História Illusions of the mind - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Armin, Castiel, Kentin, Lynn, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Tags Amor, Amor Doce, Assassinato, Beijo, Cama, Castiel, Coma, Culpado, Detetive, Drama, Escola, Hentai, Hospital, Illusions Of The Mind, Ilusão, Juno, Leesoungshi, Louise, Mistério, Namoro, Nathaniel, Nathise, Personalidade, Policia, Psicologia, Quarto, Revelaçoes, Romance, San-san, Sexo, Vítima, Yuhakiju
Visualizações 22
Palavras 1.578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


san-san: Pessoal, realmente sinto muito por não postar antes <3 Eu estava bem ocupada com um projeto novo, que me rendeu boas vibrações <3 Aqui está o novo capítulo, e espero que gostem <3 Muito obrigado pelos comentários e tenham uma boa leitura!

Capítulo 9 - Capítulo Nove: Uma Coroa de Flores a Pecadora - Parte Dois.


Alguns minutos haviam se passado, e Nathaniel caminhava pela trilha. Seu celular não parava te tocar, até que chegou um ponto onde ele percebeu que deveria atender a ligação.

 

~*~

 

 

~*~Ligação~*~

 

 

Alô...?

 

Nathaniel...?

 

Mãe...?!

 

Sim...,Nathaniel, seu pai vem me buscar hoje?

 

B-Bom eu não sei mãe… mas, com certeza ele irá.

 

Você vai vir com ele?

 

Mãe… me desculpe… mas essa não é uma boa hora...

 

Aconteceu alguma coisa...?

 

Pode acontecer se eu não correr agora… mas, não se preocupe..., qualquer coisa, não hesite em ligar para Ambre...

 

Meu filho… tudo bem, seja o que for, vai ficar tudo bem… estou desligando...

 

 

~*~Ligação~*~

 

 

Com aquelas palavras, a mãe de Nathaniel escondia que na verdade estava se preparando para uma pequena cirurgia, notando que seu filho estava preocupado com algo, não queria preocupá-lo mais com aquilo.

 

Em passos rápidos Nathaniel agora chegava ao final da trilha, que dava para um campo aberto, logo podia-se ver o amontoado de pessoas bem mais a frente, o que o aliviou.

 

~*~

 

 

~*~No acampamento escolar.~*~

 

 

~*~

 

 

—Bom, agora cada um vai pegar o seu mapa e iniciar sua própria trilha, cada mapa contém um item que deve ser encontrado, esses itens estão escondidos ao longo da trilha, ao chegar no final vocês devem cruzar a linha de chegada, todos os mapas contém caminhos diferentes mas terminam no mesmo lugar, agora Comecem!- O professor de educação física dava as ordens, todos os alunos tinham que fazer a aula separadamente.

 

 

Até mais, Rosalya! Violette!-Disse Louise se despedindo das meninas,a albina havia pego um caminho totalmente diferente das duas, ela estava com um pouco de medo de andar sozinha pela floresta, por causa do que aconteceu anteriormente, porém a poucos minutos estava se divertindo muito com Rosalya e Violette, então por agora tudo estava bem.

 

 

 

~*~

 

 

*Ache a cesta de frutas dentro da cabana*

 

 

 

Uma cesta de frutas...? Hum… seguir reto...v irar… -Murmurava Louise, olhando para o mapa, até ver uma cabana logo a frente, era uma casa feita de madeira, que parecia ter apenas um cômodo.

 

 

 

~*~No acampamento escolar~*~

 

 

P-Professor...- Chamava Nathaniel, que vinha correndo.

 

 

—Nathaniel… pensei que não vinha, é um milagre que você esteja atrasado.-Disse o professor com certo sarcasmo.

 

 

Professor agora não é hora para piadas… onde os alunos foram?-Perguntou Nathaniel recuperando o fôlego.

 

 

Foram para a caça ao tesouro...porque?-Percebendo que algo sério estava acontecendo, o professor observava oque Nathaniel tinha a falar, logo policiais aparecem em meio aos arbustos.

