História I'll never be the same - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fifth Harmony
Visualizações 21
Palavras 2.426
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá como vocês estão?
Espero que vocês tenham gostado do primeiro capitulo e aqui está o segundo...

Boa leitura e desconsiderem os erros =D
Caso vocês queiram falar comigo é só me chamar no twitter @camz_cabello23

Capítulo 3 - 3- Two


Fanfic / Fanfiction I'll never be the same - Capítulo 3 - 3- Two

Passar meu tempo presa dentro de um automóvel é de longe uma das piores sensações, mas pior que ficar num carro é ficar junto com Tim dentro do carro.  Durante todo o caminho ele foi falando me falando o que eu deveria ou não fazer nessa escola e sobre como sou uma completa inútil entre outras coisas, será que ele não entende que não precisa falar isso? Eu já sei o que sou, sempre soube.

Quando chegamos no colégio saímos do carro e tentei ignorar a dor em minhas costas e me foquei em andar e respirar sem mostrar nada... É uma tarefa simples, um passo atrás do outro... Estava tão quente hoje em Maimi, mas não podia tirar meu moletom, não podia deixar ninguém ver, não podia deixar ninguém ver minha vergonha.

Assim que entramos no colégio uma mulher elegante veio caminhando até nós com um sorriso no rosto.

- Prazer eu me chamo Clara Jauregui e sou a diretora dessa escola – disse nos cumprimentando com um aperto de mão – Você é nova não é? Eu não me lembro de ver seu rosto antes – disse para mim.

- Eu me chamo Camila Cabello – disse retribuindo o aperto e tentando ignorar a dor de simplesmente levantar os braços, não precisa ver para saber que ele deveria estar cheio de hematomas e por isso estava pesado.

- Camila Cabello – disse meu nome num tom admirado – É um enorme prazer receber a única aluna da historia desse colégio que gabaritou nossa prova – falou sorrindo – E o senhor é? – disse olhando para meu pai.

- Sou Tim – disse oferendo a mão para ela – Eu sou o pai dessa princesa – disse colocando as mãos em mim e senti a náusea chegando quando senti seu toque.

- O senhor deve estar muito orgulhoso de sua filha – comentou animada e não precisa olhar para ele para saber que ele usava sua mascara de bom pai.

- Com toda certeza – falou colocando a mão em meus ombros e lutei contra a vontade de me retrair ao seu toque – Minha princesa é meu maior orgulho – disse apertando fortemente meus ombros e respirei fundo para não fazer nenhuma cara de dor.

Eu odeio isso, odeio essa vida, eu o odeio com todas minhas forças... Somente de escuta-lo chamando-me de princesa eu quero morrer...

- Camila está tudo bem? – perguntou Clara olhando para mim – Você está meio pálida – disse preocupada e senti Tim apertando ainda mais meus ombros, merda!

- Eu estou bem, obrigado pela sua preocupação – garanti sorrindo para ela.

- Que bom então – disse sorrindo – Suas malas você pode deixar ali junto com a dos outros alunos que depois eles vão leva-las até seu quarto... Você vai dividir seu quarto com mais pessoas tudo bem?

- Por mim tudo bem.

- Então eu acho que você deve se despedir de seu pai e depois entrar para procurar seu quarto – disse para mim e concordei – Hoje como é o primeiro dia então não vamos ter aula... Hoje vocês vão ter o dia livre para conhecer a escola e se quiser os alunos mais velhos fazem uma reunião em comemoração ao primeiro dia de aula.

- Obrigado – agradeci – Eu vou ir com meu pai até o carro buscar minhas malas – falei consegui finalmente respirar aliviada quando Tim soltou o aperto do meu ombro para cumprimentar Clara e logo começamos a andar de volta ao carro.

