História ILYMTICES (2 temporada) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB)
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Christian "CC" Coma, Jacob "Jake" Pitts, Jeremy "Jinxx" Ferguson, Personagens Originais
Tags Alemanha, Andy Biersack, Bvb, Romance
Exibições 37
Palavras 1.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Nossa quanto tempo né galere? kkkkkk é que eu tava viajando, mas voltei com um super capítulo que acho que vão amar :3 e o proximo mais aindaaaaaaa :3

Capítulo 7 - Vinho e filme


Fanfic / Fanfiction ILYMTICES (2 temporada) - Capítulo 7 - Vinho e filme

NO CAPÍTULO ANTERIOR: -Oi An...dy, Nossa- Olhei para frente e ela me olhava dos pés à cabeça, como se estivesse procurando algo muito valioso ali- Você está lindo- Ela disse com uma cara meio boba e assim que eu abri um sorriso, ela desfez essa cara e continuou falando- Quer dizer... Já estava achando que não viria mais- Ela disse e olhou para baixo enquanto segurava o coração do colar que eu havia lhe dado noite passada...

Continuando...

-Me desculpa Nicka, sabe... Eu poderia te dar mil razões pra não ter te respondido, te atendido ou por não ter vindo mais cedo, mas... O fato é que eu estou aqui agora, não é mesmo?- Eu disse aquilo porque... Não queria voltar a falar com ela já mentindo de novo, mas também não queria lhe deixar chateada.

-Ah, tudo bem... Desculpas aceitas- Ela me respondeu rindo um pouco e me dando espaço na porta para entrar, eu não fazia a mínima idéia do que faríamos ali, só sei que queria ficar com ela e não estava afim de ir pra qualquer outro lugar que não fosse ali mesmo e minha casa.

-E a propósito, você também está linda- Ela estava com um moletom xadrez verde bem grande e um short bem curto, menor que o normal da mulher brasileira, mas... Não era como se eu estivesse achando aquilo ruim- Como sempre- Eu completei depois que percebi que ela estava meio que paralisada olhando para suas próprias pernas.

-Bom... Depois que eu mandei a mensagem e você não me respondeu, eu realmente comecei a me preparar para dormir, então... Isso- Ela disse e apontou para o short roxo- É pijama, ta?- Não sei porque, mas ela não foi nem um pouco convincente.

-Não se preocupe com isso, já disse que está linda- Repeti o que havia dito antes e ela finalmente sorriu para mim enquanto juntava seus cabelos para trás, mas logo os soltava de novo, típico de quem tem cabelo grande e não sabe o que fazer ou o que falar- Mas, o que vamos fazer hein?- Eu perguntei e na hora ela olhou pra mim com os olhos meio arregalados e as mãos nos bolsos de trás do short.

-Eu acho que não sei- Ela disse me olhando com cara de dúvida- Quer dizer... Eu realmente não pensei nisso, eu só queria te ver hoje, então eu marquei com você e meu dia foi completamente corrido e depois que eu tive descanso eu fiquei te ligando para saber se viria e, resumindo, eu não pensei em nada para fazermos- Ela terminou de falar tomando fôlego já que havia dito aquilo tudo muito rápido e sem parar.

-Um filme?- Eu perguntei à ela e ela apontou pra mim como se eu fosse um gênio desvendando um mistério, que?

-Mas... Onde vamos achar um filme nessa casa?- Ela me perguntou e logo depois começamos a procurar, não era possível que não tinha nenhum filme no meio daquela bagunça, mesmo que fosse um velho, pirata, sem capa, sem nome... Sei lá, ficamos bastante tempo procurando e procuramos até na mochila que seu tio havia esquecido por ali, até que eu me lembrei de uma coisa.

-Mas ruiva?- Eu chamei sua atenção e ela olhou para mim por entre suas pernas já que ela estava abaixada checando se não havia nenhum DVD jogado em baixo de sua cama. Uma cena até sexy se ela não estivesse tão desengonçada, atrapalhada, descabelada e se seus óculos não tivessem caído alguns segundos depois. Depois de muito rir e recuperar meu fôlego, eu consegui falar o que queria- Seu aparelho de DVD ainda está aqui?- Eu perguntei já voltando a rir porque eu tinha certeza de sua resposta.

-Droga... E então? O que vamos fazer, tomar refrigerante e conversar sobre a vida?- Ela perguntou se sentando na cama com cara de desanimada.

-Não to com muita vontade de beber refrigerante não- Eu lhe respondi e ela me olhou tipo “não vai beber nada então”- Eu já volto- disse descendo as escadas e pegando a chave de minha moto. Escutei ela me perguntando umas três vezes onde estava indo, mas não respondi, até porque se eu falasse que estava indo comprar um vinho pra gente, ela não me deixaria ir- Eu já disse que já volto, prometo que não vou demorar- Eu disse já em cima da moto antes de bagunçar ainda mais seus cabelos e ir até o supermercado.

Por que em plena sexta feira a noite as pessoas resolvem fazer a compra do mês? Pelo amor né... Demorei quase meia hora no supermercado pra comprar um simples vinho e um doce porque eu fiquei tanto tempo na fila que comecei a ficar com vontade de comer aquelas minhocas coloridas. Finalmente chegou a minha vez na fila, peguei tudo devidamente que nem uma pessoa normal e voltei para a casa de Nicka o mais rápido possível, dessa vez ela estava do lado de fora, sentada na escadinha com seu gato.

