História I'll hold your hand II - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias B1A4, EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, CNU, Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, KiBum "Key" Kim, Minho Choi, Personagens Originais, Sehun, Taemin Lee
Tags Baekhyun, Drama, Jongtae, Lemon, Minkey, Mpreg, Originais, Shinee, Yaoi
Visualizações 98
Palavras 2.185
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, demorei? Não, né?
Tenham uma boa leitura, espero que gostem. Vejo vocês lá embaixo.

Capítulo 25 - Oppa


~

TaeJoon acompanhava SeHun até o saguão do prédio, o Oh parecia ansioso com algo, isso era evidente em seus passos e no modo como esfregava as mãos. 
Ao chegarem em frente ao carro do mais velho, este enfim respirou fundo, tomando um gole grande de coragem. 
–Joonie..podemos conversar?–
–Nae, o que há?– O menor levou os olhos pequenos parcialmente cobertos pela franja negra e lisa que insistia em não parar de um jeito só. 
–Sabe..antes de vir aqui hoje, eu estava pensando que já conversamos há uns dois meses, mas nos vemos tão pouco..–SeHun coçou a nuca. –…eu não sei se me sinto confortável com isso sendo que, de certo modo, chego em casa e continuo sozinho.–

Os olhos do moreninho cresceram e brilharam, mas pelas lágrimas que se encheram neles, SeHun ia terminar tudo, estava certo. 
–SeHun, você sabe que tenho a faculdade, o trabalho e minha filha..eu não tenho como sair mais com você pra ficarmos só nós dois, eu..–
TaeJoon sentia sua respiração começar a pesar, ia começar tudo outra vez. 
–Yah, eu sei de tudo isso e não pude mais te ver no trabalho, afinal, é seu trabalho e meu guarda roupa já esta entupido de camisas.–Riu. –Enfim, durante algum tempo venho pensando em te perguntar se você quer ir morar comigo.– 

–Morar com você?– TaeJoon não conseguiu processar bem aquele convite, de repente, o sentimento de achar que estava tudo desmoronando ecoou em sua cabeça e o silêncio se fez. 
–Sei que é algo repentino e que nunca falamos sobre isso, mas… Eu acho que pode dar certo. Não quero que responda agora, só quando estiver pronto pra me responder e independente do que você quiser, eu vou entender.– 
–Tá bem..–
–Será que podemos aproveitar esse momento que estamos só nós dois?– SeHun abriu os braços ao concluir a frase, esperando alguma reação de TaeJoon. 
O menor não respondeu, ao invés disso, se aninhou no abraço do mais velho, aconchegando-se ali. SeHun por sua vez, apoiou o queixo nos topo da cabeça de TaeJoon, aproveitando a sensação boa que uma posição como aquela trazia. 
–TaeJoonie…joahae.– 

O menor se afastou brevemente e ficou na ponta dos pés, tendo seu maxilar segurado pela mão alheia, que o trazia para mais perto. 
Os dois fecharam os olhos e grudaram os lábios outra vez, antes que o menor sentisse uma leve pressão sob o seus, pedindo passagem para lhe sentir o gosto e esta foi cedida a partir do momento em que as línguas se enroscaram e as respirações passavam a pesar conforme o ar faltava. 

TaeJoon sentia uma mão descendo sutilmente pela linha de sua coluna e parar ao chegar na cintura, onde foi deixado um leve apertão, que inevitavelmente o fez arfar contra os lábios grossos do Oh. 
SeHun sorriu rapidamente, na mínima distância que houve ao se separarem e se aproximarem outra vez e por fim se separarem de vez, mas ainda assim mantendo uma proximidade. TaeJoon deitou o queixo no peito do maior, sendo fitado pelos olhos intensos deste. 
–Também gosto de você, SeHun-ah.–
–Até quando vai me chamar pelo meu nome?– 
–Desculpe, ahjusshi.– Sorriu amarelo, num tom de provocação. 
–Yaaah, isso é pior que me chamar pelo meu nome.–
–Como quer que eu te chame, senhor?– 
–Por que nunca me chama de hyung? Seria meu sonho.– Brincou. 

