História Ignorance - Capítulo 11


Escrita por: ~ e ~AnnaLinspector

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Homossexualidade, Ignorancia, Loucura, Sexo, Tragedia, Violencia
Exibições 136
Palavras 1.966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Blind Love.


Fanfic / Fanfiction Ignorance - Capítulo 11 - Blind Love.

[ Capitulo 11 – Blind Love. ]

                        [ Ego – Willy William ]

Daniel Mendez

Andar de bicicleta é um hábito que eu tenho desde criança, e especificamente naquele começo de tarde eu resolvi dar algumas voltas pela cidade tentando refletir. Amar o irmão mais velho do meu melhor amigo não é fácil, ainda mais quando ele é hétero, eu acho... Jason foi meu primeiro amor, mas até aquele dia na casa do Dilan eu nunca tinha contado nada sobre o que eu sentia e ele me tratou tão bem que eu jurava que tinha rolado algo entre nós, mas ele me rejeitou, no fim das contas eu só estava me iludindo. 

Parei do lado da minha bike para respirar, encostei ela ao lado de uma árvore e eu com certeza teria sentado ali mesmo para descansar, mas mudei de ideia quando encontrei o Jason fumando na porta de uma faculdade, não precisei pensar muito para deduzi que ele estudava lá. Atravessei a rua, mas quando ficamos frente a frente eu simplesmente não sabia o que falar com ele... 

-Andou me seguindo garoto? - Ele arqueou a sobrancelha e apagou o cigarro no chão. 

-Não, eu só te vi do outro lado da rua e pensei em falar com você. - Falei um pouco sem jeito. 

Jason olhou em volta e em seguida me puxou pelo braço levando nós dois para um canto mais escondido. 

-Olha Daniel, eu vou ser bem direto com você, nós dois não temos nada e nunca vamos ter, eu gosto de garotas. - Ele nem olhava no meu rosto enquanto falava e eu não precisei ouvir mais nada pra entender que ele me deu um fora e a sensação não foi nada boa. 

Saí de lá sem olhar para trás e quando cheguei até a árvore onde minha bicicleta estava, me sentei no chão e me permiti chorar um pouco com minha cabeça apoiada entre os meus joelhos, machucava saber que eu não tinha chances, "eu devia ter ouvido o Dilan". 

O Sol daquela tarde estava escaldante e depois de chorar um pouco percebi que ficar ali sozinho não resolveria nada, passei as mão no rosto e me levantei pegando minha bicicleta, mas aquele não era mesmo meu dia, como se levar um fora já não fosse chato o bastante eu tinha que estar ali para ver o meu Jason agarrado com uma garota qualquer. 

Raiva! Eu estava com muita raiva e por mais magoado que estivesse eu não ficaria por baixo, pedalei para longe dali decidido. 

-Eu vou superar. - Sussurrei para mim mesmo.

Jason Dirk.

As pessoas sempre vinham perguntar para mim qual era a coisa que eu mais gostava no mundo e eu sempre respondia mulheres, algo que é completamente mentira porque se eu pudesse escolher duas coisas com certeza não seriam elas, e sim meus cigarros e minhas bebidas.

Não que eu não goste de mulheres, longe disso mas eu tenho certeza que meus vícios são mais gostosos do que elas. 

Eu diria que eu sou o tipo de garoto que as meninas querem namorar mas não deviam, o tipo que a mãe avisa e mesmo assim elas pecam, assim como a garota na faculdade que eu estou pegando nesse exato momento, Luiza, ela é bonita, todos os garotos adorariam pegar ela mas quem deu sorte fui eu.

- Você comprou um presente para mim? – Ela sonhava muito, e é claro que eu não alimentava sua ilusão pois não era difícil achar uma foda por ai.

- Claro que não, sabe que não estamos namorando. – Dei de ombros e sai dali. Eu era um ótimo filho, ótimas notas na faculdade e tudo mais, mas era péssima pessoa e péssimo irmão.