- Eu não vou levar suas malas inútil – disse quando chegamos ao carro – Você se vira – avisou para mim e concordei pegando minha mala e virei-me para ele que após olhar para os lados pegou fortemente meu braço fazendo-me gemer de dor – Eu estou ouvindo você reclamar? – perguntou num tom baixo e irritado para mim e neguei rapidamente com a cabeça – Ótimo, é assim que eu gosto – falou e levou a mão para meu rosto fazendo um carinho doentio – Nós nos vemos na sexta feira a noite princesa – disse soltando meu braço e entrando no carro.

Assim que ele entrou no carro consegui respirar novamente pela primeira vez no dia e comecei a ter consciência a tomar consciência dos estragos causados. Minhas costelas estavam doendo como o inferno, meus braços estavam pesados e doloridos provavelmente cheios de hematomas, meu estomago estava revirado, eu sentia minha cabeça ficando cada vez mais pesada e o suor escorrendo através do meu moletom, minha respiração estava ficando mais lenta e eu necessitava colocar alguma coisa na estomago para me manter de pé.

Respirei fundo algumas vezes antes de começar a andar em direção a escola deixando minhas malas junto com a dos outros alunos.

Aonde eu iria agora? Porque estava tudo tão quente? Tão abafado?

- Oi – disse uma voz doce atrás de mim fazendo-me virar rapidamente e senti a tontura voltando – Você está bem? – perguntou e concordei com a cabeça – Eu me chamo Ally Brooke e você? – perguntou se apresentando e olhei para menina baixinha e sorridente a minha frente.

- Eu me chamo Camila Cabello – disse apertando sua mão.

- Você não está com calor Camila? – perguntou para mim e neguei com a cabeça... Era obvio que eu estava, mas não podia falar o contrario, não poderia tirar minha blusa – Você é nova certo?

- Sim.

- Então eu vou te ajudar a achar seu dormitório – ofereceu-se e apenas sorrir começando a seguir a menina que enquanto caminhávamos foi me apresentando à escola, o pátio principal, a área de lazer, a sala de estudos, biblioteca, refeitório até que chegamos nas escadas e ela me guiou mostrando o lado dos dormitórios femininos.

- Geralmente os quartos são divididos em quatro ou cinco pessoas – falou quando olhamos para o enorme corredor – Cada quarto tem seu banheiro, mas tem os comunitários que ficam no final do corredor - apontou para uma porta ali – Qual é seu numero? – perguntou para mim e não entendi – Quando você deixou sua bolsa lá fora lhe deram um numero não é? – perguntou e assenti entregando meu numero para ela que após ver deu um largo sorriso para mim – Cabello você tem sorte – disse animada e apenas fiquei observando ela pulando no corredor sem entender – Você vai dividir o quarto com minha ilustre pessoa – disse animada olhando para mim e apenas dei um leve sorriso sem saber como reagir a toda aquela animação – Vamos – disse pegando minha mão e congelei com o ato ficando rígida – Desculpa – se desculpou envergonhada retirando sua mão da minha – Eu sou muito animada, perdão.

- Eu... Não precisa se desculpar... Eu só não esperava – falei rapidamente para ela e ela assentiu com a cabeça.

- Vamos – falou caminhando até pararmos numa porta com cinco nome.

Allyson Brooke

Dinah Jane Hansen

Camila Cebello

Normani Kordei

Lauren Jauregui

Eu tenho a impressão que já ouvi esse sobrenome em algum lugar, mas onde?

Ally abriu a porta do quarto e entrou jogo se jogando na cama deixando suas coisas em cima.

- Você deveria escolher sua cama antes que as outras três cheguem – disse para mim e caminhei para a cama ao lado da janela.

- Eu vou ficar com essa – falei sentando na cama quase em frente à dela – Ally eu acho que eu já ouvir o sobrenome de uma das meninas daqui do quarto, mas não sei da onde, você conhece Lauren Jauregui?

- Claro que sim – disse animada – Lauren é filha da diretora da escola – falou e ai a ficha caiu... Clara Jauregui – Apesar de ser filha da diretora Lauren é um amor de pessoa.

- Entendi.