-Eu juro que se demorasse mais quatro minutos eu entraria pra dentro dessa casa, tiraria minha roupa e dormiria até amanha, sem falar nada com você- Eu sabia que ela estava exagerando, mas gostei de saber que ela contou os minutos que eu fiquei fora.

-Que eu saiba, você já estava preparada para dormir- Ela me olhou com cara de quem não entendeu e eu tentei explicar- Se isso é o seu pijama, você não precisaria tirar sua roupa para dormir- Pelo menos foi o que ela disse, apesar de não parecer muito convincente- Ou estava tentando fazer eu imaginar a cena de você tirando essas roupas e se deitando?- Ela nunca precisou falar sobre esse tipo de coisa ou usar alguma roupa curta, ou seja lá como for pra me impressionar e eu acredito que não era aquela hora que ela precisava daquilo, mas parecia ser o que estava fazendo...

 -Ah, com certeza é isso...- Ela disse em um tom irônico, com certeza tentando me fazer esquecer logo essa história. Talvez ela não fosse tão boa assim tentando me impressionar, ela devia saber que na verdade não precisa fazer nada além de ser ela mesma para que isso aconteça- E entra logo, quero saber o que foi fazer que demorou tanto- Ela disse e eu entrei lhe mostrando a sacola com a garrafa de vinho dentro.

-Eu disse que não estava com vontade de beber refrigerante- Fui até a cozinha e abri a garrafa no balcão, já que não tinha mesa- Quer doce?- Lhe perguntei mostrando o pacote e procurando suas taças, copos, xícaras, qualquer coisa que desse para beber o vinho.

-Pode ser, mas eu não bebo vinho Andy- Coloquei um doce em sua boca logo depois que achei dois copos de vidro- Aliás, eu não bebo nada com álcool- Ela completou depois de pegar o doce com a boca porque não lhe deixei pegar com a mão.

-Não faz mal- Depois de muito insistir com ela, consegui fazer com que ela tomasse o primeiro copo de vinho com um pouco de coca e depois ela começou a tomar normalmente.

-Eu tava olhando aqui enquanto você não voltava e parece que meu tio salvou alguns filmes nessa televisão antes de me dar ela, mas eu não sei como fazer pra ver, se você quiser tentar...- Realmente tinham alguns filmes salvos ali, mexi um pouco naquela bagaça e consegui abrir os filmes, escolhemos qual queríamos (ou ela escolheu o que ela queria) e começamos a assistir.

Estávamos assistindo no mesmo sofá e com a mesma coberta, mas cada um estava em um canto. De inicio parecia ser um filme clássico de terror, onde tem uma pessoa que incrivelmente não morre com 300 tiros na cara (o assassino), tem a patricinha burra que só sabe gritar a cair (a vítima) e tem o jogador de futebol americano bombadinho e corajoso que salva a patricinha burra (o namorado da vítima), ou seja, era um filme clichê que já estava dando sono, mas incrivelmente, ela conseguiu ficar com medo disso e a cada susto chegava mais perto de mim, até que, em mais ou menos 40 minutos de filme eu disse que meu vinho tinha acabado e que era para ela dar pause no filme que eu pegaria mais. Ela estava praticamente grudada em mim, fui pegar nosso vinho e quando me sentei novamente no sofá, ela abraçou meu tronco de lado e deitou sua cabeça em meu ombro, parecia até cansada.

-Andy, acho que fiz coisa errada ai na TV- Ela falou em meu ouvido em um tom que nunca havia usado antes, pelo menos não comigo. O que me deixou completamente arrepiado.

-O que você fez princesinha?- Perguntei usando o mesmo tom e pude ouvir um pequeno gemido vindo de Nicka, perfeito...

-Eu mexi de mais e acabei tirando no filme que estávamos assistindo, ai eu fui colocar de novo, mas acho que coloquei errado porque não me lembro dessa cena- Ela continuava com aquele tom de voz que a qualquer momento podia me deixar louco... Dei play no filme que ela havia colocado e realmente não era o que estávamos assistindo antes. Na cena que estava, tinham duas pessoas semi-nuas se beijando em uma cama bem arrumada de um lugar bem claro. Eu acredito que aquela doidinha realmente tenha se atrapalhado com o controle e tenha colocado aquele filme sem querer, e por isso mesmo acabou sendo engraçado.

-É... Definitivamente não era esse filme que estávamos vendo- Eu disse rindo um pouco e ela olhou pra mim com cara de bebê- Lembra qual era o nome dele neném?- Perguntei e ela negou com a cabeça- Então como vamos voltar a assistir?- Arqueei uma sobrancelha e ela respondeu ainda com aquela voz.

-Ai, não sei, mas tira esse filme, por favor Andy- Ela praticamente sussurrava no meu ouvido e eu não sei se era efeito do álcool em mim, nela ou alguma outra coisa, só sei que não me responsabilizaria pelos meus atos se ela continuasse.

-Ah, mas pra que? Já que a gente não vai conseguir achar o outro de novo, vamos continuar vendo esse mesmo uai- Eu disse e ela mordeu o lábio inferior me olhando- Por que tirar?- Eu perguntei e alguns segundos depois ela estava sentada no meu colo e sussurrando a resposta da minha pergunta no meu ouvido.

-Porque eu... Essa cena...


Notas Finais


Então é isso amorens, o que acham que Nicka vai falar? E o que acham que Andy estava pensando quando disse que não se responsabilizaria pelos seus atos?
Por favor, deixem seus comentários e até o proximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...