 

 

Nathaniel onde está Louise...?-Disse Henry vindo em direção ao loiro e ao professor, mais cedo, Henry havia decidido ir para a escola de Louise, um chamado anônimo dizia que o procurado, no caso o pai de Louise, foi visto nos arredores do campus escolar, aquilo o deixou extremamente preocupado, e sem hesitar, ele iniciou uma operação com todos os policiais acessíveis no momento.

 

 

Parece que ela para a trilha...eu vou procurar por ela...-Respondeu com um ar preocupado.

 

 

Vamos todos procurar..., professor por favor tome conta de tudo normalmente para não gerar quaisquer confusões...-Olhando para o professor seriamente, Henry dizia aquilo com um olhar ameaçador, oque fez o professor que antes estava sendo sarcástico com Nathaniel, responder um sim gaguejando.

 

 

Todos, exceto o professor, foram em direção a trilha, como todos os alunos estavam tomando caminhos diferentes, os policiais, Henry e Nathaniel também fizeram o mesmo, se separaram para que achassem mais rápido, Louise...e John…

 

 

~*~ Na floresta ~*~

 

 

Louise entrou na casa lentamente, logo avistou a cesta de frutas em cima da mesa, e correu em direção para pegá-la. Porém… a porta atrás de Louise fechou em uma única batida.

E uma voz familiar foi ouvida.

 

 

Louise...? -O homem de cabelos pretos e olhos azuis tão intensos quanto os de Louise, a encarava, em frente a porta com roupas surradas, e um estranho objeto que escondia em suas costas.

 

 

P-Pai...? Pai… -Lágrimas estravam prontas a sair de seus olhos, porém foram caladas ao ver o machado nas mãos de John.

 

 

—Louise… minha filha..., não se preocupe… eu sei que você não queria descobrir aquilo… mas, está tudo bem..., eu vou depois de você… -Disse indo em direção a ela com um sorriso macabro.

 

 

Aquele deveria ser um sonho, só podia ser.

Louise estava paralisada enquanto seu pai vinha em sua direção, ao estar frente a frente ele ergueu o machado, ao despertar, Louise conseguiu desviar a tempo, porém a mesa atrás dela, foi partida em dois… sem olhar para trás agora ela corria.

Corria por sua vida.

Corria para fugir daquilo.

Daquela realidade cruel.

 

 

 

Ah...Ah....-Tentava tomar fôlego, percebendo que havia corrido o suficiente, chegou próximo há um desfiladeiro, olhando para baixo podia-se ver um rio que era como um fio, aquele lugar era alto, se afastando dali, suas pernas cederam e ela caiu sentada no chão de terra.

 

 

 

Finalmente parou de correr… correndo do papai… -Aquela voz a assustou… porém não era uma voz masculina.

 

 

V-Você...não chegue perto… não se aproxime...-Disse se arrastando para trás ao ver a figura de trajes negros na sua frente.

 

 

* 0 Horas faltando para o incidente. *

 

 

O incidente que deixaria sua mente quebrada em pedaços...

As vezes nossa mente nos engana para o nosso próprio bem...

E As vezes nossa mente nos engana para esconder a verdade...

Para… proteger o momento que mais amamos...

Porém, quando a paz é perturbada...um caos na mente se forma.

 

 

 

Porque eu não deveria chegar mais perto? Você não acha que é um pouco cruel?-Perguntava enquanto caminhava em direção a Louise..., lentamente a mulher tirava seu capuz, revelando longos cabelos prateados.

 

 

E-Eu não sei do que você está falando...você...você é uma assassina!-Gritava Louise fechando fortemente os olhos, mas mesmo com os olhos fechados, ela ainda a via.

 

 

—Assassina… ha… você me fez assim… você me tornou na assassina! Você! Você! Você!...você é assassina...você é a pessoa cruel...você empurrou todas as suas memórias dolorosas para mim...se esquecendo de tudo...vivendo uma vida feliz...você...você!- Tirando sua máscara e jogando no chão, ela parou a um metro de Louise.Olhe...

 

 

 

N-Não...!-Se encolhendo no chão, Louise gritava, chorava, mas se negava a ver a face da mulher. Porém a curiosidade era maior...lentamente, em meio as lágrimas ela abria os olhos, lágrimas embaçavam sua visão...que logo se tornou nítida...até que um grito mudo escapou de sua boca...