- Camila, vamos sair dar uma volta? – perguntou animada – Tem a festa da piscina que vai rolar mais tarde, vamos?

- Eu acho melhor não – respondi rapidamente... Eu amo agua, mas não posso correr o risco de alguém ver minhas marcas, não posso – Eu estou um pouco com dor de cabeça eu vou ficar aqui descansando.

- Tem certeza? – disse levantando-se e sentando-se na minha frente – Você precisa de companhia?

- Não, pode ir se divertir, eu vou descansar um pouco só – falei e não era mentira, meu corpo estava implorando para descanso e caso eu não atendesse essa pedido talvez eu não conseguisse levantar amanhã.

- Você quer que eu fiquei com você? – perguntou preocupada – Eu posso ir até a enfermagem pegar um remédio se você precisar.

- Não precisa, eu estou bem – garanti para ela – Eu vou só dormi um pouco.

- Tudo bem então – disse para mim – Eu vou sair e volto depois trazendo alguma coisa para você comer – disse para mim e antes que eu falasse alguma coisa ela se adiantou – Você é latina e é linda, mas está pálida igual um fantasma, precisa comer alguma coisa, volto depois trazendo algo para você– disse levantando-se – Acho que não vai ser um problema para você conseguir descansar... Dinah e Normani só vão chegar amanhã e a Lauren duvido que aparece hoje... Teremos o quarto somente para nós – falou sorrindo – Até depois Camila.

- Obrigado – agradeci ganhando um sorriso e observei ela sair do quarto fechando a porta atrás dela e rapidamente levantei indo até o banheiro e trancando a porta.

Eu estava usando um moletom e com muito esforço o tirei do corpo sentindo as dores aparecerem por conta do esforço, depois levantei minha camiseta de manga longa e a tirei para avaliar os estragos... Meus braços e ombros estavam com novos hematomas pretos, o chute que ganhei hoje estava com uma marca e somente de tocar senti lágrimas aparecendo em meus olhos, minhas costas tinham algumas marcas, mas não estavam tão ruins assim, afinal fazia alguns dias desde que Tim havia me tacada na parede e me chutado ali.

Coloquei minha camiseta de manga comprida novamente e olhei para o espelho tentando reconhecer a menina que eu algum dia fui... Eu não tinha brilho, eu não tinha nada, eu não sou nada mesmo... O vazio continua crescendo dia após dia e não tem nada que eu possa fazer.

Sai do banheiro e deitei na minha rapidamente fechando os olhos tentando aproveitar o pouco de sono que eu teria... Dormi seria um problema, pois eu sempre tinha pesadelos. Como eu poderia dormi tendo mais pessoas no quarto? Eu estou completamente ferrada... Merda!

Tentei ignorar os pensamentos que normalmente me atormentam e tentei me concentrei no cansaço que estava sentindo e fui deixando o sono chegar me levando para as profundezas no meu inconsciente.