TaeJoon tomou uma expressão séria de repente, o único à quem chamara de hyung era BaekHyun e ninguém mais e fazia tanto tempo…
–Eu..não sei se gosto.– Suspirou. 
–Quer me chamar de oppa?– O moreno riu encarando a expressão descrente do mais novo.–Se-Hun op-pa..olha que charmoso.–
–Não, valeu a sugestão.– O silêncio cortante se fez presente por alguns segundos, até que SeHun pigarreou, não entendia qual era o problema de TaeJoon em relação à aquilo. 
–Acho que vou indo, ainda tenho algumas coisas pra fazer quando chegar.–
–Ah, mas já?– 
–Quer que eu fique?– O maior sorriu provocante. 
–Quero, talvez demore pra te ver outra vez.–
–É verdade..– SeHun se encostou no carro, puxando o pequeno pelo pulsos, envolvendo-o num abraço terno. 
TaeJoon levou os olhos para cima, sentindo a ponta de seu nariz ser beijada e em seguida descer para os lábios.

(…)


“Quer vir morar comigo?” 
Aquela proposta continuava ali, ecoando na cabeça de TaeJoon, que fitava o teto do quarto sem piscar, mas que voltou à realidade ao sentir DongHae deitar sob ele na cama de solteiro, como se não houvesse ninguém nela.
–Senti sua falta.– DongHae ditou manhoso, bagunçando os fios negros do irmão.–Tá na hora de cortar esse cabelo, parece uma menininha.–
–Seu cabelo era maior que o meu antes de você ir, menininha.–
–"Antes de ir.“Falou bem.–
–O que mudou agora?–
–Agora sou mais homem que antes.–
–Ah ta.– Ironizou.–Mano..quando você volta pra lá?–
–Mal cheguei e já quer que eu vá embora.–
–Não é isso.– Suspirou pesado.
–Está triste? É por causa do SeHun? Vou arrebentar os dentes daquele..–
–Não.– Interrompeu.–Não estou triste, estou pensando. Promete não contar pra ninguém?–
–Ih… A ultima vez que prometi isso deu problema.–
–Então não vou te contar.–
–Conta logo.–
–Então prometa!–
–Tá, tá, prometo.–
–De verdade?–
–Nae.–
–SeHun me chamou pra morar com ele.–
–Ah, achei que fosse algo mais.. O QUÊ?! Não, não, não. Não vai.– DongHae suspendeu o corpo, olhando diretamente nos olhos do irmão. 
–Por que não?–
–Você pretende ir e levar minha sobrinha? Essa proposta é ridícula! Você sequer o conhece, nem sabe se ele é um pedófilo! Esse tipo de gente abusa das pessoas! E então o que você vai fazer?? Não! Você nem é forte, nem vai conseguir bater nele…–
A fala de DongHae foi interrompida por seu grunhido alto e sofrido, TaeJoon lhe tinha dado uma joelhada, com o peso de sua revolta, bem no meio das bolas.
–Não sou forte? Acho bom você pensar bem antes de dizer algo desse tipo, ou vou destruir suas chances de ter algum filho com ShinWoo.– DongHae estava encolhido na cama, choramingando pela dor que latejava em sua alma. –Você é quem não conhece o SeHun.– Bufou. 
–Você me machucou..– DongHae grunhiu dolorido. –Já disse que você não vai, vou contar pro appa.–
–Mas você prometeu!–
–E você me deu uma joelhada.–
–Está tão cego que sequer percebeu o que falei sobre ShinWoo.–
–Eu ouvi muito bem.– Respondeu firme. 
–E por que não disse nada?– 
–Porque…porque…– DongHae olhou para os lados, tentando escapar daquilo de alguma forma.–Não mude de assunto, Kim TaeJoon!–
–Você é quem está mudando de assunto.–
–Você não vai.–
–Se eu quiser, saiba que vou sim!–
–Não quero mais falar com você, magrelo ridículo.– 

