História I'll give you wings - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Jikook, Namjin, Sadomasoquismo, Vhope Incesto
Exibições 150
Palavras 2.348
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heyy. Voltei mais cedo do que o esperado e confesso que tenho costume de fazer isso. Então comentando um pouco sobre os cap passados.. não se deixem enganar por aparências e também aconselho já logo montar o quebra cabeça Namjin.

A musica de hoje me deixou meio insegura, pois o teor dela e um pouco mais agressivo, sem falar no quão criticada e sendo chamada de '' machista ''. Eu sinceramente gosto e recomendo ver a tradução, já que se encaixa bem ao cap. O nome é Mommae - Jay Park.

Boa leitura!

Capítulo 4 - Quatro.


20:56 pm. 

 

Finalmente em casa. Namjoon estava aéreo, movido totalmente ao automático. Ir trabalhar, voltar para casa, jantas, sexo fútil, dormir, acordar. E por anos aquilo se repetiu com graciosidade. O tempo havia o dominado e o espirito livre acorrentado, pelos deveres, pelos '' por ques''.  

—Merda! - chutou a cadeira da mesa de seu escritório. —Poha! 

A raiva estava o dominando, queria tirar Jin de sua cabeça. Sentia-se novamente com 15 anos, mas sua realidade era diferente. Com seus 37 não podia se deixar agir assim, sua razão do certo e errado estava sobrevoando sua cabeça, mas não estava sendo usada. Se não tivesse conseguisse muito bem se controlar havia fodido Jin ali mesmo, em uma parede suja de um beco qualquer, sem pouco importar-se. Queria por tudo foder em todos os sentidos SeokJin. O homem que havia destruído sua vida.  

As lembranças tão vivas ainda em sua mente, tão atuais quanto o presente. Sentou sobre a poltrona em frente a lareira apoiando os braços no escoro, sua postura desleixada e o olhar penetrante que lançava ao fogo, havia voltado ao passado em segundos. 

Dezoito anós atrás. 

Jin chupara com ternura cada milímetro do pau flamejante de Namjoon, a cena safada não se era tão incomum para dois adolescentes foguentos. Jin possuía uma personalidade perversa, escondida em 7 chaves. Era o tipo de garoto que só mostrava oque você queria ver, então seu comportamento variava entre algumas pessoas. Mas Namjoon, o filho da puta havia despertado o pior de SeokJin que sedia sem reclamar a qualquer pedido, o mais safado ou até mesmo o mais descomunal. Como a cena que estavam causando dentro do vestiário masculino. 

—Caralho. - estocou a boca rosada de Jin.  

A pele macia e rosada envolvia o membro pulsante do moreno de pé, Jin estendeu a língua deslizando por toda a extensão até finalmente chegar a glande sobre tom de Namjoon. Céus o chupão deixado ali fez com que Namjoon novamente estoca-se a boca safada que adorava lhe sacanear aumentando e diminuindo a pressão dos movimentos constantemente. A respiração fraca de Namjoon saindo esganiçada pelos lábios já vermelhos, seus olhos demonstravam mais do que tudo o desejo incessante que tinha por Jin. 

—Rebole em cima de mim. - ordenou mimado Kim puxando com agressividade os cabelos tingidos em loiro de Jin.  

 

 

 Seu pau pulsou involuntariamente dentro da calça social quando lembrou do gemido solto por Jin mais cedo.  

Namjoon escorou a cabeça na poltrona e quis relaxar, mas uma mulher com belos peitos adentrou o cómodo, somente o barulho do salto alto era presente no local silencioso.  

—Você fede a SeokJin. - balbuciou venenosa Eun Ju, que a olhar de muitos era um ser inocente.  

—Oque quer? 

Curto e grosso. 

—Como foi o encontro? Você transou com ele? - indagou maldosa depositando sua mão no ombro alheio.  

—Você tem o prazer de me torturar Eun Ju? - sorriu com o pensamento certo, ela era mais rápida do que pode prever.  