Cheguei em casa e lá estava um dos meus maiores problemas, meu irmão, Dilan e para piorar não estava só ele pois a minha felicidade dura muito pouco, além dele estava Daniel, o que só me irrita ainda mais pois esse garoto é um puta de um stalker. Não posso negar que ele tem um corpo legal, uma bunda que da vontade de apertar o dia todo mas eu continuo sendo hetero e não é legal um cara ficar te seguindo.

Fui direto para o meu quarto e joguei minha mochila na cama, peguei meu celular no bolso vendo as mensagens que me mandaram, as de Luiza eu ignorava completamente e de algumas garotas também até que eu achei uma interessante.

Mensagem de Luan: Eu diria que você precisa de uma saidera, é sério, faz tempo que a gente não bebe.

Mensagem de Luan: Hoje, as 19hrs, vai ter uma festa perto da faculdade e eu vou ir te buscar.

Antes que eu pudesse responder a mensagem de Luan, ouvi a porta sendo aberta e olhei para ver quem era.

- Desculpa, Dilan disse que a mochila dele estava por aqui... – Era o Daniel, apontei para a mochila do meu irmão na cama e o vi se agachando para pega-la e inevitavelmente eu olhei para sua bunda.

- Da pra você se apressar? – Ele estava passando muito tempo naquela posição e isso estava me incomodando.

Finalmente ele pegou a mochila e saiu do quarto, e não evitei olhar novamente para como ele andava se Daniel fosse Daniela com certeza eu não teria piedade dele. Ri de meus próprios pensamentos e voltei a olhar a mensagem de Luan e não hesitei em responde-la.

Mensagem de Jason: Ok, só não fode a minha barra com as garotas.

Daniel Mendez. 

Contei ao Dilan sobre o irmão dele e mais uma vez ele me aconselhou a me afastar para não sofrer, Jason não prestava e eu sempre estive ciente disso, mas isso nunca me impediu de gostar dele. Cheguei a ver ele enquanto eu estava na casa do Dilan e o clima entre nós dois ainda estava bem chato. 

- Eu já te falei mil vezes, meu irmão é um idiota, esquece ele. - Dilan falava enquanto enrolava uma mecha do meu cabelo. 

É fácil falar Dilan Dirk! Pensei enquanto me mexia no colo do meu amigo. 

- É complicado Dilan, se lembra de quando você gostava do Oliver? Então, é a mesma coisa, ou até pior... 

E antes do Dilan me responder ouvi meu celular tocar e não esperei nem o segundo toque para atender. 

- Fala gatinho. - Max falou do outro lado da linha. - Tá em casa? 

- Não Max, to aqui no Dilan, porque? - Perguntei enquanto me ajeitava no sofá.

- Tenho um convite pra fazer, topa ir numa festa comigo? 

- Não sei não... 

- Deixa de ser chato, bem que você tá precisando curtir um pouco e não esquece de chamar o Dilan. - Max estava certo, qual o melhor jeito de esquecer um garoto babaca? Uma festa obviamente. 

-Ok, eu topo. 

Desliguei meu celular e posso até dizer que me animei um pouco mais depois desse convite, cheguei a chamar o Dilan, mas parece que ele ia sair com o Antony, não insisti. E depois de chegar em casa tomei um banho daqueles bem demorados, Max combinou de me buscar as seis e meia e como aquele garoto era pontual, sete e meia e ele havia acabado de chegar no meu quarto, e eu ainda mais pontal deixei ele esperando enquanto eu terminava de me trocar. Pontualidade não era mesmo o nosso forte. 

A festa acontecia próxima a faculdade do Jason...constatei isso quando chegamos no local, "agora não é hora pra pensar nele Daniel", essa noite seria minha, sem pensar em Jason ou em qualquer uma das minhas frustrações, abri o meu melhor sorriso e me joguei na pista, ou pelo menos era para ser uma...dancei como nunca e não tinha como negar, eu estava atraindo olhares. 