DongHae se levantou e deixou o cômodo, batendo a porta do quarto com força. 
–AISH!– TaeJoon gritou contra o travesseiro e suspendeu a cabeça ao ouvir a porta se abrir outra vez. 
TaeMin entrou no quarto, com a pequena adormecida em seus braços. 
Ela dormiu…– O ruivo sussurrou, indo até o berço, onde deixou JiMin, que mesmo dormindo, não largava a chupeta.
–Umma..podemos conversar?–
–Sim, o que aconteceu?– TaeMin se sentou na cama, ao lado do filho. TaeJoon suspirou longamente e se sentou cruzando as pernas. 
–Quero sua opinião em uma coisa…SeHun me chamou pra ir morar com ele.–

Os olhos de TaeMin saltaram e seu sorriso se desmanchou lentamente enquanto processava o que tinha escutado.
–O-o quê?–
–Ele disse que não nos vemos muito, sequer posso culpá-lo porque ele está certo e há algum tempo ele pensa em me chamar para morarmos juntos…e então me pediu para pensar. Contei à DongHae e ele não quer mais falar comigo… Se eu pensar e pensar em ir, nem imagino como appa vai reagir.–
–Olha, TaeJoon…não vou dizer que seu pai ficará feliz com isso. Acha mesmo que está pronto pra sair de casa? Ainda mais pra morar com outra pessoa e não terá mais à mim ou ao seu pai para ajudarmos com JiMin. Já pensou nela? Além do mais, você estuda e trabalha, vai chegar em casa cansado de qualquer forma.–
–Não sei se estou pronto pra isso, estou pensando em tudo ao mesmo tempo… Por isso estou pedindo sua ajuda, poderia ser como um teste, não? Se não der certo, eu posso voltar, não posso?–
–Claro que pode, meu filho.–
–Eu sei que chegaria cansado do mesmo jeito, mas me sinto tão longe de SeHun, ele vai acabar se cansando disso, não? Já "estamos juntos” há dois meses e só nos beijamos hoje.– TaeJoon abaixou os olhos, mantendo uma expressão tristonha. –Eu sinto a falta dele.–
–Entendi. Eu não posso te dizer o que fazer, TaeJoon… Apenas que pense mais um pouco, ele te deu tempo, use isso.–
O garoto assentiu com a cabeça baixa, sem saber o que dizer. 
TaeMin se levantou e acariciou-lhe os cabelos, desejando boa noite.


[…]


“Vai falar com DongHae quando vier aqui hoje? Acredita que ele não quer mais olhar na minha cara pelo que eu disse sobre SeHun?!”
“Vou.”
“MWO?! ESTÁ ME ZOANDO? SÓ ACREDITO VENDO!”
“Tenho que pagar minha promessa, você não para de me perturbar. Se ele não olhar mais na minha cara também, vou ficar muito triste com você.”
“Não vai nada, você me ama…”
“Estou saindo de casa, tchau.”

TaeJoon guardou o celular no bolso e voltou a atenção sob a pequena que assistia à televisão, quietinha. Incrível como essas coisas prendem a atenção de qualquer um. 
DongHae não estava em casa, tinha ido ver JinYoung e nem disse quando ia voltar ou qualquer outra coisa, estava realmente puto, estava chateado por ver a possibilidade de se afastar de vez do irmão.
–Jiminnie…– TaeJoon cantarolou para a pequena que não lhe dava atenção e esta se virou no cadeirão onde estava. –O que está fazendo?–

Jimin não sabia responder adequadamente, apenas balbuciava algumas sílabas aleatórias, que fizeram TaeJoon rir. 
–Fala pra mim…. O…mma. Consegue?–
–Ma…– A pequena encolheu os olhos e o moreninho vibrou contente.