Namjoon abriu os olhos se deparando com sua esposa, uma jovem mulher de 33 anos totalmente nua. Seus cabelos soltos deslizavam sobre os peitos volumosos, seu quadril estreito dava passagem para que os olhos afiados de Jung chegassem a sua pequena buceta, tão estreita e rosada, uma tentação.  Ela estava de joelhos sobre Namjoon esbanjando luxuria pelos olhos, a boca rosada balbuciou algo que não teve tempo de entender. Eun Ju era agíl e com poucos movimentos pois o pau de Namjoon duro para fora o sugando quase que por completo a extensão do membro afoito de Namjoon. As veias grossas e sobressaltadas eram sugadas em sequencias tortuantes.  

—Eu farei você esquecer seus problemas, meu marido. 

''Quando estou na sua frente 
Até mesmo a bunda da Beyoncé parece pequena 
Isso é frustrante 
Apenas seja uma boa garota 
E coloque em mim 
Suas coxas bronzeadas são apertadas 
Como um taxista 
Você é tão longa e cheia de curvas* 
Se por te admirar eu me torno um pervertido 
Então quero ser um pervertido''. 

 

ΔΔ 

 

Jimin como o demônio que era insistiu para que senhora Eun Ju permiti-se que Jeon dormisse em sua casa. Não fez tal pedido por querer Jungkook por perto, achava o garoto tolo e prepotente. Simplesmente atendeu ao pedido de seu appa que achou melhor assim.  

Jungkook sentiu seu peito apertar com a noticia repentina e quis fugir, após passar o dia ao lado de Jimin só conseguiu concretizar o quanto detestava tal pessoa. Seu olhar esnobe, sua postura superior, oque causava em si, Jungkook estava odiando tudo em seu futuro noivo. 

Jungkook já estava estalado na casa e sentia por todo canto o cheiro impregnado de Park Jimin. Era torturante sentir a presença do mesmo tão próxima, talvez ao quarto ao lado. Não sabia ao certo, foi orientado a sentir-se a vontade naquele casarão, então assim o fez caminhando pelos cómodos, olhando minuciosamente cada detalhe ali. Ele parou em frente a um grande quadro, uma mulher de cabelos pretos e olhos familiares estava pintada. Cada detalhe único, ela era bela e o quadro muito bem finalizado. A casa dava ares rústicos. 

—É lindo não é mesmo? - uma voz suave apareceu atrás de si o assustando. —Sinto muito não quis lhe incomodar. 

Jin estampava um belo sorriso nos lábios.  

—Oh, tudo bem. - retribuiu a gentileza.  

Jin parou em sua frente e observou Jungkook, os traços de Namjoon não eram tão presentes. Jungkook não se deu conta e olhou despreocupado o retrato.  

—Como é o relacionamento com seu pai?  

Inesperado, Jungkook olhou para o lado: —Por que quer saber? - soou grosseiro. —Desculpe, não foi minha intensão. 

—Tudo bem, esqueça. Até logo! - despediu-se rápido para evitar mais constrangimentos.  

Jungkook piscou algumas vezes curioso, Jin era um rapaz elegante e misterioso, até demais.  

Jungkook quis continuar oque estava fazendo, bufou baixo ao pensar em quão idiota era Jimin o deixandoo sozinho, ele não deveria tentar ao menos manter uma relação de negócios com Jeon? 

'' Ah '' 

Os ouvidos apurados de Jeon capturaram algo parecido com um gemido, Jeon procurou o som, era como se alguém entive-se se machucando, uma voz feminina, sufocada. Jeon adentrou um corredor escuro iluminado somente por uma janela mal fechada e uma porta entre aberta que emanava um cheiro forte, a luz chamou atenção do garoto que chegou perto e pode ouvir mais barulhos, algo se chocando.  

Jungkook caminhou com cautela até a sala e quando ouviu mais um agoniante grito apressou o passo sem se importar em ser visto e logo pois o corpo em frente a fresta prestes a abri-la. Mas travou, seu corpo não obedecia, seu raciocínio repentinamente ficou lento.  

Não acreditou no que realmente encontrou. Levou a mão a boca e estalou os olhos.  

—J-Jim..in... - suplicou a mulher deitada sobre uma mesa de vidro ao centro da sala.  

