque?


-vou te sequestrar essa noite. Quero fazer sua opinião sobre mim mudar. -Piscou. -Vou te levar para conhecer as estrelas.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Bjos...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...