História I'II Never Let You Go - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Preconceito, Racismo, Romance
Visualizações 14
Palavras 1.478
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Josei, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa Leitura!!

Capítulo 31 - Meu Preconceito e Seu Orgulho


Fanfic / Fanfiction I'II Never Let You Go - Capítulo 31 - Meu Preconceito e Seu Orgulho

                                                               Meu Preconceito e Seu Orgulho

Perdi o chão no instante em que perdi a mulher que amo. Eu a ignoro durante dias. Meu orgulho é maior do que tudo. Ela me comparou a Marcus. Eu a amei e amo, mas sou homem e tenho dignidade. Ela disse que eu não acrescentava em nada sua vida. Tanto fiz por aquela mulher. Encaro o jardim dos fundos de meu apartamento. O sol ilumina meu corpo e eu me embriago de álcool observando a piscina a minha frente. Meu telefone toca pela décima vez, Alexia não para de telefonar.

__Ah vai ficar ligando, sua ingrata? Digo secamente e atiro o meu celular na piscina. Que dor no meu peito. __MARIA! Grito chamando por minha secretária. __ Transfira o dinheiro para a conta do analista. E saia atrás de um celular novo para mim. O meu acabou de cair, acidentalmente, na piscina. Agora vá.

__Alexia, eu não sou um lixo. Choro me recordando das palavras de Alexia, eu fiz de tudo por nosso amor para que no final... Ela se mostrasse como antes novamente. Cambaleio ao me aproximar da piscina. Meu corpo vai para frente e para trás. Enfio a mão no bolço da minha bermuda e pego a calcinha de Alexia. Minha companhia nesses dias de tempestades.

__Que saudade da minha gordinha. Olho um ponto preto no fundo da piscina; meu celular, e me perco no vazio da minha mente. Troco às pernas e acabo caindo na piscina, afundando sem nenhuma motivação de me salvar. Eu sei nadar e muito bem, mas o gesso... É assim que minha vida terminará? Ah tanto faz. Meu corpo começa a ficar dormente e me falta oxigênio. Por que não consigo me mexer? Através da água quente observo a visão de Alexia antes que eu terminasse minha breve vida. Minhas mãos se esticam no instante em que a vi me abraçando fortemente. Como eu desejava um pedido de desculpas...

__Amor. A voz dela ecoa ao submergimos na água.__ Reage, Zeus. Quanto você bebeu? Ela me pergunta, entretanto, eu não sei se consegui responde-la. __Eu preciso que você saia daqui. Você me compreende meu amor? Faço que sim e a solto na água ao me virar e forçar meu braço esquerdo na borda da piscina.

Jogo meu corpo no chão e fito o céu azul repleto de nuvens brancas. Alexia faz o mesmo e se alinha em mim. Com a cabeça em meu peito e a mão entrelaçada com a minha.

__Me perdoa. Eu sinto muito. Ela sussurra com um olhar tão brilhante que me faz bufar de raiva. Como uma mulher pode ser tão linda__Eu disse coisas horríveis para você...

__Chega... Eu também te fiz chorar... Me perdoa. Digo secamente e me coloco sobre o corpo dela. A encaro assustada e tensa. Completamente entregue a mim. Alexia fechou as pálpebras e esperou por minha atitude. Envolvo-me com o momento e desço meus lábios bem próximos dos seus. Ela abriu os olhos e me observou aguardando... Beijo-a carinhosamente, como nunca antes. Brinco com sua língua e me excito com seus gemidos abafados.__ Quer casar comigo, Alexia? Peço. Ela faz que sim expondo um belo sorriso. __ Eu lhe quero somente para mim. Seu corpo, seus pensamentos e sua alma. Você tem certeza? 

__Sim meu amor. Ela sussurra e toma a iniciativa de me beijar. Como eu a amo. Essa é a mulher da minha vida. Se ela quiser minha vida... É dela. __ Eu me caso com você; assim que nos formarmos... Achei a mulher da minha vida. O nome dela é Alexia Maia D’ Alexandria, minha futura esposa, a mãe dos meus filhos, a rainha do meu castelo.

“Eu sabia que você viria para mim e aqui está você, mas é melhor você escolher cuidadosamente, porque eu sou capaz de qualquer coisa, de tudo e qualquer coisa. Me faça ser sua Afrodite, me faça ser sua primeira e única, mas não me faça ser sua inimiga, sua inimiga, sua inimiga. Então, você quer brincar com magia, Garoto, você deveria saber com o que está lidando.  Amor, você se atreve a fazer isso? Porque estou indo até você como um cavalo negro. Você está pronto para uma tempestade perfeita, porque uma vez que você é meu, não tem volta.”

