História I'll be good - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Deadpool, Homem-Aranha
Personagens Peter Parker, Wade Willson (Deadpool)
Tags Deadpool, Homem Aranha, Peterparker, Spiderpool, Spideypool, Wadewilson
Visualizações 707
Palavras 1.293
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olaaa, então esse moments é pra RosadaLouca... eu fiz mais ou menos oq vc pediu sokosskkwks eu não sei se esta bom ou não mas espero que vcs gostem.. espero q estejam bem e bom feriado pra vcs beijinhos szsz

Capítulo 24 - 23. Baby Bunny


Fanfic / Fanfiction I'll be good - Capítulo 24 - 23. Baby Bunny

    Spider man e Deadpool, ambos estavam ajudando pessoas a sairem do incêndio de um dos shoppings da cidade, Peter fazia todo seu trabalho, salvando um aqui e ali, Wade também, mas anti herói estava irritando o herói; Deadpool simplesmente não calava a boca um minuto, Peter decidiu propor uma aposta ao mais velho, quem salvasse o maior número de vítimas, em silêncio, mandava no outro por um dia inteirinho. Parker se sentiu confiante após dizer sobre a aposta, só não imaginava que iria perder, e feio, para Deadpool.

[Deadpool]

— Certo, certo.. o que eu mando você fazer um? – Perguntei olhando aquele rostinho emburrado. — Oh, vamos lá baby boy, sorria, eu não sou tão malvado assim.

— Você não é malvado, mas é um tarado, sabe se lá o que você vai me mandar fazer.

— Eu não tinha pensando em nada sexual, obrigada por expandir minha mente.

Petey revirou os olhos bufando, sorri beijado seu rostinho, olhei envolta em nosso apartamento. O que eu poderia mandar ele fazer? Tudo que estava pensando era obsceno, mas queria brincar um pouco com ele, algo que o deixasse extremamente irritado comigo.

Eu tenho que confessar algo a vocês, eu realmente amo quando Petey fica irritado, seu rosto fica coradinho e suas expressões é semelhante a um filhotinho de gato.

— Já volto – Falei pronto pra sair de casa.

— Hey, onde você vai? – Perguntou curioso.

— Vou buscar umas coisinhas.

{...}

Sorri sacana encarando seu rosto, Petey mantinha as sobrancelhas franzidas, suas mãos estavam fechadas em punho e eu sabia o quão irritado ele estava. Mordi meu lábio inferior descendo meu olhar, me controlei para não agarra-lo naquelas roupas. Spidey usava uma boxers branca colada ao seu corpo, uma meia da mesma cor até a panturrilha, em sua cabeça estava orelinhas de coelho.

— Você está tão fofo – Falei com uma voz estranha.

— Eu estou ridículo, você não perde a chance de me envergonha.

Petey se virou de costa pra mim, soltei um gritinho vendo o rabinho de coelho extremamente fofo em sua boxers.

— É o que eu queria, posso mandar em você o dia todo, esqueceu?

Peter me fuzilou com olhar, sorri inocente olhando envolta, podia ver o menor estralando seus dedos em expectativa; Parker podia não dizer em voz alta, mas eu e ele sabíamos como ele gostava de nossas atividades sexuais, vocês ainda acham que eu sou o safado da relação?

— Que tal vermos um filme? – Falei segurando a risada, a carinha de surpreso de Petey era muito fofa.

— Ok.

Deixei que Peter fosse até o quarto em minha frente, apenas para poder olhar seu corpo, ele era lindo demais, não sei lidar com esse garoto. Peter Parker além de ser muito lindo, é inteligente, gentil, educado, fofo, muito safado, e melhor herói que new York podia ter.

Eu sou muito sortudo de ter ele, pode confessar a inveja que vocês tem de mim.

Me deitei na cama me aconchegando ao seu lado, peguei o controle de suas mãos e procurei um filme. Deixei em um qualquer, pois não iria prestar atenção em nada, eu tinha outros planos. Me sentei na cama com as costas apoiadas na cabeceira, olhei Peter que parecia realmente interessado no filme.

— baby bunny, senta no meu colo – Pedi.

Peter arqueou uma sobrancelha se sentando desajeitado em minhas pernas.

— Baby bunny?

— Sim, não é fofo?

