História I'll Never Let You Down... Again. - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2PM, Adele, Adore Delano, A-HA, David Bowie, Eurythmics, Gotye, Jackson Rathbone, Justin Timberlake, Kellan Lutz, Saoirse Ronan
Personagens Adele, Adore Delano, Annie Lennox, David Bowie, Jackson Rathbone, Junho, Justin Timberlake, Kellan Lutz, Morten Harket, Saoirse Ronan, Wally "Gotye" De Backer
Tags Adele, Adore Delano, Annie Lennox, David Bowie, Drama, Gotye, Jackson Rathbone, Junho, Justin Timberlake, Kellan Lutz, Morten Harket, Saoirse Ronan, Universo Alternativo
Visualizações 7
Palavras 1.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Saudades de quando os capítulos passavam de 60 visualizações :/

Escrevi um imagine one shot, quem tiver curiosidade de ler, vou deixar o link nas notas finais.

Capítulo 21 - Going Crazy


Gotye esperou a noite toda pelo seu amado. Ele comprou o vinho favorito dele e até uns brinquedinhos para eles usarem na noite que prometia ser prazerosa. Ele, pela primeira vez depois de meses, estava feliz por receber David de volta, apensar de ser uma pessoa horrível, ele era completamente apaixonado por David, desde a primeira vez que o mais velho foi conversar com ele na escola. Gotye não tinha dúvida, queria o amado com ele pra sempre.

Mas David não apareceu. Quando deu 4 da manhã, Gotye quebrou a garrafa de vinho, já vazia, na parede e começou a chorar de ódio e quebrar tudo que tinha pela frente, perdendo totalmente o controle. Ele não podia acreditar que David tinha feito aquilo, depois de tudo.

Depois que o ódio passou, Wally foi pro quarto dormir e não se importou com a bagunça, até porque a diarista ia ali amanhã e podia fazer isso pra ele.

...

Gotye acordou quase duas da tarde, com muita dor nas mãos e viu que ambas estavam com alguns cortes. Depois de tomar café e cuidar dos machucados, alguém bateu na porta e, por alguns segundos, o coração de Wally se encheu de alegria e esperança. Mas esses sentimentos foram embora quando ele abriu a porta e viu dois jovens parados olhando agora para o dono do apartamento.

- Wally De Baker? - o garoto perguntou.

- Sim. - ele disse um pouco desapontado.

- Eu sou Jackson e essa é a Saiorse, minha irmã e somos filhos do David. - Gotye sabia que já tinha visto aqueles olhos, David uma vez mostrou algumas fotos dos filhos.

- Ah claro, filhos do David. - ele deu um sorriso cínico - O que vocês querem?

- O nosso pai nos pediu pra buscar umas coisas que ele deixou aqui na sua casa. - Saiorse disse.

Nesse momento, Gotye paralisou. Ele sabia o que aquilo significava e era o que ele mais temia.

David tinha terminado tudo que havia entre eles, desconectado de vez suas almas.

- Podem entrar, é o primeiro quarto do corredor. - ele deu passagem e os dois entraram no apartamento, indo direto pro lugar que Gotye tinha dito.

Gotye estava em choque e triste ao mesmo tempo. Ele não acreditava que David decidiu terminar tudo assim e ainda não teve coragem de ir conversar, ou pegar as coisas que ele tinha deixado ali, pessoalmente. A vontade dele era de ir até a casa do David e pedir uma justificativa, brigar, ou apenas gritar com ele. Mas o que ele mais queria fazer era abraçar o David e pedir pra ele voltar.

- Sr. Wally, obrigado por nos deixar entrar e buscar as coisas do nosso pai. - Jackson disse chegando na sala carregando algumas caixas junto com a irmã, afundando ainda mais o homem na tristeza.

- De nada crianças. - ele disse sem olhar pra eles porque seus olhos estavam cheios de lágrimas.