 

 

Consegue ver agora?...Eu...sou você.-Mesmo estando longe, aquela voz parecia sussurrar em seus ouvidos, ela não vinha de fora, estava vindo de dentro.

 

 

 

A-A-Ahh...ah...-Gritos, gritos eram a única coisa ouvida, desespero, medo, confusão, aquilo era perturbador...

 

 

L-Louise!!!!-Um grito era ouvido, uma voz familiar, Nathaniel corria em sua direção, a abraçou, porém Louise não se movia...L-Louise...fale comigo...

 

 

N-Nathaniel...ela diz que sou eu...ela sou eu...e-eu...e-eu...eu não fiz isso...eu não...-Dizia entre soluços, e a mulher se aproximava dos dois.E-Ela está vindo...

 

 

Sem pensar duas vezes Nathaniel pegou o vidro de pílulas calmantes, tirou duas pílulas dali, sabendo que Louise não iria conseguir tomá-las naquela situação, colocou-as em sua boca, e puxou a albina para um beijo. Forçando as pílulas com a língua para a boca de Louise, no susto ela acabou as engolindo.

A medicação tinha efeito praticamente imediato, porém não eram fortes, iriam fazê-la dormir apenas por algumas horas, afinal não eram soníferos, e sim calmantes.

 

 

 

Nathaniel...eu estou com medo...ela...

 

 

Não olhe.-Respondeu puxando o rosto de Louise, grudando sua testa na testa dela. Olhe nos meus olhos, apenas olhe nos meus olhos...você é a louise...você não é ela...entendeu? Entendeu?!- Disse a sacudindo, porém, o efeito finalmente veio, e a mesma caiu nos braços de Nathaniel, que derramava lágrimas.

 

 

 

Alguns minutos depois após se acalmar, Nathaniel ligou para Henry, que imediatamente ligou para os paramédicos, enviando Louise para o hospital, acompanhada de Nathaniel.

 

 

 

*No hospital.

 

 

 

Como ela está Senhor Stefan...?- Perguntou Nathaniel ao médico.

 

 

—Ela… desenvolveu um quadro de esquizofrenia… por agora não sabemos o exato estado mental dela… mas eu posso entender os motivos de sua mente ter gerado essa confusão interna.Disse olhando para o jovem.

 

 

Eu...vou ficar ao lado dela...não importa oque...-Disse segurando a mão de Louise fortemente.

 

 

Eu admiro seu amor por ela.-Disse o médico com um sorriso no rosto enquanto pensava...

 

 

 

''Ela precisa de você mais do que imagina Nathaniel… Porém se você fez a escolha de ficar com ela… Saiba que não foi uma decisão errada… uma pessoa como ela tem um bom coração.

 

Ao ver sua mãe traindo seu pai seu coração se partiu em pedaços… ela não queria contar ao pai da traição da mãe para não fazê-lo sofrer, e preferiu aguentar esse fardo, amava a mãe por mais que sentisse nojo do que ela fez, e amava o pai por mais que no fundo soubesse que ele não era um marido atencioso… mas ao ver seu pai na cena do crime, ela se culpou por não ter lhe contado antes… de um modo suave..., então seu subconsciente criou alguém que levasse a culpa por todos os fatos, mas a culpa por tudo levava a apenas uma pessoa… ela.

 

 

O cenário que seu subconsciente criou iria levar à um suicídio… ao descobrir que supostamente ela teria matado sua mãe para proteger seu pai… como uma pecadora ela levaria toda a culpa e morreria sem incomodar ninguém… sua mente criou uma mentira para proteger a verdade de todos, para proteger seu pai, e redimir seu sentimento de culpa por sentir nojo de sua mãe...

Realmente… ela é alguém especial que apenas se sacrificou pela felicidade das pessoas que ela amava… mas eu me pergunto, como ela vai acordar… espero… que seu amor a cure.''

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


san-san: Missão concluída hehe ~* Espero que tenham gostado! Não se esqueçam de comentar <3 Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...