Os lábios de Zeus acariciam o meu pescoço. Sua mão se moveu por toda a extensão de meu corpo molhado. Permanecemos no chão. Meus gemidos inaudíveis não se cessavam. O amor por esse homem extasia-me por completa. Ele me conduz a sentar sobre seu corpo, minhas pernas cruzam sua cintura e nossas intimidades se tocam. Nossos olhares dizem tudo. Amor. Paixão. Êxtase. Carinho. Zeus se ocuparia tirando meu vestido, no entanto, delicadamente eu o impeço afastando sua mão.

__Eu faço. Sussurro e seguro na barra de meu vestido arrancando-o sem paciência. Coloco meus braços atrás das costas e desabotoo meu sutiã, libertando meus seios. Ele não esperou. Desesperadamente se curvou e acariciou meus seios com sua mão. Em poucos segundos sua boca alcançou meu seio esquerdo e o sugou exasperadamente.

__Eu não consigo esperar mais, Alexia. O corpo de Zeus implora, embora suas palavras não demonstrassem o seu desejo... Com carinho ele me deitou no chão mais vez e abriu de maneira tão rápida a sua bermuda e a puxou junto com sua cueca box. Ele afastou minha calcinha para o lado. Pensou um pouco, então sem remorso pela minha Victoria Secret’s rasgou a lateral dela. __É melhor sem nada. Você se lembra da sua promessa? Faço que sim e acaricio seu braço. __ Fique por cima de mim, Alexia. Anda. O espero se deitar, com receio subo em sua barriga e discretamente acariciou o seu membro, com movimentos de vai e vem.

__Assim?  Pergunto me atrevendo com meus toques... __Você gosta?

__Você nem imagina o quanto. Zeus fecha os olhos e acaricia meus seios com sua mão. Eu ouso e me viro o deixando com a visão de meu traseiro. __Porra, Alexia! Zeus acaricia meu traseiro enquanto continuo com a sua tortura. __Coloca na boca, Alexia.

__Ainda não. Eu sou uma péssima mulher, Zeus. Perco a estrutura no momento em que ele tocou minha intimidade. Sua mão atravessou por minha perna e me puxando para seus lábios. 69.  Sua boca alcançara minha intimidade. Envergonho-me em tá tão exposta, mas algo dentro de mim me diz que é bom. Ótimo. Um homem que sabe o que faz. Mordo meu lábio inferior ao sentir o êxtase do meu prazer vindo me arrebatar, contudo quando eu quase o atingia Zeus parou com seus toques me levando a loucura. Ele fez de proposito. __Zeus! Clamo por seu nome baixinho, como uma repreenda.

__Ainda não. Eu sou um péssimo homem, Alexia. Ele utiliza minhas próprias palavras contra mim. Sem pensar duas vezes jogo o peso de meu tórax em sua cintura e me deparo com seu membro me esperando. No instante em que o coloco em minha boca Zeus fez o mesmo com minha intimidade. Dar para receber.

__Eu não sei... Ele me agarrou contra o seu rosto ferozmente. Eu não chego a gritar, mas paralisar sim. __Eu não posso esperar mais. Imploro para ser invadida. Zeus se senta e me vira rapidamente, cruzando minhas pernas em sua cintura.

 __Não estou em meu melhor momento, Alexia. Não conseguirei me controlar. Perdoe-me se você se machucar. Ele diz perto de minha orelha e se posiciona dentro. Sem dó nem piedade ele me invade. Sua mão me aperta contra seu corpo e seus movimentos se iniciam. Perco o chão com todo o seu amor. Zeus gruda os lábios em meu pescoço e o suga. Ele quer me marcar?__ Por favor, Alexia. Ele pediu e eu concordei. Que marque todo o meu corpo com sua boca se você quiser, Zeus.__ Eu te amo.

__Eu também meu amor. Um misto de dor e prazer me consome.  Minha respiração se altera e em questão de segundos atinjo o ápice e em mais cinco estocadas forte dentro  Zeus alcança sua excitação dentro de meu corpo. Preenchendo-me com todo o seu amor. Ele desaba no chão e eu sobre ele. Ficamos em silencio por alguns minutos, até que um cansaço me domina e em segundos me vejo caindo em escuridão.

“Toque meu corpo, coloque-me no chão, carregue-me por aí e brinque comigo um pouco mais. Toque meu corpo; jogue-me na cama. Eu só quero fazer você se sentir como nunca se sentiu. Toque meu corpo, deixe-me colocar minhas coxas ao redor da sua cintura só um pouquinho. Toque meu corpo, eu sei que você gosta das minhas curvas, venha e me dê o que mereço e toque meu corpo.  Você pode me vestir como uma nova camiseta branca, eu vou abraçar seu corpo mais forte que meu jeans favorito; eu quero que você me acaricie como uma brisa tropical e quero flutuar com você num mar do Caribe.


Notas Finais


Continua...
Beijos Doces Com Açúcar *--*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...