- Sr. Wally, eu posso te fazer uma pergunta? - Saiorse disse, levando uma cotovelada do irmão em seguida.

- Pode. - ele disse, ainda sem olhar pros dois ali.

- Qual é a sua relação com o nosso pai? - Gotye respirou fundo. Ia doer, mas ele precisava dizer aquilo.

- Até ontem, ele era o meu namorado. - a dor dele ao dizer isso foi percebida pelos irmãos que estavam parados no meio da sala.

- Precisamos ir, obrigado novamente. - Jackson foi empurrando sua irmã até a porta antes que ela perguntasse mais alguma besteira.

Wally ficou o resto da tarde sentado no chão da sala chorando e xingando David de todos os nomes possíveis, ele queria morrer mas, ao mesmo tempo, queria matar alguém. Depois que ele se recompôs, foi dirigindo que nem um louco até a clínica, onde os funcionários ficaram surpresos por ver o chefe aquela hora mas não falaram nada, pois Wally tinha um lugar certo pra ir: quarto de Kellan.

O irmão mais novo estava quase pegando no sono, já que não tinha mais nada pra fazer aquela hora da noite, quando Gotye entrou quase arrombando a porta de seu quarto.

- Wally, o que... - o irmão o levantou puxando pelo braço. Wally podia ser magro, mas era muito forte quando queria.

- Você vem comigo. Agora. - ele começou a puxar o mais novo, que se soltou da mão do irmão e parou.

- Não! - ele gritou pra quem quisesse ouvir - Eu não vou.

- Você não tem o direito de escolher nada aqui, isso foi uma ordem.

- Eu não vou!

- Se você não passar por essa porta agora, as consequências vão ser piores. - Kellan engoliu seco. A última vez que o irmão disse isso, ele ficou trancado em um quarto sem ventilação por três dias e não tinha o direito de comer.

- O que você vai fazer comigo? - ele perguntou um pouco receoso.

- Não interessa, agora começa a andar. - Kellan começou a ir devagar, enquanto o irmão estava indo atrás com os olhos queimando de ódio. Quando Kellan ia entrar no lugar que sempre era as torturas, Wally o segurou - Hoje o lugar é diferente. Continua andando em frente. - Kellan obedeceu e continuou andando até saírem da clínica pelos fundos e chegaram em um quarto bem luxuoso, que provavelmente era onde Gotye fazia suas orgias com algumas pessoas bem renomeadas na Inglaterra.

- O que vai acontecer hoje? - Kellan perguntou, mas Gotye ficou apenas quieto e começou a tirar a roupa, ficando completamente nu - Wally, o que...

- Kellan, me come. - Gotye disse interrompendo o irmão.

- O que?

- Me fode. Com força.

- Não, eu não posso fazer isso.

- Pode e vai. - Gotye abaixou a calça e cueca do irmão, abocanhando o membro do mais novo de uma vez. Kellan não conseguia sentir nada, por mais que seu pênis estivesse ficando cada vez mais ereto, ele não conseguia sentir prazer ou algo parecido. Depois disso, Gotye ficou de quatro na cama e começou a se masturbar - Vamos Kellan, hoje é o dia que você pode descontar tudo que eu já te fiz, o dia que você tanto esperou.

Quando Kellan ouviu isso, seu lado psicótico começou a despertar. Ele não queria fazer aquilo com o irmão, mas o seu psicopata interior falava pra ele fazer.

- Vamos Kellan, me fode como você fodia aquelas putas que você contratava pra te satisfazer e descontar toda a sua frustração. - aquela frase foi o estopim pra Kellan subir na cama e penetrar o mais velho de uma vez, não sendo nada delicado ou gentil com Gotye, dando estocadas fortes e profundas fazendo Gotye revirar os olhos de prazer e gemer como nunca.

Os dois foram assim a noite toda, até Kellan cair de cansaço na cama e o Gotye fazer o mesmo.

E ambos sabiam que Kellan ia se arrepender dessa noite pelo resto da vida.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...