(…)


–Se ela disse umma, então por que não pede pra ela dizer outra vez?– Shinwoo olhava desconfiado. 
–Ela não quer dizer, uma vez já foi o suficiente.–
–Sei…você já está velho pra ficar inventando histórias.– ShinWoo disse em tom de provocação. 
–Eu não estou inventando nada!–
–Tudo bem, então acredito em você.–
–Neném, fala pro umma ver. O…mma.–
Jimin já estava cansada, coçava um dos olhos inchados, esteve a brincar com ShinWoo a tarde toda. 
–Fala, neném… O…mma.– 

Ao invés disso, JiMin começou a chorar, não queria falar, queria dormir. 
Isso fez TaeJoon se render ao choro da pequenina. 
–Shin, eu já volto.– O garoto se levantou com a pequena nos braços e ShinWoo assentiu.

O moreninho entrou no quarto, seus ouvidos doíam pelo choro que tomava conta do cômodo. 
–Não chora, neném…o umma não vai mais te fazer dizer nada. Você está cansada, não é? Isso é tudo culpa do seu tio Shin. O umma vai brigar com ele.–
TaeJoon falava e sua voz fazia JiMin se acalmar aos poucos e ainda levou um bom tempo para que realmente caísse no sono. Pelo menos poderia conversar devidamente com ShinWoo agora. 

O pequeno Kim saiu do quarto e foi até a sala, onde não encontrou o amigo que estava ali antes, talvez estivesse no banheiro, então decidiu esperar um pouco. 
Cinco minutos….dez minutos….quinze minutos e nada de ShinWoo voltar, teria morrido no banheiro? 
TaeJoon caminhou entre o corredor e bateu levemente na porta fechada, esperando alguma resposta do amigo. 
–Shin..está aí? Tá tudo bem?–
Tudo o que retornou foi o silêncio, o que faltava era só o loiro ter desmaiado lá dentro. 

O moreninho então girou a maçaneta e empurrou a porta e para sua surpresa, não havia ninguém lá. Onde aquele oxigenado estava? Teria ido embora sem dizer tchau?! 
TaeJoon bufou e foi na direção do quarto onde dormia com DongHae antes de ter JiMin, lá poderia esbravejar o quanto quisesse ao telefone sem acordar a filha. 
Porém, imediatamente pulou no lugar ao abrir a porta do quarto e ver ShinWoo lá dentro com DongHae, os dois se beijavam vorazmente, enquanto deslizavam sob a cama, pelo menos ainda estavam vestidos. 
–AH!!– O moreninho exclamou surpreso, tapando a própria boca ao se lembrar de não acordar JiMin. 
Os outros dois se separaram na mesma hora e ambos coraram, DongHae pigarreou envergonhado e se ajeitou no lugar. 
–O que você faz aqui??–
–Acho que você não está em posição de fazer perguntas, soldado.–
–Como você não bate antes de entrar?–
–Eu nem sabia que você estava em casa e achei que Shin tinha ido pra casa.–

–Estávamos conversando…– ShinWoo respondeu tímido. 
–E pelo visto o papo estava bom, né?– O moreninho arqueou a sobrancelha.–Vou deixar vocês sozinhos, usem camisinha.– TaeJoon completou, fechando a porta em seguida e logo ShinWoo foi atrás dele.

–Yah!–
–O que é?–
–Foi você quem insistiu para me confessar.–
–Eu sei, mas pensei que você fosse me esperar.–
–Aish..você estava demorando, DongHae tinha chegado e eu tive um momento insano de coragem.–
–Como foi?–
–Nós conversamos primeiro…aí ele me beijou.–
–Quer dizer que posso te chamar de cunhado?– TaeJoon sorriu maroto, ao ver o amigo corar bruscamente.


Notas Finais


Gente.. acho que vou escrever mais 3 chaps no maximo e é o fim kk Estão gostando? Comentem (os comentários cairam, hein) !! ~Bjs de luz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...