Ouvi sua risada fofa, mordi minha boca passando as pontas dos dedos em sua cintura, apesar de Peter estar quase sempre machucado depois de suas missões, sua pele era sempre tão, tão macia. E cheiroso, spidey era extremamente cheiroso, me inclinei deixando beijos por sua nuca e ombros; sorri satisfeito em ver que tinha feito se arrepiar, deixei um chupão na curva de seu pescoço arrancando um suspiro alto de Peter. Passei minhas mãos por sua barriga colocando-os dentro de sua boxers, baby boy encostou suas costas em meu peitoral dando total liberdade a mim.

— Ok, baby bunny, vamos as regras – Falei começando a massagear seu membro. — A primeira é, você não pode gozar até que eu diga que pode.

— Você sabe que eu não sei fazer essas coisas – A voz de Peter saiu baixa, seus olhos estavam fechados enquanto suas mãos apertavam minhas coxas.

— Eu sei, é mais interessante assim.

Mordi seu pescoço ouvindo suspirar, comecei a masturba-lo com mais força, suas unhas curtas arranhando minha pele cada vez que eu ia mais rápido, ate que parei.

— Ah por favor – Pediu virando rosto para me olhar.

Seus olhinhos castanhos estavam lacrimejando, suas bochechas em um tom claro de vermelho, sua boca, aquela maldita boca, estava entre aberta mostrando-o ofegante.

— Pega lubrificante pra mim – Pedi vendo-o se levantar da cama com as pernas bambas.

Me levantei assim que Peter voltou com o tubinho, peguei de suas mãos jogando na cama, sorri para o menor que me olhava com uma expressão desconfiada. O puxei pela cintura começando a beijo-lo, minha lingua invadia sua boca o deixando ofegante, suas mãos apertavam minha nuca me puxando ainda mais contra si; Peguei em suas coxas o jogando na cama, meu corpo grudado no seu enquanto ainda nos beijavamos, Peter mordia e sugava meus lábios, soltando choramingos toda vez que esfregava seu membro dolorido.

— Vira de bruços – Pedi me afastando de seu corpo.

Peguei o tubinho de lubrificante tirando sua boxers, deixando apenas com as meias e a orelhinha de coelho. Não preciso dizer o quão maravilhoso esta sendo ver isso, ne?

— A segunda regra,baby bunny, você só vai gozar com meus dedos dentro de você – Falei ouvindo seu gemido.

— Você só pode estar de zoação – Falou olhando pra mim por cima dos ombros.

Sorri despejando o lubrificante em meus dedos, me ajoelhei na cama abrindo suas pernas.

— Apenas relaxe.

Toquei sua entrada com meu dedo indicador, Peter se contraiu quase jogando seu quadril pra frente, o penetrei ouvindo seu gemido baixo, movi meu dedo lentamente sentindo quente e apertado envolta de mim. Quando penetrei mais dois dedos, os movia de forma extremamente rápida, Peter gemia alto contra o coxão, massagiei suas bolas sentindo seu corpo tremer.

— Você não pode gozar – Falei ouvindo meu nome sair de forma arrastada por sua boca.

— Por favor, Wade, por favor – Implorou jogando quadril pra trás.

Continuei penetrando com força, meu membro dentro de minha boxers estava latejando por ver aquela cena, tirei minha boxers com minha mão livre me masturbando rapidamente. Peter gemia manhoso, falando meu nome entre os por favor, não aguentei tirando meus dedos de dentro de si ouvindo seu gemido frustrado.

— Mudanças de plano, baby boy – Falei passando uma quantidade boa de lubrificante em meu pênis. — Pode gozar.

O penetrei com força ouvindo seu grito, colei meu corpo ao seu, praticamente o prensando contra a cama, meus movimentos eram extremamente rápidos e fortes. Petey gemia alto enquanto puxava o lençol da cama, soube que havia gozado quando seu corpo começou a tremer e seus gemidos ficarem mais desesperados, estoquei mais algumas vezes até gozar dentro de si.

— Eu não sinto minhas pernas – Peter disse baixo enquanto eu me jogava ao seu lado.

— Isso foi... wow – Falei passando minhas mãos por suas costas suadas.

— Foi bom – Concordou abrindo a boca de sono.

O puxei contra mim espalhando beijos por seu rosto e cabelo.

— Busca água pra mim – Mandei ouvido sua risada.

— Já é meia noite, você não manda mais em mim, otário.

Abri a boca chocado, Petey tinha aquele sorriso vitorioso no rosto, fiz uma careta mordendo a ponta de seu nariz.

— Mas você ainda é um baby bunny.

— Se você me chamar de baby bunny mais uma vez, eu vou atirar em você.


Notas Finais


caso isso tiver sido broxante perdão ainda to aprendendo a detalhar lemon


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...