História Illusione - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Carta, Kaisoo, Suícidio
Exibições 61
Palavras 721
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me perdoem se ficou confuso... Eu precisava escrever.. ><


Música tema: Miracles in December - EXO

Capítulo 1 - Illusione (Capítulo Único)


Fanfic / Fanfiction Illusione - Capítulo 1 - Illusione (Capítulo Único)

 

Era uma noite fria quando a carta chegou as mãos de Jongin. Estranhando agradeceu ao carteiro e retornou para dentro de sua casa aconchegante. Abriu o envelope azul claro com cuidado retirando de lá um papel grosso, bonito. Arfou ao ver a caligrafia perfeita e seus olhos encheram-se de água. Kyungsoo havia escrito para si. Mesmo depois da traição por parte de Jongin e das súplicas do mais velho para que ele o deixasse em paz, Kyungsoo havia escrito; para ele. Segurou o papel com as mãos, agora trêmulas, começando a ler com um aperto no peito cada palavra escrita.
 

 

"Bem, olá Jongin.

 

Provavelmente deve estar surpreso com uma carta minha, mas eu precisava que soubesse. Eu te odeio. Odeio muito. Odeio tanto que isso me mata aos poucos. Entretanto eu me odeio mais ainda. Por estar dizendo essas palavras tão rudes sendo que na verdade quero dizer que te amo em demasia e que, o que fez pra mim me machucou. Muito na verdade. Eu amei-te com todo meu ser. Esforcei-me pra ser alguém melhor pra você e por você, mas acho que meus esforços foram insuficientes. Eu sempre fui muito sensível apesar de não demonstrar. 

 

Eu chorava a cada leve cara feia que você fazia para mim; a cada abraço e carinhos que demonstrava em excesso por outros, mas isso não importa mais agora. Naquele dia que me contou do que havia feito com o 'nós' de como havia quebrado tudo que eu havia idealizado. Eu te mandei embora. Eu segurei minhas lágrimas; lágrimas que derramei depois que você passou pela porta. Eu chorei, gritei e solucei. 

 

Eu queria que tivesse me abraçado e não simplesmente deixado-me. Eu queria poder ter me segurado em você e te batido por ter me quebrado. Queria te ouvir dizer que não faria mais isso, mas você nada disse. Apenas virou as costas e partiu. 

 

Onde eu errei, Jongin? O que eu fiz, ou melhor, deixei de fazer para que procurasse em outro? Talvez eu apenas tenha sido insuficiente. 

 

Nesse momento minhas lágrimas molham o papel ameaçando borrar tudo o que eu estou querendo te dizer. 
Bom, se está lendo essa carta suponho que algo aconteceu. Eu pedi para que Baekhyun apenas te enviasse se algo acontecesse. 
 

Eu te (amo) odeio, Jongin.

 

Do Kyungsoo."

 

 

Jongin não podia acreditar no que estava lendo. Também não queria crer que Kyungsoo pudesse ser capaz de atentar contra si mesmo. Pegou o telefone tremendo e tentou secar inutilmente seu rosto enquanto discava o número de Baekhyun quase errando as teclas devido ao tremor de suas mãos. No terceiro toque Baekhyun atendeu.
 

 

— Hyung, você sabe do Kyung? — a voz falha de Jongin fez Baekhyun suspirar.
 

 

— Você recebeu a carta, certo?
 

 

— Sim. — Jongin mordia o lábio de forma nervosa a ponto de começar a ferir sua boca.
 

 

— Ele está morto, Jongin. — a voz pesarosa e triste de Baekhyun fez Jongin soluçar chorando mais.
 

 

— Como..? — Jongin tampou a boca tentando conter os soluços.
 

 

— Depois que ele te expulsou de lá ele chorou por horas. — Baekhyun começou devagar tomando cuidado com suas palavras — No dia seguinte ele me entregou um envelope azul claro me pedindo para enviar-te apenas se algo acontecesse... Os dias se passaram e ele desapareceu. Até que recebi uma ligação do hospital me informando que ele estava internado. Não sei o porquê de terem ligado para mim, mas alegaram que eu era a última pessoa com quem ele tinha conversado. Corri para o hospital para falar com o médico. — Baekhyun fez uma pausa tentando conter as lágrimas que voltavam a seus olhos — Ele havia feito um corte em seu pescoço. Foi encontrando pela vizinha que estranhou a porta de seu apartamento entreaberta... — Baekhyun suspirou calando-se. 
 

 

— Obrigado, hyung... Mas quando foi o enterro?
 

 

— Essa manhã. 
 

 

Jongin suspirou e agradeceu Baekhyun novamente desligando o telefone. Escorregou até o chão sentando-se. Chorou tudo o que podia, queria e precisava. Tudo aconteceu muito rápido. Uma semana. Uma maldita semana. Ele destruiu seu relacionamento, seu amor e sua querida flor. 

 

Kyungsoo era uma bela flor. Uma bela flor que Jongin arrancou e destruiu. Naquela noite o moreno sentiu a culpa tomar seu corpo de vez. Naquela noite tomou seus rémedios que vinha tomando; e naquela noite ele tomou uma hiperdosagem de seu calmante, alcançando assim seu sono eterno para tentar livrar-se da culpa.
 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...