Novamente eu me encontrava frente e frente com minha mãe e Sofia e elas olhavam-me com olhos cheios de tristeza, eu queria alcança-las, queria senti o abraço protetor da minha mãe e o amor da minha irmãzinha, mas tudo o que eu conseguia quando tentava chegar perto delas era que elas se afastassem ainda mais... Eu gritava, implorava para elas não me deixarem novamente, mas elas não me escutavam... POR QUE VOCÊS NÃO ME ESCUTAM? POR FAVOR NÃO ME DEIXA NOVAMENTE MAMA, EU PRECISO DE VOCÊ, EU PRECISO DE VOCÊ MAMA... SOFI EU SINTO SUA FALTA, EU SINTO FALTA DO SEU SORRISO, SINTO FALTA DE VOCÊ ME CHAMANDO DE KAKI, SINTO SAUDADES DOS SEUS ABRAÇOS APERTADOS E DE SEUS BEIJOS MOLHADOS, EU SINTO FALTA DE VOCÊ PULANDO EM MINHAS COSTAS IMPLORANDO PARA MIM IR BRINCAR COM VOCÊ, SOFI ME DEIXA TE ABRAÇAR, EU TE AMO TANTO SOFI... POR FAVOR ME DEIXA IR COM VOCÊS... EU NÃO QUERO FICAR AQUI SEM VOCÊS, EU NÃO QUERO VIVER ESSA VIDA... POR FAVOR ME DEIXA IR COM VOCÊS... Meus gritos não ecoavam pelo local, mas nada funcionava... Elas estavam se afastando de mim, elas estavam me deixando novamente, por quê? Por que eu não podia ir com elas? Por que eu não podia ter paz? É tão errado eu querer ir com minha família? Eu sou uma pessoa tão desprezível para não merecer paz? POR QUE VOCÊ ESTÁ ME DEIXANDO MAMÃE? SOFIAAAAA .... Nada funcionava, elas estava num lugar tão claro que eu não conseguia mais vê-las e somente restava me deixar cair no chão e deixar a escuridão chegar... Elas me deixaram novamente, eu estou sozinha, meu coração está quebrado, eu estou quebrada... “É claro que você está quebrada, você é um erro, você não deveria existir princesa... Sua mãe e sua irmã deixaram você porque elas não te querem, mas eu quero você!” Essa voz não, não pode ser... Ele está vindo, eu sei disso, mas que não tenho para onde correr... Merda... Eu odeio essa voz, eu odeio tudo isso... Eu odeio... Não por favor... Por favor... NÃO ME TOCA... POR FAVOR....

- Ei acorda – disse uma voz ao longe e sentia o meu mundo chacoalhando... O que será que ele vai fazer agora? – Acorda – pedia a voz mais desesperada – Está tudo bem, acorda – disse novamente e a realidade bateu fazendo-me levantar da cama rapidamente enquanto sentia as lagrimas escorrendo pelos meus olhos... Onde eu estou? Que merda está acontecendo? – Você está acordada? – disse atraindo meu olhar para uma menina, mas minha vista estava embasada demais para vê-la – Está tudo bem, fica calma – garantiu para mim enquanto eu passava a mão limpando minhas lágrimas para encontrar a menina mais linda que eu já vi na minha vida, os olhos dela... Que olhos são esses? São tão verdes....

- Eu...

- Eu me chamo Lauren Jauregui – disse ela docemente enquanto me olhava atentamente – Você está bem? – perguntou para mim e apenas assentir sem ter certeza do que falar e evitei olhar para aquele olhar – Como se chama?

- Camila Cabello – falei levantando meu olhar e fiquei congelada olhando para aquela menina pela primeira vez.

- Eu ouvir falar muito sobre você garota gênia – disse ela com um leve sorrindo enquanto eu continuava olhando hipnotizada para aquele olhar esmeralda... Nunca vi um olhar como esse... O que está acontecendo comigo? Por que não consigo desviar meu olhar? Qual é meu problema? Eu preciso falar alguma coisa antes que ela me ache estranha demais.

- Garota gênio? – perguntei desviando o olhar e senti minhas bochechas corando.

- Eu ouvi minha mãe falando sobre você desde que sua prova foi corrigida – disse para mim – E confesso que eu tinha uma imagem muito errada de você – falou atraindo minha atenção – Eu estava esperando uma menina nerd, com óculos enorme e cheia de espinhas – confessou e observei-a ficando vermelha.

- Fico feliz por você ter mudado sua opinião sobre mim – falei sem saber o que dizer e arranquei um sorriso dela.

- E eu de ter errado ela – disse sorrindo para mim e sorri levemente para ela – Desculpa perguntar, mas o que estava acontecendo no seu pesadelo? – perguntou fazendo meu coração errar uma batida e o pânico crescer dentro de mim.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Gente comentem e me digam o que acham por favor...

Eu nao vou parar com as minhas outras historias, fiquem tranquilos, mas vou precisar reorganizar os dias de postagens de Entre a luz e a Escuridão e Story of my life.

beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...