Ela abrigava em meio as suas pernas Jimin que com a mão em seu pescoço ordenada cada movimento a degolando. A saia do que parecia ser uma colegial estava amarrotada para cima e suas pernas estendidas para os lados, Jimin tinha as calças abaixadas até os calcanhares e com força empurrava o quadril masculino sobre a jovem. A carne sendo judiada, o impacto dos corpos.. Tão obsceno. A garota estava adorando cada movimento e gemia quase quanto respirava, já Jimin não soltara qualquer ruído a não ser o de sua respiração. Ele estava com os olhos fechados e com a cabeça levemente pendida para trás, buscava com os lábios entre abertos ar e passava com frequência a mão sobre os cabelos tingidos a fim de tirar o excesso de suor. Sua camiseta cinza amarrotada e molhada quase transparecendo o corpo do individuo.  

Jungkook estava em choque, suas bochechas ardiam dissimuladamente e seu corpo correspondia compulsivamente a cena que estava presenciando. Não conseguia assimilar muita coisa, Jimin em cima de uma garota, gemidos, quase nus.  

Jeon sentiu seu ventre fisgar e quis jogar-se no chão. O rapaz de cabelos ruivos emanava uma áurea esmagadora, dominante e perspicaz, atraindo qualquer um para aquele ato dissimulado.  

Jeon tentou mover-se olhando para os pés, mas não conseguiu e para sua plena sorte os olhos de Jimin já queimavam em si. Como não saber da presença de Jeon se seu cheiro doce era tão marcante. 

 

''Mas você é tão sexy 
Não consigo tirar meus olhos de você 
Quero ver seu corpo 
Seu corpo, seu corpo''. 

 

Jeon levantou o olhar cruzando os seus com os de Jimin. Seus olhos cravados na face repleta de luxuria de Park. Talvez pela 2 vez naquela semana teve a chance de acompanhar os lábios de Jimin formarem um sorriso diabólico, e sem piedade o ruivo enterrou seu membro na garota sendo acompanhado com o olhar por Jungkook que teve o corpo eletrizado.  

Park ameaçou falar algo, talvez um gemido: —Jung..kook-ah.. - gemeu arrastado e cravou os olhos nebulosos em Jeon. Uma tempestade armada em duas orbes tão negras quanto a noite.  

Jungkook sentiu as pernas fraquejarem e por segundos ficou submerso num mundo imaginário que Park Jimin havia o arrastado. E antes do que imaginou Jeon saiu correndo, sua face mais rubra do que um tom bordo, sua respiração descompensada e uma cena suja gravada na mente.  

Park Jimin era além de um pecado em pessoa.  

 

ΔΔ 

 

—Jungkook não estava passando muito bem, achei melhor ligar para você. - explicou senhor Dongfun para Namjoon.  

Namjoon tinha o filho ao seu lado, o garoto estava estranho e aparentava ter febre, estava suando frio.  

Jimin ao lado de seu appa olhava descontraidamente Jungkook, não pensou ter uma visão tão bela de Jeon quanto a de minutos atrás. Nunca pensou gemer o nome de alguém em vão, nunca havia transado para alguém. Não havia sido proposital o encontro repentino, Jimin queria foder e como muitas colegiais estavam a sua volta, decidiu  escolher logo uma entre tantas, aquele dia havia sido agitado e seus feromonios estavam a flor da pele por causa de  Jungkook. E como se o destino realmente fosse único, pode presenciar o garoto o olhar com ternura e morder os lábios entregando-se a um prazer não seu. Jeon havia despertado algo em Jimin, no momento que seus olhos inocentes percorreram cada centímetro de Park ou até mesmo quando inconscientemente abaixou a mão de seu rosto permitindo Jimin ver os lábios finos e desenhados serem mordidos deixando um resquício de saliva. Tão insano, 4 anos os separavam e surpreendentemente dois dias foram o suficiente para Park saber oque queria do garoto.  

—Até logo! - fizeram uma reverencia e adentraram o carro.  

Namjoon sabia que algo estava errado, porém não intrometeu-se Jeon era tão reservado quanto a si mesmo, sabia que ele não falaria nada. 