É hoje! Pensei enquanto me envolvia no ritmo da música.

Jason Dirk.

A música da festa era incrível e as bebidas também, e como um bom viciado não me aguentei, Luan já tinha saído do meu lado e algumas garotas tentaram ficar comigo mas eu não queria papo com ninguém enquanto tivesse bebida no meu copo.

O problema de tudo isso é ficar bêbado e era como eu estava no momento, olhei para a pista de dança e pude ver algo que me chamou atenção, me levantei e andei até o meio da pista, e sim eu andei, eu fico bêbado mas continuo sabendo andar! Observei o garoto que dançava sem prestar atenção em quem estava ao seu redor e arqueei a sobrancelha quando notei quem era.

Minha mente estava cheia de álcool, nesse momento minha sanidade, vergonha [ que eu duvido que ele tenha ] estavam longe. Então não demorei para puxar o corpo de Daniel para mim e colar suas costas em meu corpo.

- Eu já não falei para você parar de me seguir? – Pude ouvir um suspiro vindo de seus lábios e isso fez meu membro reagir, eu não iria sair dali daquele jeito. Peguei Daniel pelo braço e o puxei para o banheiro da festa, ele reclamava alguma coisa que eu não prestei muita atenção.

Tranquei a porta atrás de mim e notei que até para um banheiro de festa aquilo ali estava limpo, eu podia ver que ele estava um pouco irritado só pela posição que se encontrava.

- Muito engraçado, Jason, agora me deixa sair. – Ele tentou me empurrar mas não deu certo, era engraçado isso porque bêbado qualquer um conseguia me mover mas ele não.

- Você viu o que você fez? – Apontei para o meu membro em minha calça. – Dê um jeito nisso e quem sabe você pode sair daqui.

- Oi? Muito engraçado, pede para a sua namorada. – Ele tentou novamente me empurrar.

- Anda logo, Daniel, o tempo esta passando. – Fiz questão de puxa-lo e lhe dar um selinho. – Faz esse favor para mim...

Daniel Mendez. 

Eu sei muito bem o que eu tinha que fazer, mas é meio difícil fazer o que é certo quando o cara que você sempre desejou está bem na sua frente te pedindo um favor nada descente, lindo e excitado. Talvez mais tarde eu me arrependesse, mas como eu tinha dito naquela festa eu iria me divertir e Jason se encaixava muito bem na categoria diversão da noite. 

Puxei sua nuca beijando sua boca sentindo o gosto de bebida bem presente, e certamente isso não fazia do beijo dele algo ruim, senti um pequeno calafrio e não pude evitar um sorriso, Jason já empurrava minha mão para dentro da sua calça e eu não me fiz de rogado, segurei o seu membro e sem demora comecei os movimentos. 
E sem eu esperar Jason apertou minha bunda me tirando um suspiro surpreso e eu não posso dizer que não gostei, com certeza ele não conhecia a palavra "vergonha". 

- Já te falaram que você tem uma bundinha gostosa? - Ele beijou o meu pescoço me deixando arrepiado e aquele lugar parecia cada vez mais apertado e quente para nós dois. 

Beijei ele mais uma vez e mesmo sabendo que ele estava bêbado eu via minhas esperanças se acenderem, a respiração dele pesava e após selar nossos lábios uma última vez eu me agachei na frente dele. Abaixei um pouco sua calça e sem pensar muito coloquei seu membro na minha boca. 

- Wow...que boca é essa...Daniel. - Jason falava pausadamente sem evitar alguns gemidos baixos. 

De longe se ouvia a musica cada vez mais alta, porém, naquele banheiro Jason e eu fazíamos uma festinha particular, e depois de se satisfazer ele ajeitou suas roupas me roubando mais um beijo, dei mais alguns selinhos nele e apoiei meu rosto sobre o seu peito me sentindo realizado só por estar ali, com ele. 

- Eu te amo. - E mais uma vez eu consegui estragar tudo dizendo as palavras erradas na hora errada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...