 

Segunda-feira 13:34. Quatro dias depois. 

 

Gemidos ecoavam pelo apartamento.  

Os corpos suados e nus, o atrito em suas peles. Tão obsceno. Taehyung estava sobre o corpo nu de Hoseok, suas pernas apoiadas no acento o davam assistência para que com mais precisão pudesse cavalgar sobre o membro duro dentro de si. Hope com as mãos cravadas na cintura do garoto de cabelos claros empurrava com veracidade o quadril causando um impacto brusco, os gemidos descontrolados eram ao máximo abafados entre beijos calientes. O interior de Taehyung era tão apertado, tão quente, seu traseiro movia-se por vontade própria sufocando o pau ereto do moreno. O suor presente em quase todo o corpo de ambos, o sorriso safado e o olhar penetrante.  

—Eu quero te foder pra sempre. - confessou Hoseok enterrando cada vez mais fundo seu pau.  

A luz fraca do cómodo fechado dava a Kim uma visão conturbada de Hoseok que estava sentado numa poltrona de couro, os músculos tencionados eram perfeitamente moldados, os ombros largos e o peitoral definido, céus era uma imagem divina. A cabeça do moreno escorada na poltrona, seus cabelos grudados na testa e seus lábios inchados e vermelhos, tão sacana, tão insano, Jung Hoseok era invejável.  

Taehyung sentiu o interior ser atingido e puxou com força os cabelos do moreno o fazendo colar completamente o corpo ao seu. Hoseok abraçou a cintura do garoto magro e levantou-se sendo enlaçado pelas pernas macias de Tae que teve o corpo jogado sem nenhum cuidado sobre a bancada da cozinha, Hoseok era tão descarado e sua sanidade em momentos como aquele era mandada para o espaço. Taehyung gostava disso, da violência.  

Hoseok obrigou Taehyung a virar-se de costas sendo pressionado contra o mármore gelado, ele estapeou sua nádega e as abriu tendo a visão dos gomos rosados de Taehyung o lugar pulsava e era um ima para os olhos escuros. Introduziu ali diretamente 3 dedos sem nenhum preparo ouvindo em resposta os choramingos de Tae. 

—Você pediu por isso. - alertou com a voz mais rouca do que o normal. —Onde está toda a ousadia de horas atrás?  

Estapeou novamente a bunda de Kim: —Vamos, empine! 

Sua voz estava afetada pelo seu extinto Alfa que estava o dominando cada vez mais, Taehyung sentiu as pernas falharem quando teve a boca contida pelos dedos de Jung que sem aviso prévio estocou em sua entrada. Lacrimejou, Hoseok começou uma serie de estocadas atingindo além do normal o ponto G de seu irmão que estava com a cabeça enevoada. Ele segurou firme o pescoço de Kim o trazendo para perto e a outra direcionou ao pau pulsante do mesmo acariciando com cuidado ali.  

—Hoo-seok.. - chamou arrastado.  

Hope colou os lábios no pescoço de Tae sugando o local, passou a lingua por ali deixando uma trila de saliva, seus sentidos estavam bagunçados e só conseguia cada vez mais meter no garoto atrevido que esbanjada sensualidade. Jung gemeu alto sentindo uma dor torturante em seus caninos, seus olhos por segundos ganharam uma tonalidade mais clara e a hora havia chegado. Seu pênis inchou consideravelmente prendendo Taehyung por completo.  

—Eu te amo. - e uma mordida afoita foi depositada no ombro do Kim. 

'' Não é a ação que torna impuro o delinquente; é só o delinquente que torna impura a ação. Irmãos podem se amar, por mais que de forma mais carnal, duas almas gêmeas não escolhem onde nascem. Mas escolhem ficar juntas''.  


Notas Finais


Estou começando a achar que estou pegando pesado com os lemons e penso em seriamente em os cortar, oque acham? Opinem por favor é importante para mim, plisss. Então falta somente um dos rapazes de Bangtan entrar em cena, então já preparem os coletes ele está vindo...

Comente, favorite. Até logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...